1. Spirit Fanfics >
  2. In The Pub (Padackles) >
  3. Bathroom (Capítulo Único)

História In The Pub (Padackles) - Capítulo 1


Escrita por: little__sunshine

Notas do Autor


Oi, gente! Tudo bem? ヽ(*・ω・)ノ

Olha eu trazendo mais uma fanfic Padackles pra vocês!

Essa não é tããão hot assim, mas dá pra sentir uns “coiso” kkkkk

Também queria dizer que escrevi essa história originalmente com um casal hétero, mas aí resolvi adaptá-la para a versão Jared e Jensen, hehe.

Se gostaram, favoritem, comentem e digam o que acharam! Vou ficar muito feliz (ᴖ◡ᴖ)♥

Boa leitura, pessoinhas!

Capítulo 1 - Bathroom (Capítulo Único)


Fanfic / Fanfiction In The Pub (Padackles) - Capítulo 1 - Bathroom (Capítulo Único)

Depois do trabalho, Jensen e Jared decidiram ir a um pub antes de voltarem para casa. Era sexta-feira, e nada melhor do que começar o fim de semana do jeito que gostavam.

Eles se sentaram em uma mesinha no canto do local, e conversavam enquanto tomavam seus drinks. Jared optou por uma gim-tônica, enquanto Jensen pediu o bom e velho whisky.

— Achei que iria ter mais gente por ser sexta-feira. – disse o loiro, olhando em volta do pub e vendo que não haviam tantas pessoas.

— Esse pub costumava ser mais movimentado mesmo. – Jared concordou, bebericando um pouco do conteúdo de seu copo.

— Nós vamos fazer alguma coisa amanhã? – perguntou Jensen.

— Não sei, você quer sair pra algum lugar?

— Queria algo só entre nós dois. O que acha?

— Eu topo, mas onde?

Jensen pensou por um momento.

— Podemos ir pro litoral, eu vi que vai fazer sol amanhã.

— Nada mal, faz tempo que não vou em praia. – o moreno sorriu, aprovando a ideia.

— Então tá combinado, vamos ao litoral! – Jensen também sorriu, empolgado. — Já digo que eu vou ir dirigindo.

— Não vou te deixar dirigir meu carro. – disse o outro, sério.

— Por que? – perguntou em tom de indignação.

— Você não me deixou dirigir o seu aquele dia. – cruzou os braços como uma criança, e Jensen gargalhou da atitude dele.

— Ai, Jared, por favor. – pediu manhoso, fazendo um bico.

— Com uma condição. – levantou o indicador. — Você me deixar usar seu carro por uma semana.

— Uma semana?! – arregalou os olhos. — Não pode ser só dois dias? – sorriu de modo fofo, tentando convencê-lo.

— Não, uma semana. Aí eu deixo você ficar com o meu durante o mesmo tempo também. – disse, e Jensen o olhou com os olhos cerrados. — Ah, baby, não vai ser o fim do mundo. Eu não vou ferrar com o seu carro, fica tranquilo. – riu.

— Ok, fechado. – eles apertaram as mãos e riram. — Traz mais whisky pra mim?

— Pede com jeitinho que eu trago. – sorriu maroto de lado. Jensen suspirou, fazendo Jared rir.

— Jared, gostoso, amor da minha vida, me traz mais um copo de whisky, por favor? – fez uma cara de cachorrinho sem dono, e o moreno se levantou da mesa, indo até o balcão do pub. Voltou logo depois, com o whisky de Jensen e mais um copo de gim para si mesmo.

Mais algumas doses e drinks depois, os dois já se sentiam menos sóbrios do que o normal, principalmente Jensen.

Ele inclinou a cabeça para o lado direito, apoiando-a sobre a mão e encarando Jared. Pensou que seria divertido brincar um pouquinho com ele no momento, afinal ele adorava provocar o namorado.

O loiro esticou a perna direita na direção de Jared, acariciando a perna dele com seu pé de forma lenta e suave. Ele, que estava concentrado em um canto qualquer do pub, olhou imediatamente para Jensen assim que sentiu algo em sua perna. Um sorrisinho ladino brotou em seu rosto, e Jensen continuou o que estava fazendo, ficando satisfeito apenas por ver a expressão de Jared.

Mas ele queria mais.

Afastou a perna, levantou-se da cadeira e parou ao lado do rapaz, sussurrando em seu ouvido:

— Me encontra no banheiro social. – disse, e saiu remexendo os quadris propositalmente enquanto andava.

Jared riu consigo mesmo, não acreditando na audácia de Jensen. Ele já era acostumado com o jeito do loiro, mas não imaginava que ele ousasse fazer isso em um local público, ainda mais no banheiro social, onde qualquer um podia entrar a qualquer momento.

De todo modo, ele levantou da cadeira e foi até o banheiro do pub, abrindo a porta e não encontrando nenhum sinal de Jensen. Fechou a porta, e começou a olhar em cada uma das cabines. Na última delas, ele o encontrou sentado na privada – que estava com o tampo fechado –, sem a gravata e com a camisa aberta, deixando seu belo peitoral à mostra. Ele o chamou com o dedo indicador, e Jared entrou no cubículo, trancando a porta.

— Jen, isso é sério? – perguntou ainda surpreso com o que estavam prestes a fazer. Não o ato em si, mas o fato de fazê-lo em um banheiro minúsculo daqueles.

— Vai me dizer que você não quer, Jay? – ele aproximou-se mais do moreno, deixando seus corpos colados. — Nunca passou pela sua cabeça que transar em um banheiro público pode ser muito excitante? A adrenalina por saber que alguém pode chegar e ouvir tudo… faz ficar bem mais gostoso. – terminou lambendo o lóbulo da orelha dele, e Jared fechou os olhos, respirando fundo, já sentindo seu sangue ferver.

“Que se dane”, ele pensou, e puxou Jensen pela nuca para um beijo quente e molhado, podendo sentir o gosto do whisky na boca dele. Encostou seu corpo contra uma das paredes da cabine, beijando o pescoço dele enquanto terminava de tirar a camisa social que ele vestia. Assim que Jensen ficou nu da cintura para cima, Jared voltou a tomar os lábios do loiro para si, segurando o rosto dele com as mãos grandes.

Com as forças que tinha, Jensen empurrou Jared contra a outra parede, e começou a abrir a camisa dele.

— Deixa que eu comando hoje. – sugou o lábio inferior dele, e o moreno deixou escapar um gemido curto. Adorava quando Jensen ficava no controle.

Conforme Jensen abria os botões da camisa de Jared, ele beijava e lambia cada parte do corpo dele que ficava exposta. Fez questão de ser lento nos movimentos, somente para enlouquecê-lo.

O som da porta de entrada do banheiro ecoou, e Jared arregalou os olhos em desespero, porém Jensen continuava com seu serviço. Quando ele estava desafivelando o cinto de sua calça, ficou ainda mais tenso e passou a mão pela testa suada.

— Jensen, espera! – ele disse baixo, tentando afastá-lo, mas sem sucesso.

— Relaxa, amor, confia em mim. – sorriu malicioso, abaixando o zíper da calça dele e descendo-a até o meio de suas pernas. — Só faz silêncio. – colocou o indicador em frente aos lábios, indicando que era para ele ficar quieto.

— Não sei se vai ser possível. – disse entre dentes, ouvindo o barulho da torneira do lado de fora da cabine.

— Fica calmo, eu sei que você consegue. – piscou, e com as duas mãos abaixou a cueca dele, ouvindo-o grunhir baixinho em excitação.

Jensen começou a masturbar Jared devagar, enquanto ele tinha o lábio preso entre os dentes e o cenho franzido de prazer. Tentava ao máximo não gemer, mas era difícil com as mãos do seu loiro fazendo um trabalho tão delicioso em seu pau.

Encostou a cabeça na parede, virando o rosto de lado para evitar olhar nos olhos dele e ficar ainda mais excitado.

Ao que parecia, não havia mais ninguém no banheiro, pois a porta havia se fechado. No entanto, mais alguém poderia chegar a qualquer minuto.

Jensen parou com os movimentos de sua mão e colocou sua boca no lugar. Jared soltou um gemido entrecortado ao sentir os lábios de Jensen em seu membro, fazendo movimentos de vai e vem por todo seu comprimento, e massageando o que não cabia.

O homem soltou o ar pela boca, controlando-se para não gemer alto; ele apenas arfava e resmungava baixinho enquanto mordia os lábios com força e socava a parede da cabine. E como se não bastasse, Jensen fazia tudo numa lentidão que estava lhe matando. Jared não aguentou, e segurou nos cabelos curtos do namorado, ditando o ritmo das chupadas, porém sem ser rude.

O loiro passou a dar uma atenção maior para a glande do moreno, rodeando com a língua e chupando apenas aquela região. Jared estava prestes a entrar em colapso; ele queria gemer e urrar de prazer, mas não podia. Mordia os lábios com tanta força, que quase chegava a machucá-los.

— Baby… – ele sussurrou ofegante. — Mais rápido… chupa mais rápido, eu quero gozar.

No mesmo instante, Jensen largou o membro de Jared. Ele o olhou incrédulo, com os olhos arregalados. Não podia acreditar que ele iria lhe deixar naquele estado.

— Por que você parou? – questionou, ainda respirando pesado.

— É divertido te provocar. – ela sorriu de canto, levantando do chão. — E também, é melhor continuarmos em casa. Ainda te quero fodendo meu buraquinho bem gostoso. – disse rente à boca dele, lhe dando um selinho. Jared sorriu, animando-se com a ideia de estar dentro do interior quente e apertadinho de Jensen.

Beijaram-se mais uma vez antes de se vestirem corretamente e saírem da cabine. Jensen ajeitou os cabelos em frente ao espelho, e Jared abriu a torneira para lavar o rosto.

— Você vai ver o que eu vou fazer com você em casa. – o moreno disse com a voz rouca no ouvido do outro, arrepiando-o por completo. Jensen o beijou rápido, e saíram do banheiro de mãos dadas.

Depois de pagar a conta, foram para o apartamento do loiro, e lá puderam terminar o que começaram de forma mais intensa e apaixonante. No estilo Jared e Jensen de ser.


Notas Finais


Até uma próxima! <3

~Bruh


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...