1. Spirit Fanfics >
  2. In The Woods (YoonMin) >
  3. Descoberta.

História In The Woods (YoonMin) - Capítulo 13


Escrita por:


Notas do Autor


Boa noite, aluados 🐺🌕


Capítulo de mudanças, boa leitura 💙

Capítulo 13 - Descoberta.


Jimin precisava voltar para Lua Cheia, mesmo que quisesse continuar com Yoongi.


Depois que o nó foi desatado, o alfa continuou com ele em seu colo, beijando e sussurrando confissões ao ouvido do loiro.


Yoongi ainda estava no torpor de ter tomado o ômega pela primeira vez e vê-lo tão satisfeito e sorridente o tranquilizava. Seu lobo relaxou dentro de si, sentindo o do outro da mesma forma.


— Eu não quero sair daqui — disse o loiro, ainda envolto no abraço do alfa.


— Se demorar demais, podem desconfiar. Eu vou aprontar tudo para que saia de lá o quanto antes. Não quero que fique em Lua Cheia mais do que o necessário. 


— Tudo bem — concordou com um sorriso. — Eu vou voltar mais algumas vezes e combinamos como faremos.


— Não se preocupe, vai dar tudo certo — disse colando a testa na do ômega.


— Eu estou tão feliz — confessou para o moreno. — Isso não poderia ter sido melhor.


Yoongi sorriu orgulhoso, mas o ômega ficou apreensivo.


— Eu não estou no cio, mas podem sentir seu cheiro em mim, não é? — perguntou nervoso, mas Yoongi negou.


— A água dissipa as essências. Depois que se transformar, não vai ficar muito tempo com meu cheiro… uma pena.


Jimin mordeu o lábio, pendurando-se em Yoongi para voltar a beijá-lo. Como poderia ter se apaixonado tão rápido? Ele não queria nada como aquilo, mas o destino definitivamente o pegou de surpresa.


— Se continuar assim, eu não deixo você ir embora… — sussurrou o alfa.


— Foi só uma vez e já acha que manda em mim?


— Claro que não. Mas eu posso te fazer querer ficar…


O loiro sorriu. Ele já queria ficar, mas ainda precisava acertar o que fariam depois que fugisse.


Yoongi ficou de arrumar tudo com seu pai, tanto para a possibilidade de ficarem em Umbria quanto para a de fugirem para outro lugar.


Em seu quarto, o ômega organizava alguns pertences para levar quando fosse embora com o alfa, planejando até sua carta de despedida para os pais, escrevendo-a diversas vezes e queimando depois, apenas para fazê-la novamente quando fosse realmente necessário. 


Jimin se via cada vez mais encantado por tudo que poderia viver com Yoongi e ficava mais determinado a cada vez que se viam.


Sempre que estavam na floresta, buscando por lugares que poderiam servir de abrigo, ou mesmo procurando por diversão, acabavam aos beijos em algum gramado ou campina aberta.


Em suas formas lupinas, eles conseguiam falar com o outro e até flertar de vez em quando.


"Eu quero você aqui", disse Jimin, em seus pensamentos e o lobo ao seu lado, que sacudiu a pelagem.


"Jimin… está ficando insaciável", respondeu, batendo a pata duas vezes no chão. 


"Você não quer? Não me deseja, alfa?" Foi a última coisa que pensou antes de voltar à forma humana, parado na frente do lobo.


Tão logo o alfa também voltou à sua forma humana e estava nu na frente de Jimin.


— Está tentando me fazer roubá-lo para mim antes de conseguirmos fugir? — perguntou para o mais novo.


— Você conseguiria? Conseguiria me levar e domesticar?


— Não quero isso — respondeu de pronto, aproximando-se. — Muito pelo contrário, gosto de você assim, selvagem — falou com um sorriso sugestivo, enquanto descia os olhos pelo corpo bem feito do ômega. 


— Então não temos nenhum problema — disse Jimin, pegando as mãos do alfa e colocando-as em sua cintura. — Pode me amar de novo agora.


Sobre a relva, Yoongi realizou mais uma vez o pedido do ômega, não vendo a hora de poder estar com ele em um ninho só deles, num lugar que confortável que cheire apenas a eles dois e que ficassem a noite toda juntos, mas por enquanto, Jimin precisava voltar para sua aldeia.


Quando o ômega deixou a gruta naquele dia, nada poderia tê-lo deixado mais aliviado ao saber que o líder de Umbria o aguardava como um filho, que o pai de Yoongi o receberia e daria a ele a liberdade tão esperada em seus territórios.


Mas ele não contava com o braço direito de seu pai estaria em seu caminho.


Hoseok estava perto do lugar onde ele deixava e voltava para aldeia e Jimin percebeu tarde demais, pois os olhos do Jung já estavam sobre ele quando se deu conta de que havia sido pego.


— O que estava fazendo aí fora? — perguntou logo.


— Eu… eu estava atrás de… outras flores… 


— Não tem flores passando a campina — falou sério. — E você não deveria estar fora dos limites.


Jimin tentou desconversar, mas o cheiro de Yoongi que ainda emanava dele, não passou despercebido pelo olfato astuto do Jung.


— Estava… com alguém?


— Não — respondeu imediatamente o ômega. — Com quem eu poderia estar?


O alfa olhou para os lados e achou ainda mais estranho que o ômega não estava acompanhado de Taehyung, que era seu melhor amigo e sempre estava ao lado do loiro.


— Está mentindo. Eu sinto cheiro de alfa em você.


Jimin engoliu em seco, não conseguindo evitar o nervosismo de ser pego em flagrante.


— Deve estar enganado e—


— Você saiu dos limites, Jimin. Estava na floresta.


— Sim — admitiu, pensando ser melhor do que ser acusado de mentir mais ainda. — Mas saí apenas por curiosidade, eu não ia demorar nada e logo estaria de volta.


— Jimin, não pense que eu sou idiota. Não estaria cheirando a um alfa se tivesse entrado na floresta apenas por um instante. — Olhou para o mais novo com seu olhar pesado. — Não é a primeira vez que o vejo perto da saída de Lua Cheia, só não imaginava que havia sido tão imprudente!


O loiro não sabia o que responder, então esperou, e Hoseok continuou.


— Há quanto tempo está se encontrando secretamente? — Jimin continuou calado. — Eu vou ter que te levar para seu pai.


Hoseok segurou o pulso do ômega, não forte o suficiente para machucá-lo, mas o bastante para que não se soltasse e começou a puxá-lo de volta para a vila.


— Não, Hoseok! Por favor! — pediu puxando seu braço para fora do agarre do alfa. — Eu prometo que não vou mais! Mas não conte ao papai!


Jung parou e olhou para o ômega. Conseguia sentir o cheiro levemente vindo de sua pele.


— Eu acreditei em você da última vez, Jimin. Dei o tempo que precisava e você…


O alfa balançou a cabeça, frustrado.


— Eu sinto muito — murmurou. 


— Então não conte! Não me entregue, por favor!


— Eu sinto muito — repetiu, voltando a andar em direção à casa dos Park e levando Jimin junto.


Para a sorte do ômega, não havia tanta gente durante seu trajeto, pois seria ainda pior se o filho do chefe fosse visto sendo levado ao pai daquele jeito.


Hoseok bateu à porta, mesmo aos pedidos insistentes de Jimin e logo foi recebido pela senhora Park. 


— O que é isso,  Hoseok? O que está fazendo?! — perguntou ela, chocada por ver que o alfa trazia seu tão precioso filho de forma tão brusca e desrespeitosa.


— Eu o encontrei saindo da floresta — disse ao ponto em que o chefe chegou na sala para ver o que estava acontecendo ali. — Eu sinto muito, alfa, mas Jimin desrespeitou as regras de saída e ainda…


Jung não precisou terminar de falar, pois os olhos do alfa mais velho se arregalaram assim que notou o cheiro de seu filho.


Como o chefe de Lua Cheia, Park sabia qual o aroma de cada lobo daquela alcatéia, então sabia muito bem que aquele ao qual seu filho cheirava, não era de um dos seus.


— Leve-o para o quarto — mandou para a ômega que olhou para ele, assustada.


— Papai, não! — Tentou dizer antes que sua punição fosse decretada, mas os olhos duros do mais velho não mudaram.


— Leve-o agora! Tire-o da minha frente agora! — mandou novamente e a mulher obedeceu, quase arrastando Jimin para o seu quarto. — Ele não sai de lá até que eu arrume um marido para marcá-lo! Não coloca o pé para fora desta casa antes de estar prometido para alguém que o receba! — vociferou bravo e o ômega quase se encolheu pelo tom que usava.


Ele não podia sair correndo com Hoseok e o pai em sua porta, tampouco conseguiria deixar o lugar quando precisasse.


Antecipando tudo o que poderia dar errado, ele começou a ficar desesperado.


A mãe o colocou no quarto e pegou a chave antes de sair.


— Mamãe, por favor — pediu, mas esta nem olhava para ele, com seu rosto retorcido pelo ressentimento e decepção com o filho. — Por favor!


E ela fechou a porta, trancando-o no quarto, sem ter como falar com ninguém, nem mesmo com Yoongi.


Agora estava mais preso do que nunca e cada vez mais distante de sua liberdade.


Notas Finais


Se me matarem não tem próxima att!!!!!

Tentem entender o contexto das atitudes do Hobi 💙

Até o próximo 💜

Twitter: MYGBADASS
Ccat: SugaPrincess


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...