1. Spirit Fanfics >
  2. Incontrolável de amar - KakaSaku >
  3. Capítulo 10

História Incontrolável de amar - KakaSaku - Capítulo 10


Escrita por: aflmmart

Capítulo 10 - Capítulo 10


(POV Kakashi)  

Só saiu do hospital quando se certificou que Anko e Sakura teriam tudo que precisavam, e que se por ventura faltasse algo Sakura tinha lhe garantido que o chamaria imediatamente. No caminho de casa recebeu uma mensagem de Rin. 

“O que acha de um sexo amigo hoje? - Rin” 

Ele deixou o celular de lado para quando parasse pudesse responder. Com a cabeça a mil, mal conseguia focar sua atenção no trânsito. Estava triste por Anko, e ainda tinha muitas provas para corrigir. O dia estava sendo literalmente uma merda.  

Chegou em casa e foi direto para um banho, talvez a água quente o ajudasse a relaxar. Enquanto se secava seu celular tocou novamente.  

“Estamos indo todos para o bar, vamos também? Faz tempo que não saímos. - Gai”  

Aparentemente todos tiraram o dia para convidá-lo, optou por não responder também. Não tinha cabeça para ficar inventando desculpas ou explicando motivos. Só não colocou o celular no silencioso porque Sakura poderia ligar. Seguiu até a cozinha procurando algo para comer, mas tudo teria que ser preparado e ele não estava afim de cozinhar. Acabou pedindo uma pizza só para ele mesmo. Enquanto estava no sofá procurando algum canal que chamasse sua atenção novamente seu celular tocou, mas dessa vez o nome que apareceu o fez sorrir.  

“Ela acordou, estava bem abalada. Mas por não saber nem que estava grávida acho que ela não vai ficar tão mal. Pelo menos espero. Os médicos deram mais um calmante para ela voltar a dormir. Como você está? - Sakura” 

“Eu estou preocupado, mas só por você estar aí com ela já me deixa um pouco mais tranquilo. Amanhã me avise quando o médico passar para dar a alta, vou buscar vocês duas. Já cancelei nossas reuniões de amanhã e acho que vou acabar dando um dia de folga para Temari e Neji já que não vamos estar por lá. Você acha que vai conseguir dormir por aí? - Kakashi” 

“Neji vai poder descansar finalmente então kkk. Olha já dormi em sofás menos confortáveis que esse. Vou me virar, não se preocupe. Descanse você também. Boa noite – Sakura" 

“Boa noite, qualquer coisa é só me ligar. Bjs – Kakashi" 

Não tinha mais o que ele fazer, depois de comer sua pizza foi para seu escritório e espalhou o montante de provas pela mesa. Felizmente nenhum aluno tinha feito alguma burrada imperdoável, então não foi tão difícil para corrigir. Quando terminou olhou para o celular e viu que já era duas horas da madrugada. Foi verificar a água e ração de seus cachorros, eles nem sequer levantaram a cabeça quando ele se aproximou. Depois apagou todas as luzes e foi se deitar. Lembrou-se da mensagem de Rin, tinha sido falta de educação da sua parte não ter respondido. Pegou o celular e enviou. 

“Oi, me desculpe. Tive um dia corrido cheio de problemas. Durante a semana se estiver livre algum dia, quem sabe marcamos. Bjs e boa noite. - Kakashi”  

A luz entrando por sua janela indicava que já era cedo. Não se sentiu nenhum pouco descansado, mas não podia continuar na cama. Lentamente foi se arrastando para um banho, não tinha visto nem que horas eram. Só depois de feito toda a sua higiene matinal que ele pegou no celular e viu que eram nove horas. Ele tinha dormido mais do que realmente parecia. Logo Sakura iria ligar e ele teria que estar pronto pra sair. Vinte minutos depois. 

“Hey Kakashi, o médico acabou de passar por aqui e já liberou ela para ir embora. Você vai vir? - Sakura” 

“Estou a caminho já. - Kakashi” 

Chegou no hospital e viu que as duas mulheres já esperavam por ele na recepção, ele logo tratou de pegar as bolsas das duas para levar para o carro enquanto Sakura ajudava Anko com as escadas da entrada.  

- Acho que vou pedir um táxi, não quero dar mais trabalho para você Kakashi. - Sakura já pegava o celular.  

- Nem pensar. O mínimo que posso fazer é levar você e Anko para casa. Não vai ser trabalho algum. - Viu que a rosada mordia o lábio em dúvida. - É sério, vou ficar chateado se você recusar.  

- Com você falando assim. - Ela revirou os olhos e sentou no banco de trás deixando o banco mais espaçoso para Anko. A mulher ao seu lado estava abatida, e pensativa. Mal o tinha cumprimentado e ele não sabia se devia ou não falar alguma coisa. Demorou tanto para decidir que acabou chegando no endereço da mãe dela. Viu um garotinho correndo ao encontro de Anko, que ele imaginou ser Ibiki e uma senhora correndo atrás o mandando ter cuidado.  

- Kakashi, obrigada por tudo. Eu tenho um atestado para mais dois dias, mas assim que estiver melhor prometo voltar rapidamente. - Ela parecia preocupada. 

- Não, fique o resto da semana em casa. Não se preocupe com o escritório. Vamos dar um jeito. - Sorriu a confortando. 

- Sakura, você tem sido uma ótima amiga, obrigada mesmo. - Viu que Sakura se emocionava com o comentário. Anko se virou para o garotinho. - Ibiki, cuidado a mamãe não pode te pegar no colo ainda.  

- Vamos indo Sakura? - Olhou para ela e ela acenou confirmando. - Se cuida viu, qualquer coisa é só me chamar. 

- Digo o mesmo. - Sakura deu um abraço gentil em Anko e o seguiu para o carro.  

- Acho que não caiu a ficha dela ainda. Olhando para o garoto percebi que mal conheço minha amiga. - Ele não sabia a idade nem se ela era casada. Se sentiu mal por ser tão descuidado.  

- Não se cobre tanto, ela é bem reservada sobre a vida pessoal.  

- Você deve estar exausta, já vamos chegar. - Cinco minutos mais tarde ele estacionava em frente ao prédio de Sakura.  

- Você ainda me deve um café. - Ele olhou para ela surpreso. 

- Achei que você não se lembrasse disso. - Ela sorria. 

- Eu avisei que estava sóbria.  

- Bom, não parecia. - Ele sorriu de volta, e por algum motivo se sentiu tentado a aceitar o convite. - Seria falta de respeito recusar pela segunda vez. - Desceram do carro e foram em direção ao elevador. Chegando em frente ao apartamento de Sakura ele sentiu como se estivesse sendo observado. O que era completamente estranho, já que o corredor estava completamente vazio. Devia ser o cansaço se manifestando.  

- Fique a vontade vou colocar a água para ferver enquanto tomo uma ducha, prometo não demorar.  

Não se preocupe. A viu entrar na porta da direita, como ficava ao lado do apartamento de Rin, a planta baixa deveria ser a mesma, ou parecida pelo menos. Olhou ao redor enquanto se sentava e percebeu que o estilo de decoração de Sakura era totalmente diferente do seu. Ela seguia um estilo Art Déco modernizado. Com cores claras com uma ou outra peça em destaque. Ela era boa em interiores, dava para ver por todo o espaço que ela era organizada, não tinha nada que aparentasse estar fora do lugar. Escutou o barulho da chaleira indicando que a água já tinha fervido, foi até o fogão e desligou. Olhou pelos balcões e viu uma caixa escrito “Chás”. Abriu a caixa e encontrou uma enorme variedade de sabores, ele mesmo não sabia que existia tantos. Mas como sabia que ela não gostava de café procurou pelo que tinha menos, significava que ela tomava mais daquele. Camomila, interessante. Pelo que sabia era um chá calmante, adequado para a ocasião. Resolveu experimentar do mesmo. Quando terminava de colocar a água nas xícaras, que ele achou em uma das portas dos armários, ele viu que Sakura o observava sorrindo encostada na parede oposta.  

- Desculpe, tomei a liberdade de preparar um chá, eu sei que você odeia café. - Lhe estendeu a xícara.  

- Não se preocupe, acabei demorando mais no banho do que esperava. Só fiquei surpresa de vê-lo na minha cozinha, até que combinou. - Ela riu, será que ele tinha entendido errado? Ela tinha mesmo gostado de tê-lo ali? - Digo você até que combina com o estilo Déco.  

- Hum... acho que pertenço mais ao estilo industrial, mas devo confessar você fez um ótimo trabalho por aqui. - Ela corou com o elogio.  

- Para quem é viciado em café, seu chá está muito bom.  

- Tudo o que eu faço é muito bom, já devia saber disso. - Sorriu convencido, mas percebeu que Sakura ficou pensativa. Só então ele percebeu o duplo sentido de sua frase. Mas não comentou nada a respeito.  

- Hum... você é bem convencido né? - Ela foi para sala e ele a seguiu. - O que mais eu não sei sobre você?  

- Alguma curiosidade específica? - Viu que ela corava novamente. Que diabos ela estava pensando para ficar envergonhada? Ficou bem curioso. - Vamos fazer assim, eu respondo uma pergunta e você responde outra em troca. O que acha?  

- Parece até um jogo de adolescentes, mas eu aceito. - Ela ria, parou um tempo para bebericar o chá enquanto pensava. O que será que ela queria saber.  

- O seu cabelo é branco mesmo, ou você pinta? - Ele não podia ficar mais surpreso com a pergunta, teve que rir.  

- É branco mesmo, herança de família. - Olhou para ela sorrindo. - E o seu é rosa mesmo?  

- Ah é sim, também é de família.  - De alguma forma ele ficou aliviado, não conseguia imaginá-la com os cabelos de outra cor. Era uma marca registrada de Sakura Haruno. - Minha vez de novo, me deixe pensar.  Quantos anos você tem? - Essa era fácil. 

- Trinta anos. - Ele teve que pensar em uma pergunta. - Doce ou salgado? - Era bobo, mas ele gostaria mesmo de saber as preferências da rosada. 

- Hum, doce com certeza. - Ele esperava por isso. - Você tem cara de que prefere salgado, e pelo que come geralmente no escritório, então não vale eu perguntar. Tem família?  

- Meus pais morreram a alguns anos de acidente, e como eu era filho único acabei sozinho pelo mundo. - Viu que ela ficou séria. 

- Eu sinto muito não sabia.  

- Não se preocupe, já faz bastante tempo, e digamos que meus amigos são minha família. E você por onde anda a sua família?  

- Meus pais vivem na Irlanda, e também sou filha única. Quando decidi voltar para o Japão fiquei sabendo que eles tinham decidido mudar para lá. Eles até me convidaram, mas acabei optando por ficar por aqui.  

- Felizmente para mim devo admitir.  

- Foi um bom negócio para mim também. - Ela parou para pensar novamente. - Namorada?  

- Para o desespero dos meus amigos não. - Ele teve que rir, desde Rin eles pareciam ter deixado de pegar em seu pé, era bom poder respirar novamente.  

- Desespero dos seus amigos?  

- É, eles acham que só porque estão todos namorando e se casando eu vou acabar ficando para o tio da turma.  

- Com certeza é por opção, não é?  

- Como assim? - O que ela queria dizer.  

- Nada esquece. - Ela estava corada novamente. - Sua vez. 

- E você, tem namorado, ou ficante ou qualquer coisa do gênero? 

- Completamente avulsa no mundo. Depois que me mudei para o Japão minha vida se resume a escritório e casa apenas. - Ela sorria constrangida.  

- Tendo eu no escritório, então não é pouca coisa. Mas se tiver afim de conhecer pessoas novas é só me avisar, tenho muitos amigos e amigas.  

- Eu agradeço, quem sabe um dia não é mesmo. Minha vez de novo. Quem é o seu ou sua colega preferida de trabalho? - Ela sorria divertida. Era fácil responder. 

- Você é claro. - A resposta, porém pegou ela de surpresa. - É sério, a Temari é muito na dela e quase não fala comigo, o Neji está sempre morrendo por conta da faculdade e Anko, é sempre bem reservada, apesar de ela ser a segunda preferida.  

- Fico feliz, você se tornou um amigo. - Pena que ali olhando para ela, soube que queria ser um pouco mais que isso. Ele já tinha reparado na beleza dela, agora sentada no sofá sem o salto alto, só de shorts e camiseta, ainda com os cabelos molhados, ela continuava incrível. A observava brincar com a xícara, mas acabou sendo pego. -  O que tanto olha? - Se ele fosse um homem que corasse facilmente esse seria um momento.  

- Só admirando sua beleza. - Mas felizmente Sakura ficava vermelha rapidamente, e no momento isso a deixava ainda mais bonita.  



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...