1. Spirit Fanfics >
  2. Incertezas >
  3. Único

História Incertezas - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Galera, é uma fanfic então não tem absolutamente NADA a ver com a realidade. Qualquer semelhança é mera coincidência. (Kkkkkjjjjjkkkjjjk aiai)

Fiz pra treinar uns hots. Boa leitura

Capítulo 1 - Único


- Tá bom então, até. - No portão da escola Leandro despediu-se de Ueren, dessa vez com um abraço apertado e uma forte respirada em seu pescoço, a última tentando disfarçar, mas sem sucesso.

- T-Tchau... - O cacheado gaguejou se afastando do garoto. 

Leandro sabia como mexer com Ueren.

E Ueren sabia como mexer com Leandro.

Mas nenhum dos dois sabiam que sabiam. 

Leandro queria se confessar para o outro, eles eram amigos a um bom tempo e sempre foram parceiros, não se largavam de forma alguma. Constantemente ajudavam-se entre si. Ueren queria o mesmo, ambos eram dois bobos apaixonados.

O maior, Leandro, certa vez já arriscara uma confissão, mas no momento decisivo tremeu e travou, Ueren apenas ria dele enquanto o acalmava. E realmente era efetivo, o sorriso de Ueren fazia desaparecer todas as ansiedades do garoto. Porém Leandro não disse nada, tinha medo.

- Leandro!! - Ueren gritava no portão da casa do maior, chamando-o. Já era noite e trouxera suas coisas.

- Já vai!! - O dono da casa apareceu apenas de cueca box para Ueren, fizera isso de propósito.

- Ah só falta vir pelado agora. - Ueren falou, deixando seu tom de voz entre sarcasmo e desejo. 

- Hahaha! Tá me fazendo parecer um exibicionista! - Leandro comentou terminando de abrir o portão. - É que não queria te deixar muito tempo aqui na rua, tá" um pouco frio. - Falou dando passagem ao menor.

- Se preocupa primeiro contigo, idiota. - Ueren abraçou o corpo sexy de Leandro, numa tentativa de esquenta-lo. O que fez os batimentos cardíacos de ambos acelerarem. 

Ueren especulou, teve esperanças por frações de segundo, mas logo se convenceu que Leandro não gostava dele como algo além de amigos. Precisava manter os pés no chão ou a queda seria grande.

E Leandro sentiu algo vindo do outro. Sentiu que se fossem apenas amigos não estariam daquela forma, falando coisas fofas e se preocupando por mínimos detalhes.

Separaram o abraço constrangidos e entraram na casa sem dizer nada, só voltaram a conversar quando iniciaram o trabalho. 

- Finalmente terminamos! - Leandro suspirou aliviado esticando seu corpo na cadeira da escrivaninha.

- Não acredito que ficasse o trabalho todo só de cueca. - O cacheado falsamente reclamou para o maior. Nem suspeitava que Leandro já estava excitado apenas em ficar de box ao lado do seu melhor amigo...

- Ta muito calor ué - Leandro argumentou.

- Antes tava com frio... - Riu debochado.

- É que um certo alguém me deixa muito quente. - O maior falou de repente, não dando nem tempo de pensar na frase antes de pronuncia-la.

Ueren olhou curioso. 

- Quem seria? - Sentou-se mais confortavelmente na cadeira que estava, ao lado do amigo.

- Quem é a única pessoa que tá aqui comigo agora? - Disse como se fosse óbvio. Mas Ueren processava as informações de forma errônea quando estava nervoso.

- Sou eu? - Perguntou inocente.

Leandro não respondeu nada, apenas levantou da cadeira, sentando sob a cama macia. Chamou Ueren fazendo gestos, esse que se juntou a ele.

Ueren pensou e entendeu, tudo fez sentido. Todas as indiretas, a proximidade, o cuidado... Tudo dizia algo. Sentiu sua mão ser pega calmamente e ser colocada no rosto de Leandro, que o olhava com um desejo intenso. O maior depositou leves beijos na mão do menor, Ueren, e percebeu olhos necessitados sob ele.

No meio de toda essa tensão e conflitos internos os garotos apenas pensaram em se beijar, Leandro pegou na nuca de Ueren agressivamente e o cacheado na cintura alheia. Suas línguas se moviam desajeitadas pelo nervosismo, porém de forma prazerosa para ambos.

Ueren deitou na cama com Leandro em cima de seu colo, sentia aquela bunda que tanto ansiava sobre si. O maior descansou as mãos sob o peito definido de Ueren e aproximou seu rosto.

- Eu quero fazer. - Leandro disse convicto, começando a rebolar no membro duro.

- E-eu também. - Ueren confessou, não se importava para nada no momento, além do garoto que tanto mexeu com ele.

Num ato repentino e rápido demais para Leandro acompanhar, o cacheado colocou-o de quatro, de forma possessiva.

- Finalmente vou ver essa bunda... - Disse massageando suavemente as nádegas grandes de Leandro.

- É toda s-sua. - Tentava se manter firme, mas era difícil quando sabia que em poucos segundos teria seu corpo exposto para Ueren.

Sem demora, arrancou o tecido e observou cada detalhe do local, olhando também o rosto envergonhado e excitado que Leandro não conseguia esconder.

- Eu disse que você era um exibicionista.- Ueren riu sexy, tocando o próprio pau e movendo devagar, não queria dizer, mas estava mais excitado que Leandro e precisava gozar.

- Ueren... - Gemeu o nome do garoto que voltou a si. Leandro não aguentando mais ficar apenas naquilo, virou de frente a Ueren e tirou sua roupa. Os garotos nus trocavam olhares intensos e vergonhosos, excitando-os.

O cacheado uniu os corpos e iniciou os movimentos de vai e vem em seu pau e no de Leandro, que estavam colados
Ouvia as arfadas e gemidos o estimulando a continuar, Ueren passou a dar atenção ao pescoço e costas de Leandro, que se contorcia em total prazer.

- V-você já meteu algo? - Ueren perguntou, sentindo os cachos serem acariciados pelo outro com carinho.

- S-só três dedos... - Confessou abrindo um pouco as pernas para Ueren.

- D-desculpa eu não sei o que fazer. - O menor falou, acariciando o abdômen de Leandro. - Se eu soubesse que iria transar com o cara que eu amo teria me preparado antes... - Disse vermelho, sorrindo um pouco.

- Não se preocupa... - O maior deu um beijo molhado na testa de Ueren e respirou fundo. - Deixa que eu faço. - Nisso deslizou sua mão úmida pelo pré-gozo em direção a própria bunda, invadindo a entrada. - Anhh - Gemeu quando sentiu os estímulos no membro, atrás de si e em seu pescoço. Ueren movimentava sua mão e masturbava ambos os pênis. 

Leandro gozou no abdômen do cacheado que presenciava a cena com imensa satisfação. Respirou forte procurando ar para uma próxima rodada.

- D-Desculpa, só eu gozei... - Leandro se sentiu mal e abaixou seu rosto para o membro alheio. 

- Caralho, eu sempre te imaginei me chupando. - Ueren confessou uma das suas fantasias eróticas que tanto tinha na sala de aula e no seu quarto. O maior engoliu metade do membro do outro e tocou a outra metade com as mãos, sua língua passeava pela extensão da glande de Ueren, que repetia o quanto Leandro era especial para ele. O membro pulsante acalmou-se após gozar na boca de Leandro, esse que engoliu sem reclamações. 

- Mete por favor. - Implorou para Ueren aquilo, fez a sua melhor cara pidona.

Ueren sentou da melhor forma possível e Leandro se aconchegou em cima dele, colocou um braço sob os ombros largos do cacheado e sentiu a bunda ser apertada. Segurou no membro de Ueren e direcionou a grande extensão em sua entrada, os garotos gemeram pela sensação nova, até Leandro meter tudo dentro de si.

- É grande... - Leandro movimentou os quadris devagar para um lado e outro, aconchegando Ueren perfeitamente em seu corpo. - Eu te amo. - Disse devagar, sem olhar diretamente para ele, estava envergonhado demais pra isso. 

Ueren largou um sorriso calmo e fofo, suas preocupações sumiram. Naquele momento ele teve certeza.

- Eu também te amo, Leandro. - Falou no ouvido do garoto, que arrepiou-se.

Leandro, sem aviso prévio, cavalgou no colo de Ueren com gosto, sua próstata foi facilmente alcançada pelo cacheado e ele gemia alto. Ueren o impedia de abafar os sons, queria ouvir tudo de forma clara, queria que soubessem que os dois estavam juntos.

O cacheado decidiu movimentar-se, fodendo Leandro em sincronia com as cavalgadas, aquela bunda era muito mais que apenas bonita. O maior olhou para o rosto de Ueren, sua expressão de prazer e satisfação não podia ser escondida. Chegou mais perto e mordeu de leve os lábios do cacheado, percebendo as respirações se misturarem.

- P-para de encarar anh... - Leandro pediu entre gemidos.

- D- desculpa... Eu nunca pensei que taria aqui fazendo isso... - Ueren disse tímido, começando a sugar os mamilos do outro. - Eu vou g- gozar... - Ueren sussurrou no ouvido do garoto. O maior apertou suas pernas e entrada oferecendo mais contato. Era difícil para Leandro não poder se aliviar, mas queria que Ueren viesse antes dele. Orgulho de homem. 

- Goza a-ahn... Dentro... - Implorou, queria a muito tempo saber como era a sensação de ser preenchido por Ueren. 

O cacheado derramou- se dentro do amigo, que sentiu as pernas desabarem, mas logo foi segurado carinhosamente. No momento, Leandro se sentiu tão submisso e vulnerável que gozou, sujando os dois garotos. Não sabia que era tão excitante ter Ueren simplesmente cuidando dele. 

- Desculpa Leandro, você tá bem?- Ueren ficou nervoso demais pela situação.

- Relaxa... Tô bem até demais... - Riu nos braços do amado, que apertou seu corpo. 

Ueren colocou Leandro deitado ao seu lado, os garotos se olhavam não acreditando no que ocorrera, entrelaçaram os dedos e dormiram calmamente, abraçados. 


Notas Finais


Só um lemon escrito na solidão da madrugada...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...