1. Spirit Fanfics >
  2. In the eyes of the king (imagine Taehyung) >
  3. Cap.58

História In the eyes of the king (imagine Taehyung) - Capítulo 58


Escrita por: e jackyjakes


Capítulo 58 - Cap.58


O banquete foi de fato prometido mas o clima de duvida e nervosismo mudou totalmente o clima de festa. Alguns minutos depois da “queimada” de S/n o sol estava brilhando tão forte que nem parecia que havia chovido e trovejado a um tempo atrás. Taehyung era o único que parecia normal, ele comia no meio de todo aquele silêncio como se nada houvesse acontecido.

- o que aquela mulher quis dizer com você ir ao quarto de um rei casado nas noites? – a irmã mais velha velha  resolveu questionar.

A mulher deveria estar na família dos 40 anos, apesar de parecer mais jovem, era a mais velha das cinco. Todos olharam para Lisa. Seokjin nem conseguia pensar, havia perdido um filho, outro estava doente e sua tão amada caçula estava se comportando estranho, ele nem reparou quando a mais velha perguntou.

- vão mesmo acreditar nela? Aquela plebeia só quer acabar com a minha reputação. Não passa de um verme que tem sede de vingança! – Lisa levantou um pouco a voz – ate porque não tem nenhum rei casado aqui.

Todos olharam para Seokjin, só então o homem notou que o assunto envolvia ele.

- como? – questionou por não saber bem o que estava acontecendo.

- isso é um absurdo, chega a ser uma falta de respeito com meu irmão. – Jennie reclamou – Seokjin é um homem de família, nunca trairia a esposa.

Taehyung ouvia tudo calado, mas tinha vontade de confrontar a irmã, já que algumas vezes pegou o primogênito aos beijos com algumas servas. Mas não perderia seu tempo com aquilo, estava intrigado de mais pensando no que havia acontecido e no que aconteceria.

- ela disse que tinha testemunhas, quem deve ser? – a segunda mais nova questionou.

- por que estamos falando disso? – Lisa bateu na mesa.

- porque te acusaram na frente de todos e parecia realmente convincente! – a irmã rebateu.

- ela morreu! Quem se importa agora? – a princesa usou o mesmo tom – eu sou a futura rainha e se eu fiz ou não o que ela disse não fará diferença!

- então realmente fez? – Taehyung resolveu falar.

- como? – Lisa o olhou assim como todos.

- está dizendo que após ter uma coroa em sua cabeça tudo o que fez não valeria de nada, é por isso que quer tanto a coroa? – Taehyung continuou comendo tranquilo.

- está acusando sua esposa? – a moça fechou a cara.

- não somos casados ainda para você ser minha esposa. E também não estou acusando, apenas quero saber com quem estou me relacionando. Nesses últimos meses houveram muitas fofocas em relação a você e meu irmão, só queremos saber se é mesmo verdade. – o rei deu de ombro.

- um dia antes do meu casamento e meu noivo e minha família estão me perguntando se cometi adultério. Isso é um crime imperdoável! – bufou – é obvio que são mentiras, acha mesmo que eu te trocaria por... pro isso ai?!

Seokjin fez cara de tédio e negou com o rosto.

- tem algo a dizer? – Taehyung se virou para o irmão.

- deixa ela falar o que quer, não vou perder meu tempo. – Jin murmurou.

- se vocês dizem. – o rei deu de ombro.

O silêncio voltou, todos comiam silenciosamente até que voltaram a outro assunto intrigante.

- agora eu entendi porque Lisa engordou tanto, a comida de Áspia é incrível. – um das moças soltou.

- eu não engordei. – Lisa reclamou.

- por favor, irmã. Todos estão vendo que seu corpete está realmente apertado. – a garota revirou os olhos.

Só então Taehyung percebeu o detalhe, ele nunca foi de ficar analisando o corpo das mulheres a sua volta, mas realmente era visível. O garoto levantou uma sobrancelha e a olhou de cima a baixo, tinha algo realmente errado. “Por que ela ficou tão brava quando tocamos no assunto entre a relação dela com Seokjin? Por que ela está engordando? Por que eu escutava vozes familiares vindo do quarto de Seokjin? Por que eles sempre foram próximos? Por que S/n sempre tentava me dizer algo sobre eles? Por que ela apareceu no meu quarto de madrugada e eu não me lembro de nada?” a cabeça dele não parava. Não fazia sentido ela ficar tão mal humorada em relação a Seokjin, S/n se defendeu tranquilamente quando a acusaram de ter alguma relação com Jimin, e foi a mesma coisa com Jennie a alguns anos atrás quando surgiram boatos de que a mesma estava se relacionando com um soldado, se a pessoa soubesse que os boatos eram mentirosos então não tinha o porque surtar. Apesar de tudo, o rei precisava tirar um prova real, até porque Lisa poderia ser diferente das outras e surtar rápido – o que realmente acontecia – então mesmo com toda a discussão acontecendo sobre a garota ter engordado ou não, Taehyung sorriu e negou com o rosto.

- do que está sorrindo? – Lisa falou brava.

- é que me lembrei de algo. Lembra quando diziam que você e Jungkook se relacionavam escondido de mim? – continuou no papel.

- eu me lembro disso, foi quando viemos aqui a primeira vez. – o pai da moça falou.

- esse não tem como negar, todos sabiam desse triangulo amoroso! – a irmã comentou.

Lisa arrumou a postura e deu uma risada soprada e revirou os olhos.

- todos sabem que é mentira, não tem isso ser verdade já que sou princesa e ele soldado. – falou mais calmo.

Taehyung foi mudando a expressão, realmente tinha algo ai. Uma sobrancelha do rapaz levantou, os pontos foram se ligando e o rei só levantou e saiu sem falar nada. Todos ficaram sem saber o que fazer, um silêncio permaneceu mas Lisa deu um sorrisinho.

- não precisam olhar assim, é obvio que ele sente ciúmes de mim. Resolvo isso depois. – falou e voltou a comer.

O rei foi andando ate chegar na área militar, ali estavam Jimin pensativo em um canto da mesa e Jungkook em outra mesa com os generais. Quando os soldados viram o rei pararam de comer e se levantaram em silêncio. Taehyung não precisou dizer nada, apenas apontou para Jeon e Jimin e depois saiu. Os dois foram atrás e pararam em um lugar mais calmo com poucas pessoas. O olhar do rei já dizia tudo.

- ainda não sabemos se ela está bem, mas se o que Namjoon estiver certo, deu tudo certo. – Jungkook falou.

- e o que ele disse? – Taehyung tinha mãos inquietas.

- disse que um raio cairia e ela sumiria. Bom, foi o que aconteceu, certo?! – o caçula tinha um receio na fala.

- estou tão nervoso, e se ela tiver se machucado? Nem tive coragem de ir ver a queima. – Jimin passou a mão no rosto.

- não poderei sair hoje, os pais da Lisa estão ai e ela não sai de perto de mim. A chance de despista-la é zero. – Taehyung respirou fundo.

- os generais estão encima de mim também, querem saber exatamente o que aconteceu, acho que me meti em uma encrenca. – Jeon suspirou.

- seu nome é encrenca. – Jimin fez uma careta – eu até iria, mas também estão de olho em mim por saberem que ela era minha irmã.

Os três soltaram um suspiro pesado.

- alguém tem que ir ver se está tudo bem, amanhã irei me casar e preciso descansar. Como irei dormir sem ter a certeza que S/n está bem? – Taehyung falou com um bico.

- está mesmo falando isso? – Jimin arqueou uma sobrancelha.

- Você não entende porque nunca vai casar. – o rei fez cara de deboche.

- e quem disse? – Jungkook colocou as mão na cintura.

Jimin deu um tapa no peito dele e estalou a língua.

-  se quer tanto assim deveria ir Você ver. – o mais velho revirou os olhos.

- mas a irmã é sua. – rebateu.

- não era você que amava ela? – começou uma discussão – se amasse de verdade então já teria agido.

- não me venha dar lição de moral sobre o amor, não sou eu quem estou me fazendo de difícil para pessoa que gosto. – falou provocativo.

- meninos... – Jungkook tentou falar mas voltaram a brigar.

- pare de tentar cuidar da minha vida, sou mais velho que você, sei o que faço! – Jimin cruzou os braços.

- temos alguns meses de diferença, o que de experiência conseguiu nesses meses para falar comigo assim? Sou seu rei, me deve respeito. – reclamou.

- gente, me escuta. – Jeon tentou de novo.

- quem liga para essa coroinha feia que está na sua cabeça? É só um pouco de ouro! – provocou.

- ela não é feia, e é “um pouco de ouro” que você definitivamente não tem. De qualquer modo é só mais um servo do rei. – respondeu.

- essa doeu, mas me deixa falar agora. – Jungkook comentou e Jimin já ia falar de novo mas Jeon não deixou – DEIXA EU FALAR AGORA! – gritou e os dois olharam para ele assustado.

- para que essa agressividade? – Jimin colocou a mão no peito.

- enfim – revirou os olhos – já que não podemos sair, podemos usar a telepatia que o Jimin tem para saber se está tudo bem com a S/n.

- era exatamente isso que eu estava fa- espera, que? – Jimin olhou para o caçula.

- Você consegue se comunicar telepaticamente com sua irmã e seu primo, apenas tente. – deu de ombro.

- como assim você é telepata? Anda me escondendo segredos? – Taehyung colocou a mão na cintura.

- todos bruxos são telepatas, seu lerdo. – Jimin fez careta – agora silêncio que eu preciso me concentrar.

Jimin não sabia como fazer aquilo, conseguiu uma vez ou outra mas foi de forma aleatória, geralmente era S/n que começava uma conversa então era mias fácil. O rapaz fechou os olhos e respirou fundo, tentou localizar S/n em algum lugar mas parecia impossível, então tentou com Namjoon.

- ele está conseguindo? – Taehyung sussurrou para Jeon.

- eu não sei. – o garoto falou confuso.

- shiuuuu, estão me atrapalhando! – Jimin reclamou e voltou a focar.

“- NAMJOON! – gritou.

- garoto, quer me matar? Eu estava mexendo com coisas perigosas! – o primo respondeu na mesma hora.

- enfim, faça isso depois. Queremos saber se S/n está bem. – pensou por fim.

- ela está viva, mas emocionalmente abalada. O plano era que nos mudássemos daqui para não sermos caçados, mas ela disse que ficaria então não tivemos escolha. – respondeu.

- por que ela não quis ir? É muito perigoso, principalmente se Lisa tomar o trono, porque ai ela vai poder dar ordens! – o garoto ficou um pouco desesperado.

- ela disse que não vai sair daqui até Taehyung se lembrar de tudo. – contou.

- é... acho que ele já que lembra. – confessou.

- O QUE? O feitiço acabou? Eu nem sei o que pensar!!!! – disse desesperado.

- independente do que for pensar, pense mais baixo. Minha cabeça realmente doeu agora. – reclamou.

- mas... o que a gente faz agora? – Namjoon coçou a nuca.

- me diga você. – Jimin suspirou.

- eu não sei, nunca pensei nesse detalhe. Por que ele não vem aqui para fora e diz que se lembrou? – o homem sugeriu.”

- Namjoon quer saber se Você pode ir lá fora e confessar que se lembra de tudo. – Jimin contou.

- Não! Não o deixe contar para S/n que eu me lembrei! Diga... diga que irei em breve. – falou um pouco aflito – se ele está falando isso é porque ela está viva e acordada.

- pelo menos uma notícia boa. – Jungkook falou mais aliviado.

“ – ele falou que irá em breve e que não é para contar a ela que ele se lembrou. – Jimin voltou a pensar.

- então peça para que ele faça isso logo. S/n nem apareceu para o almoço, ela não sai daquela árvore, parece ate que virou parte dela. – Namjoon contou.

- irei apressa-lo, vai ficar tudo bem com a minha irmã. – Jimin respirou mais calmo – mas se qualquer coisa estranha, a tire daqui imediatamente.

- não precisa dizer o óbvio. – Namjoon revirou os olhos.

- enfim, estou indo. Cuide bem dela ate chegarmos. – pediu por último.”

- ela está... bem. – Jimin falou abrindo os olhos.

- por que demorou para falar o bem? Aconteceu alguma coisa? – Taehyung sentiu o coração para por um segundo.

- Namjoon disse que ela está fisicamente bem, mas que nem chegou a almoçar. – o rapaz colocou as mãos na cintura.

- mas por quê? Ela deveria estra bem agora, finalmente acabou. – Jungkook falou confuso.

- ela está o esperando. Está sentada perto de uma árvore e não sai de lá por nada. – explicou.

Taehyung mordeu o lábio inferior e passou a mão no rosto, aquilo foi como um murro para ele, apesar de tudo S/n estava ali aguardando a volta dele... como fez a alguns anos atrás.

- vou cuidar disso. – respirou fundo – preciso da ajuda de vocês para mais uma coisa.

- lá vem. – Jimin revirou os olhos.

- eu tenho notado Lisa estranha. – comentou.

- aquela delinquente é estranha! – Jungkook fez uma cara de desentendido.

- mais estranha que o normal. – concluiu – acho que já é notável que ela está mais... sabe?!

- gorda? É, ela está grávida do Seokjin. – Jimin falou despreocupado.

Os dois rapazes arregalaram os olhos e encararam o soldado.

- as vezes eu fofoco com as criadas e descubro algumas coisas, trabalho de soldado, preciso estar sempre sabendo o que está acontecendo dentro desses muros. Uma delas disse que ouviu uma conversa, nela a Lisa assumia estar gravida de Seokjin. São só boatos, mas aquela mulher nunca me contou um boato que fosse mentira. – Jimin explicou.

- então Você faz parte do grupo das fofoqueiras do castelo? aaa, me deixa entrar também! Sempre sou o último a saber das novidades. – Jungkook fez birra.

- tenho que conversar com meus superiores antes, então eles verão se você é de confiança e vão te colocar no ciclo. – Jimin falou como se realmente fosse um segredo.

- certo, estarei esperando a resposta. – Jungkook sorriu.

- então ela está realmente gravida? – Taehyung colocou a mão no rosto e sorriu.

- é, Seokjin ameaçou mata-la. A única forma de escapar seria te convencendo que o filho é seu. Mas para isso ela teria que ir para cama com você ou eliminar minha irmã de vez, assim vocês teriam a primeira noite e você a “engravidaria”. Mas está claro que ela está grávida, já viu como está gorda? A peguei comendo uns pães escondido na cozinha, até está com desejos agora. – Jimin arqueou uma sobrancelha.

- ela realmente engordou, pensei que o corpete arrebentaria hoje. – Jungkook começou a fofocar com Jimin.

- eu nem vi, se não tinha falado. – o rapaz respondeu.

- isso... isso é ótimo! – Taehyung quase gritou de felicidade.

- claro que não, terá que criar um bastardo agora. – Jimin estranhou.

- lógico que não. Sou um rei, e reis não casam com impuras. – ele começou a rir – se eu provar que Lisa está mesmo grávida então será definitivamente o fim.

- mas você tirou a pureza da S/n também. – Jungkook falou.

- é mesmo...... espera, O QUE? TOCOU NA MINHA IRMÃ? – Jimin já ia bater no rapaz.

Taehyung fez cara de tédio para Jeon que sorriu sem graça e segurou o menor que estava xingando o rei sem parar.

- ‘eu te pego depois! – Jimin o ameaçou.

- enfim... pensei que já tivesse um plano para o casamento. – Jungkook estranhou e continuou segurando Jimin.

- eu tenho, mas isso só irá me beneficiar. A chance de dar errado é bem menor agora. – sorriu de novo.

- entendo. Bom, o casamento é amanhã, então já comece a revisar o seu plano se não coloca-lo em ação. Não quero mais nenhuma surpresa. – Jungkook falava como se realmente fosse mais velho.

- pode deixar, agora segura ele até que eu vá embora. – pediu e olhou para Jimin – obrigado por ter me passado essa informação.

- nem pensar! Volta aqui seu pervertido safado devorador de irmãs alheias! – Jimin reclamou enquanto via o amigo ir embora acenando – me larga que eu vou acertar as joias reais dele e ele nunca mais vai tocar na minha irmã.

- Jimin, você já parou para pensar que esse não foi uma escolha só dele? S/n também quis isso. Então pare de cuidar da vida da sua irmã. – Jeon falou calmo – de qualquer modo iria acontecer alguma hora.

Jimin parou de tentar se soltar e olhou para o caçula que arqueou as sobrancelhas e sorriu sem mostrar os dentes.

- você é muito estressado. – Jungkook riu negando com o rosto.

- não sou não. – ele formou um bico.

- aaa pronto, mas eu vou acabar com essa sua braveza e teimosia é agora. – Jeon continuou com um sorriso no rosto e aproveitou que estava segurando a cintura do rapaz e começou a arrasta-lo para um lugar mais escuro.

- não! – Jimin tentou parar com o pé mas obviamente o outro estava na vantagem – acabamos de almoçar, não acho que será uma boa experiencia.

Jungkook parou quando ouviu aquilo e soltou uma risada.

- em nenhum momento disse que nos beijaríamos. Mas se foi isso que você pensou. – Jeon falou convencido.

Ficaram só os dois no escuro do corredor vazio, ali ninguém soube o que aconteceu.

[...]

 Taehyung estava em seu quarto, estava fugindo da Lisa de forma descarada, ela era muito grudenta e não era uma questão apenas da moça ficar o seguindo o tempo todo, era porque como um rei ele tinha problemas para resolver boa parte de seu dia, e não dava para pensando com uma pessoa toda hora ao seu lado. O garoto estava tão ansioso que mal conseguia pensar, parecia que todas aquela escrituras estavam em grego, só conseguia pensar na S/n. Já que não conseguiria focar para resolver os problemas de Áspia resolveu fazer alguns rabiscos e tentar relaxar um pouco. Depois de terminar seu desenho, ele jogou as folhas para um canto e abriu a porta de seu estabelecimento. O tempo que gastou desenhando o fez pensar em algumas coisas, e uma deles inevitavelmente foi o casamento. Lisa havia dito que mandou jogar as coisas da S/n fora, então o rapaz foi de fininho ate onde depositavam o lixo, realmente estava tudo ali. Taehyung agachou e começou e mexer em tudo, parou quando encontrou a coroinha de flores que as criadas haviam feito para ela. O mesmo ficou um tempo olhando para aquilo mas uma criada ficou surpresa ao vê-lo agachado perto de um amontado de lixo.

- majestade, o senhor está bem? – o mulher que deveria ter uns 35 anos questionou.

- a sim... Você sabe fazer coroas de flores? – Taehyung se manteve agachado mas se virou para ela.

- sim, majestade. Minha filha gosta muito quando faço alguma para ela. – a mesma falou tímida – mas se me permite perguntar, por que quer saber?

-  eu quero uma dessas, me faz lembrar alguém especial. – respondeu simples – nós temos tecido?

- depende, majestade. Temos alguns mas é preciso saber qual o senhor deseja. – falou ainda com a jarra de água na mão.

Taehyung respirou fundo, olhou para todos os pertences de S/n e para aquelas florzinha murchas. O mesmo se levantou e pegou a jarra da mulher.

- você tem uma importante missão. – falou apontando para ela.

- o que quiser, majestade. – respondeu educada.

- quero que chame outras criadas e juntem tudo isso, se algo tiver quebrado e for possível concertar então ache alguém que o faça. Mas tudo ficará entre nós! Se eu souber que outra pessoa além de nós estiver sabendo vou penaliza-la, por isso chame criadas de confiança. Quando recolherem tudo, deixe na sala dos fundos da biblioteca, é lá que eu escondo os pertences da minha mãe, é só pressionar essa joia na fechadura – Taehyung tirou o colar que deu para S/n e que pertencia a sua mãe – existem alguns vestidos que são diferentes ali, são mais leves e feitos de um tecido diferente, lave e guarde apenas esses.

- e o que faço com o resto? – a mulher quis saber.

  - é... eu não sei. Pode dar a sua filha ou fique para você e as criadas. – deu de ombro.

- mas são vestidos reais, majestade. – a mulher ficou realmente surpresa.

- é só um amontoado de tecido. – deu de ombro – lembre-se, ninguém pode saber. Se conseguirem terminar tudo até amanhã de manhã então eu darei um punhal de ouro para vocês, mas só farei isso se manter em segredo.

- claro, escolherei apenas criadas de confiança. – a mulher sorriu – e se alguém nos ver e questionar?

- diga que achou isso no lixo e que o rei deu permissão para que pegassem para vocês. – instruiu.

- certo, farei como o senhor deseja. – respondeu – é... a jarra, tenho que leva-la para princesa Lisa.

Taehyung olhou para água e depois para mulher.

- isso é mais importante, Lisa não vai morrer se ficar um pouco sem água. – deu de ombro e foi embora.

O rapaz andou mais um pouco pelo castelo e acabou por dar a jarra para outra criada. Por fim chegou ao celeiro e pegou seu cavalo indo cavalgar pelas fazendas do reino. Foi uma surpresa para todos, não era todo dia que se via um rei andando entre o povo principalmente sozinho observando as barracas de tecido. O olhar dele parecia tão confuso, mas ninguém o questionava, até que uma criança inocente se aproximou.

- seu chapéu é ‘legal. – ela falou o fazendo parar.

A mocinha era tão pequena que se não tivesse falado provavelmente Taehyung teria passado por cima dela. A garotinha deveria ter no máximo 4 anos e estava sujinha por algo que parecia poeira. De repente um homem desesperado apareceu e pegou a mãozinha dela.

- perdão, majestade. Não iremos te incomodar mais. – ele manteve a cabeça baixa.

O homem também estava sujo mas não parecia ser um pedinte.

- tudo bem, não foi um incomodo. Por que ela está tão suja? Não é bom manter as crianças assim. – Taehyung passou a mão na cabeça dela.

- sou ourives, majestade. A mãe está doente então não pode cuidar dela, as irmãs estão ocupadas de mais cuidando da casa e da minha esposa. Por isso tenho que leva-la para meu trabalho, porém o ambiente não é tão limpo, por isso acabamos assim. – explicou ainda de cabeça baixa.

- se me permite perguntar, o que sua esposa tem? – quis saber.

- a peste tomou conta de seu corpo. – respondeu sem animo.

Taehyung já teve alguns problemas por conta da peste, e aquele homem parecia exausto e com filhas para cuidar. Seu coração partiu. Talvez a mocinha nem se quer soubesse o que estava acontecendo, nem se quer sabia quem era o rei, era pequena de mais para entender essas coisas.

- sua filha é linda. – comentou, era um apaixonado por crianças.

- grato. – respondeu.

- ourives então?! É um ótimo trabalho. – sorriu – quantas filhas o senhor tem?

- três contando com a caçula. – falou.

- qual é seu nome, pequena? – o rei agachou para ficar da altura dela.

- Jade, como a pedra. – falou feliz.

- e qual sua idade? – questionou.

- três anos. – falou mas apesar de ter dito três, levantou dois dedos.

Taehyung faltou ter um infarto pela fofura, queria aperta-la.

- por que está olhando uma barraca de tecido? Você costura? – a mocinha perguntou.

O pai deu um empurrãozinho na pequena, estava sendo informal de mais.

- chame-o de senhor ou majestade. – mandou.

- não precisa, pode me chamar como quiser. – o rei falou despreocupado – na verdade eu estou procurando um tecido bonito, mas não sei qual escolher.

- minhas irmãs costuram, elas poderiam te ajudar! – falou animada – pai, pai! O tio tem que conhecer Cristal e Ágata!

O pai passou a mão no rosto, como se não bastasse ter o chamado de “você” agora chamava de “tio”.

- é sério? Seus filhas costuram? – Taehyung olhou para o homem.

- elas fazem alguns cortes, mas nada tão perfeito como os reais. – falou um pouco sem graça.

- seria pedir muito para eu conhece-las? – Taehyung se levantou.

O homem realmente parou e ficou olhando para o rei, ter alguém da realeza em sua casa era o auge, geralmente os nobres nem se quer lembravam dos plebeus.

- c-claro que não, e-eu moro logo ali. – falou ainda desacreditado.

- ebaaaa, vamos ver a mamãe e minhas irmãs! – a mocinha começou a pular – tio, me da colo?

- Jade! – o pai brigou.

- sem problemas, gosto de crianças. – respondeu já pegando a mocinha.

- mas ela está tão suja. – ele falou sem graça.

- tudo bem, são só roupas. – Taehyung riu – perdão, nem perguntei seu nome.

- Marcos, mas pode me chamar como quiser. – respondeu ainda formal.

- tudo bem, senhor Marcos. Podemos ir agora? – o rei sorriu.

O homem concordou  e foram andando ate a casa, Jade e Taehyung foram conversando o caminho todo. O rei adorou o fato da mocinha ser tão inocente e nem perceber que ele era um soberano, era bom ser tratado como gente as vezes.

- queridas, temos visita. – Marcos anunciou.

As duas moças pararam o que faziam quando viram o rei entrar a casa simples, a reação delas foi a mesma do pai.

- irmãs, esse é meu novo amigo, o tio Taetae. – Jade falou descendo do colo dele.

- com licença. – Taehyung ficou um pouco envergonhado por estar entrando na casa de um desconhecido.

As duas moças, que eram gêmeas, se olharam e depois se curvaram para o rei, e o garoto ficou envergonhado de novo.

- vem, vem. Você tem que conhecer a mamãe. – Jade pegou na mão dele e saiu o arrastando para dentro da casa.

Foi possível ouvir o pai explicando para as filhas o que havia acontecido, elas estavam tão surpresas que nem sabiam o que falar ou como se portarem. Jade o levou para uma mulher que estava deitada na cama e parecia bem debilitada. A mulher nem teve forças para ter uma reação, apenas arqueou as sobrancelhas e olhou para o homem.

- mãe, esse é meu amigo Taetae. – Jade falou.

- esse não é o nosso rei? – a mulher falou um pouco lenta.

- sim, sou eu. Mas não precisa se preocupar, não vou incomodar muito. – Taehyung falou tímido.

- céus, deixe-me cumprimenta-lo adequadamente. – a mulher já ia se levantar mas Taehyung impediu.

- não, não. Pode ficar deitada. – pediu – vou ser rápido, então apenas descanse.

- fique o quanto quiser, majestade. Mas se me permite perguntar, por que recebo a visita de alguém tão importante? – ela deu um sorrisinho.

- gostaria de falar com suas filhas, ouvi dizer que elas entender de tecidos. – respondeu.

- a sim. Antes dessa desgraça acontecer comigo eu era costureira, as ensinei bastante coisa. – lembrou – por favor, fique a vontade.

- grato. – respondeu.

- vem, vamos conversar com as minhas irmãs. – Jade pegou a mão dele de novo.

De inicio ficou um clima estranho, Taehyung realmente não tinha o habito de conversar com o povo, mas logo pegou o jeito. As duas moças foram bem prestativas e foram juntos para a feira escolher bons tecidos. Jade era um pouco solitária, já que toda a família estava ocupada de mais com alguma coisa, por isso conversou bastante com Taehyung. No fim das contas ele encontrou o tecido que queria, conheceu gente nova, conseguiu fugir da Lisa e das preocupações do reino e ainda encomendou algumas joias com o senhor Marcos, ele ate mesmo provou algumas comidas diferentes que se apaixonou da primeira a última mordida. Seu dia foi incrível, mas seu coração ainda doía ao pensar na mãe das meninas, a peste negra era realmente muito agressiva.

- faz muito tempo que sua mãe adoeceu? – resolveu perguntar.

- algumas semanas. – Cristal respondeu.

- não conseguiram achar nenhum medicamento? – ele se lembra bem que seu pai ficava o tempo todo bebendo chás.

- não temos condições para comprar medicamentos, e todos que conhecemos não sabem como parar os sintomas... todos morreram no fim das contas.  – Ágata falou a última frase mais baixo.

Taehyung mordeu o lábio inferior pensativo, aquela família era muito boa para estar acontecendo uma desgraça dessas com eles.

- eu conheço uma pessoa que desenvolveu medicamentos para acabar com a peste, posso conseguir um pouco para vocês. – respondeu.

- perdão, majestade. Mas não temos ouro para pagar o senhor, papai já trabalha de mais e ainda não é o suficiente. – Ágata falou desanimada.

- eu não disse que pagariam. Vejam isso como uma forma de agradecimento por terem me ajudado. – Taehyung sorriu – em uma semana trago para vocês.

As duas sorriram e Jade jogou os bracinhos para cima.

- éééé, o tio Tae é o melhor! – gritou.

- comporte-se. – uma delas falou mas voltou a rir.

Taehyung ficou mais alguns minutos conversando com as moças mas logo teve que se despedir, não era seguro para alguém como ele estar nas ruas depois que escurecesse. O mesmo pegou seu cavalo e voltou para o castelo, para o seu azar, no primeiro corredor que ele entrou Lisa estava lá. Ele pensou em dar meia volta mas ela já tinha o visto.

- onde esteve o dia todo? – ela falou marchando na direção dele – Você ria jogar xadrez com papai, mas não te encontrei em lugar algum e as criadas disseram que não te viram o dia todo.

- não falei que jogaria com seu pai. – Taehyung falou confuso.

- mas eu sim. – respondeu e olhou para mão do rapaz – o que é esse tecido?

- apenas quero uma coberta nova. – falou com tédio.

- hm... enfim, agorinha será servido o jantar e espero que apareça. Depois jogará com meu pai. – ela realmente estava o dando ordens.

- e por que eu deveria? – Taehyung não precisava mais ser gentil porque o plano de tirar S/n dali já havia dado certo, então não tinha porque estar naquele papel.

- porque ele é seu sogro. – Lisa sorriu – onde está indo agora?

Taehyung ia falar com as costureiras, mas definitivamente não levaria Lisa junto.

- vou resolver problemas. – falou a primeira coisa que veio na sua cabeça.

- ótimo, irei com você. – ela abraçou o braço dele.

O rei respirou fundo e foi andando em silêncio só ouvindo o que a moça falava. Lisa ficou literalmente falando sem parar ate depois que o jantar acabasse, Taehyung nem aguentava mais ouvir a voz dela. Parecia que o assunto não acabava e a moça não percebia que ninguém dava moral para ela. Quando terminaram o jantar, uma das irmãs do meio de Lisa parou ao lado do rei e deu dois tapinhas no ombro dele.

- boa sorte, ela é sempre assim. – murmurou e saiu.

Taehyung respirou fundo e finalmente pensou que teria um pouco de paz, mas então teve que jogar com o pai de Lisa. E ele também não parava de falar, seu único assunto era o reino e nada mais. Chegou a um ponto que o rapaz nem se quer respondia. Ate mesmo Seokjin que estava os acompanhando não suportava aquilo. Mas por sorte, a criada que ele falou mais cedo apareceu na porta e o chamou.

- Seokjin vai terminar de jogar com você, preciso ir. – falou rápido e se levantou.

- que? – Seokjin fez uma careta e bufou, realmente teria que jogar.

Taehyung saiu dali e foram para um canto.

- terminamos tudo, senhor. – informou.

- ótimo, ninguém as viu, certo? – arqueou as sobrancelhas.

- somente a princesa Lisa, mas ela parecia tão furiosa que nem viu o que fazíamos. – respondeu.

Taehyung revirou os olhos, se continuasse assim o próprio reino a jogaria de uma janela.

- tudo bem, já irei paga-las. Venha. – chamou e a mulher o seguiu ate o quarto do rei – aqui está o prometido, dê as outras. O seu é o que tem mais.

- por que o meu tem mais? – a moça perguntou por curiosidade.

- porque preciso de mais uma coisa. Preciso de um vestido com esse tecido e uma daquelas coroinhas de flor. – informou – não precisa fazer agora, pode fazer até amanhã de manhã.

- certo, eu farei. Obrigado, majestade. Se precisar de mais coisas pode me pedir. – ela sorriu.

Taehyung sorriu e a dispensou. Definitivamente não voltaria para aquele jogo, não aguentava mais ninguém falando em sua cabeça. O mesmo se jogou em sua cama e respirou fundo, só naquela hora ele percebeu que finalmente iria se casar e realizar o sonho que tinha desde criança. Aquilo foi desesperador mas reconfortante, era mesmo uma pena que ele não tinha a pessoa que queria ao seu lado. Mas seria questão de tempo.

[...]

O dia amanheceu e a energia de todos era bem agitada, até mesmo para Taehyung. Lisa queria que queria casar de manhã, mas o rapaz definitivamente não queria acordar e cair em um pesadelo. Até porque seria melhor depois do chá da tarde porque teriam mais tempo para arrumar os detalhes. Taehyung conseguiu fugir da princesa até o horário do almoço mas depois foi inevitável, pelo menos ele pode experimentar as comidas do bife, checar se estava tudo certo e ocupar a sua cabeça com coisas que não era Lisa gritando com as criadas ao seu lado.

- mal posso acreditar que vamos casa. – a princesa disse feliz o abraçando.

- sim, claro. – ele respondeu sem muito interesse por estar vendo as flores que iram decorar a igreja.

- você não me parece animado. – Lisa formou um bico.

- é... não, espera. Estou animado sim, mas também estou nervoso. – respondeu.

- hmmmm, então eu te deixo nervosa? – ela falou convencida.

- não, o fato de eu estar fazendo a escolha que irá influenciar toda minha vida me deixa nervoso. – falou voltando a ver as plantinhas – essas estão boas, podem levar.

Lisa fez cara de tédio mas fechou a cara ao ver a flores que a criada levava.

- rosas? Que cafona. Coloque aquelas assim! – ela tentou imitar a flor mas ninguém entendia.

- orquídeas? – Taehyung questionou e pensou que se fosse S/n ela definitivamente saberia de cor o nome das flores.

- deve ser, não tenho certeza. – deu de ombro.

- leve as rosas, ficam mais bonitas. – o rei ignorou o pedido da princesa.

Lisa revirou os olhos e olhou para o rei.

- por que ignora todos meus desejos? – colocou a mão na cintura.

- porque o reino é meu. – foi direto – acho que essa está um pouco murcha, pegue outras.

- mas logo será meu também. – rebateu.

- até que troquemos alianças, o reino é inteiramente meu. Então, apenas vá... eu não sei, ache algo para fazer. – negou com o rosto.

- se fosse S/n você não estaria falando assim. – murmurou.

- com certeza. – respondeu.

- o que? – Lisa bateu o pé no chão.

- você já viu se o seu vestido está pronto? – mudou de assunto.

- estão revendo alguns detalhes. – respondeu sorrindo.

- de certo tiveram que aumentar o tamanho. – murmurou.

- como sabe? – a moça ouviu.

Taehyung apenas a olhou de cima a baixa e deu de ombro como se não soubesse. Lisa estalou a língua e cruzou os braços.

- vou ver se já estou pronto, fique por perto para eu não te perder. – falou e saiu.

O rei respirou aliviado ao ver que a moça estava longe. Finalmente Jimin apareceu depois de alguns minutos que o rapaz mandou chama-lo.

- me chamou? – questionou.

- aham, eu preciso que pe- o que é isso no seu pescoço? – Taehyung estranhou ao olhar uma manchinha.

- nada que te interesse, o que quer? – Jimin revirou os olhos.

- enfim, preciso que chame alguns soldados para ajudar as criadas a levarem a decoração. – falou despreocupado.

- sou um soldado e não um burro de carga, adeus. – Jimin já ia virar as costas.

- e eu sou seu rei que está te dando uma ordem. – Taehyung saiu primeiro.

Jimin deu uma risadinha e negou com o rosto. Era engraçado porque os bate bocas deles nunca eram algo sério, sempre tinha um sarcasmo ou algo do tipo. O soldado não teve outra opção a não ser obedecer.

O dia passou ligeiramente rápido para o desespero de Taehyung. O garoto passou horas no banho e demorou uma década para ficar todo pronto, para no fim estar sentado em sua cama com a mão no rosto e tentando controlar sua ansiedade.

- eu vou morrer. – falou pela milésima vez.

- você passa dessa. – Jungkook falou paciente.

Estavam ele e Jimin tentando acalmar o amigo aflito, tinha hora que o rei simplesmente ficava andando pelo quarto e conversando sozinho para logo em seguida sentar na cama e começar a falar que iria morrer. Taehyung estava muito bonito, quebrando os padrões, ele estava vestido com roupas brancas e apenas o sapado preto, sua coroa estava bem posicionada e o cabelo perfeito também, além de estar com luvas elegantes e requintadas. O rei parecia um príncipe encantado de conto de fadas. Ate mesmo as criadas soltavam alguns suspiros teimosos enquanto o arrumava.

- como vai colocar a aliança com essa luva na mão? É fim de tarde mas está tão quente que eu poderia jurar ser a hora do almoço, como consegue ficar com roupas assim? – Jimin o encarou e se manteve ‘espichado na poltrona.

- eu não sei, eu estou em pânico. Aaaaa, eu definitivamente vou morrer. – falou de novo.

- Taehyung, só tem uma forma de descobrir se você vai morrer ou não. Indo para igreja! Ouvi dizer que todos já estão lá esperando o casamento começar, então levante e entre logo naquela carruagem! – Jungkook bateu o pé no chão.

- você tem razão! – Taehyung se levantou mas encolheu de novo – me dê só mais cinco minutos e eu vou.

- não mesmo, estou cansado de ter ver sentado chorando. Se você não for agora então eu irei lá e falarei que você cancelou o casamento! – Jimin se levantou.

- faria isso por mim? – o rei disse feliz.

- vai logo, moleque! – Jimin apontou para porta.

Taehyung caiu os ombros e bufou, foi andando em passos lentou para porta e foi acompanhado com os amigos para a carruagem, ele olhou bem para aquela carruagem e respirou fundo.

- vai dar certo. Claro, você nunca será feliz ao lado de Lisa, mas essa será uma experiencia inesquecível. – Jungkook o “encorajou”.

- uma experiencia inesquecível de arrependimento, mas tudo bem. – Jimin deu de ombro.

- vocês não estou ajudando. – Taehyung reclamou e entrou na carruagem.

Parecia que quando mais aquilo andava mais seu desespero aumentava, de repente chegaram na igreja e os cavalos pararam. Informaram que o noivo chegou e Taehyung teve seu último momento para respirar fundo e analisar se aquilo realmente valia a pena. A porta foi aberta e Taehyung saiu dali, subiu as escadas e parou na porta da igreja. Estava tudo muito lindo, até mesmo as pessoas se vestiam bem, mas aquela igreja pareceu quilométrica de uma hora para outra. Naturalmente o rei entraria com a mãe, porém a mulher já não estava ali a bastante tempo, então teve que engolir o seco e entrar sozinho. Todos se levantaram para a majestade e o grande piano começou a tocar, o rei foi dando passo por passo e aquilo não acabava mais. Sentiu um peso cair quando finalmente chegou ao seu objetivo. Depois dele vieram a sua família – que consistia apenas em Jennie e Seokjin que entram juntos – e depois a família da Lisa. Aquilo foi ficando cada vez mais apavorante quando ele notou que a próxima a entrar seria a noiva. De repente uma mulher toda de branco apareceu na porta da igreja. Era inegável, Lisa estava linda, seu vestido era rodado e tinha detalhes que realçavam a beleza do tecido, o véu cobria seu rosto mas era possível ver um pouco, a maquiagem estava bem feita e ela mostrava um belo sorriso. Taehyung desceu o pequeno lance de escadas quando a princesa se aproximou, o rapaz ficou na frente dela e levantou o véu o colocando para trás.

- estou bonita? – ela falou baixo apenas para os dois ouvirem.

O rei sorriu sem mostrar os dentes e concordou com a cabeça, ela sorriu mais ainda foram juntos ficar em frente ao padre. Finalmente todos sentaram e o homem gordinho tomou voz, Taehyung estava tão nervoso que suas mão suavam o tempo todo e sua respiração falhava as vezes. O padre dizia com felicidade sobre a benção que é o casamento e como os anjos estão felizes no céu naquela noite. O garoto acabou se lembrando da mãe naquele momento, poderia jurar que a mulher que tanto o amou se tornou um anjo, queria ela ali naquele momento. O mesmo só saiu de seus pensamentos quando ouviu o padre chamou a primeira ceia do casal, uma mocinha que o rei não conhecia entrou com um pouco de vinho e um pedaço de pão. Lisa sorriu e cada um pegou um pouco de cada, ela levou para boca dele e o rapaz estranhou mas comeu, depois ele fez o mesmo sem saber bem se aquilo era certo. Depois mais um pouco do homem falando e por fim o desespero foi real.

- agora, vamos trocar as alianças. – ele falou rindo e pegou os dois anéis de ouro – vamos começar com o rei Kim, pegue a aliança e fique de frente a sua noiva.

Taehyung olhou para os dois anéis e pegou o menor com as mãos tremulas, ele olhou para princesa se sorria alegremente e estendeu a mão. Naquela hora ate mesmo Seokjin arrumou a postura, seu plano estava indo como o planejado pela primeira vez.

- agora, faça o juramento. – o padre falou.

O rei pegou a mão da princesa e pela primeira vez desde que estrou na igreja falou alguma coisa.

- Em nome de Deus, eu, Kim Taehyung, aceito você, Lalisa Manoban , para ser minha esposa, para ter e manter deste dia em diante, para melhor, para pior, na riqueza e na pobreza, na saúde e na doença, para amar e respeitar, até que a morte... a... morte... – Taehyung olhou para a mão da moça, ele já havia colocado a aliança ate metade do dedo.

Lisa o olhou confusa.

- conclua a frase, meu filho. – o padre falou e riu sem graça.

Taehyung olhou para todo aquele povo, Seokjin ficou tão sério que aquilo foi realmente assustador.

- ele não vai fazer isso. – Seokjin murmurou.

O rei olhou de novo para Lisa, a moça estava com uma expressão inexplicável, parecia raiva, tristeza e medo ao mesmo tempo. Taehyung respirou fundo e beijou a têmpora dela, depois tirou a aliança por completo.

- desculpa, mas você não é meu felizes para sempre. – ele falou olhando para ela.

- o que? – Lisa arregalou os olhos.

Taehyung pegou a outra aliança na mão do padre e desceu o lance de escadas, mas antes parou e olhou para a família de Lisa.

- eu sinto muito por isso, mas tudo que aquela mulher disse é verdade. E... eu não posso me casar com uma mulher grávida do meu irmão. – confessou.

Toda a igreja se assustou e começou a cochichar. Então o mesmo olhou para Seokjin.

- seu jogo acaba aqui, e você perdeu. – falou e foi andando no meio de todo aquele povo que ainda conversavam

Quando Taehyung saiu pela porta, Jimin e Jungkook estavam em pé e eram os únicos que sorriam.

- esse é meu garoto! – Jimin bateu palma.

Lisa foi abandonada no altar e entregue que estava grávida de outro, simplesmente não sabia o que fazer. Ela se virou para o padre com os olhos marejados mas furiosa.

- O QUE ESTÁ FAZENDO PARADO? VÁ IMPEDI-LO! – ela gritou com o padre.

- me perdoe, jovem. Mas o rei não terminou o juramento e não chegou a colocar a aliança em seu dedo. E ele tem razão, reis não se casam com impuras e muito menos com adulteras. – o homem disse calmo – acho que a senhora tem muito o que confessar.

[...]

S/n definitivamente só saiu daquela árvore para se trocar, o vestido era muito quente e ela estava pingando suor. As vezes Namjoon ou Irene ia lá para conversar, ela passou a noite sentada ali. Já estava quase anoitecendo e S/n sabia que o casamento estava acontecendo, depois de tanto tempo a moça de fato desistiu, tinha certeza que havia acabado ali. A mesmo respirou fundo e secou as lágrimas que a acompanharam durante toda a noite e o dia, se levantou e abaixou a cabeça, estava prestes a dar o primeiro passo quando alguém a levantou do chão e tomou seus lábios. S/n ficou tão assustada que teve que se afastar para ver Taehyung com um largo sorriso, então ele arregalou os olhos e depois voltou a beija-lo. Ficaram assim apenas sentindo o outro ate que a falta de ar se fez presente.

- o-o que faz aqui fora? Seu casamento. – S/n falou recuperando o ar.

- eu disse que me casaria com você, então aqui estou. – ele falou sorrindo.

S/n ficou um tempo olhando para ele, queria saber se ele ainda lembrava do que eram, mas estava com vergonha de perguntar.

- voc- - ela ia falando.

- eu sei, eu demorei. Passei 10 anos da minha vida com você dizendo que casaríamos, então eu sumi e quando te vi de novo eu não me lembrava. – Taehyung falou ainda sorrindo – me desculpe.

Os olhos da moça marejaram de tanta emoção, ele de fato havia se lembrado. A mesma o abraçou apertado, não podia acreditar no que estava ouvindo.

- me desculpe por ter te abandonado, eu juro que não fiz de proposito. Era muito imaturo para perceber que estava perdendo o amor da minha vida. – ele falou com a moça ainda nos braços.

- eu perdoo. – S/n respondeu extremamente feliz, finalmente seu Taehyung voltou a ser seu.

- antes de tudo, preciso fazer algo. – o garoto afastou um pouco e sorriu.

S/n limpou as lágrimas e olhou para ele, o rei finalmente respirou fundo e ajoelhou. O coração da moça começou a bater errado ali e as borboletas tomaram conta não só do seu estomago mas do seu corpo todo.

- S/n, você aceita me fazer o homem mais feliz do mundo? – Taehyung perguntou quando pegou a aliança.

- aceito. – foi tudo que ela conseguiu falar.

O rei se levantou e a beijou apaixonado, trocaram carências mas o menino a surpreendeu de novo.

- ótimo, então vamos logo antes que todos vão embora. Venha, vou te dar seu vestido. – ele falou simples e saiu segurando a mão dela.

- o que? – S/n levantou uma sobrancelha.

O casal parou do lado do cavalo e ele tirou um vestido branco de lá, S/n ficou totalmente surpresa por aquilo.

- vá se vestir. – pediu já entrando na casa da moça.

- aaaa, pensei que não viria mais. – Namjoon reclamou.

- é claro que viria, não ia deixar uma mulher perfeita dessas com você. – Taehyung fez careta.

- vamos, eu te ajudo a vestir. – Irene falou para S/n e saiu a puxando.

- fazem parte disso? – S/n questionou já tirando a roupa e colocando o vestido que por incrível que pareça era do tamanho dela.

- claro, fazemos de tudo para te fazer feliz. – Irene sorriu – você está linda.

S/n se olhou no espelho quebrado que tinha na casa dela, o vestido era... perfeito. Ele mostrava seus ombros, tinha mangas longas e era larguinho. Taehyung mandou fazer o vestido do jeito que ela gosta. E para sua surpresa, o garoto apareceu atrás dela e colocou uma coroa de flores em sua cabeça e um belíssimo colar com uma perola na ponta.

- acho que já sou o homem mais sortudo do mundo. – ele falou admirando sua noiva pelo espelho – vamos, já estamos atrasados!

S/n foi no mesmo cavalo que Taehyung e para surpresa dela o povo da vila também os seguiu eles montados em cavalos. Todos passaram pela porta principal do reino e pararam na igreja. Taehyung ajudou S/n a descer e a senhora Boni lhe deu um lindo buquê que ela mesma fez.

- está pronta? – Taehyung se virou para noiva.

- acho que sim. – ela falou sorrindo.

O rei devolveu o sorriso e o casal entrou de mão dada na igreja. Todos ficaram assustados ao verem S/n ali, até porque ela havia morrido no dia anterior. Lisa – que estava chorando em um canto – se levantou na mesma hora, Seokjin não conseguiu mexer um musculo se quer, não podia acreditar naquilo. Jimin, Jungkook, Namjoon, Irene e o resto da vila simplesmente expulsou a família de Lisa da primeira fila e sentou lá, afinal, agora eles eram a família da noiva.

- Em nome de Deus, eu, Kim Taehyung, aceito você, S/n , para ser minha esposa, para ter e manter deste dia em diante, para melhor, para pior, na riqueza e na pobreza, na saúde e na doença, para amar e respeitar, até que a morte nos separe. Este é o meu voto solene – Taehyung falou tudo com orgulho e felicidade e colocou a aliança no dedo da moça – sua vez agora, prometo que casaremos de novo mas com os princípios da sua religião.

- tudo bem. – S/n estava tão tensa, mas continuou a sorrir - Em nome de Deus, eu, S/n, aceito você, Kim Taehyung, para ser meu marido, para ter e manter deste dia em diante, para melhor, para pior, na riqueza e na pobreza, na saúde e na doença, para amar e respeitar, até que a morte nos separe. Este é o meu voto solene. – S/n colocou a aliança nele.

O rei olhou para o padre esperando a frase final, o homem ficou tão assustado com aquilo que nem pensou na hora de falar.

- e-eu os d-declaro, marido e mulher. – falou surpreso.

- eu sei, agora posso beijar a noiva. – Taehyung sorriu e puxou sua mais nova esposa para um beijo.

Eles não se importaram com o fato de estar todo mundo olhando, e de estarem quebrando regras, agora de fato uma bruxa seria a rainha, e ninguém poderia condenar. Somente a família da S/n comemorava, o resto ainda estava extremamente surpreso. Quando o casal se separou, S/n fez questão de virar para Lisa e sorrir debochada. A garota estava desatada sentada observando tudo.

- curve-se, princesa. Sou a rainha desse território e acho que você me deve respeito. – S/n arqueou uma sobrancelha.

- eu nunca vou fazer isso. – Lisa disse entre dentes.

Para surpresa de S/n, todos se curvaram a ela. Foi algo surpreendente, ela sentiu que finalmente honrou seu sangue. Até mesmo Taehyung se curvou com muito orgulho. A moça se virou para Lisa de novo e toda sua família estava curvada, menos ela, mas o pai da moça a obrigou a fazer aquilo.

- você já está muito encrencada, então apenas obedeça a rainha. – ele disse entre dentes.

Lisa bufou e finalmente se curvou. S/n sorriu e percebeu que Seokjin também se manteve em pé, mas pouco importava ele. Quando a moça se virou de frente ali estava o padre com uma bela coroa nas mão, era evidente que ele não estava gostando nem um pouco daquilo, mas eram as regras.

- vida longa a rainha! – o padre falou e colocou a coroa.

- vida longa a rainha! – todos repetiram.

- agora sim eu posso te chamar oficialmente de “minha rainha”! – Taehyung sorriu – e de minha esposa também.


Notas Finais


essa foi literalmente a minha primeira história que não acaba no casamento 😂😂😂😂


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...