História Inesperado-Clace - Capítulo 18


Escrita por:

Postado
Categorias Os Instrumentos Mortais, Shadowhunters
Personagens Alexander "Alec" Lightwood, Aline Penhallow, Asmodeus, Catarina Loss, Clary Fairchild (Clary Fray), Emma Carstaris, Jem Carstairs, Jeremiah, Jonathan Christopher Morgenstern, Jordan Kyle, Kaelie, Lilith, Luke Graymark, Magnus Bane, Maia Roberts, Maryse Lightwood, Max Lightwood, Meliorn, Rainha Seelie, Raphael Santiago, Raziel, Rebecca Lewis, Sebastian Verlac (Jonathan Christopher Morgenstern), Simon Lewis, Stephen Herondale, Tessa Gray, Valentim Morgenstern
Tags Alec Lightwood, Clace, Clary Fray, Jace Herondale, Magnus Bane, Malec, Sizzy
Visualizações 166
Palavras 2.325
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Policial, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Suspense, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


QUEM É VIVO SEMPRE APARECE NÉ
VOLTEI

BOA LEITURA
CHOREI ESCREVENDO 😢😢😢😢😢😢😢
ME DESCULPEM SE FIZ VOCÊS CHORA TAMBÉM 😭😭😭😭😭😭😭😭

Capítulo 18 - Não me abandone pequena! Por favor não se vá


Fanfic / Fanfiction Inesperado-Clace - Capítulo 18 - Não me abandone pequena! Por favor não se vá

Jace

Estava feliz como nunca estive desde morte de minha irmã. Vou me casar com Clary. 


-- Jace você viu aqueles documentos médicos? -- pergunta aparecendo atrás de mim com um rosto de preocupação


-- Eu acho que está na gaveta do meu escritório. Mais porque? -- minha voz sai em um tom de dúvida 


-- Ali tem fotos das marcas que Sebastian deixou em mim. Posso usar isso contra ele -- fala e se senta na cama soltando um longo suspiro 


-- Não se preocupe me anjo! Ele não vai chegar perto de vocês -- beijo seus lábios com suavidade 


-- Eu te amo. -- sorrio. Ficamos ali naquele silêncio até Clary o quebrar -- Vou tomar banho -- sai dali e vai em direção ao banheiro

Clary

Minha cabeça estava tão confusa. Um turbilhão de coisas vinham à minha direção e eu ao menos sabia como para-los. Daqui a uns dia Sophie faz aniversário e eu ao menos sei oque fazer. 

Me olho naquele espelho. Vendo minha face, oque tinha me tornado desde que tive Sophie. Pelo desespero me ajoelho no chão chorando muito


-- Clary? -- Jace bate na porta. Eu havia trancado a mesma 


-- Jace sai por favor -- caio deitada no chão chorando mais ainda

Escuto a porta se abrindo pelo lado de fora e me lembro que Jace tinha uma chave reserva 


-- Pequena não fique assim. To aqui e irei te proteger com minha própria vida se for preciso meu amor -- Jace me puxa para seus braços e eu me aconchego neles 


-- E quem ira proteger você? Eu coloco todos em risco sempre Jace -- olho fixamente em seus olhos -- Sua irmã esta morta por minha culpa 


-- A culpa não é sua Clary. Para de agir como se tudo que acontessesse fosse sua culpa pois não é -- segura meu queixo para que olhasse nos olhos dele -- Eu te amo e nada disso vai mudar. Eu te amo. E se houver vida apos a morte viu amar também -- vejo uma lágrima cair de seus olhos assim como as minhas caiam dos meus 


-- Eu também te amo Jace. Mais tenho medo de que esse amor possa te matar. 


-- Ninguém aqui vai morrer entendeu. Agora tome banho e vamos dormir pois amanhã vamos comprar os preparativos da festa de Sophie -- fala me levantando e começa a se despir 


-- Porque esta tirando a roupa? -- perguntei o olhando 


-- Não vai tomar banho sozinha -- sorrio me olhando 


-- Jace é banho! -- olho pra ele que sorri novamente 


-- Eu sei me amor. Não podemos ter nem um pouco de amor no meio não -- vejo Jace sorrir maliciosamente 


-- Jace não. Eu disse banho e vai ser banho. -- sorrio vendo ele revirar os olhos 

•°•°•°•

Depois de tomar um banho relaxante com Jace estava bem melhor. 


-- Clary podemos conversa? -- Izzy entra no quarto. Jace estava se trocando no closet


-- Sim. Oque quer fala? -- pergunto terminando de arrumar o cabelo 


-- Bem. Vamos pro meu quarto, é um assunto meio sério -- fala e eu assinto. Nos duas vamos em direção ao seu quarto que era dois quartos do meu


-- Fala izzy. Já tá me deixando preocupada -- olho em seus olhos 


-- Clary eu marquei o julgamento de tudo. Pode gritar e fazer oque você quiser. Já está feito o julgamento é daqui dois dias -- Izzy fala de uma vez e eu a olho incrédula 


-- Isabelle Lightwood como pode fazer isso?! 


-- Desculpa Clary mais você tem uma prova de agressão e isso vai ajudar você. -- fala e mostra a marca vermelha em meus braços


-- Ta Izzy. Agora vá dormir porque amanhã nos acordamos cedo. 

Saio do quarto e vou para o meu. 

•°•°•°•

Dois dias depois       12:45PM

-- Vamos Clary. -- Jace me chama pela quarta vez


-- Já vou -- desço as escadas com Sophie nos braços -- Vamos. 

Todos assentimos e vamos em direção ao Tribunal para o tal julgamento no qual todos nós estávamos temendo tanto. 

Chegamos ao local. Minhas mãos estavam suando frio. Assim que entramos Izzy, Alec, Magnus, Celine, Stephan e Will se senta no banco de testemunhas. 

Izzy estava com a cara de quem iria matar alguém


-- Bem vamos começa -- o advogado de Sebastian se pronuncia


-- Sim claro. -- fala o juíz -- Suba a primeira testemunha. -- então uma mulher sobe até lá 


-- Bem. Eu nunca vi Sebastian agredir essa mulher -- fala e eu começo a ficar com raiva de toda aquela mentira 


-- Eu protesto -- meu advogado exclama 


-- Protesto aceito. Clarissa ira falar agora. -- o juiz me olha e eu assinto

Vou ate aquela pequena mesinha e me sento. Um homem vem até mim com uma Bíblia e coloca minha mão sobe ela 


-- Jura falar somente a verdade? -- pergunta


-- Eu juro. 


-- Começe a falar desde que se conheceram. -- fala o juiz 


-- Quando conheci Sebastian ele não era rude como agora, ele era diferente. Antes de conhecer ele eu era virgem. Tivemos relações íntimas e descobri que estava grávida de Sophie, meu pai me expulsou de casa quando eu contei. Fui para casa de minha mãe e ela estava muito doente, então escondi minha gravidez dela e contei para meu irmão. Depois de uma semana contei para sebastian e ele me xingou de vadia e puta, falou que Sophie não era filha dele e que não iria assumir a criança. Os Herondale me aceitaram na empresa deles, na noite da festa quase morri pois Sebastian me enforcou. Se não fosse pelo meu noivo estaria morta e Sophie tambem. Eu não quero que tirem minha filha de mim, eu enfrentei muitas coisas. Perdi pessoas que eu amava e outras que eu nem conhecia por isso. Por favor não tire Sophie de mim. Ela é tudo que eu tenho nesse mundo -- lágrimas caiam do meu rosto, sentia elas queimando minha alma, relembrar oque eu passei doia como um lâmina em brasa em minha garganta


-- O júri ira tomar sua decisão. Por favor Aguardem ao lado de fora. -- um homem se pronuncia e todos nós saímos 


-- Mama me da tete -- Sophie que estava deitada sobre o ombro de Jace estende a maozinha para mim


-- Claro meu amor. -- sorrio e a pego -- Vem cá -- me sento em uma das cadeiras e abaixo minha blusa e sutiã. Sophie logo começa a mamar. 


-- Bem todos estamos com fome. Clary vamos ali pegar café e já voltamos ta? -- Will fala. Eu assinto todos saem e eu fico ali com Sophie nos braços. Seu rostinho branco pálido, seu narizinho, seus olhinhos verdes como o meu e sua boca avermelhada como a de Sebastian. 

Eu me sentia feliz amamentando Sophie. Era como uma ligação que nós tinhamos, eu não queria que ela acabasse


-- Mama sono -- termina de mamar e fala para mim. Ajeito ela deitando e ela dorme 


-- Será que ela vai me chama de pai? -- ouso a voz que eu não queria ouvir. Sebastian


-- Claro que não. Ela é minha e o pai dela é Jace. -- falo seca 


-- Devia tomar cuidado Clarissa. Coisas ruins podem acontecer. -- fala e sai 

•°•°•°•

Depois de uma hora voltamos a audiência


-- A decisão foi tomada! Clarissa tem a guarda total da criança. Sebastian você está sendo preso por agressão. E tentativa de homicídio -- fala o juiz -- levem ele daqui. 

Dois policiais vão até Sebastian e o pega. Sebastian começa a brigar com os policiais e escuto um barulho ensurdecedor atingir meus ouvidos. Logo depois sinto minha blusa umidecer e uma dor insuportável atingir meu peito. No mesmo momento tudo fica escuro e sinto meu corpo caindo 

Jace. 

Um desespero toma conta de mim. Aquilo não era real. Vou correndo até Clary que caiu desmaiada no chão. Ao seu redor uma poça de sangue seu tornava, meu Deus ela tinha levado um tiro. 


-- Por favor senhor. Se afaste -- um socorrista chega colocando um inalador em seu nariz. 


-- Seu desgraçado. -- vou pra cima de Sebastian enchendo seu rosto do soco -- Filho da puta. Infeliz. Eu vou matar você! -- berrava

Sinto mãos me puxarem. 


-- Qual o estado Doutor -- o socorrista pergunta ao seu amigo que examinava Clary


-- Bala no tórax direito. Ela pode ter paradas respiratórias. A bala não perfurou o tórax, não tão fundo. Se não tirarmos rápido ela vai morrer. -- meu coração se apertou ao ouvir aquilo. A ambulância chego fazendo aquele barulho chato de sempre. 

Eles colocaram Clary em uma maca e a levaram para dentro da ambulância. Eu disse que iria na ambulância com Clary e os outros concordaram. 

Chegamos no hospital e Clary foi levada diretamente para sala de cirurgia 


-- Jace onde ela está?! -- todos entram no hospital aos nervos 


-- Foi levada para sala de cirurgia. Eu não posso perder ela, eu já perdi minha irmã. Não vou me perdoar nunca se algo acontecer com minha pequena -- olho para minha mãe chorando. 


-- Calma filho. Clary vai superar isso e vocês vão me dar muitos netos -- minha mãe fala e se senta ao meu lado. Encosto minha cabeça em seu ombro me permitindo chorar 


-- Santa purpurina e vou mata aquela gazela platinada -- Magnus chorava assim como todos 


-- Vai ter que entra na fila -- Will responde com um sorriso triste no rosto. 

•°•°•°•

Já havia se passado duas horas e a cada médico que aparecia meu coração saia da boca 


-- Responsáveis por Clarissa Farchild -- o médico chama e nos aparecemos 


-- Somos nos Doutor. Como esta minha mulher? -- pergunto 


-- Bem... A senhora Clarissa teve um perfuramento no Tórax direito. Retiramos a bala com muita dificuldade pois é um lugar delicado. Durante a cirurgia ela teve duas paradas respiratórias -- ele suspira nos deixando preocupados -- Clarissa entrou em coma. -- fala por fim. Meus olhos ardem com lágrimas que retornaram a cair 


-- Po... Podemos vela?! -- Isabelle pergunta


-- Podem sim. Um de cada vez -- fala e sai 

(Visita de Magnus) 

Entro naquele quarto e vejo Clary deitada em uma cama branca 


-- Ei pode ir acordando. -- sorrio fraco e triste. -- Ta bom. Não vai acordar. -- seguro em suas mãos -- Lembra quando nos conhecemos na sexta série? Você era magrela e usava croqui. Eu te chamei de pesadelo da moda e você me chamou de viado da porpurina. Então ficamos amigos. Ai você mudou minha vida inteira, quando meu pai não aceitava que eu era gay você me fazia sorrir. Quando ele me batia você chamava a polícia, teve uma vez que você apanhou comigo e por mim. Clary por favor acorda. Ainda temos que joga sapatos no Simon. -- falo chorando -- Ta vendo. Eu borrei o lápis. -- choro mais ainda 

(Visita Simon) 

Entro na sala após Magnus sair

-- Sua dorminhoca. Você sempre gostou de durmir. E na sétima série nas aulas de história então, você durmia e eu colocava um caderno na sua cara pra disfarçar. -- rio lembrando -- Lembra da vez que tentamos matar aula. Ficamos no armários de vassouras até o sinal bater. Quando eu fui te chama você estava dormindo. Tava até babando -- sorrio e pego a mão de Clary -- Só que não é hora de dormi. Então acorda


(Visita de Izzy e Will) 

-- Will se der problema eu faço você comer batom -- Izzy fala entrando depois 


-- Aahh shiu -- Will brinca 


-- Ela parece tão calma. -- Izzy fala 


-- É mesmo. Até parece um anjo -- Will exclama. 


-- Clary sua vaca pode ir acordando. Era pra gente ir no shopping -- Izzy faz bico e sorri triste deixando uma lágrima escapa 


-- E como vai ter casamento sem madrinha? -- Will pergunta


-- Clary acorda! -- os dois falam juntos 

(Visita de Jace) 

Entro no quarto depois que todos terminam as visitas 


-- Bem. Eu vou cantar uma música que é pra você meu anjo. 

Jace respira fundo e começa a cantar (Hold On) 

Amado e obrigado

Amando e negando 

Eu não posso imagina um mundo em que você se foi. 

Alegria e o caos 

Os demônios de que somos feitos. 

Eu ficaria tão perdido se me deixasse sozinho. 

Você se trancou no banheiro, deitada no chão quando eu entrei. 

Eu te puxo e sinto seus batimentos cardíacos. Voce pode me ouvir gritando "POR FAVOR NÃO ME DEIXE".

Aguente firme. Eu ainda preciso de você. 

Volte eu ainda preciso de você

Me deixe pegar sua mão. Eu vou fazer isso certo. 

Eu juro que te amarei pro resto da minha vida. 

Aguente firme eu ainda preciso de você. 

Jace segura a mão de sua pequena. E com a voz chorosa e rouca continua 

Longa estrada infinita 

Você está em silêncio ao meu lado. 

Dirigindo um pesadelo, não posso escapar. 

Rezando sem esperança

A luz não está apagando. 

Escondendo o choque e o frio em meus ossos. 

Eles te levaram em uma mesa 

Eu ando de uma lado para o outro enquanto você continua imóvel. 

Eles te pegaram. 0ara ouvir seus batimentos cardíacos, voce pode me ouvir gritando " POR FAVOR NÃO ME DEIXE"

Aguente firme. Eu ainda preciso do você. 

Volte eu ainda preciso de você. 

Me deixe pegar na sua mao. Eu vou fazer certo. 

Eu juro que te amarei pro resto da minha vida. 

Jace segura na mão de Clary e continua

Aguente firme. Eu ainda preciso de você 

Eu não quero deixar você ir. 

Eu sei que não sou tão forte assim. 

Eu só quero ouvir você dizer "Amor. Vamos pra casa".

Vamos pra casa 

Sim. Eu quero te levar pra casa. 

Aguente firme. Eu ainda quero você 

Volte eu ainda preciso de você. 

Jace termina de cantar entre lágrimas e soluços. 

A máquina de Clary para. 

/\...................

Jace se desespera de chama os médicos 


-- Clary não me abandone. Eu ainda preciso de você. 


Notas Finais


FOI ISSO MEU POVO 😢😢😢😢😢😭😭😭😭😭😭😭😭

NÃO ESQUEÇAM DE COMENTAR


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...