História In The Name Of Love. - Capítulo 21


Escrita por:

Postado
Categorias Os Heróis do Olimpo, Percy Jackson & os Olimpianos
Personagens Afrodite, Annabeth Chase, Apollo, Ares, Atena, Calipso, Charles "Charlie" Beckendorf, Clarisse La Rue, Eros (Cupid), Frank Zhang, Grover Underwood, Hades, Hazel Levesque, Hefesto, Hera (Juno), Jason Grace, Leo Valdez, Luke Castellan, Nico di Angelo, Paul Blofis, Percy Jackson, Perséfone, Personagens Originais, Piper Mclean, Poseidon, Rachel Elizabeth Dare, Reyna Avila Ramírez-Arellano, Sally Jackson, Thalia Grace, Tyson, Will Solace, Zeus, Zoë Nightshade
Tags Frazel, In The Name Of Love, Jason!top, Leason, Leo!bottom, Nicercy, Nico!bottom, Percabeth!friends, Percy!top, Pernico, Sweetbonnie00, Valgrace
Visualizações 230
Palavras 5.190
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Cross-dresser, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Ohayo, my bunnys!!! Como vão?! Tranquilos?!!

Que hora estranha para postar, né? Mas bom, não se importem.

Vim aqui, postar mais um capítulo, porque né, como sempre demorei, e só realmente postei porque minha criatividade cansou de ficar sem fazer nada!!

OLHA, capítulo bem grande (só pra compensar a demora), cheio de Pernico (somente) então, vale a pena ler cada pedacinho porque... O amor está no ar! Só Pernico mesmo, gentxe, mas tenho certeza de que vocês vão sentir um pouco de raiva de mim, mas ok, né?! Mas também vão gostar!! (Acho)

5 MIL PALAVRAS, OH SHIT! Ia ficar bem maior e eu me veria obrigada a separar, então, eu parei. :b

mas, GENTXE, 99 FAVS, MUITO OBRIGADA!!! MESMO!! e infelizmente eu resolvi deixar aquele especial de desafios para outro especial, porque eu estou paradona nesse especial :v e vou fazer outro para comemorar os 50, e o especial de desafios vai ficar para os 100, o que acham?

Enfim, se divirtam com Pernico, e Boua Leitchura!!!

Capítulo 21 - IN THE NAME OF LOVE: Chapter XIX


•leiam as notinhas iniciais/finais, pleas.

‡ IN THE NAME OF LOVE ‡

CHAPTER NINETEEN.


Nico estava quieto o bastante para deixar Percy preocupado. Haviam marcado de saírem para caminhar na praia, e por fim, acabaram vindo no farol e desde que o viu, notou que ele parecia abatido, mas estava tentando disfarçar. O Jackson olhou para a praia, vendo o quão o mar estava calmo, e logo olhou para o garoto, que estava com os braços envolta das pernas e o queixo apoiado nos joelhos.



— Hey Di Angelo, o que foi hein? Parece triste… — comentou olhando-o, sério. Nico o olhou e sorriu.



— Não estou triste, só… Estou pensando. — mentiu, dando um fraco sorriso. Percy apenas arqueou uma sobrancelha.



— Vou fingir que acredito. E ai? Topa um banho?! — sugeriu com um sorriso travesso nos lábios enquanto se ajoelhava na areia molhada.



— Deixa pra próxima! — sorriu, e o Jackson apenas se levantou, e dobrou os braços até as costas, puxando a base da camisa e tirando. Nico corou agressivamente e logo desviou o olhar, mordiscou o lábio inferior ao lembrar da barriga do maior. Percy sorriu e jogou a camisa ao lado do Di Angelo, retirando os tênis e as meias.



— Vamos lá, Neeks!! A água está com uma cara maravilhosa!! — Percy insistiu, se ajoelhando na frente do menor que evitava olhar para o moreno.



— E-eu adoraria, mas eu não trouxe outra roupa e…



— Pare de colocar obstáculos, Neeks!! — o interrompeu, que ainda envergonhado olhou para o Jackson, fixando os olhos no rosto do maior, não olharia para o peitoral nu do outro, senão com certeza faria algo obsceno — Vamos nos divertir!! — Percy sorriu, e sem que o outro notasse, começava a tirar os tênis do garoto.



— Já disse que não, Percy, e além do mais, nem to-...



— Não aceito não como resposta, Di Angelo! — puxou-o pelos dois braços e o jogou por cima do ombro, Nico engoliu um grito surpreso ao ser posto de cabeça para baixo sobre os ombros do moreno.



— P-Percy!! — o Jackson riu e se levantou segurando a cintura de Nico com força, causando um arrepio no corpo do menor — P-Percy me ponha no chão, agora, por favor!! — Percy o ignorou e começou a caminhar rapidamente até a praia, Nico desesperou-se e começou a se debater — Percy!! — gritou mais uma vez. Percy correu mar a dentro, até sentir a água bater em sua cintura, encharcando obviamente sua calça, e ainda rindo segurou na cintura de Nico com as duas mãos e o jogou para dentro da água, Nico fechou os olhos e se preparou para sentir a água gelada bater em seu corpo, mas apenas ouviu um riso mais alto ainda. Abriu os olhos confuso e encontrou aqueles esmeraldas lhe olhando com um ar brincalhão. — O que…?



— Acha que eu faria algo sem sua permissão, Neeks?? — Percy perguntou ainda sorrindo, Nico sentiu seu coração acelerar ao perceber que estava sendo segurando em “estilo noiva” com Percy lhe encarando e sem camisa. Seu rosto logo aqueceu e engoliu em seco — Você devia ter visto seu desespero foi muito engraçado!! — Percy continuou rindo alto.



— Não ria seu idiota!! Eu realmente me assustei!! — Nico exclamou, olhando-o furioso.



— Tem tanto medo de água assim, gatinho?! — Nico sentiu suas orelhas queimarem e com raiva e mais constrangido espalmou as mãos nos peito de Percy e o empurrou, fazendo assim o Jackson se desiquilibrar e o largar, acabando por fim, caindo completamente dentro da água. Percy se desesperou e tentou ajudar o menor a se levantar, mas este já estava em pé, olhando para a roupa fina toda encharcada.



— Obrigado, Perseu! — cuspiu ironicamente enquanto olhava-se. Percy apenas franziu as sobrancelhas.



— Vai me culpar agora?! Você que se jogou dos meus braços!!



— Você que me trouxe aqui!! — retrucou o Di Angelo, furioso — Agora eu estou todo molh-.... — uma onda enorme os pegou desprevenidos, empurrando-os para a margem. Percy ermegiu desesperado por ar, e logo procurou por Nico, ouvindo uma risada alta, olhou para trás encontrando o mesmo de joelhos, rindo alto, sorriu fraco e engatinhou até ele.



— Deuses você está bem?! — indagou, realmente preocupado. Nico parou um pouco de rir e olhou para o Jackson, logo corando ao notar aquelas esmeraldas lhe olhando tão fixamente — Nico, sua testa… — Percy exclamou preocupado ao ver sangue começar a deslizar pela testa do menor junto com a água — Onde você se cortou?!



— Acho que foi em alguma pedra… — comentou dando de ombros, Percy levou a mão até o rosto do menor, tocando levemente a testa, sentindo a textura fria da pele do garoto a sua frente. Nico engoliu em seco, sem desviar o olhar do de Percy. Que lhe fitava intensamente. O Jackson havia se perdido na escuridão que aquelas belas ônix tinham, eram tão misteriosamente lindas, com um brilho único. Nico estava nervoso, sentia todo o seu corpo entrar em combustão, seus olhos não estavam fixos nos olhos do outro, e sim nos lábios deste, e isso estava lhe causando uma vontade súbita de beija-lo, e estava se desesperando, Percy, sem notar, se aproximou mais do menor, que corou mais ainda e finalmente ergueu seu olhar encontrando aquelas esmeraldas profundas, seu desespero apenas aumentou. Seu desespero apenas triplicou ao sentir a mão de Percy deslizar até seu pescoço, o puxando mais para perto. Ok, agora sim seu desespero quadruplicou. Estava muito óbvio que Percy queria lhe beijar, e o sentimento era recíproco, mas sabia que se isso acontecesse iria pôr em risco a amizade deles, e ao respirar fundo, e recobrar a consciência, pôs seus dedos sobre os lábios do moreno, tirando-o do estado de hipnose. E sorriu sem graça para o mesmo.



— D-Deuses, N-Nico!! M-me perdoe!! — pediu desesperado, afastando-se do menor que apenas sorriu. Percy também queria sorrir, dar uma risada, mas aquilo havia o machucado, oras, havia sido rejeitado pelo o amor da sua vida, e aquilo significava apenas uma coisa, nunca teria chance com ele, e aquela confirmação apenas atingiu com mais agressividade seu coração, um bolo desconfortável alojou-se em sua garganta e o que ele mais queria fazer era chorar. Mas segurou, segurou com força, a ardência em seus olhos, o vazio que começava a se alojar em seu coração e aquela dor. — Me perdoe, Nico… — pediu mais uma vez, sorrindo para o menor.



— Tá tudo bem, Percy! Não foi nada!! — Nico se levantou e ajudou o maior — Aliás, não precisa se preocupar com isso aqui, tá? — apontou para o machucado, e Percy apenas assentiu. Nico sentiu o rosto corar ao olhar para corpo do outro, observou o abdômen bem trabalhado e subiu para o peitoral bem forte, a cor bronzeada apenas lhe excitava mais ainda e as gotas da água deslizando pelo pela morena apenas lhe enlouquecia mais ainda e sem resistir mordeu o lábio inferior, e ainda mais vermelho, segurou a mão do Jackson — Vamos sair da água antes que sejamos pegos novamente por alguma onda sapeca!! — e o puxou. Percy sentiu seu coração doer mais ainda ao ver Nico segurando sua mão, aquilo estava doendo tanto, quis relutar e soltar a mão dele, mas não o fez, apenas deixou-se ser guiado pelo outro. — Droga e agora?! Estamos todo molhados!! — reclamou o menor, sorrindo.



— Acho melhor irmos para casa… Está tarde. — Percy se abaixou e pegou seus tênis, Nico o olhou sentindo um aperto incômodo em seu peito.



— Mas já? — riu sem graça, abaixando o olhar para seus tênis.



— É, acho que foi diversão demais por hoje, não acha? Já estamos aqui na praia há algumas horas…



— Não foram horas. — murmurou — Só caminhamos e ficamos aqui…



— Eu sei, mas, já está perto do meio dia e eu ainda tenho que ir na casa dos meu pai antes de ir para o curso de biologia. — Nico amarrou o cadarço do tênis e assentiu — Ei, o que foi?



— Está com raiva de mim?! — foi direto, olhando-o, seriamente. Percy franziu o cenho, confuso — Por não ter deixado você me beijar?! — Percy arregalou os olhos — Por que se for eu… Eu… Não quero que acabe assim!! Eu… Se por acaso se sentiu rejeitado, peço que não se sinta assim!! — exclamou corado, Percy suspirou, mais confuso ainda — N-não quis te rejeitar, só que… Eu… Eu… Não sabia como agir!! Fiquei com medo de deixar isso acontecer e nossa amizade ficar estranha! E essa é umas das últimas coisas que eu quero!! Que nossa amizade acabe por… Por uma vontade minha… — suspirou e o Jackson continuou confuso, tentando assimilar tudo o que o outro dizia — O que… O que quero dizer é que… Eu… Eu... mesintoestranhopertodevocê…. — admitiu rápido e baixinho.



— Como?



— E-eu… Eumesintoestranhopertodevocê!! — repetiu novamente sentindo o rosto esquentar mais ainda. Percy apenas franziu o cenho, mais confuso ainda.



— Nico, eu não estou entendo!! — na verdade, ele estava com medo de entender, de se iludir.



— … — Nico respirou fundo e olhou fixamente para o Jackson. Ônix nas esmeraldas — Eu… Me sinto estranho perto de você, Perseu. E não é estranho em um sentido ruim, bom, ao seu julgar é claro. Eu… Acho que me apaixonei por você. — Percy estancou no lugar, não esboçou mais reação alguma, o que desesperou Nico.



Não podia ser verdade.


Não pode ser verdade.


Ele não disse isso.


Ele não disse isso.


Ele… Ele…


Percy podia sentir atentamente seu coração batendo desesperado e as engrenagens trabalhando para produzir uma reação para aquela frase. Em toda a sua vida, nenhuma frase lhe impactou tanto quanto essa… Nem quando seus pais disseram que iam se separar, nem quando sua mãe lhe anunciou que ia ganhar um irmãozinho novo, nem quando lhe contaram que havia passado de ano, sem reprovar em alguma matéria.



Nico ainda esperava por alguma reação do garoto.



— Percy? Esta… Tudo bem??



— Repete — foi a única coisa que conseguiu balbuciar, olhando fundo nos olhos do menor — Será que da pra repetir, Nico? Por favor… — Nico corou.



— Eu… Estou apaixonado por você, Percy… — Nico repetiu, sorrindo timidamente, Percy sentiu seu coração acelerar e um sorriso enorme nasceu em seus lábios — Eu quero ser seu namorado, Perseu…



— Eu também estou apaixonado por você, Neeks… — admitiu, aumentando o rubor no rosto do menor, e inevitavelmente, criando em si também — Posso… Posso te beijar? — Nico sentiu seu coração palpitar e assentiu, timidamente.


Percy sorriu e delicadamente levou a mão ao queixo do menor, acariciando o local, aproximando seu rosto ao dele, sentiu a respiração descompassada deste misturar com a sua, e fechou os olhos esperando pelo contato que há tantos anos ansiou…



*TRIRIIIIIIIIIMMMMM*


Percy deu um supetão da cama, acordando assustado, a mão sobre o peito sentindo o coração batendo cruelmente contra seu tórax. Piscou algumas vezes, olhando envolta, notando que estava em seu quarto, sem camisa, com a luz da lua adentrando as janelas e seu maldito celular tocando, o fazendo finalmente perceber que aquilo tudo foi apenas um sonho.



— Um maldito sonho… — grunhiu baixinho, apertando o lençol em suas mãos — Um maldito sonho!!! — apertou com mais força o lençol, encolheu as pernas e apoiou o queixo nos joelhos, soltando um longo suspiro, fechou os olhos por alguns segundos, seu celular tocou, tirando-o de seu momento de reflexão, deixou-o tocar por alguns segundos, até abrir os olhos e ver quem estava ligando. Seus olhos se arregalaram ao ler o nome no display. — Nico?!! O que houve?! — perguntou preocupado, aliás, porque ele o ligaria em pura duas horas da manhã? Ouviu apenas o soluçar do garoto.



P-Percy… — Percy sentiu seu coração rachar ao ouvir a voz do menor falha — Percy… Por favor…



— O-o que houve Nico?! Por que esta chorando?!! — perguntou preocupado, continuou ouvindo o menor fungar.



Aí… Percy, por favor, aii… E-eu preciso da s-sua a-ajuda… E-eu es-estou com me-medo… Por favor…



— Me diga onde você está!! — Percy levantou-se da cama, urgentemente.



E-eu… Eu… Estou perto da praia… Perto… Do farol… U-um be-beco escuro ao lado de um bar... — Percy ouvia atentamente o menor enquanto vestia uma camisa — E-eu… Por favor, Percy!! Venha rápido!!



— Eu já estou indo!! — garantiu já descendo as escadas, e sem perceber acordando seu pai, ao chegar na sala, arrancou a chave da moto do chaveiro e rapidamente abriu a porta, passando por ela e a fechando — Nico?! Não desligue o celular, certo?! Eu estou chegando…



T-tudo b-bem… — sua voz começava a vacilar, e aquilo apenas desesperou Percy, que ao subir em sua moto, acelerou-a com agressividade, mal esperando pelo portão da garagem subir, sua aflição apenas aumentou ao alcançar a estrada, acelerando mais ainda. Seu coração batia desesperadamente, sentia uma sensação péssima e por isso acelerava mais ainda.



Após mais alguns minutos avistou o farol ao longe e já conseguia ouvir o barulho do mar, mesmo com o barulho da moto, e aquela sensação apenas piorou, atravessou um sinal vermelho, mal se importando com a freada brusca que um carro dera, não desacelerou.



— Nico?! — o chamou, pelo celular.



S-sim? — piscou algumas vezes tentando afastar as lágrimas que por algum motivo formaram-se em seus olhos.



— Eu estou chegando, ok? Consegue sair do beco?! — pediu.



Meu corpo dói… — murmurou gemendo.



— Não, não. Fique quieto. Estou chegando — sussurrou, logo avistou um bar e seu coração acelerou esperançoso, desacelerou um pouco e encostou na calçada, logo vendo o beco em que Nico dissera, estacionou a moto e rapidamente desceu dela, correndo até o beco, e antes que entrasse encontrou o menor encolhido, perto de algumas lixeiras — Nico… — sussurrou atraindo o olhar cansado e inchado do menor, mesmo no escuro dava para ver claramente o estrago em seu rosto, Percy caiu de joelhos no chão sujo e engatinhou até o garoto, sentindo o forte cheiro de sangue. — Nico…



— P-Percy!! — Nico se moveu até Percy, logo se arrependendo ao sentir todo o seu corpo doer, mas sentiu-se seguro ao ter os braços dele em torno de si — O-obrigado por vim!! — já estava querendo chorar, mas segurou.



— Quem fez isso com você, Nico?! O que aconteceu?! — Percy afastou devagar o menor, olhando-o nos olhos, porém Nico desviou o olhar.



— Dois caras me sequestraram e… E… Me trouxeram até aqui e começaram a me espancar!! E-eu não vi o rosto deles porque eles não deixavam e… Aiiii!! — Nico gemeu alto de dor quando sentiu Percy mover seu tornozelo.



— Eles… Desgraçados!! — grunhiu o Jackson, logo segurando os ombros do pequeno Di Angelo — Eu juro, Nico, se eu encontrar esses caras, eu juro!! Eu mato eles!! Mato eles da pior maneira possível!! — Nico arregalou os olhos.



— Não!! Não!! Você não pode fazer isso, Percy, argh… — Nico pediu, baixinho — Por favor, me tire daqui!! — implorou, Percy assentiu e sem enrolação, pegou-o em “estilo noiva” atraindo o olhar confuso do menor.



— Você não pode andar, não com o tornozelo assim… — Nico assentiu e soltou um longo suspiro, deitando a cabeça no ombro do maior, Percy apenas ajeitou-o melhor andando em direção a sua moto.



<<quebra de tempo>>



Poseidon e Lucas estavam preocupados com a saída repentina de Percy, e logo ficaram mais aliviados ao ver a moto do filho chegar.



— Meu Deus, onde voc-... — ambos se calaram ao ver o menor entrando com um garoto nos braços.



— Lucas, por favor, me ajuda aqui, ok? — Percy pediu, enquanto se ajoelhava diante do sofá, o albino assentiu e correu até os dois, ajeitando o travesseiro e ajudando o afilhado a colocar o “estranho” deitado no sofá.



— O que aconteceu, Percy?! — Poseidon perguntou, confuso o bastante para suportar o silêncio do filho.



— O Nico foi agredido. Sequestrado e agredido. — foi breve, vendo os olhares assustados dos maiores ali — E ele me ligou porque ele foi jogado por aqui por perto…



— Deuses… — Lucas colocou a mão sobre a boca, incrédulo.



— Pai, temos que levar o Nico ao hospital.



— Certo, certo. — Poseidon assentiu.



— Não!! Não!! — Nico gritou, assustando os outros presentes — Por favor não!! Eu não quero ir…



— Mas Nico…



— Não, por favor!! Se eu for meu pai vai descobrir e a última coisa que eu quero é que ele saiba!! Não quero ver meu pai sofrer!! Então, por favor!! — Nico estava implorando, os olhos já transbordando.



— Mas, Nico, precisamos te…



— Não. — Lucas interrompeu — O garoto não quer ir para o hospital, e vocês, vão respeitar isso!



— Mas amor! Olhe o estado do garoto!! Ele precisa ir urgentemente para o hospital!! — Poseidon insistiu também, Lucas olhou para o garoto que realmente parecia mal.



— Eu cuido dele.



— O QUE?! — os dois gritaram preocupados — Lucas, sei que quer ajudar, mas eu acho melhor…



— Percy, — disse calmo — Eu fui cirurgião quando mais novo, e também enfermeiro, e tenho uma maleta própria para isso, então, confie em mim, e aliás, seria grosseria da sua parte, da nossa parte, não fazer o que o garoto está pedindo. Então não me atrapalhem e o levem para o quarto de hóspedes. — Percy e Poseidon se entreolharam e por fim, fizeram o que o albino pediu.



<<quebra de tempo>>



Lucas retirou toda a roupa do menor, com a ajuda deste, que ficava calado enquanto via-se sendo despido. Lucas colocou a roupa em uma bolsa plástica e olhou para o garoto, se assustando com a brutalidade em seu corpo. Levou a mão a boca, sentindo os olhos arderem. Como alguém teve coragem de fazer tanta crueldade com ele? Era o que se perguntava.



— Deuses…



— Meu pai não pode me ver assim… — Nico murmurou segurando o choro — Eu nunca me perdoaria se ele me visse nesse estado… — Lucas suspirou, engolindo o bolo que se formou em sua garganta.



— Shhh calma, criança, calma… — Lucas pediu vendo o menor segurando com toda as forças o choro, soltou um suspiro e se aproximou mais dele — Ei, não é nada saudável segurar o choro desse jeito, Nico…



— Eu…



— Sabe, sempre fui louco para te conhecer… — sorriu atraindo o olhar melancólico do garoto — Percy sempre falou tão bem de você que eu te adorei só pelo o que ele me contava e bem… Você é lindo igual a um anjo, como ele disse…



— Um anjo deformado…



— Um anjo merecedor de cuidados. — o corrigiu, Nico olhou para o homem à sua frente — Eu sinto muito pelo o que fizeram com você… Isso não se deve fazer nem com um psicopata quem dera com uma pessoa de bem… Mas eu vou cuidar muito bem de você, Nico e você vai estar novinho em folha. Não se preocupe, ok?



— O-obrigado… — Nico sorriu, um sorriso fraco, mas sincero — Obrigado mesmo...



<<alguns minutos depois>>



— Bom, foi o melhor que consegui fazer. — disse limpando o suor com as costas da mão, Nico gemeu baixinho ao ajeitar-se na cama — Você vai passar a noite aqui, ok? Não se preocupe, logo, logo você melhora, meu bem.



— Eu… Quero me sentar. Pode me ajudar?



— Acho melhor você ficar deitado em repouso, meu bem. Se você sentar creio que os pontos possam se abrir e bem vai dar um pouco de trabalho para fechá-los.



— O-ok… — murmurou e Lucas ajeitou o travesseiro na cabeça do garoto. Nico sentia seu corpo inteiro dolorido — Senhor…



— Pode me chamar de Lucas, querido.



— L-Lucas… Os hematomas… São muito feios?? — Nico indagou, olhando-o. Lucas engoliu em seco e suspirou. Nunca vira hematomas tão profundos como os dele.



— Sim, meu anjo. Estão sim. E temo que eles demorem a desaparecer, e vão ficar muito doloridos… — foi sincero, Nico soltou um longo suspiro e suas costelas doeram com o ato. — Nico, você sabe o porquê de terem feito isso com você?! — indagou o albino, preocupado. Nico respirou fundo lembrando dos diversos xingamentos que ouviu enquanto era agredido.



— Por que você acha? — murmurou — Um veado que se veste roupas de menina merece apanhar até virar homem, não é?? — Lucas arregalou os olhos e se aproximou do menor, sentando-se na cama, tocou o rosto pálido e marcado com cuidado, dando um sorriso triste. Nico engoliu o choro, apesar de sua visão ter embaçado graças às lágrimas.



— Não pense assim, meu anjo. — Lucas sussurrou — Essas pessoas que disseram isso a você são cruéis e idiotas que não se importam com os sentimentos e se incomodam com a vida alheia porque talvez a deles esteja uma merda. Eles acham errado e recriminam o que não entendem, e abominam qualquer coisa que para eles seja fora do normal. Não se odeie por isso. — aquilo foi o estopim, e o menor desabou em um choro silencioso. Era isso que estava sentindo, estava se odiando pondo a culpa em si próprio. Tudo o que aqueles homens disseram lhe atingiram de uma forma que lhe fez enxergar “a realidade”. Foi tudo culpa sua. Apanhou, impiedosamente, por culpa própria. Se não se vestisse daquele jeito. Se não tivesse se assumido, ou começasse a sentir atração por garotos não passaria por nada daquilo. Se não fosse anormal não seria olhado de um jeito repulsivo. Era isso o que se passava em sua cabeça. Estava se odiando por ser o que era.



Lucas suspirou e com cuidado puxou o garoto para si, abraçando-o, e afagando os cabelos negros, notando ali que nem os cabelos escaparam da crueldade. Nico fechou os olhos enquanto soluçava baixinho, o coração doendo mais do que as feridas que se abriam devido o movimento.



— Pode chorar criança, você é humano igual a todos. — sussurrou acariciando os cabelos negros com cuidado ouvindo os soluços dolorosos do menor.



Lucas ficou no quarto em silêncio, até o menor adormecer, cansado de tudo o que passou, deitou-o com calma na cama e enxugou o rastro das lágrimas em suas bochechas.



— Descanse, meu bem… — deixou um beijo na testa de Nico e saiu do quarto. Dando de cara com Percy e Poseidon sentados ao pé da porta.



— Como ele está?! — Percy perguntou lhe segurando pelos ombros, aquela expressão em seus olhos fez o coração do albino rachar — Lucas…



— O corpo dele estava muito machucado, havia diversos hematomas fundos e diversas feridas, mas nenhum dos ferimentos foram fundos demais, mas amanhã temos que convencê-lo de ir ao hospital. Só para ter certeza de que ele não teve nenhuma lesão interna…



— Obrigado Lucas… — Percy sussurrou abraçando o padrasto, que retribuiu.



— Está tudo bem, meu bem. Agora deixe-o descansar, certo? Por que você não tenta dormir…



— Dormir? Com o Nico assim?



— Você precisa dormir, garoto. Amanhã ele deve acordar melhor. — Poseidon aconselhou, pondo-se ao lado do namorado.



— Lucas, ele não disse quem foi que fez isso? Ou o porquê?!



— Ele já disse que foram dois caras, não o pressione, Percy. Quando ele quiser, ele te contará. Agora temos que ir descansar.



— Não vou conseguir dormir… — murmurou baixinho.



— Faça o seguinte, então, leve seu colchão para o quarto de hóspedes. E quem sabe você dorme e ao mesmo tempo pode cuidar dele. — sugeriu Poseidon sorrindo para o Jackson menor.



— É uma boa ideia. Obrigado. Durmam bem! — Percy desejou, e logo recebeu um beijo no topo da sua cabeça dos dois adultos.



Percy ajeitou o colchão no chão e desligou a luz do quarto, acendendo o abajur, olhou para o menor que dormia tranquilamente e sentiu o coração quebrar ao ver vários curativos e ataduras no rosto do menor. Levou a mão até o rosto pálido e acariciou a bochecha fria, dando um longo suspiro.



— Durma bem, Neeks. — tirou a mão do rosto do menor, porém sentiu algo a segura-la.



— Percy… — a voz fraca de Nico soou tão baixa que o moreno mal a escutou.



— Sim, Nico?! Eu estou aqui! — sussurrou de volta, segurando a pequena mão entre as suas. Os olhos negros de Nico estavam brilhando em meio a pouco luz, revelando as lágrimas que este segurava.



— E-eu sou uma aberração?? — perguntou, a voz embargada e fraca. Percy sorriu.



— O que?! Não, não, claro que não, Nico...Você não é uma aberração… Você é lindo, é uma pessoa normal, e incrível…



— Não é isso o que os outros pensam…



— Pare de se importar com os outros, e se importe consigo mesmo. — mandou, ainda olhando fixamente nas ônix do Di Angelo — Você é lindo, é incrível, e se as outras pessoas não vêem isso é porque elas são cegas e idiotas… — Nico sorriu, e apertou as mãos que lhe envolvia, entrelaçando seus dedos com os de Percy.



— Você é uma pessoa incrível, Percy… E eu me pergunto o que foi que você viu em mim para andar comigo e ser meu amigo…



— O que eu vi em você?? — Percy sorriu, levando a pequena mão aos lábios, beijando a pele macia — Você vai dormir de tanto que eu vou falar se eu te responder… Só… Pare de se importar se alguém vai te olhar feio, se vai te xingar, se vai querer se intrometer na sua vida…



— Não é fácil, Percy… — inquiriu, suspirando ao sentir mais um beijo em sua mão.



— É sim. E quando alguém te xingar, mandar você virar homem você dá o dedo do meio para eles… — Percy sorriu ao ver o menor rir baixinho.



— Quanta educação, Jackson. Quem te ensinou isso?



— Você. — Nico ficou confuso, e Percy deixou mais um beijo na mão do menor — Você era uma criança bem levadinha. Adorava dar o dedo para os garotos que mexiam com você. Ou para mim, quando eu te elogiava.



— O que…? — Nico estava confuso, Como ele sabe disso? Percy ao se dar conta do que acabara de falar soltou um longo suspiro — Percy o que você…? Espera, você…



— Você esqueceu mesmo de mim, não foi? — Percy suspirou triste, soltando a mão que segurava com cuidado — Eu era o garotinho, o grande “cabeça-de-algas” que estudou com você na creche, na escola… Eu era o seu melhor amigo Nico, até a chegada do Solace. Até o momento em que você me jogou de lado, por ele. — Nico arregalou os olhos, sentindo-se péssimo, Como pude esquecer?! Deuses… Percy soltou um longo suspiro, dando um sorriso triste. — Está tudo bem, Neeks.



— N-não… — Percy se assustou ao ver que este chorava — N-não está tudo bem!! Como eu pude esquecer de você?! Como eu pude fazer isso com você?! Pershi… — Nico escondeu o rosto nas mãos, não sabia o que era aquele sentimento, mas, estava acabando consigo — Eu te esqueci!! E você foi meu melhor amigo quando eu entrei naquela escola, foi o único a se importar de verdade comigo e eu… Eu…



— Ei, ei, ei!! — Percy se curvou um pouco sobre o menor, segurando os ombros deste — Nico, calma, não precisa…



— Eu não mereço sua amizade… — sussurrou em meio aos soluços — Eu não mereço uma pessoa igual a você… — o Jackson ficou calado por alguns segundos.



— Ei, Neeks… Por favor, não chora, detesto de te ver chorar. — afastou as pequenas mãos que escondiam o rosto apenas para ver as lágrimas deslizando pela face machucada. — A gente esquece de alguém alguma vez na vida. Mesmo que ela seja importante. Somos falhos.



— Você não… — Nico retrucou fungando — Por que não esqueceu de mim, Percy?!! Por que??



— É meio difícil quando a pessoa está apaixonada… Merda. — havia respondido sem pensar, seu coração acelerou e sua respiração começou a falhar, o silêncio instalou-se no local e podia jurar que daqui a pouco seu coração iria sair correndo pela sua garganta. — Nico, eu…



— Você… Gosta de mim? — Nico indagou surpreso, as lágrimas parando lentamente, olhando diretamente nos olhos do Jackson que engoliu em seco — Desde… Desde quando?



— Há muito tempo… — admitiu. Por que ocultar? Já havia estragado tudo mesmo. — No começo eu achei que era só paixão, coisa passageira, principalmente porque tínhamos nos separados, mas, eu não consegui e não consigo não sentir isso por você, Nico. Mesmo sabendo que eu não tenho e nunca tive chances porque eu sei que você continua amando o Will. Então, me desculpe por… Sentir isso por você e eu vou entender se você não quiser mais ser meu amigo.



— Então… Foi por isso que você me chamou pra sair e tudo mais?? — Nico indagou, ainda confuso. Percy respirou fundo.



— Em parte. Eu queria reatar nossa amizade, mas admito que minha intuição era… Era fazer você se apaixonar… Por mim. — mordeu o lábio inferior, sentindo-se patético — Me desculpe Nico, de verdade eu… Estou me sentindo um panaca!



— Por que?? — Nico sorriu, tímido, sentindo o coração acelerar, mordeu a parte interna da bochecha de nervosismo e felicidade, por algum motivo idiota, mas sabia que não era tão idiota assim.



— Oras porque?! Eu… Fui e sou um idiota por achar que você poderia gostar…



— E se eu gostar? — retrucou timidamente, fazendo Percy se arrepiar — Eu não tenho certeza dos meus sentimentos, mas desde que começamos a sair eu fico extremamente feliz, e sinto meu corpo aquecer quando você está por perto, e meu coração acelerar, além de… Que ninguém se importou tanto comigo quando você… Nem o idiota do Will. Eu… Eu acho que me apaixonei, acidentalmente. — Percy jurava que ia morrer de tão rápido que seu coração batia, estava vendo a hora ele parar, abruptamente. Nico sentia-se do mesmo jeito, estava tão vermelho e seu coração batia tão rápido. Não queria infartar naquele momento — Percy… Eu… Eu quero… Quero… — Nico não conseguia terminar a frase, de tão nervoso que estava, e Percy respirou fundo, olhando para o menor.



— Quer namorar comigo, Nico?! — perguntou rápido, fazendo o Di Angelo corar agressivamente. O coração de Percy estava a mil, e ver Nico ali, encolhido, todo vermelho estava lhe enlouquecendo.


Ok, ataque cardíaco em 3… 2…



— S-sim, P-Percy. Eu q-quero na-namorar v-você…



Agora... O mundo não fazia mais sentido para si. A Terra havia parado de rodar. Tudo desaparecia lentamente de seu campo de visão.


Deuses, ele aceitou meu pedido… Não conseguia acreditar.


Mas, poderia ser um sonho, certo?

— Sério, N-Nico?? Você quer mesmo… Namorar comigo?! — perguntou novamente, vendo o pequeno italiano assentir, tímido. Percy abriu um sorriso tão grande que Nico não resistiu em acompanhá-lo — Eu… Eu… Me belisca, por favor!! Isso pode ser um sonho!! Eu posso estar sonhando de novo! — pediu se curvando mais ainda sobre o garoto que riu.



— Ok. — Percy fechou os olhos e esperou pelo beliscão. Mas a única coisa que sentiu foi algo macio e frio tocar seus lábios timidamente. E se afastar, Percy abriu os olhos e viu apenas Nico esconder o rosto com o travesseiro.



Ok… Isso foi demais para a pobre mente de Percy trabalhar e para seu frágil coração — em colapso, anontem — aguentar.



Notas Finais


Então, espero que tenham gostando, 5 mil palavrinhas e acho que vocês tiveram bastante raiva de mim, só nos primeiros parágrafos, im sorry heuhuehuehue :v

Mas também é pra compensar a enorme demora, mas sério, pessoas, final do ano aí eu me fodendo com os professores porque eles estão atrasando todo o bimestre e nos fodendo, então :v motivos a parte, Alan e Cellbit, mais o Alan na verdade porque o Cellbit mal posta :v

Como eu postei hoje, talvez o próximo (talvez) seja quarta, ou terça, não sei, dependendo de como irá ficar, posto rapidinho. Pretendo focar um pouco mais em Pernico, porque sinto que estou deixando de lado, os dois, com essa confusão toda do Jason e o Leo.

Não sei se me preciptei sobre o começo da relação de Percy e Nico, mas né, vamo lá. O PERCY ESTÁ HÁ DÉCADAS ESPERANDO PELO DI ANGELO, e eles já tiveram diversas saidinhas como amigos, né então descontinho :v

Ahh é, eu vou dar algumas editadas nos capítulos anteriores, ver alguns erros mudar alguns estilos de "quebra de tempo" o símbolo de mudança de personagens, e aí depois eu explico qual é qual, ok?

Tá, to escrevendo demais :v

Enfim, AGRADECIMENTOS.

Obrigada mesmo por quem acompanha a fic, mesmo com toda minha demora, obrigada por não desistirem de mim, e pelos comentários, é sério, eles são muito importantes porque além de eu bater papos com vocês, estamos debatendo sobre a fic, e o que vocês obviamente estão achando dela! Por isso é importante, não estou obrigando vocês a comentarem, nunca, mas né ajuda. E OBRIGADA PELOS FAVORITISMO, PELO CARINHO ENORME DE VOCÊS, OBRIGADA MESMO!!

E obrigada por quem leu até aqui!

e vamo rumo aos 100, uhuuuuuul (dei uma de YouTuber, ksksksks)

Então, espero que tenham gostando e até a próxima!! Falous ;>


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...