História Inalcançável Você - Capítulo 35


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Visualizações 617
Palavras 3.074
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 35 - Egoísta


Lauren POV.

 

- Ainda tentando entender por qual motivo você foi embora ontem sem avisar. - Falei olhando pra Elise sentada na cadeira na minha frente, com apenas a mesa da cantina nos separando.

 

- Você não precisa entender, só me deu vontade de ir pra casa, fim. - Passou a página do livro que estava lendo, ou melhor, lendo não, ela só estava usando ele para me ignorar.

 

- Do nada? - Perguntei, mas não obtive resposta, em um gesto rápido puxei o livro da mão dela. - O que aconteceu Elise? Camila falou alguma coisa? Vocês saíram da sala ao mesmo tempo e ela voltou sozinha, o que aconteceu?

 

- Nada Lauren, só me deu vontade de ir embora, que saco. - Fez menção de pegar o livro novamente, porém não deixei.

 

- Você tá mentindo, ela ficou estranha Elise, enquanto eu e todo mundo tentava saber por qual motivo você tinha ido embora, ela não esboçou nenhuma reação, e ela não é assim, eu tenho certeza que se não tivesse acontecido nada ela teria ficado tão preocupada quanto a gente.

 

Ela rolou os olhos.

 

- Pela milésima vez Lauren, não aconteceu nada e você não conhece ela, então não pode dizer que com certeza ela estava agindo estranho.

 

- Não conheço ela?

 

- Não Lauren, inclusive eu acho que você já pode parar de correr atrás dela, quanto mais cedo melhor.

 

- Como assim?

 

- Você já disse um milhão de vezes que ela disse pra você não se apaixonar, mas você já está apaixonada, não acha melhor já começar a se afastar dela não? - Perguntou em um tom mais ameno.

 

Deixei uma risadinha nervosa escapar.

 

- Ah! É que… - Cocei a testa. - Eu tenho esperança que ela possa se apaixonar por mim. - Confessei em um quase sussurro.

 

- E se isso não acontecer?

 

- E quem não vai se apaixonar por mim? - Perguntei em um falso convencimento, tentando mudar o rumo da conversa.

 

- Eu estou falando sério Laur, e digo mais, ela vai perceber que você está apaixonada, e vai te largar, então me escuta e sai dessa enquanto ainda é cedo, eu não quero ver você sofrendo de novo.

 

- Eu não posso desistir sem ao menos tentar.

 

- Você pode sim, se afasta dela, tem tantas outras mulheres dando sopa por aí, a Alana por exemplo, você pode tentar algo com ela, é bonita, divertida, aparentemente não carrega um passado secreto e está vindo em direção a nossa mesa com um enorme sorriso.

 

Olhei por cima do ombro para a direção que Elise olhava, infelizmente Alana realmente estava se aproximando, parou ao meu lado e me deu um beijo na bochecha mais demorado do que o necessário, cumprimentou Elise apenas com um aceno e se sentou ao meu lado.

 

- Atrapalho? - Perguntou em seu habitual bom humor.

 

- Claro que não. - Elise respondeu de prontidão. - Inclusive estávamos falando de você. - Quando eu ouvi ela dizendo isso, tenho quase certeza que comecei a suar frio.

 

- Sério? - Alana perguntou alternando o olhar entre nós duas.

 

- Sério, Lauren quer te chamar pra sair.

 

Comecei uma série incessante de tosses, Alana riu.

 

- Me chamar pra sair, é? - Ergueu uma sobrancelha.

 

- Na verdade a Elise tá…

 

- Tô ajudando você. - Interrompeu minha fala. - Ela tá com vergonha, mas ela estava falando em te chamar pra sair hoje à noite, você aceita?

 

Minha vontade era de jogar aquele livro na cabeça de Elise. Alana aceitou, aceitou e eu já tenho um compromisso pra hoje, quando ela finalmente se retirou da mesa, cheguei a quase agradecer.

 

- Eu odeio você. - Falei séria. - Eu já marquei com a Camila, agora me diz o que eu faço?

 

- Desmarca.

 

Bufei e me levantei.

 

- Eu acho bom você está pronta hoje de noite, porque não vou sair sozinha com ela como se fosse um encontro. - Falei e não esperei por uma resposta antes de sair em direção a minha sala de aula.

 

Que inferno, ontem após o jantar Camila me chamou pra sair, e agora por causa da Elise vou ter que desmarcar, logo agora que por algum milagre não estamos brigando.

 

*****

 

Ao finalizar minhas tarefas do dia, me despedi do Nicholas e desci até o consultório, na intenção de encontrar Camila. Quando abri a porta quase desfaleci de vergonha, porque não estava apenas ela e Dinah, tinha várias outras pessoas, que julgo ser veterinários também, todos pararam de conversar e olharam na minha direção, também não é pra menos, entrei sem ao menos bater na porta, abri a boca pra falar alguma coisa, mas não consegui pensar em nada coerente.

 

- Camila vem aqui.

 

Sim, foi isso que eu falei antes de sair de perto da porta e finalmente me livrar dos olhares deles, ouvi a voz de Dinah, não entendi o que ela falou, mas com certeza ela fez alguma piadinha, porque todo mundo riu. Camila fechou a porta quando passou e se aproximou de mim.

 

- Um “por favor” teria deixado a frase mais gentil, agora vão ficar me zuando.

 

Acabei rindo, mas porque ela fez uma cara super engraçada.

 

- Desculpa. - Dei um selinho nela. - Não quis parecer rude, é que eu não esperava tanta gente aí dentro.

 

- E você tem medo de gente?

 

- Não é isso. - Rolei os olhos. - Mas deixa pra lá, eu vim te dizer que Alana vai sair com a gente.

 

- Oi?

 

- Desculpa, é que eu convidei ela pra sair, não… Elise convidou no meu nome, fiquei com vergonha de dizer que não, mas eu não quero sair com ela, entende?

 

- Aí você acha uma boa ideia sair nós três? Quem você pretende deixar de vela?

 

- Pelo amor de Deus, ninguém, Elise também vai.

 

Ela riu, só não entendi o porque.

 

- Eu não vou, pode sair com elas, sem problemas.

 

Respirei fundo.

 

- Você deveria ao menos fingir que se importa.

 

- Como assim Lauren? Eu não vou passar a noite com duas pessoas que não vão está gostando da minha presença.

 

- Como assim digo eu Camila, que porra aconteceu entre você e Elise, porquê ela não vai gostar da sua presença? A Alana eu até entendo, mas a Elise?

 

- Não aconteceu nada, é só o que eu acho.

 

- Eu vou acreditar em você, mas… - Parei de falar porque a porta se abriu e saiu uma das pessoas de lá, quando ele já tinha se afastado foi que voltei a falar. - Mas eu vou gostar da sua presença, então você vai.

 

- Eu só não quero confusão. - Ela disse passando a mão no cabelo e jogando ele pra trás.

 

Tenho cada vez mais certeza que aconteceu alguma coisa entre ela e Elise, e eu vou descobrir hoje o que foi, com as duas cara a cara.

 

- Então tá fechado. - Olhei a hora no meu celular. - Seu horário já deu, vamos?

 

- Você sempre me vence pelo cansaço. - Soltou o ar dos pulmões. - Eu vou pegar minha bolsa, espera um pouco.

 

Passamos pelo meu apartamento apenas para que eu pudesse pegar uma roupa, já que ela também precisava se trocar, decidi me arrumar na casa dela, no meio desse processo eu quase me esqueci que não iríamos mais sair só, mas infelizmente Elise não esqueceu e já mandou mensagem dizendo onde estava com Alana.

 

- A gente pode ir pra outro lugar, é só a gente dizer que não achou essa boate. - Camila sugeriu olhando pra casa de show do outro lado da rua.

 

- Tentador, mas é que eu vou me sentir mal, pra todos os efeitos Alana veio por minha causa, e teoricamente ao meu convite.

 

- Mais um motivo pra mim ir embora, você deveria apenas descer e me deixar ir.

 

Tirei o cinto e abri a porta do carro.

 

- Desce Camila, a gente combinou antes de sair hoje, então vem.

 

Ela resmungou alguma coisa, mas não me dei ao trabalho de perguntar o que, apenas esperei ela dar a volta no carro para que pudéssemos entrar. Não foi muito difícil de encontrar Alana e Elise, mas acredito ter sido difícil para ambas disfarçar a cara ao ver Camila comigo, Alana foi a primeira a disfarçar, logo ela estava vindo na minha direção, me deu um abraço e cumprimentou Camila com um acenar de mãos.

 

- Que bom que chegou, tô com uma dor terrível nas costas. - Elise disse. - Ainda bem que você trouxe a Camila pra me fazer companhia. - Cruzou o braço junto com o de Camila. - Alana estava falando em dançar, vai com ela, tenho certeza que a Camilinha não se importa em me fazer companhia, né? - Pela primeira vez na noite olhou no rosto de Camila.

 

Alana segurou no meu braço e me puxou, enquanto Camila também era puxada pelo braço pra direção contrária.

 

Camila POV.

 

Quando Lauren saiu da nossa vista puxamos nossos braços no mesmo instante.

- O que você veio fazer aqui? - Elise perguntou, sem disfarçar a insatisfação.

 

- Ela insistiu.

 

- Pra cima de mim não, logo você que é tão firme na sua palavra? Você veio pra atrapalhar!

 

Não consegui conter uma risada.

 

- Pelo amor de Deus, se eu quisesse atrapalhar, pode ter certeza que eu teria feito ela não vir.

 

- Você é muito prepotente!

 

Dei de ombros.

 

- Realista eu diria.

 

Ela bufou e eu me dei por satisfeita, se tem uma coisa que não aceito é desaforo. A contragosto eu me sentei na mesma mesa que ela, e a única coisa que se passa pela minha cabeça é ir pra casa, não sei pra que fui ouvir Lauren, e ela ainda some, aquela idiota. Elise ficou a todo instante se mexendo na cadeira a minha frente, fingi não notar, pra falar a verdade eu estava até evitando olhar pra ela.

 

- Droga. - Bufou. - Eu não levo jeito pra ignorar ninguém, Camila tenta me entender, não é nada pessoal, o problema é que eu conheço a Lauren, e você deveria me ajudar, eu não querer ver ela sofrer é pedir muito? Você não é a pessoa certa pra ela.

 

- Não existe pessoa certa pra ninguém. - Comentei ainda sem olhar pra ela.

 

- Tem chances de você se apaixonar por ela?

 

- Sempre tem. - Olhei pra ela. - Assim como tem chances de eu me apaixonar por você, ou por qualquer outra pessoa dessa boate, a pergunta não é essa Elise, a pergunta é se eu ficaria caso me apaixonasse, e a resposta você já sabe.

 

- Que inferno Camila, você está sendo egoísta.

 

- Talvez, mas você também, acredito que não tem nada que faça mais uma pessoa crescer do que sofrimento, você tá querendo deixá-la debaixo das suas asas.

 

Ela riu com deboche.

 

- Você considera isso um gesto altruísta? Fazer alguém sofrer? Porque estou vendo a hora você falar isso.

 

- Eu não levo jeito para o altruísmo. - Falei e ela negou com a cabeça. - Talvez eu esteja errada, mas o que quero dizer é que ao meu ver, você, Alex e até mesmo a Normani, protegem ela demais, acredito que ela seja adulta o suficiente pra saber o que quer, e ela escolheu continuar comigo mesmo depois que abri o jogo pra ela, você que está sendo egoísta ao querer passar por cima da decisão dela.

 

- Você é… doida. - Falou incrédula. - Tem alguém no mundo que você se importa? - Não respondi. - Então é isso, mas eu me importo muito com a Lauren, e mesmo sem a sua ajuda, eu vou conseguir afastar ela de você.

 

- Eu já disse o que pensava, agora fica ao seu critério o que você vai fazer, mas só um concelho, a garota está em um relacionamento com um cara, e ainda é uma pirralha, arruma uma mulher de verdade. - Peguei meu celular em cima da mesa e me levantei.

 

- Como se você fosse muito diferente, você está sendo infantil ao não me ajudar a Lauren se afastar de você.

 

Eu pretendia responder, porém a presença repentina de Lauren, me fez permanecer calada. Talvez ela não tenha ouvido.

 

- Do que vocês estavam falando? - Alternou o olhar entre nós duas.

 

- Nada, eu só estava dizendo que já ia, pra mim já deu. - Virei, porém ela segurou no meu pulso.

 

- Você só vai quando me explicar essa conversa de vocês.

 

Forcei meu braço para que ela soltasse.

 

- Eu já disse, eu só estava falando pra ela que já ia embora.

 

- Fala Camila! - Insistiu irritada.

 

- Sou eu Lauren, eu estava tentando convencê-la a se afastar de você.

 

Nesse momento Lauren deu as costas pra mim e ficou de frente pra Elise, acho que essa é minha deixa, sem curiosidade pra acompanhar o resto da história, virei e fui em direção à porta de saída, infelizmente a enorme quantidade de pessoas dificultou meu caminho até o lado de fora, onde meu carro estava estacionado, antes de ir pra casa peguei meu celular e digitei uma mensagem rápida pra Lauren, avisando que eu ia embora, porém antes de concluir a porta do passageiro foi aberta e ela entrou, batendo a porta bruscamente logo em seguida. O rosto dela está com uma coloração avermelhada e a respiração um pouco alterada, claramente irritada.

 

- Vocês brigaram?

 

- O que você acha?

 

Respirei fundo e coloquei meu celular no painel do carro.

 

- Lauren, eu não quero que você brigue com seus amigos por minha causa.

 

- Tudo é você né? O mundo não gira em torno de você não Camila, a gente brigou porque ela acha que pode decidir as coisas pra mim, COMO SE EU NÃO SOUBESSE O QUE É MELHOR.

 

Eu não vou me estressar, não vou.

 

- Primeiro que não tive a intenção de parecer prepotente, segundo, não precisa gritar que eu estou perto de você, terceiro, eu estou indo pra casa, eu já tenho estresse o suficiente em minha vida, não preciso de mais.

 

- O que você quer dizer com is… quer saber? Foda-se você também. - Abriu a porta do carro e desceu, tão rápido quanto tinha entrado.

 

Tentei apenas ligar o carro e ir embora pra  casa, mas foi impossível, meu pé parece ter travado na tentativa de pisar fundo no acelerador, ao invés disso baixei a janela e com o carro quase parando acompanhei ela pela calçada.

 

- Entra no carro. - Pedi, mas fui totalmente ignorada. - Lauren. - Ignorada novamente.

 

Acelerei com o carro apenas o suficiente pra ter tempo de descer e ir até a calçada, ela ia passar direto por mim, porém fiquei na frente dela, e quando ela tentou passar pelo outro lado eu fiz o mesmo movimento, ficando na frente dela de novo.

 

- Eu tento não brigar, mas você não colabora.

 

- Até porque você é a perfeita, o problema está sempre nos outros. - Falou debochada e tentou novamente passar por mim.

 

Segurei no pulso dela, na intenção de mantê la no mesmo lugar. Eu ia falar, mas ficar debatendo com ela nunca resolve, ela não me entende e eu não entendo ela, então fiz a única coisa que não gera briga entre a gente, eu a beijei, ela não correspondeu, porém não desisti, desci até meus lábios até o pescoço dela, e mesmo sabendo da real possibilidade dela se irritar ainda mais depois disso, eu chupei o seu pescoço, garantindo que ia ficar uma marca ali depois.

 

- Que merda Camz, eu já disse pra você não me marcar… - Coloquei uma mão na boca dela, impedindo que ela continuasse a falar.

 

Ela não está mais irritada, ela não me chama de Camz quando está irritada, funcionou.

 

- Desculpa, mas eu beijei você e você não correspondeu, só queria garantir que você ainda estava viva. - Sorri o mais cínica possível, e antes que ela começasse a me xingar, eu voltei a falar. - Entra no carro pra eu deixar você em casa. - Acariciei o rosto dela levemente. - Por favor.

 

- Você vai ficar lá comigo?

 

Semicerrei os olhos.

 

- A pessoa dá a mão e você quer logo o pé, né?

 

- Mão, pé, boca… - Senti a mão dela pousando nas minhas costas e descendo lentamente. - Bunda, você completa.

 

Rolei os olhos.

 

- Certo, mas na minha casa, eu já dormi demais na sua.

 

Lauren POV.

 

Elise disse que a história vai se repetir, Elise disse que Camila vai me chutar pra longe, Elise disse que eu vou retornar pra fossa que eu estava há alguns meses atrás, eu só estou tentando não pensar nisso tudo, será que é tão errado querer viver o agora? Eu não posso deixar com que o medo de me machucar me faça parar de tentar mais uma vez, ela pode sim fazer isso tudo, mas ela também pode fazer diferente, certo? Talvez ela resolva tentar algo mais, qual é, Elise não pode está certa, ela não conhece Camila, eu conheço Camila, é atrás de mim que ela vai quando está triste, Elise não sabe das noites que ela passa agarrada a mim, como se fôssemos só nós no mundo, ela não sabe que talvez Camila precise de mim da mesma forma que preciso dela.

 

O carro entrou dentro do condomínio já conhecido por mim, tirei o cinto enquanto o carro se aproximava da rua da casa dela, a velocidade que estava gradativamente diminuindo, voltou a subir, franzi o cenho, não precisei perguntar o que estava acontecendo, me bastou apenas olhar na direção da casa dela, já é noite, mas as ruas são tão bem iluminadas que não tive dificuldade em reconhecer aquele mesmo cara da fotografia, o que estava em frente ao zoológico procurando por ela, e ele não está só, tem uma criança com ele, uma criança igualmente loira, de aproximadamente 5 anos, e terrivelmente familiar pra mim, os dois estavam olhando na direção do carro, o garoto apontando animado, enquanto o homem tinha uma expressão confusa no rosto, provavelmente por perceber que o carro não está em velocidade de parar, quando o carro passou direto eu não consegui desviar os olhos do retrovisor onde eles ainda apareciam.

 

- Quem são?


Notas Finais


eu quero é saber quem tem uma teoria mais próxima da realidade u.u



até <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...