1. Spirit Fanfics >
  2. Incógnitas de Um Crime >
  3. 25

História Incógnitas de Um Crime - Capítulo 25


Escrita por: OhWo2327

Capítulo 25 - 25


Fanfic / Fanfiction Incógnitas de Um Crime - Capítulo 25 - 25

Um baixo som agudo e repetitivo ecoava ao longe como o funcionamento de uma máquina. Tudo estava escuro, confuso e Yeosang sentia sua mente vagar por momentos indecisos. O anúncio da prisão de Seonghwa, a visão da primeira vítima em forma de estátua, o primeiro encontro com One, o almoço com Wooyoung e Munjie. Tudo passava rapidamente como um borrão indeciso e mutável, sensações decorriam ao mesmo tempo se alternando, era um êxtase de alegria, raiva, medo e desconfiança. O barulho agudo da máquina ressoava cada vez mais alto, se tornando chato e irritante, como se o mesmo estivesse impedindo o sono do loiro. Os olhos de Yeosang lutaram para abrir um após o outro, em uma íntima briga contra a sua própria vontade. Sua consciência ficou ainda mais alarmada quando recuperou a noção das reais últimas memórias. O acidente causado pelos caminhões.

O olhar do loiro finalmente focou em observar onde estava, aparentemente se encontrando em um escuro quarto de hospital. Era nítido isso pela decoração branca e o maquinário verificando sua frequência cardíaca logo ao lado. Seu corpo estava encoberto por um fino cobertor, enquanto vestia vestes azuladas, provavelmente sendo do próprio hospital.

Precisou fazer um pouco mais de força para mover sua cabeça, já que os músculos e tendões da região estavam todos doloridos igualmente. Mesmo com a luz do quarto apagada, um abajur estava aceso em uma das estantes a esquerda, clareando um pouco o ambiente. Pela direita, uma figura estava sentada sobre uma cadeira, escorada na parede. Cada vez mais que sua visão focava, conseguia distinguir os detalhes. A pessoa parecia estar coberta por um cobertor branco até seus ombros e um livro estava fechado sobre suas coxas, como os cabelos negros encobriam seu rosto. Por um momento, Yeosang sentiu certa dúvida em distinguir se era seu melhor amigo, mas logo percebeu ser One. Ela estava dormindo. Por um momento permaneceu a observar em silêncio, pensando em como quase perdeu tudo isso.

- Hm.

O detetive resmungou um pouco mais alto ao tentar se sentar na cama, cansado de estar deitado por um instante. Um suspiro e resmungo foi ouvido, evidenciando que One despertara.

- Não queria ter te acordado.

Yeosang falou baixo ao notar a garota abrir seus olhos, ainda estando confusa.

- Yeosang!

One falou mais alto, afastando sua coberta e livro, andando até ao lado do rapaz. Suas mãos tocaram a bochecha do loiro por um instante, mas logo a jovem se curvou, encostando sua cabeça no peito de Yeosang.

- Você me assustou seu idiota.

O rapaz sentiu certa graça da fala de One, notando logo ela estar falando com seriedade. A garota ergueu sua cabeça, mostrando que lágrimas começavam a escorrer por suas bochechas.

- Eu estou bem, foi apenas um acidente.

O loiro tentou amenizar a situação. Apenas lhe restava falar, pois não conseguia fazer muito esforço.

- Yeosang!

Pela primeira vez One falou em um tom de ameaça, como se o censurasse.

- Já houveram investigações, verificaram as câmeras, foi confirmado que armaram para você.

Yeosang sentiu sua barriga revirar ao ouvir aquelas palavras da garota.

- Há quanto tempo estou aqui?

O rapaz questionou, notando a jovem limpar suas lágrimas, retornando à ter mais calma.

- Vai fazer três dias...

One comentou um pouco baixo. Yeosang estava surpreso pela situação, nunca havia ocorrido isso anteriormente com ele.

Nos momento seguintes o detetive se colocou à questionar a jovem sobre o ocorrido. One explicou que na mesma noite o carro dele foi encontrado e ele socorrido com urgência, saindo na manhã seguinte o acidente no jornal diário, onde ela havia descoberto seu desaparecimento. One também ressaltou que ela e um rapaz chamado Wooyoung se revezaram em vigiar ele em seu leito durante os últimos dias, com o mesmo Wooyoung alegando voltar para a delegacia, tomando o caso do acidente para sua responsabilidade.

- Dois policiais vieram te visitar também ontem, um deles era pequeno e tinha cabelos vermelhos, o outro era bem grande. Acho que ele se chamava Yunho… não lembro, mas deixaram aquelas flores aqui.

One explicava enquanto permanecia sentada na cadeira ao lado da cama, apontando por um momento para o pequeno buquê sobre uma estante. Yeosang apenas conseguia pensar em como Yunho havia sido ousado em o vir visitar.

- Obrigado por… cuidar de mim nesses dias One.

O loiro comentou em um sussurro, olhando para a jovem que entrelaçou os dedos de suas mãos, as unindo.

- Apenas estou retribuindo o que você fez por mim antes.

Ela brincou, soltando um baixo bocejo.

- Você precisa descansar, não quero atrapalhar mais do que já estou fazendo.

- Você fala demais.

Yeosang tentou protestar, mas novamente foi impedido pelo sorriso gentil da garota. O tempo passou em meio às breves conversas sobre como Yeosang estava se sentindo e como foram os últimos momentos antes do acidente. A garota parecia curiosa para saber, mas ao mesmo tempo o sono a fazia se debruçar sobre a beirada da cama.

Em certo momento, One já se encontrava dormindo e os dedos de Yeosang deslizavam pelas mechas dos curtos cabelos da jovem, deixando seu olhar permanecer sobre a mesma. O loiro apenas conseguia pensar em como ela era linda. Não demorou muito para o rapaz também adormecer, se entregando a fadiga que sentia, pelo visto ainda levaria um tempo para se recuperar.

{ • • • }

Quando Yeosang despertou na manhã seguinte, observou duas pessoas em pé ao lado da cama. Pareciam conversar algo ainda inaudível.

- Finalmente o dorminhoco acordou.

Uma voz masculina e familiar falou, Wooyoung era uma das pessoas em pé ao seu lado e o mesmo carregava um sorriso em seu rosto.

- Estava tirando umas férias.

O loiro brincou.

- Wooyoung, vou deixar ele contigo agora. Preciso ir, tenho que passar em um lugar antes de trabalhar.

- Tudo bem One, fique a vontade.

Ambos conversam rapidamente, pareciam ter desenvolvido uma certa amizade nesses dias que se passaram.

- Até mais tarde Yeosang.

A garota se virou para o rapaz deitado, depositando um carinhoso selar em sua testa antes de deixar o quarto, deixando ambos os rapazes sozinhos.

- Eu deveria ter ido contigo naquele dia.

Wooyoung comentou enquanto pegava uma cadeira, arrastando e sentando sobre ela ao lado da cama.

- Para nós dois ficarmos de cama na melhor das hipóteses? Acho melhor não.

O loiro respondeu erguendo suas sobrancelhas.

- Soube que voltou para a delegacia por minha causa, é verdade?

Continuou a falar, questionando.

- Sim… sei que você disse para eu permanecer por fora, mas depois do acidente eu não consegui me segurar.

Wooyoung falava com certo receio, como se Yeosang fosse brigar com ele.

- Está tudo bem, fico feliz em saber que andou fazendo tudo isso por mim, mesmo não precisando.

Yeosang esboçou um breve sorriso.

- Alguém precisa cuidar de ti também, aliás, parece que estavam te marcando mesmo. Não sei se estavam te rastreando ou vigiando seu carro, mas estavam aguardando você chegar.

O policial começou a comentar sobre o ocorrido.

- Chegou a identificar alguém?

- Não, os caminhões deixaram a cidade pela própria rodovia. Encontramos os veículos a quilômetros adiante, mas nenhuma identificação ou pista. Foi tudo bem planejado para te pegarem.

- Devem estar tão decepcionados por não terem conseguido me matar.

O loiro resmungou em ironia.

- Quando voltei para a delegacia, o San me perguntou por ti. Ele parecia estar se culpando pelo que aconteceu.

Yeosang pensou por um momento ao ouvir sobre. Era possível erguer dúvidas se San havia o traído realmente, mas pela observação de Wooyoung, o mesmo parecia ter sido manipulado e igualmente enganado, o fazendo repassar uma informação falsa de Yunho.

- Quando sair daqui, converso com ele direito.

O loiro respondeu simples, mas a careta de Wooyoung o surpreendeu.

- Pelos comentários dos médicos, você deve ficar mais alguns dias por aqui. Então não vamos ter pressa… talvez eu traga uns lanches para você.

Wooyoung parecia por um momento estar se divertindo com a situação, mas claramente era engraçado por conta da situação já ter sido o contrário. Quando o policial se acidentou, o detetive se colocou à visitar frequentemente o mesmo no processo.

A conversa decorreu de forma tranquila, como o restante da manhã. Wooyoung explicava como o clima na delegacia parecia mais hostil entre os funcionários, como o jornal que seguia bombardeando os oficiais de acusações sobre a segurança pública. Estava uma guerra formada e em meio a tudo isso um assassino ainda estava a solta, talvez se divertindo com o caos formado, seguindo ainda impune por seus crimes.


Notas Finais


Nosso querido Yeosang não foi para o céu mas teve a bela visão de um anjo quando acordou, hein? 🤭🙌
E essa nova amizade da One e Wooyoung se formando ? Será que eles formariam um bom trio com o Yeosang ? Esperamos que ela não siga o exemplo da Munjie. 🤔😑
Qualquer comentário ou crítica falem conosco, ficamos sempre felizes em saber o que estão pensando.
Obrigado pela leitura. 🥰🥰🥰


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...