História Inazuma Eleven: Shukkoku no Keikaku - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Inazuma Eleven (Super Onze)
Personagens Endou Mamoru, Fideo Ardena, Mac Roniejo
Tags Drama, Futebol!, Super Onze
Visualizações 22
Palavras 1.992
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Esporte, Romance e Novela, Shounen, Universo Alternativo
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Tentarei lançar o próximo capítulo o mais breve possível

Capítulo 5 - Elementar



 Em um cenário obscuro, máquinas e LEDS seriam o único meio de iluminação daquele ambiente obscuro... O que parecia ser um laboratório de pesquisa, estava repleto de monitores com informações e dados, silhuetas utilizando jalecos eram visíveis vagamente. Poderia notar-se gritos de dor e agonia, supostamente vindo de pessoas usadas sendo como cobaias para alguma experiência:
– Elementos C, U, K e Z... Batimentos e pulsação estáveis! Estão todos preparados para iniciarem a missão EXÔDU! - O indivíduo desconhecido (cientista) pronunciara tais palavras, enquanto quatro corpos (aparentemente de humanos jovens) levantaram da maca, carregando consigo uma aura sinistra que tomavam o ambiente com uma presença intensa e maléfica. 
 70 dias restantes para o início da competição. Brasil - Centro de treinamento da federação brasileira. 
 O sol trazia consigo a luz e todo aquele intenso calor iluminando os horizontes por trás dos refis da seleção brasileiro. O dia amanhecera com todos os jogadores correndo em volta do campo e comissão técnica dando o devido apoio. Minutos após, os elenco seria convocado pelo então treinador Garshield Bayhan[...]
– Eu quero observá-los em uma partida de cinco contra cinco, essa será a minha base para definir a intensidade do treinamento de cada um! - Em alto e bom tom, o homem bradou com a sua voz forte. Suas palavras funcionara como ordens, seu olhar intimidador pressionam todos ali presente no local que ficavam tensos diante daquela situação.
– Senhor, permita-me ser a capitã de um dos lados? - Tomara a iniciativa Jander... Sua expressão aparentava estar mais calma e confiante. Aquilo impactou os reforços que não estavam a par da situação. Jander carrega duas personalidades, cada uma se identificando com um sexo oposto. Por mais estranho que aquilo poderia ser, aquele era uma marca carregada de seu passado. 
– "Demonstre seus sentimentos atiçando essa rivalidade, eu quero ver se é digno da minha dedicação por você." - Apesar de sua personalidade rigorosa, Garshield depositava sua confiança em Ray, talvez não seja por motivos sentimentais, apenas por interesse próprio.
– Time A: Jander, Ane, Arthur, Miguel, Sam Pardus e Lira como assistente. O técnico Ademar comandará o time!
 Time B: Ray, Gustavo Mesquita, Matheus, Rodri e Carlos e Giovan como assistente. Eu comandarei esse time! 
 O tempo limite é 1 hora, quando o cronometro zerar, a partida terá o seu término independentemente do resultado. - Dara as ordens, enquanto os jogadores se posicionavam em campo. O treinador da equipe brasileira utilizava um tablet para anotações e utilidades em geral. 
Enquanto apenas aquelas dez atuavam, os restantes estariam como espectadores e aguardando a sessão de treino pela tarde para terem vossos momentos.
  Antes de se posicionarem em formação, o time A comandado pelo técnico Ademar fariam um roda para combinarem suas jogadas, enquanto recebiam motivações da ilustre assistente Lira que por sinal terá Jander e Sam como foco pela intimidade que eles possuem. 
 O time B ficará a receber ordens pelas suas eleven bands. Giovan, venerado por todos pelo seu carisma e talento na dança, se encontrava sentado ao lado de Garshield; o jovem aparentemente intimidado com a presença do homem, focara apenas nos jogadores, se limitando a olhar para o lado. 
– O treinador parece estar interessado nos jogadores que ele selecionou. Eu não deveria estar incomodada com isso, mas esse favoritismo me irrita! - Desabafava Sam, estando à ouvidos de seus companheiros, comentava seu incômodo pelas atitudes de Garshield.
– Tenha calma, Sam... Esses coisos serão colocados em seus devidos lugares. - Sempre sorridente e confiante, a assistente Lira tentava motivar Sam, que por sinal de certo, pois, a mesma teria tido as bochechas apertadas. 
No lado do time B; Carlos, Matheus e Rodri estariam apáticos e com receio de falharem diante do tenebroso treinador, enquanto Ray e Gustavo pareciam estar atentos, visando um foco total para aquela partida treino. 
 Os últimos minutos antes do pontapé inicial foram tensos, Jander encarava Ray, dando a entender que ele seria o seu foco[...]
  Com a saída de bola em posse do time A, o jogo então teve o seu início dado... Jander tocou a bola para trás, enquanto percebera o time B cercando-os com marcação individual. Aquilo era obra de Garshield que adotava o futebol extremo-ofensivo como foco! 
– "Acho que não poderemos utilizar a nossa estratégia tão cedo. É meus amados, estamos lascados!" - Maria Ane, a goleira do time A, estaria impressionado com a atitude do lado opositor, um vago sentimento de preocupação tomava conta de seus pensamentos. Apesar de ser considerada calma e amigável, a mesma detestava ser chamada pelo nome, então ela tentava lembrar ao máximo seus companheiros para a chamarem de “Misa”. 
Os primeiro cinco minutos de jogo foram marcados pelo toque de bola no campo defensivo realizado pelo time A, enquanto o opositor apenas cercava-os para impedir seu avanço. Ane, acenou para Arthur e Sam que viriam a realizar algo inusitado!
 – Vambora!!!! - Arthur se afastou o máximo possível da defesa, recebendo a bola e chutando contra o próprio gol?! • [TATU-BOLA SHOOT] O jovem pisou na bola com seu pé esquerdo, pressionando-a no chão e fazendo a girar sem parar em meio ao ar... posteriormente chutou-a com toda força na direção do gol, onde a mesma tomava a forma de um tatu-bola que se direcionava ao gol de Misa. 
 – É hora de abaixar o ego deles! • [BRAZIL HEART!] Antes que a bola entrasse contra o seu gol, a bela jovem, tocou em seus próprios cabelos, posteriormente levando sua mão direita em seu rosto, enquanto uma enorme árvore surgia do solo, fazendo com que a bola fosse lançada ao alto • [...]
 Ainda no alto girando pelo efeito da técnica de Arthur, Sam saltou na direção da bola, ultrapassando os jogadores do time B que tentaram parar aquela jogada... A jovem usufruiu do seu corpo atlético para cabecear a bola na direção do gol de Gustavo, realizando a técnica override • [FALSO SAQUE] •[...] Após a mesma se firmar ao solo, olhou para Ray e esbanjando um sorriso sínico na tentativa de provocá-lo.
 – "Quebrar a nossa linha de marcação usando um ponto cego (jogadas altas)? Bem pensado, mas esse override não vai funcionar..." - Ray utilizando o seus pensamentos, ironizou a ação de Sam. - Deixem comigo, quero mostrar a força Rubro! - Bradou o goleiro Gustavo, que pediu para os seus companheiros não atrapalhassem.
O jovem apoiou sua mão direita no peito, fechou os olhos e posteriormente estendeu sua mão esquerda... • [MÃO DA NAÇÃO!] Uma enorme manifestação em imagem à uma mão preta e vermelha surgiu de sua canhota, a mesma agarrou a bola que vinha em alta intensidade, assim parando o ataque do time B •[...]
 – A técnica representa minha SELEÇÃO carioca que é imparável, presente do Mr. pra vocês! - Em referência a equipe Rubro, Gustavo não perdeu a oportunidade de provocar os jogadores do time A que ficaram enfurecidos. 
 O então goleiro do time B lançou a bola para Rodri, Carlos e Matheus que reuniram e chutaram ao mesmo tempo conjurando um incrível poder • [CANARINHO PISTOL Nº 2] Ao chutarem a bola em conjunto e sincronia, uma aura de um canário enfurecido surgiu ao campo carregando em alta intensidade na direção do gol do time A •[...] Antes que a bola chegasse na grande área, Sam se colocou a frente e estalou os dedos, uma enorme rede elástica surgiu ao campo na tentativa de bloquear a passagem de sua técnica recém completada [BUNG-REDE].... A jovem lutou até o fim, mas apesar da sua enorme força de coragem e disposição, a mesma a sua técnica ser quebrada pelo poder triplo do time B. Misa tentou parar com seu BRASIL HEART, mas igualmente não foi capaz... A bola estava no fundo da rede e o gol da equipe B era dado! Garshield sorriu ao ver o desempenho e atuação de seu time, mas ao mesmo tempo ficara impressionando com a enorme força que a jovem Sam possui.
 – Aqueles três esconderam esse técnica de nós? - Comentava Miguel em relação a jogada do time B, por mais que o trio eram próximos a ele, o mesmo ficou impactado com aquele intenso poder demonstrado pelos seus companheiros de seleção. 
 
A partida deve seu reinício... Em um confronto equilibrado, Jander tentava provocar disputadas com Ray, que apenas revidava utilizando dribles e passes certeiros[...]
 Antes que a situação chegasse ao domínio do time B, Jander tocou em seus próprios óculos e posteriormente mudando a sua expressão facial; notava-se o desconforto em seus olhos, aquele olhar angustiante de sempre... Aquele era o seu eu mais conhecido por todos. Sem hesitar, o jovem roubou a bola que estava em posse de Miguel e carregou em direção ao gol do time B. A defesa tentou pará-lo, mas foi completamente quebrada com dribles desconcertantes. Ray não moveu um dedo para tentar pará-lo, viu Jander passando pelo mesmo, onde ele chutou a bola duas vezes em um único tempo • [DESESPERO SUCURI!] fazendo-a tomar a forma de uma cobra sucuri enorme que entrou ao gol sem dar quaisquer chances para Gustavo defender • [...]
 Aquele gol foi capaz de levar seus companheiros aos gritos de alegria e comemoração, aquele empate mudou a motivação de todos, exceto Jander que se incomodou com o fato de Ray não tentar contê-lo.
 Após o gol de empate, ambas as equipes se entregavam para atacar e defender, porém permaneceu naquele impasse até os 58 minutos do cronômetro...
– "Acho que já posso acabar com isso!" - Dado o objetivo, Ray alterou sua expressão, aquela onde o mesmo aparenta ser um lobo buscando seu rumo se tornará alguém um ser sorridente e desprovido de qualquer tristeza, seus olhos ganharam um brilho jamais visto antes pelos seus companheiros. A cada toque na bola parecia estar em sincronia com as batidas de seu coração que se entregavam para a vida, aquela emoção estar vivendo ápice de seus sentimentos acendeu a chama da paixão pelo mesmo em jogar futebol!
 
O jovem tomou a bola que estava em posse de Jander, fintou Arthur que veio dar cobertura na marcação... Antes de adentrar na área do time A, utilizou seu pé direito para levantar a bola e o esquerdo para chutar com toda sua força utilizando a parte externa da chuteira buscando uma curva na direção de gol • [DRAGÃO DA REAL] O chute foi envolvido com uma intensa aura multicolorida, o mesmo tomara a forma de um dragão místico colorido que representava o carnaval. Seu intenso brilho e força impossibilitou quaisquer reação do time A que em primeiro momento foram incapazes de perceber se a bola entrou ou não... •
 Com o cronômetro zerado, o final do jogo treino foi dado... Jander havia se enfurecido pela derrota, o mesmo que posteriormente seria consolado por Lira. 
 Ray fintou seus olhares aos céus, suspirando profundamente e fechando seus olhos. Seus companheiros o observavam de trás, visando sua silhueta e seu cabelo castanho escuro com algumas mechas rosas que balançavam seguindo a brisa do vento. 
– "Mostre todos os seus sentimentos, elemento B..." - Garshield observava o jovem Ray, escondendo internamente sua ambição e suposto interesse envolvendo o mesmo.
Do outro lado do mundo... 
– Finalmente, cheguei ao Japão... Devo desculpas aos meus amigos do Brasil, mas não posso perder essa oportunidade de fazer algo novo em minha vida. Eu amo a minha pátria de coração, contudo, não posso me deixar levar pelo patriotismo, acho que daqui para frente a vida me dará inúmeros desafios e, com toda a motivação irei encarar todos eles! - Aproveitando a sua viagem de avião, o jovem visava a paisagem de Tokyo da janela daquela aeronave. Os brilhos de seus olhos destacavam a sua empolgação pelo o que estava para vir. Com receio de ser interpretado de maneira equivoca pela sua pátria natal, o mesmo não poderá esconder a ansiedade, quiçá, o seu desejo de reencontrar seus amigos no Japão, aliviara aquilo que deveria ser um incômodo.
– Shadow-kun... Gouenji-kun... Finalmente jogaremos juntos!
 


Notas Finais


Agradeço ao Julio pela força nas correções e detalhes, ele é o novo colaborador da fic :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...