História Inesperado (imagine Taehyung) - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Park Jimin (Jimin)
Tags Hospital, Médico, Tae
Visualizações 23
Palavras 1.010
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fluffy, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa noite morceguinhos como estão? Espero que bem!!!
Boa Leitura ❤

Capítulo 7 - 7


Fanfic / Fanfiction Inesperado (imagine Taehyung) - Capítulo 7 - 7


Estacionei meu carro de qualquer jeito em minha vaga e entrei o mais rápido que pude dentro do hospital. Jimin e Jin tentavam impedir aquele crápula de entrar no quarto da minha paciente.

_Fique sabendo que quem contratou vocês foi eu - "meu pai" gritava com meus amigos - Posso muito bem despedi-los por isso.

_E eu te denunciar para o conselho de ética agora! - falo pegando o celular de dentro do bolso da calça - Ela não vai mais ficar aqui, mas preciso de no máximo três dois dias.

_Dois dias? - o mais velho pergunta massageando as têmporas - Para que?

_Não é da sua conta - falo fazendo sinal para que Jimin e Jin pudesse ir e sussurrei um obrigado sincero - O senhor só precisa saber que ela vai sair daqui em dois dias e sobre a "conta" do hospital, eu pago.

_Paga? - falou irônico começando a rir - Você não tem esse dinheiro todo Tae, acha que irá conseguir pagar uma quantia alta e ainda se manter, sem nada no banco? Não seja ainda mais tolo do que já é garoto.

_Darei um jeito - falo ajeitando o jaleco no corpo - Agora se me der licença tenho pacientes a minha espera, e não ouse entrar nesse quarto e muito menos tocar em um daqueles aparelhos.

O Dr. Kim saiu pisando duro para sua sala e eu suspirei aliviado por ter chego a tempo, entrei no quarto da garota apenas para me certificar de que ela ainda estava respirando, me aproximei devagar e toquei com cuidado seus cabelos.

_Me desculpe por ter te deixado sozinha de novo - falo descendo o toque gentil até suas bochechas - Estava ajeitando as coisas para te tirar desse hospital, já faz 365 dias que você está aqui e eu ainda nao vi a cor de seus olhos e muito menos o seu sorriso.

O som do bip me fez perceber que o tempo nao parava, precisava cuidar de outros a minha espera. Como todos os dias, dei-lhe um beijo casto na testa e saí do quarto, me certifiquei de que não havia enfermeiros, ou melhor, soldadinhos do meu pai e então segui para o pronto socorro do hospital.

Os corredores pareciam mais longos a cada passo que eu dava, ao chegar vi uma garotinha chorando desesperadamente toda ensanguentada, ao me aproximar a mãe da menina suplicou aos prantos.

_Por favor doutor cuide da minha menina.

_Me diga o que houve? - pergunto me agachando para ficar da altura da pequena, percebi longos cortes nos braços e pernas da menina.

_Ela subiu na estante e caiu com o espelho - a moça tentava se controlar.

_Tudo bem vou cuidar dela - falo me colocando de pé - Enfermeira Lee, limpe os ferimentos dessa princesinha sapeca aqui por favor, sei que o Dr. Jimin esta em uma cirurgia agora então cuidarei dela.

_Certo, venha comido princesinha - a enfermeira a chamou e a levou para a ala da enfermaria e eu as segui tentando mater a calma da garotinha.

A enfermeira Lee limpava seus ferimentos enquanto eu brincava com ela criando uma distração para que ela não chorasse muito a cada vez que a mulher baixinha passava o algodão com soro fisiológico. A garotinha dava risada e as vezes fazia menção de choro mas na hora eu a fazia sorrir novamente.

_Pronta Dr. Kim - a enfermeira falou se afastando para jogar os algodões sujos no lixo.

_Qual o seu nome? - pergunto e ela me olha sorrindo.

_Bong Ji - falou enxugando as lágrimas com as pequenas mãozinhas.

_Princesinha, preciso que fique quietinha tudo bem? - falo e ela me olha com medo por causa da anestesia em minhas mãos - Vai doer um pouquinho mas depois nao mais. Pronta?

_Ye! - falou apertando a mão da mãe enquanto eu lhe aplicava as anestesias.

Comecei a dar os pontos na Bong Ji e logo após isso a liberei, examinei mais uns três pacientes e então voltei para o quarto da (S/N) queria ver como ela estava e se estava bem. Ao chegar na recepção Núbia me cumprimentou com um ar preocupado.

_As coisas não vão melhorar não é? - a morena perguntou e eu neguei.

_Ele não muda, nunca mudou, nem quando minha mãe se foi - falo tentando segurar as lágrimas - Achei que as coisas iam mudar mas tudo que ele quer fazer é desrespeitar o comitê de ética e desligar os aparelhos de uma paciente que, nem é ele que cuida.

_Calma V as coisas vão se acertar - ela falou e eu sorri, somente os meus amigos me chamavam de V.

_Assim espero - digo passando a mão sobre os cabelos - Nossa preciso cortar isso aqui.

_Por que nao um mullet? - ela falou divertida e então um sorriso largo apareceu no rosto morena ao ver o noivo se aproximar.

_Estou tão cansado - o loiro falou desanimado - Amor quando formos embora, preciso de uma massagem.

_Tudo bem meu lindo - minha amiga falou assim que o noivo lhe roubou um selinho.

_Ah, Tae obrigado por dar os pontos na Bong Ji - falou sorrindo.

_Por nada, e quando sai o casamento? - pergunto e o garoto cora.

_O mais rápido possível - falou antes da garota que lhe olhava com ternura.

_Quero ser padrinho - falei indo para o quarto da minha paciente.

Abri a porta com cuidado e então entrei olhando para seu rosto que parecia ainda mais sereno. Me sentei na cama ao seu lado e segurei sua mão, era tão pequena, acariciei seus dedos finos e delicados, passei a ponta dos dedos sobre as pequenas cicatrizes dos ferimentos causados pelo acidente e suspirei aliviado por ela ainda estar viva.

_Boa noite princesa como se sente, ahm? - digo baixinho - Queria tanto ouvir sua voz, será que é tao doce quanto seu rosto? Sei que pareço louco estando aqui conversando com você sem saber se realmente consegue me ouvir...espero que acorde logo pequena, não aguento mais essa espera.

Beijei sua testa e acendi a luz do abajur, então me levantei sentindo o cansaço, a olhei antes de sair do quarto e então apaguei a luz antes de fechar a porta.


Notas Finais


😘💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...