1. Spirit Fanfics >
  2. In the frontier >
  3. Final

História In the frontier - Capítulo 19


Escrita por:


Notas do Autor


Espero que tenham gostado. Boa Leitura,

Capítulo 19 - Final


James Kirk – Diário Pessoal – Suplemento

Muitas coisas foram esclarecidas sobre mim e Drei. Não sei se queria isso pra mim, mas pelo que entendi vai ser pior para ela. Ela é sensitiva e me sentir as vezes pode ser no mínimo estranho e conflitante.

                Mas neste momento a única coisa havia na minha mente era como eu queria Spock. Eu tinha passado da saudade, para a preocupação, para o medo e agora eu simplesmente podia tê-lo. Quando todos foram embora eu puxei ele para mim e o beijei. E disse entre beijos:

                - Eu te amo

                Beijo em seus lábios

                - Senti sua falta

                Beijo em seu pescoço

                - Fiquei preocupado

                Beijo em suas bochechas

                - Quero você

                Beijo seu lábios novamente e com urgência minha língua pede permissão para entra em sua boca. Ele permite e me deixa entrar em sua boca. Como eu senti falta disso. Deste momento no qual eu podia relaxar, ser eu mesmo e estar com a pessoa que eu mais amo no universo como havia dito Athos.

                Spock parecia ter sentido minha falta também. Ele me puxou pela cintura para mais perto dele e quando nos demos conta já estávamos caminhando para a cama. Respiramos um pouco e tiramos nossas blusas, eu toquei o peito quente dele e não havia nenhuma marca diferente e então eu sorri. Ele levantou uma sobrancelha e eu disse:

                - Temos que admitir. Drei é muito boa nisso. Nenhuma marca.

                - Posso dizer o mesmo. - Disse ele tocando meu lado direito.

                Voltamos a nos beijar e Spock me deitou na cama e ficou entre minhas pernas. Nossos membros rijos se tocavam por baixo das calças do uniforme eu o queria demais. Ficamos nús e nos amamos. Livres, sem precisar se preocupar se alguém iria chamar ou se algum dos 400 tripulantes iria nos ouvir passando no corredor. Esta noite havia sido libertadora para nós dois.

                A cabana não tinha chuveiro apenas uma banheira, nós a enchemos e fomos tomar banho juntos. Enquanto ele esfregava minhas costas, todo aquele desejo voltou e fizemos novamente ali na banheira mesmo. Eu me senti saciado como nunca.

                Dormimos nús mesmo. Aquele silencio que as vezes era quebrado apenas por algum bicho que passava. Era bom escutar apenas a respiração de Spock para variar. Coloquei uma perna entre as suas e a cabeça em seu peito e dormi.

                Quando acordamos pela manhã, vimos que tinha bastante comida nos armários e começamos a preparar o café. Não havia pudor entre nós então estávamos fazendo tudo como viemos ao mundo. Após o café da manhã decidimos explorar um pouco as redondezas e estávamos apenas com as calças do uniforme quando ouvimos uma batida na porta. Achamos que fosse Athos que podia ter esquecido alguma coisa, porque se fosse Andreina eu saberia, sua proximidade mexe muito comigo.

                Eu abri a porta e me arrependi no mesmo instante.

                - Então é assim que passam seu tempo livre? Vocês dois?

                Eu gelei quando vi o Comodoro Decker na porta.

                - Como nos achou? – perguntei

                - Seus comunicadores. – ele respondeu simplesmente e foi entrando quase que me derrubando.

                - E por que esta aqui? – eu perguntei

                - Por causa dele.

                - Spock?

                - Tem outro alguém aqui com vocês?

                - Em que posso ajuda-lo Comodoro. – perguntou Spock que a esta altura estava com seu uniforme completo.

                - Você me causou muitos problemas com o acordo que fez com os Klingons.

                - O senhor havia dado instruções claras. O que eles quisessem. E eles não pediram muito.

                - Senhor Spock. O senhor esta entre humanos por muito tempo. Devia saber que as vezes é apenas modo de dizer.

                - Perdão Comodoro mas na situação não havia espaço para isso.

                - O que você precisa Matt? – perguntei irritado

                - Eu já levei a culpa mesmo pelo que aconteceu, apenas quero que Spock concorde com tudo que eu disse quando fizer seu relatório. E depois do que vi aqui, sei que vai concordar. Não é mesmo Jim querido?

                Minha vontade era socar a sua cara. Ele deu um tapinha no meu ombro e saiu.

                - Jim, você esta bem? – perguntou Spock

                - Vou ficar.

                - Ele não vai contar. Não tem provas. E o pouco que viu não significa nada.

                - Eu sei. Mas um dia eu sei que ele vai usar isso contra mim.

                - Você não quer me contar o que aconteceu entre vocês dois?

                - Um dia....vamos fazer que já tínhamos combinado.

                Eu queria esquecer que aquele homem existia. Que ele esteve ali para estragar um de meus melhores dias. Mas eu sabia que Spock faria o que fosse possível para me ver feliz então tentei não pensar mais nisso.

                Depois de avaliar o terreno decidi que no dia seguinte iria pescar. O rio era próximo, em algumas partes não era tão fundo e eu iria fazer meu peixe favorito para Spock. Na verdade essa era primeira vez que estávamos realmente vivendo como um casal. Preciso por isso na minha lista de prioridades quando formos pegar nossa próxima licença.

                3 dias haviam se passado e eu me sentia muito bem. Sempre que não inventávamos uma atividade, ficávamos juntos na cabana. Então Drei veio no final do dia.

                - Vocês me parecem tão bem. Ficar aqui foi bom não é? – ela disse

                - Mas o que é bom dura pouco. – eu disse sorrindo e pegando ela pela cintura.

                Ela estava mais bonita do que no dia em que a vi pela primeira vez. Estava recuperada de nossos ferimentos. Parecia mesmo muito bem e eu sentia. Spock me olhou e eu s soltei.

                - Desculpe, eu...bom vocês entendem agora, não é?

                - Sim, entendemos. – eles disseram juntos. E foi muito estranho.

                - Eu vim para dizer que vamos começar o julgamento amanhã. Athos virá busca-los.

                - E por que você veio hoje? – perguntei curioso

                - Porque queria que ficassem preparados. – ela fez uma pausa – eu senti seu desconforto outro dia. Você estava com muita raiva. Depois eu soube que o Comodoro havia procurado vocês e entendi. Não queria que acontecesse de novo.

                -Por mim ou por você? – eu segurei sua cintura e trouxe para mim, nossos rostos ficaram muito perto e eu sentia seu coração acelerado.

                - Não entendi – ela disse sorrindo

                - Não quer mais sentir meus sentimentos fortes. – eu disse provocando

                Então não sei porque eu a beijei. Acho que isso vinha dela. Não sei dizer. Tudo estava ficando confuso e Spock, ele apenas a abraçou por traz. Ela arfou, sentiu seus sentimentos provavelmente. E eu ouvi ele dizer para ela:

                - Me deixa entrar.

                Não sei o que ou como aconteceu exatamente, mas quando percebemos estávamos os 3 nús, arfando abraçados na cama. Spock no meio e nós, um de cada lado, com a cabeça em seu peito.

                Fomos acordados por ela bem cedo, arrumamos tudo e quando Athos chegou estava tudo arrumado. O mais interessante é que ele não parecia surpreso em nos ver juntos.  

                - O julgamento de Tygue irá começar após o almoço. Precisamos ir. – ele disse tranquilo. Parecia outro homem. Bem mais tranquilo.

                Quando o julgamento começou, leram as acusações de Tygue e ele se declarou culpado. Achamos que ele iria tentar se defender mas ele apenas ficou calado. Aceitou e então Spock foi chamado para falar sobre o que tinha acontecido em Praxis e em Kronos e no final da noite Tygue foi condenado a morte.

                - Eles não poderiam ter sido mais brandos? – eu perguntei

                - Por causa dele muitas pessoas que não precisavam ter morrido se foram, foram mais de 50 anos. Ele não teria outra pena. Mesmo que tentássemos. – ela disse

                - E o que vão fazer agora? – eu perguntei

                - Recomeçar. E provavelmente sentir muito a sua falta. – ela disse

                - Sempre vamos nos ver. Eu prometo. – eu disse sincero.

                Nos despedimos e parecia que eu deixava uma parte de mim ali.

                Quando finalmente voltamos para a Enterprise, sabia que as coisas seriam diferentes, não por ter deixado ela, mas por ter deixado a cabana. Eu e Spock voltaríamos as desculpas de sempre para ficarmos juntos e agora com mais cuidado do de que antes, qualquer escorregada nossa poderia alertar Decker e nos prejudicar.

                No dia seguinte estava na ponte novamente.

                - Qual o destino capitão? – Perguntou Checov. Ele parecia estar normal. Me olhou como sempre.

                - Vamos voltar a fazer o que fazíamos antes. Dobra 3 senhor Sulu.

                - Sim capitão.

                Eu olhei para o posto de Spock e ele não estava lá. Spock atrasado? Como?

                - Onde esta o senhor Spock?

                Foi Uhura quem respondeu.

                - Ele foi chamado pelo doutor para o exame periódico.

                Eu respirei fundo e sorri. A rotina estava de volta.

                - Peça para o doutor se apressar, por favor.

                - Sim capitão. – Disse Uhura.


Notas Finais


Pessoal, a história mesmo acaba aqui, mas no proximo episodio tem alguns spoilers mas eu achei bonitinho


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...