História Inalcanzable! - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Death Note
Personagens Beyond Birthday, L Lawliet, Light Yagami, Matt, Mihael "Mello" Keehl, Nate "Near" River, Stephen Gevanni, Watari
Tags Mellonear, Meronia
Visualizações 44
Palavras 1.798
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, LGBT, Luta, Magia, Mistério, Poesias, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa noite ^^

Boa leitura gente! S2

Capítulo 7 - Amnésia!


(Near pov,s on)


Branco... borrados.... parecia que minha cabeça mergulhara em um balde de tinta branca, desorientação, era a coisa que explicaria nesse momento, olhava pra todos os lados, afim de ter alguma idéia de onde eu estava, mas nada me era conhecido, era um quarto branco com aparelhos cardíacos, fios, muitos fios pelo meu corpo, e só agora percebi que eu estava nua, coberta apenas por um lençol. O loiro me olhava com lágrimas nos olhos, parecia estar abatido, até mesmo um pouco irritado.

- O que ela tem ?? Porque ela não se lembra de mim ??? - Perguntou, para a mulher de roupas brancas, que eu deduzi ser uma médica. Minha cabeça estava muito confusa, embaraçada, tudo era projetado de forma lenta na minha cabeça.

- Não sei Mello, mas vamos fazer exames pra descobrir, possivelmente pode ser um coágulo, que causou uma amnésia repentina. - A mulher falou, olhando-me.

Estava me sentindo incomodada com seus olhares, principalmente o do loiro, ele me assustava um pouco, não que ele fosse feio ou algo do tipo, porque feio ele não era, longe disso, ele é muito bonito! Mas seu olhar que estava me assustando.

A porta abriu novamente, e uma cabeleira ruiva entrou no quarto, a qual eu reconheci imediatamente.

- Matt! - Falei olhando-o, até que fim, uma pessoa conhecida.

- O QUÊ ?? - O loiro berrou, com os olhos arregalados, me assustando de novo.

- Near, que bom que você acordou. - Matt disse, me abraçando.

Sorri minimamente.

- PORQUE VOCÊ LEMBRA DELE E NÃO DE MIM ??? - O loiro me perguntou aos gritos, senti minha cabeça dar umas leves pontadas, não sei se foi devido ao seu grito, ou por causa da atadura, que só agora percebi está em minha cabeça.

- Mello, Mello por favor não grite, Near acabou de acordar de um coma.

A médica brigou com o loir... Peraí, ela disse coma ?? E-eu estava em coma ??

- Coma ?? Como assim coma ?? - Perguntei, assustada.

- Nate calma, depois eu te explico tudo, agora preciso que você faça uns exames, tá bom.

Assenti, concordando. Eu só queria entender logo o que estava acontecendo.

Após alguns longos minutos, uma equipe médica me levou para fazer os exames, comecei com a tomografia, logo após o elétrico, e por último fiz um raio X!

Esperei algumas horas, o loiro não saía do meu lado por nada, ele me olhava de forma intensa as vezes, acabei cochilando, mas acordei com a porta do quarto abrindo, era a mesma médica, que entrou no quarto quando eu acordei.

- E então ?? - O loiro, que se chama Mello, questionou.

Vi Roger entrar no quarto também.

- Near, meu Deus, que bom que você acordou menina. - Roger falou, me abraçando em seguida.

- É bom vê-lo também, o que está acontecendo Roger ?? Porque tudo parece embaraçado ?? - Perguntei, me sentindo deprimida.

- Calma pequena, tudo ficará bem, tá bom.

Concordei com a cabeça!

- Bom Nate, você sofreu um grave traumatismo craniano intenso, passou quase duas semanas em coma, foi um milagre você despertar, em base nos exames, você tem um coágulo, como eu já suspeitava, com os medicamentos certo, ele vai desaparecer, além disso você está com amnésia em uma parte do seu cérebro, a parte que mais te machucava, a parte que mais te trazia dor, tem 70% de você não mais lembrar dessa parte, e 30% de se lembrar, as chances são baixas, como você pode ver.

Assenti, então se eu não me lembro do loiro, isso quer dizer que... que ele me... fazia mal ??


(Near pov,s off)


(Mello pov,s on)


'70% de não se lembrar de absolutamente nada, e 30% de se lembrar', eu era a parte mal... Near me via como uma parte mal... saí do quarto de cabeça baixa; meu coração doía tanto, meus olhos estavam queimando, por conta das lágrimas que eu não soltei lá dentro, corri empurrando as crianças que estavam na minha frente, abri a porta e me sentei de baixo da árvore, abracei meus joelhos e chorei forte, não estava suportando a dor, não conseguia segurar os meus soluços, que escapavam da minha boca...

Maldição, eu me odeio... Parabéns Mello, parabéns por você ter feito Nate River sofrer por todos esses anos, você é um babaca Mello, um machista de merda, um grande filha da puta, agora Near não se lembra de você, sabe por que ?? Porque você era a parte que fazia mal pra ela, você era a maldita parte que trazia dor pra ela, parabéns pra você Mihael Keehl.

Soquei o chão com força, sentindo a pele dos meus dedos rasgarem nas pedrinhas, senti as gotas de sangue começarem a pingar no chão de areia.

- Aight... - Gemi de dor.

Mas pouco me importava, essa maldita dor, não superava a dor de dentro, essa sim estava me matando, essa sim estava me corroendo de uma forma terrível, fazendo meu peito arder com força.

Ouvi passos, vindo em minha direção.

- Mello...

Matt! Claro, era o ruivo.

Levantei meus olhos, o encarando, meu olhar estava duro, com certeza furioso também, mas isso pouco me importava nesse momento.

- Mello, vamos entrar, vai chover daqui a pouco.

- Não quero entrar.

Matt suspirou, me olhando sério.

- Mello, olha cara, tudo bem que você esteja chatead...

- chateado ??? EU TÔ FURIOSO, COMO ELE/ELA SEI LÁ, PODE TER ME ESQUECIDO ???? - Gritei enraivecido, assustando o ruivo, que deu um passo pra trás, temeroso.

- Porque você se importa ?? Logo você Mello, que sempre dizia "odia-lo".

- ... - Não consegui responder, optei por ficar quieto, na verdade eu nunca odiei Nate River, mas também não vou admitir pro Matt, que eu amo a Nate.

- Não consegue responder, né Mello ?? Porque na verdade, você e eu sabemos muito bem a resposta.

Filho da puta, só não o mato porque é meu melhor amigo, e me conhece melhor que ninguém.

- Vá pro inferno Matt.

- Só se você for junto.

Ah ruivo, fi da peste.

- Anda Mello, vamos entrar logo, já estou sentindo as gotas da chuva.

Suspirei pausadamente, peguei minha barra de chocolate, que estava em meu bolso, abri e mordi, arrancando um pedaço com os dentes, estava fazendo isso só pra provocar o ruivo. O mesmo me olhava de cara feia, e braços cruzados.

- Você é muito insuportável Mello.

- Mas você me ama, do jeitinho que eu sou.

- Só porque te considero meu irmão. - Disse, com deboche.

Realmente começou chover, a chuva caía de forma fina e leve, mas já dava pra molhar um pouco. Me levantei, passei a mão na minha calça, tirando a areia.

- Mello... s-sua mão...? - O ruivo, perguntou assustado.

Olhei pra minha mão, vendo os cortes, que as pedrinhas fizeram.

- Não é nada, foi só uns arranhões.

- Arranhões ?? Isso está um pouco inchado.

- Exagerado... - Resmunguei, ele franziu a testa.

Entramos pra dentro da instituição, e seguimos direto pro nosso quarto, conversar com Matt, me fez esquecer um pouco, da raiva que eu estava sentindo, mas só um pouco.


(Mello pov,s off)


(Matt pov,s on)


Wammy's house - Inglaterra, Winchester - 01/07/2014 - 08:40 da AM.


Duas semanas havia se passado, Near saiu da enfermaria, com quatro dias depois de ter acordado, já até está assistindo as aulas na classe, Mello ainda estava irritado, bom, irritado ele sempre foi  ^^

Mas está pior que antes, ainda não consegue aceitar o fato, de que Near não se lembra dele, mas graças a Deus, ou seja lá quem for, ele não bateu mais na Nate, é tão estranho tratar Near como "a Near", foram 10 anos, em que pensei que Near, Nate River fosse homem, não que pareça um homem mesmo, sempre o achei meio afeminado, mas ligando os fatos, tudo faz sentido agora, Nate River é uma garota, uma linda garota, mas só eu e o loiro do Mello sabemos disso, Roger nos pediu segredo, confesso que estou muito curioso pra saber mais da vida de Near, o que será que tem de tão misterioso na vida de Nate River, para a mesma, ter que se passar por um garoto ?

- Silêncio turma, preste atenção na aula.

Revirei os olhos, porque simplesmente esse professor não coloca essas pragas pra fora da sala, sabe que nunca vão dar ouvidos ao que ele diz.

Olhei pra Mello, o mesmo estava secando Near, era sempre assim, Mello sempre ficava olhando pra Near, todas as aulas.

- Quer um lencinho Mello ?? A baba está descendo. - Perguntei, provocando-o.

- Vai tomar no cu Matt. - Disse, com a cara emburrada. 

- Mano, você estava praticamente comendo a garota com os olhos. - Disse eu, pra provoca-lo ainda mais. 

- Fale baixo seu idiota, quer que os outros saibam da Nate.

Me olhou bravo! 

- Hum... Quer dizer que o Mellinho se importa é ?

Pude ver a cara de bravo que ele fez, deveria está me xingando mentalmente, acabei soltando um riso abafado.


(TRIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIM)


Ouvimos o sinal tocar, avisando que já era o intervalo, os alunos saíram da sala, ficando eu, Mello e Near.

A albina enrolava uma pequena mecha dos seus cabelos brancos, entre os dedos, gesto tal, que eu sabia que irritava Mello, ele estava de novo encarando Near.

Me levantei, andando até a mesa de Near.

- Oii Near. - Falei, sorrindo.

A mesma me olhou sem expressões, como sempre, mas havia uma pontada de curiosidade em seu olhar.

- Oi Matt.

- Quer sentar comigo e o Mello ? Sei que não vai sair da sala, então pra você não ficar sozinha, senta conosco ali.

Ela ficou me fitando por alguns segundos, Near sabia que eu e Mello descobrimos sobre ela, me olhou novamente, antes de me responder:

- Claro.

Sorri, vendo a cara de puto que Mello ficou, me olhava com um olhar assassino.

Near sentou-se ao meu lado, e Mello estava na nossa frente.

Os dois ficaram se olhando, por alguns minutos, antes de se pronunciarem:

- Near...

- Mello...

O clima estava um pouco tenso, Mello ainda estava mal por saber que Near havia o esquecido, e Near parecia um pouco perdida. Mas o que mais me surpreendeu, foi o tanto de sentimentos, que um passou pro outro, apenas pronunciando seus nomes de forma séria e demorada. Pareciam os eternos rivais de volta, só que com uma pitada de amor! Amor reprimido!

- Er... Então Near, como você está ?

- Eu estou bem Matt.

Curta!

- Que bom, fico feliz de saber isso.

Ficamos conversando por alguns minutos, até a professora entrar na sala, Mello mau abriu a boca, e Near conversava só o básico, fiquei o intervalo inteiro tagarelando para os dois, mas vezes ou outra, eu arrancava alguns sorrisos de Near, Mello só faltava babar, via até coraçõeszinhos se formarem em seus olhos, Near realmente tem um sorriso lindo e cativante, percebia também a troca de olhares, que rolava entre os dois, olhares intensos e cheio de paixão, cheio de amor... 

E eu só sei de uma coisa; 

Que esses dois se amam! E como se amam.


(Matt pov,s off)



Notas Finais


Capítulo um pouco clichê, mas releva ^^

Foi isso pessoal, obrigada a quem leu, até o próximo capítulo! bjss. 😘✌


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...