História In The Arms Of Colin - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 7
Palavras 2.347
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 5 - Família


Fanfic / Fanfiction In The Arms Of Colin - Capítulo 5 - Família

Dave acordou ainda sendo abraçado por Colin que dormia tranquilo, rolou na cama e se soltou do ruivo, ouviu batidas fracas na porta e alguem chamar fraco o nome do ruivo adormecido Dave abriu a porta vendo a imagem de Victor ele tinha em mãos uma bandeja com café da manhã que imaginou Dave ter sido feito pelo mesmo.

_Você de novo? - disse empurrando o pequeno e entrando no quarto com cara de deboche - pensei já ter te dito pra ficar longe dele.

_Eu não vou fazer o que você quer! - o menor disse assustado com o choque de coragem que recebeu - Eu quero ficar perto dele e alguem como você não vai me impedir! - _Mas que droga estou fazendo?_ perguntou a si mesmo, sabia que estava enfrentando um mafioso mas sabia também que não queria deixar Colin só porque um homofóbico queria.

Dave sentiu um arranque em seu corpo ouviu o som estrondoso de suas costas batendo contra a parede.

_Quem você acha que é? Você é só mais um dos que ele fica louco enquanto não consegue o que quer mas sabe quando ele finalmentereceber enfiar o pau dele nessa sua bundinha virgem ele vai te chutar igual fez com todos os outros igual fez comigo então é melhor você desaparecer antes de se decepcionar caso contrário...- ouviu o som de uma arma e viu a mesma ser levada ate sua cabeça.

_Eu não vou me afastar dele só por que você quer seu babaca! - Dave chutou entre as pernas do homem e tossir segurando a garganta depois de colidir contra o chão.

_Devia ter ido embora quando te dei a chance. - apontou a arma para Dave e assim que ia disparar seu corpo foi lançado escada abaixo.

_E você devia pensar direito antes de ameaçar alguem na minha frente. - Colin correu ate o assustado Dave e o abraçou - ta tudo bem com você? Ele te machucou? 

_Eu to bem, melhor agora que você ta comigo. - deixou as lagrimas descerem enquanto abraçava forte o ruivo, entre os olhos marejados viu Victor se levantar apontando a arma para os dois - Colin cuidado!!!

O maior girou o corpo e se usou como escudo, dois tiros foram ouvidos um acertou as costas de Colin que desmaiou sobre Dave, os guardas finalmente fizeram algo alguns imobilizaram Victor enquanto outros correram para salvar Colin.

_Colin!!! Minha nossa isso é tudo culpa minha. - Dave chorava enquanto o sangue do ruivo sujava suas pernas e o chão a volta de ambos.

_Ta tudo bem Dalia, eu sou só mais um traficante, gente como eu sempre ta correndo risco de vida - disse meio fraco - não é sua culpa eu quem nunca devia ter deixado esse cara entrar pra mafia.

Os guardas ajudaram Colin a levantar cada um segurando um dos braços dele.

_Pra onde vocês vão levar ele? Ele precisa ir para um hospital - Dave disse desesperado vendo que os guardas não tinham a intenção de levar o ruivo ao hospital.

_Não podemos levar ele pro hospital o maximo que podemos fazer é tentar salvar ele por nos mesmos.- um dos guardas disse com receio.

_De jeito nenhum, tapem o ferimento e tentem fazer parar de sangrar coloquem ele no carro eu vou me trocar e a gente vai levar ele pro hospital agora.

E assim foi feito eles pegaram umas roupas de Colin e colocaram no sangue depois fazendo os buracos nela, Dave correu e se vestiu depois entrou no carro no banco de trás apoiando a cabeça de Colin no colo.

...

No hospital Dave correu ate a recepção enquanto os guardas tiravam Colin do carro.

_Eu preciso de um medico! 

_Qual o seu problema senhorita?

_Não sou eu é... - podia ter dito qualquer coisa mas no momento a única palavra que lhe veio em mente foi: - é o meu namorado ele foi baleado.

Assim que ouviu as palavras baleado a recepcionista chamou o enfermeiros do PS que imediatamente levaram Colin pra uma sala de cirurgia.

...

Dave andava de um lado para o outro desesperado, quando um medico saiu da porta branca retirando as luvas.

_Acompanhantes de Colin Pozharsky?! - Dave correu ate o médico - bom conseguimos tirar a bala dele e por sorte não atingiu nenhum lugar critico ele já esta melhor e esta descansando no quarto, sinceramente já é normal ver ele por aqui com os caras dele mas dessa vez demorou mais que o normal imagino que você esteja colocando um pouco de juízo na cabeça dele, bom se quiser ver ele me acompanhe.

_Na verdade ele tem tentado por outra coisa em mim mas tudo bem. - falou em um sussurro acompanhado de um meio sorriso.

O moreno seguiu o medico e entrou no quarto onde Colin estava olhando a janela.

_De volta ao começo...

_Você me salvou mais uma vez Dalia vem ca - chamou o mais novo para se sentar do seu lado.

_Como ta se sentindo?

_Teria sido melhor se eu pudesse continuar deitado com você igual mais cedo - passou um braço sobre os ombros do pequeno e descansou sua cabeça sobre a dele.

_Nunca mais faz isso de novo - deu um soco no peito do ruivo que gruniu de dor - ai desculpa eu não queria te bater muito forte mas você merece por ter me assustado.

_Isso machucou você vai ter que dar um beijinho pra sarar...- tocou a própria boca com o dedo indicador.

_Fique sabendo que isso não vai acontecer sempre viu?! - disse se aproximando do ruivo lhe dando um selinho.

_Vai acontecer de um jeito diferente.

_Senhor, o que faremos com Victor?

_Ah Smith, de um jeito nele por mim eu não quero deixar Dalia sozinho é perigoso pra ele.

_Sim senhor.

O guarda saiu e Colin puxou o corpo do pequeno mais pra perto de si.

_Farei isso quantas vezes mais for preciso pra ganhar no minimo um beijo decente de agradecimento.

_E esse não foi decente?

_Não, pareceu um beijo de alguem que quer ir embora logo.

_Então os beijos tem nomes?

_Sim se quiser te dou uma aula mais tarde.

_Ah mas eu quero com certeza essa aula.

_Claro que quer é o seu futuro namorado que esta lhe oferecendo.

_Você é terrível.

_E eu não sei?!

...

Dave dormia tranquilo com Colin na cama de hospital pequena de mais para estabelecerem um limite de espaço mas também grande demais para dois enamorados e ao mesmo tempo amantes. 

Os olhos do ruivo se mantinham alertas vendo a cidade começar a se agitar e ouvir os barulhos de todo aquele alvoroço do dia a dia, por esse motivo morava afastado não gostava da bagunça da cidade preferia a calmaria muitas vezes agitada de seu lar, não é difícil de se lembrar do rosto de seus pais e irmãos quando os matou para conseguir se tornar dono da mafia isso era uma memoria constante mas se tivesse conhecido Dave antes nunca teria feito o que fez mas não pode se arrepender nem voltar atrás o único jeito de sair de onde estava hoje era a) morto b) se aposentando deixando alguem de confiança no comando ou c) se entregando para polícia e declarando a máfia como extinta, mas isso traria má reputação para o nome de sua familia e Colin não queria nem devia ser uma decepção.

_Colin, você ta meio aéreo ta tudo bem? - Dave perguntou esfregando os olhos.

_Claro que sim Dália só pensando no que vou fazer depois de sair daqui... - disse acariciando os cabelos do moreno.

_Pensando em o que vai fazer com o Victor?

_Não, Victor não existe mais dália...sinto muito te dizer mas as coisas são assim...

_Vamos parar de falar dele, ainda sente dor? - falou se sentando e tocando o abdômen do ruivo.

_Eu levei tiros nas costas dália, você ta tocando no lugar errado. - disse sorrindo sarcástico.

_Deixa de ser idiota eu queria ver se estava tudo bem mesmo. - fez um bico cruzando os braços.

_Eu to bem, você é a melhor enfermeira do mundo. - deu um selinho no menor e sorriu.

Uma enfermeira entrou com uma bandeja com remédios.

_Bom Colin hora dos remédios já sabe o protocolo. - disse colocando a bandeja no criado mudo ao lado do ruivo fazendo o maximo para seus peitos aparecem.

Ah sim, essa é a enfermeira que Colin transava quando vinha parar aqui pra não tomar os remédios.

_Merda! - praguejou internamente.

_Pode deixar eu dou os remédios pra ele. - Dave disse descendo da cama.

_Você não é enfermeira aqui garota.

- Ele é meu namorado tenha respeito, pode ir embora.

A mulher saiu murmurando palavrões.

_Esses remédios vão te fazer dormir...

_Como sabe?

_Já trabalhei numa farmácia. Toma. - entregou o comprimido e um copo com água pro ruivo.

Colin bebeu e depois de uns quarenta minutos de conversa jogada fora foi apagando aos poucos.

Depois de se arrumar e sair do quarto Dave recebeu o olhar furioso da enfermeira que empinou o nariz e saiu andando com seus saltos médios fazendo barulho. Chegou em casa e viu Tina sentada no sofá da sala de estar .

_Dave! Onde você tava? Te liguei milhares de vezes e nada de você aparecer...tem uma notícia pra você...- disse correndo ate o moreno.

_Você nem imagina, lembra que eu sai com o Colin? Então passamos o dia inteiro assistindo filmes e jogando todo tipo de jogo - falou indo até a cozinha - depois de muita bagunça a gente dormiu, nem te conto como...

_Dave...

_Depois que a gente melhor eu acordei - disse procurando algo pela geladeira - aquele cara Victor apareceu dando uma de pica das galáxias mas o Colin botou ele pra correr depois ele levou alguns tir- foi cortado pela amiga.

_DAVE!!! - então Dave direcionou o olhar para a amiga e viu seus pais parados um de cada lado da moça. - essa é a notícia que tinha que te dar.

_Quem é Colin meu querido? - a mãe perguntou se aproximando dele e mexendo em seu cabelo - esse cabelo ta grande demais não acha que devia cortar? 

_Eu gosto do meu cabelo assim...

_Sierra deixa o garoto, e ai filho conta pra gente quem é Colin? Amigo? Pegete? Como vocês dizem hoje em dia mesmo? Crushi? crochê? - disse o pai de braços cruzados encostado na soleira da porta.

_É Crush pai...

_Deus me livre Adam meu filho não é gay!

_Ele pode ser bi.- justificou.

_De jeito nenhum eu criei meu filho como homem pra namorar mulheres bonitas.

_Mereço. - Tina disse revirando os olhos e saindo da cozinha.

_Vocês nunca mudam... - Dave pegou seu copo com suco e foi ate a varanda sendo seguido pelo próprio pai.

_Não se preocupa com sua mãe ela é sempre assim você sabe...

No hospital Colin acordava, olhou pros lados respirou fundo e esfregou o rosto olhou seu celular sobre um papel com uma letra bonita com algumas palavras rabiscadas.

"Querido Colin, queria ter coragem para te dizer tudo isso pessoalmente, queria ter a coragem para olhar nos seus olhos e gritar para todo o meu mundo como acabei me apaixonando por você mesmo que fosse apenas para sussurrar em seu ouvido as tão desejadas três palavras.

"Querido Colin, mesmo sabendo sua incrível realidade e conhecendo seu ápice de dor queria permanecer ao seu lado e cuidar de suas feridas te ajudar a carregar o peso de seus planetas para que não sofra sozinho.

Querido Colin, quero do fundo do meu âmago te dizer que quando nos Vênus juro a Marte para todo sempre mesmo o sempre não existindo.

Dave ou seu amado Dália"

Um sorriso se fez na face avermelhada do ruivo fora um dos sorrisos mais sinceros que já dera desde que foi encontrado por Tom.

...

Dave se encostou no parapeito da varanda ainda com o copo de suco em mãos seu pai fez o mesmo e olhou os prédios a frente ate que quebrou o silêncio dizendo:

_Não fica bravo com sua mãe você sabe que ela é meio...

_Ta tudo bem.-Dave imterrompeu encarando o pai de forma terna. _Oque trouxe vocês aqui antes do natal?-Perguntou mudando o rumo da conversa.

_Sua mãe começou a dizer que o instinto de mãe dela começou a apitar e que ela tinha que vir te ver.

_Ah...

_Mas me conta quem é Colin?-Falou com uma voz doce digna de um amigo proximo.

_É um amigo...- olhou pra baixo com o rosto corado.

_Só amigo?-Indagou com um sorriso maroto nos lábios.

_Bem é meio que uma amizade colorida...-O menor respondeu sorrindo de leve.

_E vocês já..?-O pai disse fingindo uma irritação.

_Eh não... Mas queria...-Dave confessou sorrindo libertino.

O mais velho soltou uma gargalhada gostosa ao dizer:

_Safadinho! Como ele é? Tem alguma foto?

_Sim! - Dave respondeu animado pegando seu telefone, abriu uma rede social do ruivo pegou  uma foto aleatória e mostrou ao pai.

_Caramba... Ele até que é bonito - o pai deduziu ao avaliar. _com o que ele trabalha?-Perguntou alguns segundos depois.

_Bem...ele é dono de um negócio aqui em Londres...

_Um Empresário!?

_Quase isso...

_Ele não é um criminoso é?-o senhor sorriu de leve arqueando uma sobrancelha enquanto encarava o filho.

_O que? - Dave perguntou meio desacreditado.

_Empresários nunca são honestos se são, são pobres ou seja ele é um criminoso. - disse meio serio.

_Ele é uma espécie de empresário...-Respirou fundo, teria que dizer afinal era seu pai, não poderia o enganar eternamente. _E bom...Ele pode ser considerado uma espécie...Uma espécie de bandido.-soltou o ar quando finalmente a coragem lhe acometeu e ele disse.

O pai o encarou confuso e assustado por alguns minutos, Dave pensou em lhe trazer um copo com água mas desistiu ao ver que o homem se recuperava aos poucos.

_Filho...Isso é errado!-falou alarmado.

_Eu sei que é papai! Mas quando eu vi já estava dentro.

_Não...Não Dave!-Falou passando as mãos pelos cabelos.

_Pai! Eu gosto dele!

_Eu sei que gosta! Mas é perigoso!-o mais velho argumentou.

_Eu estou ciente de tudo isso pai, não teria entrado nessa se não soubesse das consequências.-o jovem falou determinado.

  O mais velho o encarou duro por alguns instantes até que levou as mãos a cintura segurando na região, balançou a cabeça negativamente enquanto sorria desacreditado.

_Dave filho eu sei que proibir não posso pois se você gosta dele não vou conseguir impedir então...-Começou levando as mãos aos cabelos negros do menor.

_Por favor não conta pra mãe...-o menino falou suplicante.

_Eu não pretendo, sua mãe surtaria.-Disse abraçando o filho inconsequente.

_Obrigado pai.-Dave falou se aconchegando no conforto dos braços do maior.

_Só tome cuidado filho.-pediu apertando ainda mais forte o menor em seu abraço.


Notas Finais


Oiii! Obrigado por chegar até aqui! Tá gostando da história? Deixa um comentário pra me incentivar a continuar escrevendo!
Te vejo na próxima tchauzinho :3
E por favor se vc sentir q deve compartilhe amo vcs :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...