1. Spirit Fanfics >
  2. In the frontier >
  3. O Guardião e o Curandeiro

História In the frontier - Capítulo 18


Escrita por:


Notas do Autor


Espero que estejam gostando das emoções finais. Se quiserem sugerir alguma coisa, por favor, façam. Boa Leitura.

Capítulo 18 - O Guardião e o Curandeiro


Spock – Diário Pessoal – Suplemento

Eu me preparei para o elo com Tygue e quando estava pronto começamos.

- Minha mente para sua mente.

Eu comecei a procurar as informações mas ele também havia se preparado, criou várias barreiras mas sua inexperiência permitia que eu as quebrasse com facilidade.

- Você não entende. Foi para nosso bem.

Ele repetia mais para si do que para mim.

“Os Klingons vieram e queriam nos dominar para usufruírem de nosso recursos, principalmente o dilituin. Nós resistimos, e aos poucos tudo foi se acabando, nosso modo de vida foi tirado de nós e estávamos lutando para mante-lo. Perdemos nosso principos no processo. Os Orions nos ajudaram, eles tinham armas e ficamos em divida com eles, os Kilingons por fim desistiram, nós consumíamos muito de seus recursos, e por mais que eles gostem da guerra eles sabem quando se retirar para atacar novamente.

Não podíamos continuar. Mas nos envolver com os Orions foi pior que não ter aceitado os Klingons. Conseguimos duas naves Klingons e com isso começamos a dizer que a guerra continuava, tínhamos que pagar eles. Mas eles, os curandeiros começaram a perceber. Eles tem o dom de saber se você mente ou não, eles não leem a sua mente, mas sentem o que você sente, eles nos atrapalhariam. Primeiro queríamos só prende-los, restringi-los, mas então os motins começaram e para evitar a guerra interna nós os matamos. Pensamos que matamos todos, depois descobrimos que muitos conseguiram fugir e nunca pudemos prever quem nasceria com o dom.

Quando o rei descobriu precisamos silencia-lo mas já tínhamos matado a rainha e o primeiro ministro, como matar o rei também? Outro ataque? Achamos melhor deixa-lo doente. Envenenamos aos poucos, mas então ele começou a melhorar e toda vez que ficava pior melhorava, descobrimos que Athos, um dos jovens da cozinha, era um curandeiro. Nós tentamos prende-lo mas ele teve ajuda. Sei que esta em algum lugar do planeta mas não sei onde.

Eu e conselheiro Willstone, nós somos os lideres.

Depois disso ele falou mais 15 nomes e foi o suficiente para resolvermos a situação.

- Elsmet, você esta bem?

Eu ouvi Andreina perguntar.

- Eu não acredito. Não acredito em uma palavra do que este alienígena disse.

- Você acabou de ouvir da boca de Tygue.

- Ele colocou isso na mente dele com sei lá que truque.

 Ela se aproximou de mim e perguntou se eu estava bem. Meneei a cabeça e sinal de positivo mas estava cansado. Então ela se voltou para ele:

- Eu sou o que Tygue tanto teme, Elsmet. Por isso eu sei que ele diz a verdade.

- Princesa, não – Disse Desmore desesperado.

- Não temos mais porque esconder. Não se preocupe. – ela disse serena

- Então você escondeu Athos. – Tygue perguntou

- Sim. Eu. General

- Princesa

- Prenda o traidor e todos os outros que ele citou. Começaremos os julgamentos quando todos estiverem presos.

- Agora mesmo.

O General levantou o conselheiro da cadeira em que estava sentado sem muita gentileza e o levou.

- Você não tem autoridade.

- Sim eu tenho. Você esta em meu continente. – ela disse e tocou seu braço – eu sei que para você isso deve estar sendo muito triste, ver a pessoa em quem mais confiava o trair desta forma, mas temos que agir, ou isso nunca vai para. Eles foram capazes de quase começar uma guerra com a Federação mas manter este esquema com os Orions. Eles atacaram membros da Federação por isso.

- Esta preocupada com seus novos amiguinhos. Acho que já estou me acostumando à ser traído. – ele disse se afastando dela.

- Acho melhor você ir. Tem muito no que pensar.

Ele se retirou. As lágrimas escoriam no seu rosto.

- Eu preciso que vocês fiquem para testemunhar se for possível.

- Nós ficaremos. – disse o capitão

- Eu pretendo buscar Athos, se quiserem podem ficar onde ele esta. Vocês teriam um pouco de privacidade.

Ela disse sorrindo. E o capitão concordou prontamente. Eu fiquei como voto vencido. Ainda me intrigava a conexão do capitão com a ela. Eu ainda tinha muitas perguntas mas estava com saudades de estar a sós com Jim.

No dia seguinte fomos para o meio da floresta e lá havia uma cabana próxima de um rio. Era um lugar pitoresco e realmente bem isolado. Ela bateu na porta e um homem mais velho que ela abriu assustado mesmo depois de ela se identificar.

- Acabou – ela disse abraçando ele.

Ele parecia ainda mais confuso, não entendi se pelas palavras dela ou se por nossa presença.

- Eles são da Federação Unida de Planetas. Este é o capitão James Kirk e este é seu primeiro oficial Spock. Eles nos ajudaram a ficarmos livres.

Ele olhava dela pro capitão e de volta e vez isso várias vezes enquanto tomávamos chá e ela contava o que havia acontecido com intervenções minhas e do capitão. Quando terminamos de contar ele apenas disse:

- E depois de tudo isso você ainda não percebeu quem ele é?

Ficamos todos surpresos.

- Quem é quem? – disse o capitão.

- Você. – ele respondeu

- Explique. – eu pedi.

“Todo curandeiro tem um guardião, ou ao menos deveria ter, uns tem a sorte de encontrar e outros não. O guardião é aquele que compartilha tudo com o curandeiro, ele sabe de todas as suas necessidades e isso potencializa as habilidades do curandeiro. Depois que começamos a explorar o espaço percebemos que os guardiões não precisam ser necessariamente de Uriah. O universo é infinito e que alguns chamam de sua metade pode estar em qualquer lugar dele. Vocês dois por exemplo, um da Terra e outro de Vulcano, se os terrestres nunca tivessem explorado o espaço, vocês não se conheceriam e passariam uma vida inteira buscando por algo que não encontrariam. Isso acontece com os curandeiros. Veja, não é amor, mas pode se transformar com a proximidade, mas é um complemento. Uma parte que se for preenchida torna o curandeiro pleno. Seu capitão é o guardião dela. Todas as atitudes dele desde o primeiro dia que se viram. Ele percebeu antes dela. E quando ela o curou, praticamente o trazendo da morte, o elo ficou bem mais estreito e quando ela curou você que faz parte dele você não conseguiu se proteger dela, e nunca vai porque você e ele estão conectados e ele esta conectado à ela. Isso nunca aconteceu, mas existem milhões de possibilidades que nunca foram exploradas antes, essa é só mais uma delas.”

- E quando ele for embora? – ela perguntou

- Vocês iriam sentir um pouco mas a conexão sempre estará ai.

- E quando eu morrer? Afinal vocês vivem muito mais tempo que nós. – perguntou o capitão segurando a mão dela. Isso ainda me deixava desconfortável.

- Ela vai sentir o vazio. Mas eu não sei dizer. Eu nunca achei o meu guardião.

- Entendo. – o capitão respondeu.

- Vamos? Voltar ao palácio? – ela perguntou para Athos.

- Sim. – ele se levantou e foi arrumar suas coisas, quando terminou perguntou: - eles não vem?

- Não. Eles precisam de um tempo para descanso. Eu volto para busca-los para o julgamento.

Ele sorriu como se adivinhasse os nossos pensamentos. Bom ele sentia o que Jim estava sentindo então entendi seu sorriso. Eles nos deixaram a sós na cabana e mal viraram as costas Jim me puxou pela cintura me beijou e disse:

-Eu te amo. Senti sua falta. Fiquei preocupado. Quero você.


Notas Finais


Sozinhos na cabana????? Será????


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...