1. Spirit Fanfics >
  2. Inesperadamente Esperado >
  3. Bônus - Minseok e Sehun

História Inesperadamente Esperado - Capítulo 8


Escrita por:


Notas do Autor


Oi gente

A quarenta está rendendo, então eu decidi fazer um mimo para quem está acompanhando essa fic e deixar um bônus bem levinho de um casalzinho bem fofo hsuahsuahs

Espero que gostem

Boa Leitura!

Capítulo 8 - Bônus - Minseok e Sehun


Minseok exibia um sorriso sapeca ao ver Chanyeol e Baekhyun se afastarem aos poucos, ambos tímidos e incertos. Era um tanto adorável —e bem irritante— ver que os sentimentos eram recíprocos, porém os dois pareciam não quererem enxergar o que estava bem diante dos próprios olhos.

Não que Minseok tivesse muita propriedade para falar do assunto.

Seus olhos logo se voltaram para o homem que estava alguns metros a frente. Seu corpo todo reagia diante a presença de Sehun. As vezes só de ouvir o nome dele. Era impressionante como seus sentimentos pelo garoto progrediam e se tornavam sólidos a cada vez que o via.

Minseok e Sehun se conheceram na Lumin quando Sehun estava no início da carreira de modelo. Deveria ter seus recém vinte anos formados. Era um garoto ainda magricelo, tímido, sem confiança na própria aparência, porém, com um potencial totalmente subestimado.

Quando Minseok o viu pela primeira vez, Sehun iria estar em um dos artigos da revista, e era seu primeiro trabalho para uma grande marca. Não conseguiu conter o sentimento de desejo de proteger o garoto que parecia tão pequeno no grande estúdio de fotografia. Sehun naquele dia não desgrudou de Minseok, o qual o incentivou e deu todo apoio necessário para que Sehun pudesse se soltar e fazer boas fotos.

Não demorou muito para que os funcionários da Lumin enxergassem o potencial de Sehun fazendo questão de o deixarem como regular na empresa, tanto nas passarelas como nas revistas. O nome do garoto foi ganhando fama e ele era cada vez mais requisitado por várias outras marcas. Mas, Minseok sentia que Sehun tinha um carinho especial pela Lumin, talvez porque fosse onde ele conseguiu lançar seu nome.

Minseok viu Sehun ir de um garoto tímido, recém saído da adolescência, meio magricela para um super modelo confiante, com um corpo invejável e sendo conhecido por estar no top 5 dos homens mais bonitos do mundo nos últimos anos.

A carreira de Sehun estava em ascensão. O garoto amava o que fazia, Minseok podia ver no rosto de Sehun que ele gostava daquilo, daquele mundo de roupas, fotos e passarelas. E era disso que tinha medo.

O Kim notou seus sentimentos por Sehun de repente, logo após Sehun completar seus vinte e dois anos. Estavam no trabalho, como sempre. Sehun fazia prova das peças principais de um estilista de renome que praticamente exigiu o modelo. Minseok estava responsável por coordenar o desfile, e usou essa desculpa para acompanhar Sehun na prova. Ambos eram próximos, como amigos, então não era problema que estivessem juntos. Mas Minseok soube que era quando sentado no sofá viu Sehun vestido num finíssimo terno cor de rosa sorrir feliz ao se ver no espelho.

O coração de Minseok bateu rápido e seus olhos vidraram no homem que estava a sua frente. Percebeu então que Sehun já não era mais aquele garoto estabanado, tímido, que sempre questionava inúmeras vezes se realmente era um bom modelo.

Sehun se tornou um homem. Um lindo homem, que agora sabia do seu potencial e o reconhecia. Que aprendeu a se amar e soube que era bom no que fazia.

Para Minseok, aquilo que tornou Sehun —ainda mais— lindo. E foi o que fez de apaixonar pelo, agora, homem.

Desde que se tornou consciente dos seus sentimentos, Minseok também tomou ciência de outros fatos. Um deles era que, Sehun era bonito. Na verdade esse nem era o fato, mas sim que Sehun era bonito demais para si.

Minseok nunca teve muitos problemas com sua aparência. Durante a infância estava acima do peso, mas nunca achou que aquilo lhe incomodasse. Decidiu praticar esportes e malhar na adolescência porque acabou gostando, e isso resultou no corpo bonito que tinha atualmente. Porém se sentia totalmente sem graça quando olhava para Sehun e via as pessoas com quem ele trabalhava. Tanto os modelos homens e mulheres que beiravam a perfeição visual quanto os artistas talentosos que fazia parceria. Não gostava de se sentir assim, mas não conseguia evitar a impotência que lhe tomava quando se comparava aos demais.

Havia outro fato, esse que Minseok se achava semelhante a Baekhyun. Sehun era jovem, com uma carreira que estava deslanchando, viajava o mundo todo. Já Minseok já tinha seus vinte e nove anos, faltando poucos meses para completar trinta, gostava de comodidade, ficar em casa, assistir filme. Pensava que nunca seria suficiente para Sehun, afinal era opostos, quase de gerações diferentes. Não queria ser um empecilho na vida de Sehun. Apesar de já estar completamente entregue a seus sentimentos que facilmente cederia sua comodidade para Seguir o Oh pelo mundo apenas para o ter por perto.

Todavia, apesar de todos esses fatos, tinha um que assombrava Minseok mais que tudo.

Ele tinha medo de magoar Sehun.

Eles eram próximos, talvez até amigos. Porém, Minseok quase entrou em desespero quando percebeu que amava Sehun mais do que como amigo. Foi então que se afastou dele, na intenção de fazer seus sentimentos sumirem —ao menos, essa era a esperança. Porém, o resultado foi apenas um afastamento que nitidamente magoou Sehun e o deixou constrangido na sua presença e o fortalecimento dos seus sentimentos pelo modelo.

Ou seja, Minseok fez tudo errado. Magoou Sehun e continuava o amando cada vez mais.

Foi por isso que quando Baekhyun ligou para si na noite anterior e Minseok lhe disse que Baekhyun era encantador e qualquer um poderia se apaixonar por ele, sentiu aqueles palavras perfurarem em si também. Ora, se Sehun não gostava dele, poderia mudar isso, e mesmo que não pudesse, ao menos tentou —após mais de um ano de paixão, mas tentou.

E então isso leva ao atual momento. Minseok ainda tava parado na sombra onde Chanyeol e Baekhyun o deixaram olhando para Sehun, Seoeon e Seojun. Estava criando coragem para ir até lá. Parecia mais fácil quando falou consigo mesmo no espelho.

Após respirar fundo quase um zilhão de vezes, Minseok finalmente caminhou até onde queria. Não segurou o sorriso quando as crianças o notaram e correram para si grudando em suas pernas.

—Tio Min! —gritaram animados— Você veio bincá di pega-pega com a gente? —Seojun perguntou com os olhinhos brilhantes.

—Ah não, talvez depois. O tio Mim veio fazer algo ainda mais legal. —fez suspense vendo as crianças ficarem ansiosas— Vou levar vocês, o tio Hun e o Toben pra tomar sorvete!

Os pequenos gritaram animados e começaram a correr em volta do Kim felizes. Minseok até mesmo esqueceu-se momentaneamente de Sehun, só lembrando do modelo quando o mesmo se aproximou, envergonhado, parando a sua frente com Toben nos braços.

—Oi hyung.

Minseok poderia morrer apenas em ouvir a voz de Sehun. Estava tímido, era notável. A voz parecia constrangida e seu corpo um tanto encolhido. Era adorável, mas Minseok sentia falta do Sehun descontraído que gostava de o irritar.

—Oi Hunnie.

Sehun até tentou controlar o olhar surpreso, porém Minseok o notou. Fazia tempo que Minseok não o chamava assim, principalmente com a voz doce como fizera.

—Bom... Vai mesmo nos levar para tomar sorvete?  —Sehun falou baixo. Estava constrangido com o olhar tão intenso de Minseok.

Em momentos como aquele, Minseok admitia como Sehun era jovem, e como gostava disso. Ele era simplesmente adorável fazendo coisas mínimas, como apenas estávamos constrangido.

—Vou sim. Praticamente forcei Chanyeol e Baekhyun a irem num encontro.

—Ah, isso é ótimo. Eu conheci Chanyeol hoje e já notei que ele e Baekhyun se gostam. —Sehun falava como se fosse absurdo os dois citados não terem consciência dos próprios sentimentos.

—Pois é, parece que apenas eles não percebem.

Um silêncio se fez novamente. Os dois homens trocavam olhares com tantos significados que nem eles mesmo saberiam dizer como se sentiam. Só sabiam que ainda haviam mais no mundo além deles porque Seoeon e Seojun faziam questão de falarem alto enquanto brincavam nas pernas dos adultos.

—Bom, enquanto eles aproveitam o encontro deles, nós aproveitamos o nosso. —Minseok falou num ímpeto de coragem— Espero que não se importe de ter duas crianças e um cachorro no nosso primeiro encontro.

Minseok quis rir alto quando viu a expressão confusa de Sehun. O garoto parecia congelado por bons segundos, até começar a abria a boca e nada sair.

Simplesmente lindo.

—Nós teremos um encontro?! —questionou o Oh, a voz saindo mais aguda do que o normal— Está me chamando para sair?

—Olha Hunnie, eu precisei de mais de um ano e alguns tapas de Baekhyun para ter coragem de fazer isso. Sei que não é o melhor convite para sair porque tem mais duas crianças e uma bola de pelos envolvidas no meio, mas por favor, o aceite. Ao menos por hoje. —Minseok falava quase em desespero desmanchando toda a aparência confiante que tinha segundos antes.

Sehun sorriu desacreditado. Minseok não conseguia o olhar diretamente no momento. Apenas aproveitou do seu constrangimento para entregar as mochilas de dinossauro dos gêmeos —que lembrou ainda estar segurando— para os mesmos e vergonhosamente pegar Toben dos braços e de Sehun e colocar a guia no animalzinho.

—Vamos? —perguntou, a voz baixa.

—Meninos, estão prontos para verem o melhor encontro do mundo acontecer?

Minseok olhou confuso para Sehun ao ouvir a voz dele soar tão animada. Sentiu tudo aquilo que tentou conter voltar a tona ao ver Sehun sorrindo lindamente para si como não fazia há tempos.

—Então aceita? —seus olhos brilhavam como se ainda fosse uma criança feliz.

—Hyung, eu não sou capaz de te negar algo. —respondeu Sehun sorrindo pequeno.

Minseok não sabia, mas aquelas palavras tinham muitos significados para o Oh.

Sorrindo também, Minseok segurou na mão de Seojun  e a outra guiava Toben, já Seoeon estava quase agarrado a Sehun. Os cinco começaram a caminhada pelo parque até a praça de alimentação que fica a na parte central animados, felizes e dois deles apaixonados

 

[...]

 

No parque não era difícil achar um lugar onde pudessem entrar animais, e também não era difícil achar um lugar onde tivesse um playground pra crianças. Mas um lugar que tivesse ambos era, Minseok nem sabia que existia, mas felizmente foram sortudos suficientes para encontrarem uma lanchonete que tinha as duas coisas.

Logo que todos entraram na lanchonete, Seojun fez questão de puxar o irmão pela mão até o playground. Brincaram por dois minutos inteiros até se lembrarem que Minseok estava com Toben  e foram pedir pelo animalzinho para brincarem juntos. Sehun e Minseok estavam impressionados com o ânimo que os gêmeos tinham para continuarem brincando com o cachorrinho.

Só quando uma garçonete veio anotar os pedidos de sua mesa que Minseok deu-se conta de que estava à sós com Sehun. A tarde já chegava e o tempo esfriava aos poucos, porém suas mãos suavam e sentia seu corpo quente de nervosismo.

—Me desculpe por te levar a um lanchonete cheia de crianças e cachorros no nosso primeiro encontro. Confesso que eu já havia imaginado essa situação de muitas formas, mas nenhuma delas era assim. —falou frustrado.

Mexeu os dedos nervoso sobre a mesa. Agora que pensava sobre seus atos, achava  que nem podia chamar aquilo de encontro. Sehun merecia jantar num bom restaurante, com boa comida e bebida.

Teve um sobressalto quando sentiu uma das mãos de Sehun cobrir as suas. Sehun era bem mais alto, e por consequência, até suas mãos eram maior. E ver apenas uma das mãos dele praticamente cobrirem as suas o fez notar que realmente havia uma diferença de tamanho considerável entre eles, e Minseok adorava isso.

—Não se preocupe tanto, hyung. Eu estou adorando. Sabe que eu sempre adoro estar com os gêmeos, e Toben também é adorável. Além de que, sua presença também me faz feliz, Min-hyung. —Sehun sorria, porém seu rosto se tornava vermelho aos poucos— Eu estou adorando nosso encontro. Me sinto como um adolescente novamente.

—Você mal saiu da adolescência, Sehun. —Minseok provocou.

—Aah, me desculpe se não sou um homem de meia idade como o senhor. —rebateu.

Então Minseok lembrou-se de mais uma coisa que o fazia ser completamente apaixonado por Sehun. O homem era de uma riqueza considerável, com inúmeros seguidores e as vezes até era parado pelas ruas para tirar fotos e dar autógrafos para quem o acompanhava. Porém, Sehun ainda tinha a personalidade de um garoto simples e sem grandes frescuras.

Minseok sorriu ao se lembrar da história que Sehun lhe contou. O Oh sempre dormiu no chão em sua casa, era acostumado já que morava em uma casa antiga e sua mãe gostava de levar a vida a esse estilo mais tradicional. E quando Sehun conseguiu um bom salário morando sozinho, a primeira coisa que fez foi comprar uma cama de colchão macio. Porém, apenas gastou dinheiro já que estava tão acostumado ao chão que não conseguia dormir em sua cama.

Sehun sempre seria o mesmo, independente de dinheiro ou fama. E Minseok amava isso.

—Eu queria saber algo. —Sehun começou um pouco incerto— Eu queria saber se... Se esse encontro, é um encontro de amigos ou...—não conseguiu finalizar.

—Ou...? —Minseok o incentivou a continuar.

—Ou... Se me chamou por que...—respirou fundo— por que gosta de mim.

Minseok notou que suas mãos e de Sehun ainda estavam unidas na mesa. Soltou uma de suas apenas para envolver a de Sehun e trazê-la até os lábios deixando um beijo na pele quentinha.

—Eu gosto de você, Sehun. Eu te disse que precisei de mais de um ano pra criar coragem de te chamar pra sair. Eu realmente gosto de você.

O sorriso que Sehun tentou conter fez tudo valer a pena. Minseok soube que Sehun sentia o mesmo, ele não precisava falar, apenas seu sorriso e o olhar que recebeu falaram pelo Oh.

—Então eu tenho outra dúvida. Se gosta de mim, por que se afastou de mim?

—Justamente por isso. —respondeu com a voz baixa, um tanto envergonhado— Eu achava, e admito que ainda acho, que não sou suficiente pra você, Hunnie. Eu tô tendo que lutar com muitos medos diferentes nesse exato momento.

—Isso nem faz sentido, Min.

Minseok sorriu fraco ao ouvir o quão indignado Sehun ficou.

—Mas pra mim fazia, Sehun. Veja pelo meu lado. Você é mais novo do que eu, tem uma carreira que tende a se estabelecer cada vez mais. Você tem muitos sonhos e projetos pra realizar ainda. O que eu tenho pra te oferecer além de dias entediantes e meus sentimentos?! Nada.

O Kim olhava para as mãos ainda entrelaçadas na mesa. Ser sincero com Sehun estava sendo tão dolorido quanto imaginou. Mas não podia desistir, tinha que resolver esse assunto.

—Hyung, para mim, você é muito mais do que suficiente. —a voz doce de Sehun fez Minseok o olhar— Eu gosto de você desde a primeira vez que nos falamos. Naquela época eu se quer me deixei sonhar em ter algo com você. Hyung, você tem tudo, sua vida já está feita, tem um emprego bom onde faz o que gosta e além do mais, na época eu jurava que você e Baek-hyung tinham algo. E eu era o que? Um garoto tímido tentando a vida de modelo.

Minseok o ouvia com atenção. Quase podia enxergar as coisas de outro ângulo ao ouvir Sehun.

—Eu gostava cada vez mais de você, Hyung. E apesar de me doer ter que lembrar a mim mesmo sempre que eu nunca teria nada contigo, só o fato de ter você ao meu lado me fazia melhor. —Sehun desviou o olhar. Seu semblante se tornado triste— Mas então, depois de um tempo, quando eu cogitei te dizer como me sentia, você se afastou. Doeu muito hyung. Eu até pensei que fosse a vida me lembrando que você sempre estaria fora do meu alcance. Eu senti tanto a sua falta.

Sehun levantou os olhos, os mesmos marejados para o desespero de Minseok. O Kim rapidamente mudou de cadeira se colocando ao lado do Oh e o abraçando de um jeito um tanto desengonçado.

—Me desculpe, Sehun. Eu apenas pensei em mim. Tinha tanto medo de não ser suficiente pra você que se quer pensei que sentiria minha falta. —beijou os fios castanhos do modelo.

Sehun se aconchegou no ombro de Minseok. Por tanto tempo quis aquilo que parecia irreal estar ali, nos braços de quem amou por anos.

Segurou uma das mãos de Minseok com força, temendo que não fosse real, apesar da avalanche de sentimentos dentro de si lhe confirmarem que realmente estava nos braços do seu Hyung.

—Já que estamos aqui, acho bom te avisar que, se você cogitar a se afastar de mim novamente, eu vou atrás de você até o fim do mundo.

Minseok riu baixinho apertando ainda mais Sehun contra si.

—Eu não sou nem louco de fazer isso novamente. É tão bom te ter perto de mim.

Os dois poderiam facilmente ficarem abraçados ali na lanchonete o resto da tarde e até a noite inteira. Porém, logo uma pessoinha apareceu sendo levado por uma funcionária da lanchonete. Seoeon tinha os olhos molhados de lágrimas e fungava.

—O que aconteceu? —Minseok perguntou preocupado, quase correndo até o menino

—Ele estava brincando com o irmão e com o cachorro e tropeçou em outra criança e caiu. —explicou a moça.

Minseok e Sehun trocaram um breve olhar. Certamente precisariam ir em um encontro apenas os dois em algum momento, mas por hora, iriam aproveita o momento que tinham com seus dois pestinhas preferidos e o cachorro mais fofinho do mundo.


Notas Finais


Foi isso, minhas lindezas
não sei se trarei mais bônus assim, mas achei uma graça hsuahsuahs
segue o Link de mais uma das cenas do programa com Seoeon e Seojun
https://youtu.be/nPIlomlnjzo

até sexta
Beijos da Yaya


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...