História Inconfesso Desejo - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), VIXX
Personagens Hongbin, Hyuk, Jung Hoseok (J-Hope), Ken, Kim Taehyung (V), Leo, N, Park Jimin (Jimin), Ravi
Tags Hyukbin, Keo, Navi, Vmin
Visualizações 9
Palavras 1.077
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Me desculpem se houver algum errinho...

Capítulo 8 - Capitulo 8


Minha noite de sono não foi muito tranquila. Eu estava agitado e tendo pesadelos com o que tinha acontecido. Eu acordei pela manhã me sentindo cansado e magoado. Ouvi Jimin bater na minha porta avisando que tínhamos que ir para faculdade e eu apenas respondi que não me sentia bem e precisava ficar em casa. Ele concordou, se despediu e logo depois ouvi a porta da frente ser fechada.  

Aproveitei que estava sozinho, levantei e sai do quarto, indo até o banheiro para tomar um banho. A água quente batendo nas minhas costas parecia deixar meu corpo todo relaxado. Mais uma vez eu pensava em tudo que aconteceu. 

Minha vida virou uma montanha russa desde que eu conheci o Hongbin. Aconteceram vários altos e baixos. Um dia estávamos bem e conversando e no outro não nos falávamos mais. Eu queria poder voltar a época onde eu apenas ficava lá, só o observando, imaginando se ele reparava em mim ou não. Nesses dias tudo era mais tranquilo. Agora, parece que eu chorei mais no último mês do que chorei na minha vida inteira. Cada vez que era magoado por ele me ignorando ou algo assim, me pegava chorando.  

Eu nunca havia me apaixonado tanto por alguém, mas se isso era amor, eu desisto. Não quero mais. Eu sempre imaginei que quando me apaixonasse, seria correspondido e viveríamos felizes para sempre. Mas parece que não é bem assim. 

Após o banho, decidi que seria bom sair para andar um pouco e refrescar a cabeça. Seria bom respirar o ar puro do parque no lugar de ficar o dia todo chorando em casa. Não pensei muito para onde estava indo, apenas deixei meu corpo me levar até algum lugar conhecido. No lugar de sentar no banco, sentei embaixo de uma arvore, encostando minhas costas no tronco para observar a paisagem. Estava tão distraído que não reparei na pessoa que se aproximava de mim. 

- Posso me sentar aqui? – olhei para cima e vi o Ravi apontar o lugar vazio ao meu lado. 

Apenas acenei com a cabeça e ele se sentou. Quando ele já estava acomodado, encostei minha cabeça em seu ombro e fechei os olhos. Eu me sentia em paz perto dele. Ele era um bom amigo que sempre me ouviu quando eu precisava e por ser mais velho, sempre tinha bons conselhos para me dar. Mas também sabia ficar quieto quando eu não queria falar nada. 

- Ravi hyung... – comecei sem levantar minha cabeça e ele também não se moveu, apenas murmurou para eu continuar – Por que o primeiro amor dói tanto? 

- Para podermos nos lembrar dele para sempre – eu não entendi muito bem o que ele quis dizer, mas não falei nada. – O Jimin me encontrou na faculdade e me contou tudo o que houve. – ele continuou. – E eu sabia que você estaria aqui. 

- Tudo bem, hyung. – eu disse – Daqui a pouco eu melhoro. 

- Me desculpe, Hyuk – ele disse e finalmente levantei minha cabeça para olhá-lo – Se eu não tivesse tentado te ajudar, pedindo o telefone dele para você, talvez nada disso iria ter acontecido.  

- Você não tinha como saber. Não se culpe por isso – respondi, voltando a deitar minha cabeça em seus ombros. 

Ficamos assim o resto da tarde. Nenhum de nós dois falamos mais nada. Eu porque não estava com vontade. E ele, acho que só quis respeitar meu momento. Quando percebi que estava ficando tarde, levantei minha cabeça de seu ombro e disse que era melhor irmos, afinal, não queria o N hyung brigando comigo por manter o namorado ocupado e sem poder vê-lo. 

Mesmo eu falando que não precisava, o Ravi insistiu em me acompanhar até em casa e durante todo o caminho ficamos em completo silencio. A companhia do hyung era boa, mesmo eu querendo ficar sozinho. Chegando ao portão, nos despedimos e ele se virou para ir embora e eu para entrar. 

- Sabe de uma coisa Hyuk... – ele começou e eu me virei para ouvi-lo, vendo que ele estava virado para mim – Tudo vai melhorar a partir de agora. – ele continuou – O primeiro amor dói para nunca nos esquecermos que teve uma primeira vez. Mas ele também dói pra mostrar que podemos superar. 

Então ele se virou e foi antes que eu conseguisse responder qualquer coisa. Eu subi para o apartamento, finalmente entendendo o que ele quis me dizer mais cedo. Ao entrar pela porta, vi Jimin sentado na sala com uma mala ao seu lado. Assim que me viu, disse que precisávamos conversar e eu me sentei no sofá ao seu lado. 

- Hyuk, você está melhor? – ele perguntou preocupado. 

- Estou sim. – respondi sincero – Conversar com o Ravi me ajudou. – Sei que não falamos muita coisa, mas o pouco que conversamos, realmente me ajudou. – Mas me diga, pra que essas malas? 

- O Tae me chamou para morar com ele – ele disse meio receoso. 

- Entendi – respondi raciocinando. Então pulei no colo do Jimin o abraçando. 

- Que foi, Hyuk? – ele perguntou assustado. 

- Estou tão feliz por vocês. – respondi sorrindo e o soltei – Fico feliz que você encontrou alguém que te ame e esteja disposto a passar a vida com você. 

- Então não esta bravo comigo? – ele perguntou. 

- Claro que não. – respondi sorrindo. 

Conversamos por mais algum tempo, então a campainha tocou e ele me avisou que era o Tae que havia chegado para buscá-lo. Eu me levantei, pegando sua mala para acompanhá-lo até a porta e me despedir dele. Jimin abriu a porta, cumprimentando o namorado. Eu cumprimentei Tae com um aceno e fui até ele para entregar a mala que estava na minha mão. Nos despedimos e ele saíram juntos. 

- Sejam muito felizes juntos – desejei aos dois e fechei a porta atrás de mim. 

Estava novamente sozinho nesse apartamento, que agora parecia grande demais para apenas uma pessoa. Como estava sem vontade de fazer nada, decidi ir para a cama e ficar lá até conseguir dormir. Estava cansado da noite mal dormida. Eu deitei na cama e senti lagrimas ardendo em meus olhos.  

Me lembro de ficar pensando no que o Ravi havia me falado mais cedo, antes de ir embora. E pensei comigo que me permitiria a chorar pela última vez por causa daquele amor não correspondido. Quando eu acordasse de manhã, iria começar a superá-lo. E essa foi a última coisa que pensei antes de cair no sono. Uma noite de descanso tranquila e sem sonhos.   


Notas Finais


Espero que tenham gostado.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...