História (In)Compatível - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Chouji Akimichi, Ino Yamanaka, Shikamaru Nara, Temari, TenTen Mitsashi
Tags Aplicativo, Chourui, Comedia, Compatível, Incompatível, Inosai, Internet, Kankuten, Naruhina, Saino, Sasusaku, Shikamaru, Shikatema, Temari
Visualizações 36
Palavras 2.354
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Comédia, Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi queridxs, demorou um pouquinho, mas saiu. Estamos indo para a reta final da fic, e eu espero que estejam gostando, porque eu estou adorando escrever essa história <3

Boa leitura <3 <3 <3

Capítulo 5 - Confusão de Emoções



 

Shikamaru estacionou seu carro na quadra onde ficava o apartamento de Ino. Subiu sem precisar se identificar, pois o porteiro já sabia quem ele era e Ino havia dado passe livre para ele subir sem ser barrado.
 

Bateu na porta do apartamento uma, duas, três vezes. Lá dentro se ouvia uma música agitada de pop, provavelmente alguma do One Direction, Ino nunca havia superado o fim da banda. Algumas risadas eram ouvidas também. Shikamaru decidiu bater uma quarta vez e mais forte do que as anteriores.

 Foi Sai quem abriu a porta com um enorme sorriso.


- Oi Shikama... - O sorriso se desfez quando Sai viu a expressão do homem parada na porta. - Amor, Shika está aqui e precisa de você.
 

Sai gritou e deu espaço para Shikamaru entrar.


- Ai meu Deus Shika, o que houve? - Ino falou indo na direção do amigo preocupada e já fazendo ele se sentar no sofá.
- Era ela Ino...

 A amiga o encarou sem entender. Shikamaru chorava e ele nunca foi de chorar. Na verdade, Ino só o havia visto chorar duas vezes antes. Uma quando tinham 14 anos e os pai dele quase morreu por conta de um AVC, e a segunda aconteceu uma semana depois do término dele com Temari, quando ele pareceu se dar conta de que havia acabado.


- Ela quem?
- Temari. - Ino arregalou os olhos com a informação. - Temari era o tempo todo a Flor do Deserto.
- Eu não acredito... - Falou surpresa e ao percebeu que a música continuava tocando, olhou para o futuro marido. - Amor, pode desligar o som? - Ela pediu e Sai foi até o aparelho desligando-o.
- Eu não sei o que fazer, não sei porque me sinto assim.

 Ele falava com lágrimas escorrendo por todo o rosto, e tinha um olhar suplicante de ajuda.


- Shika... - Ino falou puxando-o para um abraço. - O que sente por ela?
- Eu não sei... - Ele falou e ficou em silêncio por alguns segundos. - Ela foi a única mulher que amei romanticamente. Talvez eu... - Mais lágrimas escorreram pelo rosto dele. - Talvez eu ainda a ame.
 

Ino sorriu fraco e agradeceu por Shikamaru não ter uma visão de seu rosto. Mas ela sabia, no fundo sempre soube que o melhor amigo nunca havia deixado de amar Temari, e por mais errado que fosse ela acreditava que ambos sempre estiveram destinados um ao outro.


- Deveria ir atrás dela.
- Eu sei, só não sei como e nem se tenho forças pra isso.
- Hhhuumm, tudo bem. Temos a noite toda, me conta o que houve e em detalhes. - Ela falou desfazendo o abraço e ficando de frente pra ele. Em seguida gritou: - SAI, PEÇA UMAS PIZZAS PRA GENTE.
...
- Então você está dizendo que o seu próprio aplicativo te juntou com o seu único ex namorado? - Lee perguntou sem delongas para Temari que assentiu com a cabeça. - Nossa, que reviravolta.
- Lee. - Gaara repreendeu o marido
- Não tem problema, eu concordo com ele. - Temari sorriu fraco limpando os olhos com as costas da mão.
 

Ela havia chegado na casa do irmão fazia mais de uma hora. Gaara deu graças a Deus pela chegado dela, pois Lee estava fazendo-o reassistir Rambo mais uma vez. Gaara usava um pijama preto de mangas e short curto, enquanto Lee usava uma regata branca com uma bermuda camuflada.
 

Olhando para os dois sentados próximos um do outro e de frente para ela, ela se lembrava da época da escola quando ambos começaram a namorar.
 

Era incrível como Lee ainda usava o mesmo cabelo e possuía o mesmo sorriso juvenil de sempre que contagiava Gaara.
 

Já o irmão dela havia mudado o cabelo ruivo, antes rebelde e bagunçado, agora era repartido e arrumado. Mas a mudança mais notável em Gaara era o sorriso. O ruivo antes era completamente carrancudo e não dava um mínimo sorriso, mas com Lee isso era diferente, ele se mostrava e sem sombra de dúvidas era feliz.


- Mas então... Como foi reencontra-lo depois desse tempo todo? - Gaara perguntou.
- Estranho. Ele está diferente mas continua o mesmo. - Ela falou e o casal franziu o rosto ao ouvir aquilo. - É, tipo a aparência dele mudou, mas o Shikamaru de sempre ainda está lá.
- E os seus sentimentos? Continuam aí? - Lee perguntou sério e ela respirou fundo.
- Eu não sei. - Falou encarando no chão. - Talvez sim, mas ah sei lá. Não sei o que pensar. É incrível como fiquei anos sem ver ele e ele faz toda essa confusão de emoções em mim, queria saber por que...
- Ah Temari, acho que no fundo você sabe o porque. - Lee falou puxando delicadamente o rosto dela pra cima.
- Talvez sim, mas será que é certo? Nós não demos certo daquela vez, por que daríamos agora?
- Porque agora vocês são adultos, amadureceram. Os motivos que fizeram vocês terminarem naquela época hoje não importam mais como antes. - Gaara explicou.
- E se os seus sentimentos por ele ainda estão aí, e endontra-lo te deixou desse jeito, como você acha que ele ficou? - Lee perguntou.
- É... - Temari ia falar mas Lee a interrompeu..
- Pelo que nos contou ele ficou no mesmo estado que você, talvez até pior. O que significa que provavelmente ele ainda sente o mesmo que você. E isso nos elva a mais uma pergunta, o que está fazendo aqui ainda que não foi atrás dele?
- Lee eu não posso fazer isso.
- Por que não? - Gaara perguntou.
- Eu não posso simplesmente ir atrás dele e me declarar como nada tivesse acontecido, como se todo esse tempo não tivesse passado.
- Por que não? - Gaara perguntou novamente.
- Porque, bem, porque ele não faz isso? Por que ele nunca me procurou durante todo esse tempo?
- Você procurou ele?
- Não, mas ...
- Mas nada, você não procurou e seus sentimentos sempre estiveram aí, não pode cobrar dele algo que também não fez. Não pode ficar esperando algo em troca, o amor é mais que isso, amor é você demonstrar que ama sem esperar nada em troca, é querer fazer a pessoa feliz e estar feliz só por poder vê-la sorrindo. Se você sente isso por ele, e eu sei que sente, deve tomar uma atitude, mas uma atitude de mulher e não de garota. - Gaara falou surpreendendo tanto a irmã quanto o marido.

 Temari ficou pensativa após aquela fala, deveria ir atrás dele? Se sim, como faria isso? Sua falta de coragem e o medo impediam que ela fizesse isso ou tomasse alguma atitude.


- Já está tarde, vou indo. Obrigada por tudo. - Ela falou se levantando e dando um abraço e um beijo na bochecha de cada um.
- Irmãos são pra isso.
- E cunhados também. - Lee falou sorrindo como sempre.
- Mas Tema, pensa com a emoção e não com a razão, ok? - Gaara pediu e ela assentiu já saindo do aconchego daquele local.
...
 

Temari havia acabado de chegar em casa quando seu celular tocou. Era Tenten, o que será que a amiga queria? Estaria ligando pelo mesmo motivo de mais cedo?


- Tenten? Já está tarde mulher.
- Eu sei, Kankuro até já está dormindo mas eu precisava falar com você. Imagino que a essa hora o encontro já tenha acabado e você já tenha tido sua surpresa.
- Nem me fala....
- Pois é, eu te liguei hoje mais cedo exatamente para te avisar disso. Lembra aquela ligação que você me fez perguntando se nós teríamos como saber quem é quem no Compatível?
- Uhum. - Temari falou enquanto tirava as sandálias.
- Então, no dia seguinte eu falei com as meninas mais dessa área e elas disseram que sim era possível, mas poderia demorar. Você sabe como eu sou curiosa, e com a gravidez isso parece ter piorado ainda mais. - Tenten deu uma risada e Temari acompanhou, mesmo não estando muito bem era ótimo falar com a melhor amiga. - Logo, eu não me importei de esperar um tempo, então hoje cinco minutos antes de te ligar eu recebi uma mensagem da Fuu informando o nome do Cervo Solitário. Você não sabe quão chocada eu fiquei em saber, mas não posso dizer que me surpreendeu por completo...

 Tenten falava baixo e rápido para não acordar Kankuro.


- Hum.
- Então eu fiz a única coisa que poderia fazer te liguei para tentar avisar que ele era Ele, mas acho que você já estava no encontro...
- Estava chegando. - Temari falou cansada.
- E como você está?
- De verdade? Eu não sei, só quero dormir um pouco e esquecer que isso aconteceu.
- Hum, tudo bem então. Fica bem, beijos, boa noite.
 

Tenten falou isso e desligou. Estava extremamente curiosa para saber como havia sido o encontro e a reação de Temari, mas anos de convivência com a amiga a fizeram perceber que insistir depois da loira ter tido que ia dormir nunca era uma opção.
...

 Uma semana, esse era o tempo que havia se passado desde o encontro mal sucedido de Shikamaru e Temari.

 Nos dias que se passaram Tenten interrogava a melhor amiga a cada dia para obter alguma nova informação, mas a amiga estava totalmente irredutível com o assunto, porém numa das tentativas da morena Temari deixou escapar que havia ido para casa de Gaara e Lee depois do acontecimento. Sem perder tempo, Tenten ligou para Lee, que era seu melhor amigo, e tirou a história toda a limpo.
 

Aquela já era a terceira vez que Tenten ligava para Lee naquela semana para saber da história mais uma vez. Ela ouvia tudo em seu celular enquanto observava Temari do outro lado da sala. A loira tinha um olhar perdido e parecia não conseguir se concentrar em nada.


- Temos que fazer alguma coisa. - Ela falou para Lee do outro lado da linha.
- Mas isso não é mais com a gente, eles podem não gostar se nos metermos.
- Eu sei, mas não gosto de ver ela assim. É triste.
- Sim, mas o que nós poderíamos fazer nós já fizemos. Gaara e eu conversamos com ela aquele dia, ela pareceu entender o que dizíamos e que iria refletir sobre o assunto. Coisa que parece que ela não fez...
- Claro que não fez, você conhece a Temari, ela tem essa mania besta de varrer as coisas para baixo do tapete e achar que ta tudo bem, quando claramente não está.
- Eu entendo Ten, entendo sua preocupação e a sua chateação com ela, mas se ela não quer me ouvir não podemos fazer nada. E se nem te contar tudo ela quis acho que isso é um sinal de que ela não quer pensar mais no assunto. - Lee falou calmo do outro lado da linha, ao contrário de Tenten que estava começando a se estressar. - E olha, você não deveria ficar pensando nisso, está te estressando e pode vir a fazer mal para o bebê.
- Tem razão. - Ela falou passando a mão na barriga. - Temari já é adulta, sabe o que é melhor para ela e o que deve fazer. Só espero que ela se toque de uma vez sobre o que é melhor fazer.
...
 

Do outro lado da cidade, em sua floricultura familiar, Ino encarava o pequeno bolo de convites de casamento que havia pedido a mais para mandar aos antigos colegas de escola. Porém, até aquele momento ela ainda não tinha decidido se mandaria ou não, mas ela tinha que decidir logo, pois o casamento seria em breve e é feio chamar as pessoas para um casamento tão em cima da hora.

 Sua indecisão passou assim que olhou para um porta-retrato em cima da mesa. Nele havia uma foto de Ino, Shikamaru e Temari aos 11 anos de idade.
 

O melhor amigo da loira não havia mais tocado no assunto do encontro, e Ino sabia que isso significava que ele havia resolvido deixar de lado, o que para ela nunca seria uma solução. Ela queria agir e sabia exatamente como fazer isso, só tinha que garantir que o convite de Temari, juntamente com a carta que escreveria para a mulher seriam entregues em mãos e ela leria tudo.


- Oi Matsuri. - Ino falou ao telefone com uma das amigas que havia feito durante a faculdade.
- Oi Ino, tudo bem?
- Sim e você? 
- Com certeza, mas tem algum motivo para estar me ligando?
- Bem, você ainda trabalha na KonoGirls?
- Sim, por que? Tem alguma entrega para fazer aqui?
- Mais ou menos, você tem contato com a Temari? - Ino perguntou torcendo para que a resposta fosse sim e ela pudesse colocar seu plano em ação.
- Claro, eu estou na organização do evento que vai ter, que, infelizmente, é no dia do seu casamento, mas pode ter certeza que eu vou dar um jeito de te ver subindo no altar.
- Aaahh fico feliz por isso. - Ino falou realmente feliz, gostava muito de Matsuri, mesmo não sendo tão próximas. - É que eu estudei com a Temari na época de escola e gostaria que ela recebesse um convite.
- Ah sim, manda pra cá que eu entrego para ela.
- Muito obrigada, mas não é só isso. Como eu e ela não nos vemos nem nos falamos já tem um tempo eu escrevi uma pequena carta para ela, gostaria que você tivesse certeza que ela vai ler.
- Isso é um pouco mais difícil, mas eu prometo que vou tentar. Só manda pra cá o mais rápido possível que eu te aviso quando entregar.
- Ahhh, muito obrigada mesmo. Vai me ajudar muito. - Ino tinha um enorme sorriso no rosto. - Vou pedir pro Sai deixar aí na recepção e pedir para te entregarem. 
- Disponha, já vou avisar a secretária. Até mais Ino e boa sorte na organização de tudo.


Notas Finais


Eai, o que acharam? O que será que Ino escreveu para Temari?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...