História Inevitable - Stydia - Capítulo 25


Escrita por: ~

Postado
Categorias Teen Wolf
Personagens Lydia Martin, Mieczyslaw “Stiles” Stilinski
Tags Lydia, Romance, Stiles, Stydia, Teen Wolf
Visualizações 171
Palavras 1.821
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi galera, tudo bem com vocês?
Aqui conheceremos um lado desconhecido de Peter, vocês entenderão tudo o que aconteceu, abram a mente.
Boa Leitura <3

Capítulo 25 - Complô



O escritório que Peter dividia anteriormente com Holland era totalmente pintado de azul e branco, havia alguns quadros espalhados pelo lugar, duas estantes lotadas de livros e vários papéis com projetos desenhados na mesa de ambos. Ele estava sentado analisando o desenvolvimento da obra do teatro Oliot quando sua secretária irrompeu na sala pedindo licença.
- Há uma moça ali fora, Coralina Hale, disse que tem um assunto muito importante a tratar com o senhor. - avisou a mulher.
- Coralina? - tentou se recordar de onde havia escutado este nome pela última vez, mas não obteve sucesso - Bem, mande-a entrar, se diz que é importante...
- Claro sr. Roden. -  se retirou enquanto Peter levantava-se da mesa para receber a tal Coralina Hale, pensou se talvez fosse uma cliente, mas normalmente ligavam antes para avisar sobre o novo projeto.
- Com licença Sr. Roden. - Coralina entrou na sala acompanhada pela secretária que em seguida os deixou a sós fechando a porta.
- Espere, você não é a namorada do Stilinski? - apertou a mão da morena que sorriu.
- Exatamente, a louca menstruada daquele dia. - riu sem humor e soltou a mão de Peter.
- Sente-se por favor. - ela acenou com a cabeça e fez o que ele sugeriu - O que te trás aqui?
- Lydia Martin. - Peter sentiu um frio absurdo na barriga naquele momento mas não demonstrou e foi até sua cadeira sentando-se.
- Quem? - fez-se de desentendido.
- Você não a reconhece? - questionou irônica jogando sobre a mesa uma pasta com recortes de jornal referentes à Lydia e várias fotos que havia conseguido juntar - Sabe, passei longos quatro meses investigando a vida de dela...
- Não sei aonde quer chegar senhorita Hale. - ele lhe lançou um olhar gélido, porém Cora não se importou, estava confiante consigo mesma suficiente para rir da situação.
- A gêmea  de sua esposa morreu há sete meses atrás em um trágico acidente. - ela cruzou as pernas - Ou pelo foi o que todos pensaram até eu reencontra-la naquele café aquela noite.
- Você só pode estar louca, Holland não possui gêmea e nunca possuiu. - ele se levantou lhe encarando com os gélidos olhos azuis. - Agora se me dá licença, eu preciso trabalhar.
- Você também não sabe que ela tem uma gêmea, só soube na noite do acidente, quando trocou os corpos. - Peter esboçou uma reação e aquilo havia o entregado completamente - Estou disposta a te contar o que sei, se me contar o que houve na noite do acidente.
- Por acaso isso é uma chantagem? - ele cruzou os braços.
- Eu só quero te ajudar e sei que você vai querer me ajudar também depois de saber tudo o que eu descobri. O que acha?
- Certo, conte-me. - o tom mais áspero do que uma lixa.
- Holland e Lydia foram separadas quando eram bebês, disseram que uma das gêmeas havia morrido, mas na verdade ela foi levada e colocaram em seu lugar o corpo de uma bebê que havia nascido morta no mesmo dia, uma coincidência muito infeliz, mas que proporcionou a jovem Natalie Martin levar para a casa uma bebê viva já que a dela havia morrido.  Ninguém nunca notou que eles não tinham o mesmo tipo sanguíneo da filha, como alguém de sangue O poderia ter uma filha do sangue AB? - fez a pergunta retórica segurando falsamente o queixo - Claro que tinham cúmplices, Dr. Mccall sempre escondeu a verdade de Lydia pois era melhor amiga de Natalie e nem quando ela descobriu que a menina tinha um tumor cerebral lhe revelou a verdade... E é claro que você sabe que ela tem câncer não é?
- Eu sei, já lidei com isso. - ele tomou um gole de café e ao segurar a xícara notou que estava trêmulo.
- Eu sei, você a submeteu a uma operação durante o coma, você parou o crescimento do tumor e investiu muito dinheiro nisso. - ela se inclinou um pouco - Tirando que arriscou a vida dela e a do bebê sem se importar.
- Claro, não adiantaria eu ter a salvado naquele acidente se ela fosse morrer depois. - ele respirou fundo - Termine de me contar. - ordenou.
- Ela conheceu o jovem medicineiro Stiles Stilinski, no qual você chama de Mieczyslaw. - Peter ficou boquiaberto no mesmo instante despertando um riso da menina - De nada por ter impedido que os dois se encontrassem naquele dia.  - ela assoprou as unhas e prosseguiu - Ela se apaixonou como a maioria das mulheres sãs fariam e os dois tiveram um caso totalmente fora da lei, o que ocasionou o acidente. - ele afirmou com a cabeça, ele sabia o que havia acarretado o acidente.  - Quem morreu naquele acidente foi Holland Roden, sua esposa, mas você salvou Lydia Martin, na qual, está grávida de Stiles. - afirmou com um sorriso de canto, ela sabia que estava o provocando falando disso - Mas fique calmo, eu tenho interesse em manter a ruiva cadáver bem longe do meu namorado.
Era verdade, haviam começado a namorar a pouco quando finalmente conseguiu vencer a barreira que Stiles havia instalado, Cora escutou dos lábios dele que ainda amava Lydia e respondeu-lhe que saberia lidar com isso e que só precisava de uma chance. Então ele cedeu, mas ela sabia que se ele soubesse que Lydia estava viva ou pelo menos descobrisse que uma cópia dela existisse, tudo estaria arruinado. Principalmente porque tem o maldito bebê na jogada.
- Foi bem conveniente para você elas serem gêmeas uni-vitelinas não é? O mesmo DNA, a mesma aparência e ainda contou com a sorte de ela ter perdido a memória. Realmente, alguns nascem com muita sorte. - ela riu sem humor - E ainda ganhou uma filha de brinde, tudo o que te impediria de perder ela não é?
- E como pode ter tanta certeza de que eu fiz algo?
- Pare tentar mentir Peter! Você trocou os corpos! Lydia não atropelou um animal, atropelou a irmã e a matou... Eu só não sei como isso aconteceu, por isso, conto com a sua honestidade para me contar pois eu contei tudo o que sei sobre essa história para você. - ela respirou fundo - Agora me responda querido, porque fez isso com sua verdadeira esposa?
O silêncio que se instalou daquele instante em diante foi ensurdecedor, Peter não sabia o que dizer, o que poderia dizer? Sentiu-se acuado e ao mesmo tempo agradecido por Cora ter impedido o encontro de Lydia com Stiles.
- Holland queria se separar. - disse num fio de voz se afastando a passos lentos de Cora que mantinha-se sentada - Depois de tudo o que abri mão, de toda a nossa história que durou praticamente nossa  vida toda, ela se apaixonou por outra pessoa e decidiu jogar nosso casamento na lata de lixo. - ele se esgueirou no parapeito da janela - Tudo começou quando descobri que eu não poderia ter filhos, as coisas começaram a desandar e quando estávamos retornando da casa de meus pais ocorreu uma briga feia no carro, tanto que eu lhe dei um tapa no rosto. -ele cerrou os olhos se lembrando da terrível cena, a garota chorando e gritando com ele, lhe dizendo que havia o feito de idiota e estava o traindo com outro - Ela começou a me estapear e acabei parando o carro no meio do caminho, Holland desceu do carro e correu sem olhar para o que vinha na estrada, foi quando o jipe apareceu... - ele relembrou a cena vivíssima em sua mente - Ela foi arremessada longe e o carro capotou várias vezes até parar de cabeça para baixo. Eu corri para Holland mas já era tarde demais, ela havia me deixado e por mais que eu estivesse furioso eu ainda amava muito aquela mulher. - ele respirou fundo - Então eu ouvi um choro vindo do carro e fui até lá, o condutor estava preso ao cinto de segurança, confesso que achei que estava alucinando ao ver o rosto de Holland estampado no de Lydia, achei que era uma miragem... Era impossível - ele passou as mãos pelos cabelos relembrando o que ocorreu naquele dia - Eu... Eu... Eu não tive muito tempo para pensar... Eu agi por impulso, eu vi naquilo uma ocasião perfeita... Uma nova chance... Eu teria Holland de volta não teria? - ele olhou psicótico para Cora - Então eu apenas troquei os corpos... Holland já estava morta e Lydia poderia ser salva, foi quando eu troquei os corpos, levando o de Lydia para o banco traseiro de meu carro e levando o de Holland para o jipe, tratei de incendiar, o assisti pegar fogo e explodir. - ele foi até Cora e o a segurou pelos ombros a levantando, mostrava-se totalmente transtornado - Eu vi uma oportunidade Cora, eu poderia ama-la e ela me amaria muito.... Deus me deu um chance entende? - a morena estava ficando assustada mas procurava não demonstrar, ele era psicótico pela ruiva e ela obviamente se aproveitaria disso - Quando ela acordou sem memória e eu tinha a esperança de que o câncer não a mataria, eu sabia, ela havia nascido novamente para ser minha. - Cora conseguiu se soltar das mãos de Peter e foi para trás da poltrona, contando com a distância segura, ele era totalmente desequilibrado  - E agora Cora... Eu vou ter um filho.
- Mas ele não é seu.
- Não me importa, é minha menininha sim! - Peter avançou em Cora e a segurou fortemente pelos ombros novamente a chacoalhando - Ela é minha! As duas são minhas e é bom você não se intrometer nossas vidas se quiser acordar viva! 
- Peter eu estou do seu lado! - ela berrou tentando o acalmar, ela conseguia identificar o tipo de pessoa que ela era, sabia um pouco sobre psicologia - Não quero tirar Lydia do seu lado...
- Acho bom. - ele a jogou para trás. - Eu investi muito na família que tenho agora, conquistei a confiança dela e ninguém vai me tirar essa conquista, espero que entenda isso.
- É exatamente para isso que vim aqui Peter Roden. - ela ajeitou o cabelo e o fitou com o nariz empinado - Você mantém Lydia longe de Stiles e eu mantenho Stiles longe dela e do seu bebê. 
- Perfeito. - ele estendeu a mão para ela.
- Só não sei se isso vai durar muito, Lydia tem câncer. - lembrou Cora apertando a mão dele.
- Eu sei. - ele respirou fundo - Mas estou contando com a operação que ocorreu, simples e efetiva, o tumor não cresceu desde então, se contarmos com a sorte Holland nunca mais terá risco de morrer.
- Eu não teria tanta certeza, é câncer.
 


Notas Finais


E ai gente? O que acharam?
Provavelmente vocês devem estar pensando: mas que porra é essa?
Ou: mano como assim ela tá sem câncer agora?
Calma, vou explicar.
Lydia ainda tem o tumor maligno, só que no caso a operação que Peter a submeteu era aquela que talvez a transformasse em um vegetal, mas não aconteceu, ela sobreviveu. No entanto, assim como todo câncer, e como vimos em a culpa é das estrelas, o câncer pode ficar na dele por muito tempo mas depois se proliferar. Ela ainda tem o tumor só não sabemos quando ele irá dar o ar da graça novamente.
Peter, o Peter tem problemas psicológicos como vemos, uma obsessão pela Holland que passou para a Lydia e acreditem, ele fará de tudo por ela. Assim como Cora, mas cora é mais normal que ele, se ligaram?
Qualquer outra dúvida é só me perguntarem que eu esclareço.
Um beijo, um queijo, espero que tenham gostado desse capítulo gigantesco e fora de hora, quero reviews, tchau!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...