1. Spirit Fanfics >
  2. In The Eyes Of The Dragon -JenLisa- >
  3. Capítulo 1

História In The Eyes Of The Dragon -JenLisa- - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Oii, Tô anciosa por esse novo projeto jenlisinhas, espero que curtam, pois essa fanfic é tudo!. Então eu resolvi pedir a autora pra adaptar para jenlisa e ela me deu permissão.

Capítulo 1 - Capítulo 1


2023, Fort Dallas

Sete anos após a abertura da fenda...

JENNIE

Em relação às outras celas de prisão esta aqui era bem decente. Quero dizer, eu estive em diversas nos últimos anos, e a maioria delas eram armários de armazenamento convertidos ou quartos pequenos, reforçados. Esta tem uma pequena cama no canto, um balde para uso pessoal, e a porta é uma moldura de arame farpado que me permite olhar para o resto da prisão improvisada. Considerando que a última vez que passei alguns dias em um desses lugares eu fui deixada em total escuridão, isso aqui é impressionante.

O que significa que eu provavelmente estou completamente e totalmente ferrada.

Não sou uma pessoa negativa. Normalmente não. Eu sou mais uma pessoa de levar a vida segundo a citação "se lhe derem limões faça uma limonada e a venda". Não adianta chorar por causa de limões. Mas eu mataria para ter um limão agora. Acho que não vi nenhuma fruta desde a abertura da fenda. Eu imagino que as árvores frutíferas foram uma das primeiras coisas a desaparecer. De qualquer forma, não sou uma pessoa que fica lamentando sobre o meu destino. Isso quer dizer se conformar com merda e ficar parada, e há sempre muita merda para ser feita. Se houver um revés, e vamos ser sinceros, sempre há, eu reorganizo e ataco com um novo plano de luta. Tenho pessoas dependendo de mim, e não há tempo para lamentar.

Mas eu não posso deixar de sentir um pouco de preocupação quando os dois guardas da cadeia continuam olhando para a minha cela e sussurrando um para o outro. Eu não posso ouvir o que eles estão dizendo, mas tenho certeza que não é nada bom. Eu dou-lhes o meu melhor olhar de durona e tento parecer feroz. Garotas que são fracas e macias, como Ella e Rosè, são enganadas. Não vou deixar ninguém fazer isso comigo.

Ella. A minha irmã. Deus, ela vai ficar tão preocupada. Estou presa aqui há quase duas semanas. Enquanto minha irmãzinha está acostumada a me dar sermões, graças às minhas corridas, duas semanas é muito tempo. Ela vai ficar desesperada. Espero que não venha atrás de mim.

Eu realmente espero que ela não pague alguém para vir atrás de mim. Não temos dinheiro, e garotas da nossa idade só têm outra opção em Fort Dallas. Eu disse a Ella que não tem que fazer isso, mas eu me preocupo que ela não vá ouvir. Que o pânico possa assumir e ela vai fazer algo que se arrependerá depois.

Fique calma, eu comando mentalmente minha irmã. Fique calma. Logo estarei em casa.

Ou... Não, eu acho enquanto eu olho minha cela de prisão mais uma vez.

Os guardas estão me observando de novo. Merda. Eu estive aqui por um tempo agora, e sem nada para fazer, a não ser assistir as pessoas indo e voltando, eu aprendi a ler suas expressões, hora para mudar o balde de cocô ou qual expressão significa problemas.

O olhar que estou recebendo agora? Grandes problemas.

Eu apenas sorrio inocentemente. Não é grande coisa. Esta sou eu, absolutamente não surtando.

Se eles viessem para me atormentar e comentar sobre meus peitos, isso é uma coisa. Eu sei o que esperar disso. Todos esses sussurros e olhares? Eu me preocupo que algo ruim está para acontecer. Não consigo me livrar desse sentimento. Dado que este é o tempo mais longo que eu já estive presa em uma cela, eu temo que não vou conseguir voltar para casa novamente.

Esse sentimento só fica mais forte quando ambos olham para a placa seca amarelada na parede e, em seguida, olham para a porta da cadeia.

Eu não estou errada. Algo está para acontecer hoje.

De certo modo, acho que é uma coisa boa. Chega dessa porcaria de esperar no limbo. Não ficar mais roendo minhas unhas, preocupada. Não testar as rachaduras de concreto da minha cela, tentando determinar se há uma rocha solta em algum lugar e eu possa cavar um túnel de fuga. Sem vigilância em turnos por diversos guardas.

Eu deveria estar feliz. E ainda assim...

Eu mordo meu lábio, pensando em minha irmã. Ella está em casa, à espera que eu traga comida, mantimentos e dinheiro depois da minha viagem de busca. Ela ainda está lá e ainda com fome e indefesa. Odeio isso. Detesto estar presa nesta cela há duas semanas. Nossa amiga Rosè vai cuidar dela, mas... Rosè tem suas próprias preocupações. E Ella precisa de ajuda. Ela é apenas dois anos mais nova que eu, tenho 25, mas ela é suave onde eu sou durona.

Ella não pode escapar. Ela não pode segurar uma faca ou dar um soco se alguém tentar dominá-la e roubar o que é dela. Sou eu quem a apoia e cuida dela. E sim, Ella foi mimada, primeiro por nossos pais quando eles estavam vivos, e por mim e Rosè depois. A perna da Ella quebrou durante a fenda e nunca mais consertou corretamente, então ela caminha mancando feio. Isso nunca me incomodou antes porque eu estava lá para cuidar dela.

Mas agora? Estou me preocupando, imaginando Ella em casa, faminta. Ella mancando para a loja mais próxima com o que ela pode trocar por comida. Ella vendendo-se, abrindo as pernas para um dos soldados para fazer um pouco de dinheiro para comer como Rosè faz... Mas Ella não faria isso. Ella morreria de fome primeiro.

Um dos guardas, aquele que fica olhando para a porta, se aproxima da minha cela. Ele desce e abre o portão de arame farpado para mim.

— Como estamos hoje?

— O mesmo de ontem. — O que ele acha? Que eu tenho um cronograma completo ou algo assim? Estou numa cela de prisão por acusações falsas. Bem... Um pouco falsas.

Quase falsas.

Pelo menos, não totalmente legítimas.

— Longa noite — comenta, então esfrega os olhos cansados.

— Oh, não para mim. Eu dormi como um bebê. — Dou-lhe o meu sorriso mais vitorioso.

Eu vou tentar o charme, eu acho. Ver se consigo algumas respostas dele. Ele vai aceitar e começará acariciar seu cassetete de uma forma grosseira, ou ele vai ficar desconfiado. Dessa vez eu espero que meu guarda seja um pervertido. Ele só olha de sobrancelhas franzidas para mim.

— Você dormiu durante o ataque do dragão?

Tudo bem, agora ele só pensa que eu sou um manequim. Ninguém dorme durante um ataque de dragão, especialmente não um que está fora de padrão. Eu estava acordada ontem à noite, também, amontoada em um canto, abraçando meus joelhos ao meu peito e orando para que isso acabe logo, que é o que eu faço durante todos os ataques dos dragões.

Os dragões geralmente atacam com um cronograma, os grandes negros atacam a cada três dias, pouco antes do meio-dia. Os vermelhos menores atacam diariamente por uma semana e depois nada por mais três. Ninguém nunca ataca à noite.

Exceto ontem à noite. E não sei o que isso significa. E eu não posso pensar nisso porque então eu vou me preocupar com Ella, e não é bom me preocupar com Ella enquanto eu estou presa aqui.

— Dormir durante o ataque do dragão? Eu? — Eu balanço a cabeça e tento continuar sorrindo. — Eu quis dizer ao contrário.

______________

Então gente, vou postar essa adaptação minha na integra pelo wattpad por enquanto, esse cap é só uma palinha. Ja postei todo o 1 cap por lá. Vou deixar o link aqui nas notas finais <3


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...