História In Your Bank - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ansel Elgort, Madelaine Petsch
Personagens Personagens Originais
Tags Colegial, Drama, Romance
Visualizações 18
Palavras 2.156
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Mistério, Poesias, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


vou recomendar musiquinhas pra vcs escutarem enquanto leem sz
Bad liar- Selena Gomez
Ciao Adios- Anne Marie
goody grace - girls in the suburbs singing smiths
flatsound - if you love me, come clean
cigarettes after sex - nothing's gonna hurt you baby
lil lotus - kiss my eyelids
velvetears - cry to this

troye sivan x martin garrix - there for you ( escutem essa música durante o meio do final)

Capítulo 5 - Closure


Fanfic / Fanfiction In Your Bank - Capítulo 5 - Closure

Fiora Harris Point Of View         NY, Upper West Side                 11:00 AM

Que sensação ótima de acordar tarde em um sábado, esperei tanto por isso, eu estava precisando de um tempo para mim mesma e claro, visitar os parques da cidade. Se havia algo que eu amava era parques, principalmente no verão, gosto de olhar tudo em volta, ler um livro e ficar calma, apesar das crianças que gritam e correm como loucas.

Me levantei e fui a cozinha, peguei um pacote de bolachas e me sentei no sofá, quando terminei de comer fui ao meu quarto e botei uma blusa laranja e um short jeans, peguei minha bolsa e um livro, um protetor solar. Passei batom vermelho em meus lábios e sai do meu apartamento. Quando cheguei ao lado de fora pude sentir o calor, forte e quente. Agradeci mentalmente por não trabalhar nos finais de semana.

Tentei lembrar-me de algum parque aqui perto, mas infelizmente eu não tinha memória fotográfica, atravessei a rua tendo esperança de haver um parque por perto, eu deveria ter pegado algum pão para refazer o caminho caso eu me perdesse, depois de dobrar mais duas ruas achei um parque.

Fui até o banco de madeira e me sentei, botei minha bolsa ao meu lado e retirei o livro e o botei em meu colo, eu havia ganhado o livro da moça da biblioteca ano passado, ela era o mais perto que eu havia chegado de amigos, era a primeira vez que eu o leria, irei torcer para não derreter até o quinto capitulo.

Enquanto eu lia uma sombra estava em mim, quando olhei era Mason, ela segurava uma bola de basquete e tinha um sorriso em seu rosto, fechei meu livro e o botei ao meu lado, fiquei o encarando enquanto ele mantinha seu sorriso.

—Quer dizer algo?— Pergunto a ele.

—Pensei que você era daquelas pessoas que ficavam em casa dormindo—Ele fala se sentando ao meu lado, pude sentir seu braço quente e suado.

—Na verdade sou, mas hoje é sábado— Falo guardando meu livro. —Estava jogando?— Pergunto depois de ele botar a bola no chão.

—Sim, isso é tão cansativo— Ele fala mexendo suas mãos em direção do seu rosto, em uma tentativa falha de fazer vento para si mesmo.

—Deve ser— Comento rindo de sua cara.

—Quer caminhar por ai?— Faço que sim com a cabeça e pego minha bolsa me levantando.

Eu não sabia para onde estávamos indo, eu apenas estava seguindo ele, e eu estava torcendo para que ele soubesse o caminho de volta, então lembrei-me da noite passada.

—O que você fez depois de ontem?— Perguntei sem olhar para ele.

—Vejamos, eu bebi depois fiquei encarando a janela, depois quebrei a minha parede por razões que não me lembro e dormi no chão, e você?— Arqueei minhas sobrancelhas, que noite que ele havia tido.

—Bem, eu dormi e torci para não pegar um resfriado— Falei e rimos juntos.

Chegamos ao final quando paramos em um pequeno riacho, ele era tão lindo, aquela era a paisagem perfeita para uma foto. Mason sentou-se encima de uma pedra e o encarei.

—Você adora sentar em lugares que não sejam cadeiras, não é?— Ele ri e faz sinal para mim sentar.

Sento ao seu lado e ele tira seu telefone do bolso junto ao fone, ele bota um em seu ouvido e me oferece o outro lado, pego e boto em meu ouvido.

—Qual musica botou?— Pergunto o olhando, enquanto ele bate suas mãos nos joelhos.

—Eu não sei— Ele fala com um sorriso olhando para o céu.

Dei ombros escutando a musica, ela era calma, relaxante, um tanto que romântica, depois de um tempo o clima ficou um pouco estranho por conta da letra da musica romântica, era o tipo de musica que você mostra para alguém que gosta, eu estava tentando segurar o riso por que a situação era engraçada, e ficava ainda mais com Mason tentando disfarçar. Quando ele virou para me olhar não consegui segurar o riso e acabamos rindo juntos.

Depois de ficarmos um tempo conversando me levantei, eu queria chegar cedo em casa para ir para a festa, cheguei a estranhar o fato de Mason não ter comentado nada, botei minha bolsa em meu ombros e fiz sinal de tchau para ele.

—Adeus, Mason— falo sorrindo.

—Adeus, amiga— Ele fala sorrindo e bota os fones.

Depois de caminhar um pouco percebi que deveria ter chamado Mason, mas consegui chegar ao parque novamente, ainda haviam crianças no parque,mas não muitas. Depois de virar as duas esquinas cheguei a rua do meu apartamento, entrei e subi as malditas escadas, como eu as odiava!

Entrei e fui ver a hora no relógio gigante na cozinha, eu ainda tinha tempo para me arrumar e ir preparada para socializar com muita bebida alcoólica. Tomei um banho quente e sequei meus cabelos, sentei na cama de roupão e fiquei encarando o armário, eu não sabia com que roupa ir, uma curta demais? Não, longa demais? também não.

Decidi que usaria um vestido preto que ia até meus joelhos, ele era de manga longa e um pouco apertado, sinceramente eu não sabia porque havia comprado nele, botei um salto preto, porém pequeno de veludo. Depois de demorar decidindo oque eu vestiria, eu demoraria para saber oque faria em meus cabelos, eu não tinha muita imaginação para penteados então apenas os penteei.

Peguei meu estojo de maquiagens e como eu não sabia muito sobre maquiagem, passei um batom vermelho escuro e sombra dourada. Me olhei do espelho e gostei do resultado, sinceramente não sei como ninguém nunca havia gostado de mim. Peguei minha mochila e peguei o endereço que Jaime havia me dado.

Sai e tranquei a porta, duas senhoras que conversaram ficaram me olhando, com provavelmente aquele pequeno e estúpido pensamento de "esses jovens de hoje em dia". Apenas botei minha bolsa dourada em meu ombro e desci as escadarias, era provavelmente umas 20:00 da noite, eu tinha 20 minutos para chegar, eu havia me desacostumado com saltos e eu estava quase caindo, eu deveria ter trazido um tênis junto.

Eu tinha uma pequena ideia do endereço, ficava em um dos bairros ricos de New York, deveria ser a casa de um dos riquinhos amigos de Mason, comecei a caminhar com o vento frio, que tempo confuso. Depois de caminhar um pouco entrei no bairro, as casas estavam quietas mas o som da musica era alta, as luzes coloridas dava para ver de longa distância.

Um carro vermelho parou ao meu lado e quando olhei para o lado era Jamie, havia outras garotas no carro e eu apostava que todas já estavam bêbadas, ela buzinou para mim e abriu a porta, fazendo sinal com a mão para entrar e entrei.

—Hoje a noite seremos as malditas vadia!— Jamie gritou e todas gritaram juntas.

—Bem-vinda ao clube— Falou a garota sentada ao lado de Jamie.

—Que emoção, me sinto grata— Falo fazendo piada da situação.

—Sou Ellie, e você é?— Ela diz estendendo a mão e faço o mesmo.

—Fiora— Digo com um sorrido e Jamie da partida do carro.

Quando ela para a frente da casa já haviam muitas pessoas dançando, bebendo, fumando, e todos os clichês de festas do ensino médio onde provavelmente alguém ira engravidar ou ter um coma alcoólico. Desci do carro e todos gritaram para Jamie, ela deveria se conhecida no ramo de festas, quando entrei as garotas começaram a dançar e fui ao bar, eu não sabia o que pedir, eu estava tão tão perdida.

—Duas vodcas— Jay falou ao meu lado, sorrindo.

—Ah, oi— Digo envergonhada.

—Oi, tudo bem, também fiquei perdido na minha primeira festa— Ele fala dando um dos pequenos copos para mim.

—Um brinde a bebida que nos deixa loucamente estranhos!— Falo erguendo o copo.

— A bebida— Ele fala rindo e bebemos.

A bebida desceu rasgando minha garganta, era forte até demais, mas até que o gosto era bom, abri meus olhos vendo que eu havia tomado tudo que havia no copo, que orgulho. Rimos juntos da minha reação e ele fica me encarando por um tempo até se pronunciar:

—Vamos dançar?— Ele pergunta pondo a mão em sua nuca.

—Claro— Falo envergonhada.

O sigo até a pista, céus! Eu estava dançando com um garoto, eu nunca havia feito isso, eu estava me sentindo uma garota normal agora que iria se apaixonar até o inverno, que sensação boa de ser como todos a minha volta, o fogo que acendia em minha mente era como fogos de artifício que saiam pelo meu coração.

Eu estava tentando dançar como as garotas a minha volta, e eu acho que estava dando certo, nós dois sorriamos e aquela música era tão boa, contagiante, eu estava me sentindo feliz ao redor das pessoas, eu ria delas e me sentia como elas,e  naquele exato momento, pela primeira vez em minha vida, eu não me sentia sozinha.

Os braços de Jay foram em direção a minha cintura, primeiro me senti desconfortável, mas aquela musica havia me deixado tão animada que minhas mãos foram até os seus ombros, ele encara meus lábios e eu sorria mais ainda, seria esse meu primeiro beijo? Eu não sabia mais o que pensar, a euforia era demais.

—Vou pegar uma bebida— falo quase gritando por conta do som alto.

Vou em direção ao bar, olho para o lado e Jamie ficava com um garoto e ri baixo, pedi mais uma vodca e quando olho para o lado estava Mason a uma certa distância, com uma mão ele segurava um cigarro e com a outra com um copo de bebida, com um sorriso ele ergue o copo para mim e nego rindo.

Depois de sentir a bebida descer pela minha garganta  vejo o reflexo do copo que meu batom já havia saido da minha boca, vou ate o banheiro e tiro do bolso do vestido meu batom vermelho, passo eles algumas vezes para garantir que não saia novamente. Guardo o batom novamente e saio do banheiro.

No corredor está Mason ao celular, ele me olha e guarda um celular, dava para ver que ele estava bêbado de longe, ele vem até a minha direção.

—Então, você e Jay— Ele fala jogando seu cigarro no chão.

—É— Tento escapar de falar com ele, eu queria voltar a festa, e claro, ao Jay.

Ele começa a chegar mais perto de mim, o seu sorriso agora era uma cara séria, quando ele dava um passo para frente eu dava dois para trás, ou conseguia sentir seu calor e seus olhos me observando, cada parte de mim, ele sentia meu nervosismo, eu não queria estar ali. Minhas costas de chocaram com a parede do corredor, uma mão de Mason pousou em minha cintura e a outra em meu rosto, eu tentei não encara-lo, mas era impossível, então sua boca entrou em contato com a minha, sua linguá pedia passagem e seu gosto era de cigarro com muitas bebidas.

Era nojento, eu estava com raiva e medo dele, nunca havia o visto assim, eu não queria aquilo, nunca quis. O joguei com toda a força eu tinha para frente e lhe acertei um tapa, um tapa forte e merecido, eu não queria que ele me tocasse. O encarei até ele se tocar do que havia feito, depois sai de lá, passando por todos e esbarrando em todos, eu queria sair da li, eu queria voltar para casa, eu sai de lá e comecei a caminhar.

O suor descia pelo meu rosto, o meu batom deveria estar manchado e meus olhos lacrimejavam, talvez fosse por causa da bebida, eu estava em sentindo enojada, eu nunca quis que isso acontecesse, porque ele fez isso? Porque ele é tão diferente a cada segundo?

Era parecia, naquele instante, o que as pessoas haviam me dito sobre ele, ele não queria saber se eu queria beija-lo, ele não sabia se eu estava afim, ele apenas foi sem pensar em mim, porque ele só se importou com ele mesmo, porque é isso que pessoas como ele fazem, querem o prazer próprio, tirar o direito das pessoas é a felicidade deles.

Tirei os saltos e o segurei com as mãos, senti as lágrimas caírem, o gosto de nicotina e bebida estava em minha boca, era tão ruim, eu queria lavar minha boca, e lavar minha memória do ocorrido, mas eu lembraria daquilo, eu não sabia se iriamos conversar, mas não conseguirei vê-lo como antes.

Cheguei a frente do apartamento e entrei, subi as escadas, quase caindo de sono e vontade de desmaiar e nunca mais acordar, minha auto-estima deveria estar totalmente morta agora. Destranquei a porta e joguei a chave junto aos meus sapatos, me deitei no chão frio da sala, eu não sei porque fiz isso, mas qualquer lugar que eu pudesse ficar deitada era bom demais.

"— Continue pedindo desculpas, foda-se suas mentiras,

Eu vejo o mal em seus olhos perfeitos—"


Notas Finais


queria botar letra da musica cry to this pq achei um amorzinho ta gente
beijao babies ate logo sz


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...