História Inegável desejo - Malira - Sterek - Scisaac - Teen Wolf - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Teen Wolf
Personagens Allison Argent, Derek Hale, Isaac Lahey, Kira Yukimura, Lydia Martin, Malia Tate, Scott McCall, Sheriff Noah Stilinski, Stiles Stilinski
Tags Amor, Derek, Derek Hale, Drama, Gay, Isaac, Isaac Lahey, Kira, Kira Yukimura, Lésbica, Lgbt, Malia, Malia Tate, Malira, Scisaac, Scott, Scott Mccall, Sterek, Stiles, Stiles Stilinski, Teen Wolf, Yaoi, Yuri
Visualizações 342
Palavras 1.400
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, LGBT, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oiiii
Já que meus amores pediram, continuei a história (E modifiquei a capa dela tmb)

Capítulo 2 - Traumas


Fanfic / Fanfiction Inegável desejo - Malira - Sterek - Scisaac - Teen Wolf - Capítulo 2 - Traumas

Puxo-o para um beijo e ele me abraça, passo minhas pernas pelo seu quadril, aproximando mais nossas intimidades. Paramos por alguns segundos e ele sorri, encarando-me com seus profundos olhos verdes. Eu sorrio também.

- Mas o que é que está acontecendo aqui? - Meu pai grita, fazendo-me pular de susto e empurrar Derek para longe.

- Pai! - Grito, desesperado. - Não é o que o senhor está pensando.

- Como não, Stiles? Vocês estavam se agarrando! Eu vi com meus próprios olhos! Que decepção, eu não esperava isso de você.

Suas palavras me atropelam e me deixam largado no chão para morrer.

- Pai… por favor… se acalme… - Peço, tentando segurar o choro que faz um nó na minha garganta.

- Sr. Stilinski, deixe-me explicar. - Derek mal consegue terminar a frase.

- Cale a boca! Você nem devia estar aqui! Eu já devia ter percebido que você não presta! - Derek o encara em estado de choque. - Saia daqui! Não quero, não admito, que você venha na minha casa novamente! - Hale olha para mim mostrando dúvida do que fazer.

- Vá. - Murmuro, sem forças. - Por favor, vá. - Seus olhos se enchem de lágrimas, mas ele apenas concorda e sai da cozinha. Escuto a porta da sala bater e ele gritar, furioso, contra a chuva que cai forte.

- O que é que você tinha na cabeça, Stiles? Por que, diabos, você estava com ele? - Sua voz é baixa, mas muito agressiva. Engulo em seco.

- Pai, eu sei que é estranho para o senhor, mas eu não pude evitar.

- Como não pôde evitar? Ele é um homem, Stiles. Um homem!

- Eu sei! Eu sei! E eu me apaixonei por ele! Caramba, pai! Eu não tive escolha!

- Ah, não? Então como até ontem você era apaixonado pela Lydia? Para quem disse que ninguém superou a morte dela, até que você superou bem rápido!

- Lydia está morta e vai continuar assim! Eu não podia me prender a um cadáver!

- Então é isso? Sua paixãozinha se foi e agora você resolveu virar gay por causa do coraçãozinho magoado? - A ironia que passeia por palavras me magoa de uma forma que não posso expressar.

- Eu não virei gay, pai. Eu sempre tive uma atração por garotos também. Eu só me prendi à Lydia porque isso seria o mais normal!

Ele murmura algo que não entendo. Meu coração bate tão rápido que chega a doer. Passo por ele e volto para meu quarto. Escuto ele subindo as escadas atrás de mim, mas continuo abrindo meus armários e pegando algumas roupas para colocá-las em minha mochila.

- O que aconteceu com o “eu te amo, nada mais importa”? - Pergunto assim que ele para na porta. Meu pai me encara, mas não responde. Termino de arrumar minha mochila. Visto uma camiseta e calço um par de tênis.

- Eu não conheço esse Stiles. - Ele diz, sem emoção. - Já nem sei se conhecia antes.

- Eu sou o mesmo, pai. - Algumas lágrimas fogem dos meus olhos, seco-as rapidamente. - Sou o mesmo, o fato de eu me apaixonar por garotos não muda meu caráter, nem o quanto amo você. Mas, pelo visto, muda o quanto você me ama. - Ele passa as mãos pelo rosto, esfregando com força.

- Eu… eu não sei. É melhor você ir embora mesmo. Saia da minha casa, saia da minha vida. Vá fazer o que você quiser, com quem você quiser. Não sou obrigado a aceitar essas safadezas. - Fico travado no lugar por alguns segundos. Assim que me recupero coloco a mochila no ombro e pego as chaves do jipe. - Deixe isso aí. - Olho para ele, sem acreditar.

- Vai tirar de mim até meu jipe? - Pergunto, com a voz mais chorosa que antes.

- Você tirou meu filho.

Balanço a cabeça, a confusão misturada com a dor e o medo está me deixando zonzo. Jogo as chaves nele, elas batem em seu peito e caem no chão. Ele dá um passo para o lado, parando de bloquear a porta. Passo rapidamente por ele e desço as escadas.

- Depois eu volto para buscar o resto das minhas coisas. - Digo no meio do caminho.

- Volte enquanto eu não estiver aqui. - Escuto sua voz reverberando pelas paredes. Inspiro profundamente e olho o lugar que costumava chamar de lar, despedindo-me mentalmente.

Enfio o celular que está na minha mão na mochila e saio porta afora. A chuva está forte e rapidamente fico encharcado. Pelo menos minha mochila é a prova d’água.

- Stiles! - A voz de Derek chega alta e clara aos meus ouvidos apesar do barulho dos trovões que ressoam ao longe. - Stiles! Espere!

- Vá embora, Derek! Já fez o suficiente por hoje! - Grito sem olhar para trás. - Eu quero ficar sozinho!

- Onde você está indo? - Ele chega do meu lado.

- Ficar longe de você. - Olho para ele e vejo que está chorando, sinto minhas lágrimas se misturarem às dele e às gotas da chuva quando ele me puxa para um beijo desesperado. Retribuo o beijo, preciso dele como alguém precisa de ar para respirar. Ele aperta minha cintura contra ele.

- Por favor, me perdoe. Eu nunca imaginei… Você me distraiu tanto que não ouvi ele chegando...

- Está tudo bem, Derek… Vá para casa. Eu quero ficar sozinho um pouco.

- Você não vai ficar na rua, não é?

- Não, fique tranquilo.

- Eu não consigo.

- Por favor, Derek. Vou ficar bem. Só vá para sua casa, okay?

Ele bufa, mas concorda. Continuo andando pelas ruas por uns vinte minutos até chegar na casa de Malia, um aconchegante imóvel com dois andares. Bato na porta.

- Malia! Está aí? - Ela aparece rapidamente.

- Stiles? O que houve? - Ela me deixa entrar e paro no hall para não molhar o resto da casa. - Espere, primeiro tire essa roupa. - Jogo minha mochila para ela e tiro toda a roupa molhada. Malia joga as peças secas para mim e me visto, ainda tremendo de frio. Não me importo com ela me ver nu, não é nada que ela já não tenha visto quando ficamos juntos.

- Derek me beijou. - Ela abre a boca em surpresa. - Ele apareceu no meu quarto ontem à noite, acabamos dormindo juntos. - Ela vai até o sofá e sorri.

- Finalmente! Achei que você nunca ia tomar atitude!

- Como assim? Eu não tinha contado para ninguém. - Sento no sofá ao lado dela.

- Ah, qual é, Stiles? Eu sou bem perceptiva, você sabe. Deixe-me adivinhar. Seu pai pegou vocês dois juntos?

- Sim, ele ficou até de madrugada na delegacia, e quando chegou me viu sentado no balcão da cozinha agarrando o Derek. - Dou de ombros. - Obviamente ele não reagiu muito bem.

- Onde está aquele lobisomem mal-humorado agora? Ele devia estar aqui com você!

- Eu que pedi para ficar sozinho. Ele tentou me seguir, mas não deixei.

- Ah… Você pode ficar aqui, fique tranquilo. Prometo não deixar ninguém te incomodar.

- Você quer que eu vá embora, Stiles? - Viro o rosto e vejo Kira parada no pé da escada.

- Não precisa, Kira. Só fechem a porta quando forem transar para eu não ouvir seus gemidos. - Brinco. Elas se assumiram apenas para os amigos. Kira passa bastante tempo na casa de Malia, mas para seus pais elas são apenas amigas. Observo a japonesa se sentar ao meu lado. Ela e Malia me abraçam como se fôssemos um sanduíche.

- Obrigado. - Murmuro. - Preciso de um tempo para assimilar tudo que aconteceu.

Ouço três batidas fortes na porta. Malia franze as sobrancelhas para mim e se levanta, indo até a porta. Eu e Kira a seguimos. Mais três batidas fortes, estou surpreso pela madeira não ter se quebrado.

- Stiles! - Derek grita. - Sei que está aí! Por favor, abra a porta!

Faço o que ele pede, ficando em choque com a cena a minha frente. Derek está pálido, cheio de hematomas e cortes, o sangue se misturando à água da chuva.

- Por favor, volta para mim. - É tudo que ele diz antes de cair de joelhos no chão à minha frente.


Notas Finais


Espero que tenham gostado S2
Como sempre, se quiserem comentar, prometo responder à todos S2


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...