1. Spirit Fanfics >
  2. Indesejada >
  3. Eu perdi, sem ao menos poder lutar!

História Indesejada - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Primeiro capítulo!
B
O
A

L
E
I
T
U
R
A

Capítulo 1 - Eu perdi, sem ao menos poder lutar!


Fanfic / Fanfiction Indesejada - Capítulo 1 - Eu perdi, sem ao menos poder lutar!

Era o dia do conserto, eu assistia as bailarinas dançarem como se sua vida fosse aquilo, e de certa forma era, todas ali queriam uma oportunidade, queria a dança como uma fonte, para suas vidas.

Era uma pena que poucas ali conseguiriam seguir na opera, poucas conseguiriam viver da dança era realmente deprimente e cansativo ter que escolher quem fica e quem vai, mas de certa forma eu gostava de fazer isso, havia um certo prazer nisso.

O conselho da opera estava vidrados na apresentação de Gisele, era uma linda historia que virou um conto de terror, já que esse era o dom da minha opera, transformar tudo em deprimente e agonizante, e eu gostava desse lado obscuro da vida.

—as meninas realmente se superaram Hae! —uma velha amiga disse eu concordei com a cabeça elas realmente estavam boas, mas ainda faltava algo, elas eram suficiente por enquanto.

O conserto havia acabado e todos estavam comentando sobre eu andava pela opera com um sorriso no rosto, eu tinha vencido mais uma vez, trazendo algo novamente novo.

—o conselho vem vindo ai! —meu secretario avisou e eu concordei com a cabeça, passando meu olhar por cada um deles que vinham em minha direção, as roupas podiam mudar, mas o estilo continua o mesmo.

—surpreendente como sempre Senhorita Hae! —o mais velho, Dan, o mesmo veio me cumprimentar —amanhã teremos uma reunião as 11h! Esteja lá! —foi tudo o que disseram para mi e eu apenas sorri, eu jamais iria perder uma reunião com esses idiotas.

—está preocupada? —Pietro voltou ate mim com um ar de preocupado —será que eles descobriram sobre... Ah meu deus está tudo arruinado! —ele fez drama e eu revirei os olhos, não há nada que possa acontecer nessa reunião eu levei esse merda ao sucesso.

—não se preocupe eles não são louco! —falei sorrindo e pegando uma taça de vinho —meu pai é o dono disso tudo, eles querendo ou não! —falei dando um gole e voltando a sorrir, a noite seria muito longa.

Pela manhã, apos meu café e uma breve corrida fui me arrumar para ir a reunião, eu estava começando a ficar realmente curiosa com o que eles queriam falar sobre isso.

Ao entrar na sala de reunião eu apenas me sentei no meu lugar de sempre e todos foram chegando, e se organizando ao meu redor.

—Senhorita Hae, estamos cansados do seu método! —eu arquei a minha sobrancelha —você esta nessa opera há dois anos aqui e só o que tem trazido são consertos com finais tristes, historias sobre a dor! —Trietro começou a falar me olhando, e eu balancei minha cabeça sem acreditar —você transforma os clássicos em historias trágicas e tristes e já estamos cansados disso! —ele cruzou os braços com um ar de convencido.

—isso tudo é porque eu te dei um fora? —perguntei alto e bom som e acabei por me levantar —acha que você tem alguma voz aqui? que manda em alguma coisa? —soltei uma risada —eu fiz do nada a uma das maiores operas de todos os tempos em dois anos, e vocês estão reclamando que eu só faço consertos tristes, historias trágicas —respirei fundo —quer ver historias felizes? assiste Disney! —falei e me retirei da sala eu realmente fiquei irritada com o que eles estavam achando.

Entrei em minha sala, como um furacão eu joguei coisas no chão troféus que eu consegui em dois anos, eles estavam brincando com fogo e eu não tinha paciência e nem saco para isso, eu tinha mais o que fazer.

Eu estava caida no chão respirando fundo para manter a calma que eu nem sabia se ainda podia ter, quando Pietro entrou na sala e respirou fundo.

—o que quer? —perguntei sem olhar para o mesmo, nada poderia me deixar mais fora do meu controle do que já havia acontecido.

—seu pai esta no telefone! —respirei fundo —ele disse que você não respondeu os E-mail's dele —soltei uma risada o que esse velho iria querer? Me levantei e andei ate a minha mesa onde só tinha meu computador e o telefone.

—pode sair eu irei atender! —falei pegando o telefone —como tem andado papai? —perguntei com a voz ironica.

—otimo, mas pelo visto você não né? —ele parecia muito confortavel em esfregar isso na minha cara —eu liguei para avisar que irei vender a opera! Diga adeus para a Fantasia! —eu podia jurar que o mesmo estava com um sorriso no rosto, mesmo sem poder ver.

—o que? —eu ainda não acreditava no que eu havia escutado, meu pai realmente vai vender a Fantasia? Como ele pode fazer isso comigo? Eu tenho colocado a minha vida nisso nesses dois anos pode parecer pouca coisa, mas para mim não é.

—não fique tão sentimental, você sabia que isso poderia acontecer! —ele falou como se fosse algo simples e eu respirei fundo, minha mão se fechou em punho, eu podia sentir minhas unhas cortar a minha pele e o sangue escorrer pela mesma.

—e o que eu faço? —perguntei respirando fundo e segurando o meu choro, estava tudo perdido, e eu era a unica a não saber o que fazer.

—isso não e problema meu! —ele falou como algo banal —ah e seu avó esta no hospital, venha para uma visita! —ele mandou e desligou na minha cara e deixei o telefone cair no chão eu sentia algo dentro de mim se libertar.

Gritar. Era isso que eu queria fazer, gritar e acabar com tudo ao meu redor, mas eu não poderia fazer isso aqui, havia pessoas aqui, peguei minha bolsa e as chaves do meu carro saindo do meu escritorio e indo para casa.

Pietro me ligou inúmeras vezes, mas ele já não trabalhava mais para mim e eu tinha que entender isso, eu perdi uma luta sem ao menos lutar, e o pior é que isso nem foi a primeira vez que isso acontece.

Eu estava jogada no chão da minha sala deitada sobre a mesa de centro que eu tinha quando a porta se abriu revelando Pietro bem ali com uma garrafa em mãos.

—o que você...—respirei fundo o observando entrar e ir ate a cozinha e voltar com duas taças —como entrou? —perguntei ao mesmo que se sentou a minha frente e serviu vinho para nos dois.

—eu cuido de tudo por você não se esqueça disso! —ele disse sorrindo —você perdeu a opera é precisa beber! —ele estava sendo forte por mim —esse vinho veio especialmente da Coreia! —ele disse sorrindo e eu apenas peguei a taça virando a mesma.

—Coreia, como eu amava o meu pais! —falei sorrindo feito uma idiota —tenho saudades de viver lá, dos meus antigos costumes! —realmente nem um lugar era como a Coreia.

—se sente tanta falta por que não volta? —perguntou me servindo mais e eu segurei a taça sorrindo novamente.

—porque meu pai é um pau no cu! —dei de ombros e bebi mais um pouco do vinho —e que ele deveria aprender uma lição! —dei mais um gole em minha bebida.

—e porque você não ensina essa lição para ele? —ele perguntou tomando um gole —porra isso é forte! —ele falou surpreso e eu concordei —agora eu entendo o porque você prefere os que vem da Coreia! —concordei com a cabeça, ainda pensando no que ele havia dito eu ensinar uma lião para o meu pai? Não há nada que eu poderia fazer.

—o que acha de vir para Coreia comigo? 


Notas Finais


Bjs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...