1. Spirit Fanfics >
  2. Inevitable >
  3. Capítulo XXVI

História Inevitable - Capítulo 27


Escrita por:


Notas do Autor


Hey, guys!
Tudo bem? Bom, vamos seguir com mais um capítulo.
Espero que gostem.

Capítulo 27 - Capítulo XXVI


Fanfic / Fanfiction Inevitable - Capítulo 27 - Capítulo XXVI

— Eu quero aquele ali!— apontou entusiasmado para um dos kits de equipamento ninja — O azul!

— Você tem um ótimo gosto! — respondeu Tenten de forma animada.

O mais velho sorriu ao ver a empolgação do garoto.

Desde que chegaram a Konoha, Kakashi se empenhou em treinar o pequeno Jun. O próximo ano letivo já se aproximava.

— Pode entregar a ele. — pediu já sacando a quantia correspondente em meio aos seus pertences — Aqui está. — entregou a kunoichi pagando os equipamentos.

Despediram-se de Tenten e tomando a mão do menino, Kakashi seguiu para saída da loja.

Era tudo muito novo para si. Nunca pensou que um dia teria a responsabilidade de um pai para com uma criança, mas, essa era mais uma missão que a vida lhe impôs. Não estava reclamando, muito pelo contrário. Era de alguma forma, divertido. E por mais que ele não admitisse para outras pessoas, já nutria um certo afeto pela criança. Ver a alegria e olhar curioso de quando o pequeno Jun estava aprendo algo novo, lhe era totalmente reconfortante. De tempos em tempos, se questionava se era assim que um pai se sentia.

Andava meio que sem rumo, perdido em pensamentos, com Jun pendurado em uma de suas mãos, balançando-a avidamente, enquanto mantinha a outra ocupada com bolsa de equipamento recém adquirida que ele recusou a dar-lhe para levar, alegando ser forte o suficiente para segurá-la até em casa.

Aquela simples atitude lhe fez lembrar de uma outra pessoa que também era capaz de deixar não só o seu coração, mais todo seu corpo quente.
Sakura.

E não pode evitar um sorriso que, felizmente, não podia ser visto por baixo da mascara, quando uma cabeleira rosa juntamente com uma loira, virava a esquina de acesso a rua principal.

— Sakura! — sentiu quando o garoto soltou a sua mão e correu em direção a médica-nin que até alguns momentos atrás, ria de algo dito por Ino.

Kakashi apenas sorriu mais, andando em direção a eles, observando Jun ser carregado pela de cabelo rosa.

Ela então finalmente o viu e sorriu. Mas não qualquer sorriso. Era o sorriso genuinamente feliz, aquele sorriso que fazia o coração de Kakashi se aquecer.

Queria tocá-la, queria beijá-la. Mas, contentou-se apenas com o sorriso.

— Yo! Ino, Sakura. — acenou — Como vão?

— Kakashi! — a que tinha Jun nos braços exclamou primeiro — Estamos bem... — respondeu um pouco tímida dessa vez.

Como ela podia ainda ficar tímida com ele, depois de tudo que já fizeram juntos? Ele ficava totalmente bobo como aquela Sakura tímida surgia às vezes naquele corpo de mulher.

— Olá, Kakashi-sensei — ouviu Ino responder, dando uma ênfase um pouco exagerada no sensei — Nós estamos bem.

Observou Sakura ficar ainda mais vermelha e rir sem graça, quando percebeu que havia lhe dirigido a palavra sem o honorífico.

Claro que aquilo não era um problema para ele, todavia, ainda não tinham assumido relacionamento perante a sociedade, nem mesmo Ino, que encarava Sakura com uma sobrancelha levantada e com uma cara interrogativa.

Ino já estava desconfiada a tempos e não sabia até quando conseguiriam esconder isso dela.

Já havia quase quatro meses desde que retornaram a Konoha. E decidiram que manteria tudo em sigilo por um tempo. 

4 meses antes 

Assim que chegaram, seguiram logo ao encontro de Tsunade. Jun, dormia tranquilo nos braços de Kakashi.

— Kakashi, Sakura — sua expressão mudou rapidamente para confusa ao encarar a criança alheia nos braços do homem — Por Kami! Não me diga que vocês... que vocês tiveram um filho! — andou depressa até Kakashi observando a criança de perto e descartando logo aquela possibilidade, ao perceber a idade do menino.

Sakura explodiu em uma gargalhada gostosa. Kakashi desejou poder gravar aquele som de alguma forma.

— Shishou. — sorriu — Estou feliz em vê-la também. — abraçou-a.

— Kuso! — retribruiu o abraço — Não me enlouqueçam! Estou velha — riu.

Sentaram-se e ambos contaram o que não haviam dito no pergaminho que enviaram dias atrás.

— E agora estamos finalmente de volta. — completou Kakashi — E eu tenho uma criança para cuidar. — suspirou.

Tsunade o encarou por um tempo.

— Tem certeza de que quer cuidar dele? Eu posso arrumar alguem que queira adotar uma crian-
— Não, Tsunade-sama — interrompeu-a — Esta missão é minha. — disse e olhou para o menino ainda em seus braços — Eu cuidarei dele.

Tsunade encarou surpresa o homem a sua frente.

— Ok... — suspirou — Se você quer assim, será feito. Mas, mudando de assunto — disse direcionando o olhar para Sakura — Seu apartamento ainda não foi limpo. Mas já pedi para cuidarem disso e amanhã ele estará como novo. — riu sem graça — Por hora, posso providenciar um quarto-

— Não precisa, shishou! — disse cortando a fala da Hokage — Eu durmo com o Kakashi, — sorriu e logo em seguida arregalou os olhos quando se deu conta de como aquilo poderia soar — Ér.. digo, eu durmo na casa do Kakashi-sensei! Nós... hum... moramos juntos por muito tempo na vila da Aurora, creio que não será problema passar uma noite em seu apartamento...

Tsunade franziu o cenho.

— Sakura, eu já havia pensado nessa possibilidade mas até onde eu me lembro, ele possui apenas um quarto e ainda tem a criança.

— Eu durmo na sala — interveio Kakashi para alívio de Sakura — Ela pode dormir com o Jun no meu quarto. Não há problemas quanto a isso, Tsunade-sama.

Tsunade os encarou desconfiada, mas por fim concordou.

— Está bem — suspirou — Creio que estejam cansados. Podemos conversar mais depois que eu ler o relatório que vocês me entregaram.

Tsunade olhou para a criança nos braços de Kakashi. Percebeu que o mesmo havia acordado, porém havia permanecido quieto nos braços do homem.

— Ei! Eu sei que esta acordado — falou e viu o menino se retesar — Como se chama? — Perguntou mesmo já sabendo a resposta.

O garoto se remexeu um pouco, e virou o rosto para Tsunade um tanto acanhado.

— Jun — respondeu tímido.

Sakura sorria encarando o mais novo.

— Bem vindo a Vila da Folha, pequeno Jun — Disse a Hokage estendendo a mão para o menino que lhe retribuiu o cumprimento sorrindo.

Dias atuais

— Consegue tomar banho sozinho, campeão? — questionou pondo-se de joelho em frente a Jun.

Haviam chego a pouco da rua, haviam almoçado mais cedo com Sakura e Ino, e depois foram treinar. Logo mais o garoto ia começar na Academia.

— Hai! — acenou freneticamente.

Kakashi lhe deixou com os pertences para higienização enquanto pensava no que faria agora da vida. Não queria deixar nem a mulher, nem o garoto com aquelas missões extensas e perigosas. Será que conseguiria voltar a ser sensei de outros ninjas além de seus ex-pupilos?

O menino entrou no banheiro e bateu a porta em seguida, acordando Kakashi dos devaneios.
Empurrou esses pensamentos para o fundo da mente e lembrou-se de que a rosada estava em casa. Bem, ele não desperdiçaria essa oportunidade, não é? Teria alguns minutos a sós com Sakura antes do fim do dia.

Não perdendo tempo, andou até a cozinha, onde a mesma já preparava algo. Porque sentia falta dela a todo tempo? Sabia dessa resposta também, mas não mais a questionava. Havia aceitado que seu coração não era mais seu.

Sem dar-lhe tempo ele a girou na bancada, posisionando-a de frente a si e puxando pelo quadril, colando seu corpo ao dela.

— Kakashi! O que você está-

Interrompeu a fala quando ele abaixou sua máscara e tomou seus lábios com anseio. Como sentia falta de seus beijos, dos seus toques durante as noites. Não tinham muita privacidade durante o dia e por vezes nem conseguiam dormir na mesma cama devido a presença de Jun, que vez ou outra dormia com Kakashi. Às vezes até gostavam disso, os laços que estavam conquistando com o pequeno era importante demais, então não faziam questão de evitar dividir a cama com ele. O que eles dois tinham ainda tinha sido nomeado e preferiram evitar questionamentos, ao menos por hora.

As mãos que antes estavam no quadril, logo desceram para baixo, suspendendo-a, de modo que Sakura estivesse sentada sobre a bancada.

— Kakashi! — sussurou temerosa — O Jun pode nos ver! — disse manhosa, pois já estava totalmente rendida.

— Ah Sakura! — desceu os beijos pelo pescoço — Eu estava morrendo de vontade de fazer isso desde a hora que te vi com Ino. — tomou novamente seus lábios beijando-a com afinco.

Uma das mãos de Sakura foram para os cabelos do mais velho, enquanto a outra ousava deslizar sobre seu peitoral. Naturalmente, suas pernas que antes pendiam sobre a bancada, agora abraçava a cintura daquele que fazia seu corpo queimar.

O clima esquentava ao ponto de que carícias mais ousadas eram trocadas. Estavam tão imersos em sensações que por um momento eles se esqueceram de que não estavam sozinhos. Todavia, aquele clima foi quebrado, conforme a lembrança de que também havia uma criança ali retornava, quando o menino chamou o seu sensei de repente.

Outro tipo de tensão pairou sobre o lugar quando pensaram na possibilidade de terem sido flagados.

— Ele não viu — disse Sakura um pouco ofegante, observando por cima do ombro do mais velho.

— Vou ver o que ele quer e mais tarde terminamos o que começamos — disse Kakashi se afastando, mas não sem antes roubar um beijo da mulher a sua frente.

Sakura riu enquanto via Kakashi, ajeitando a calça, ir até Jun no outro comodo. Olhou para si e percebeu seu estado: face corada, saia levantada, respiração desregulada e seios à mostra. Como havia ficado nesse estado tão rapidamente?
Desceu da bancada se arrumando minimamente e tentando não pensar no que estava fazendo a segundos atrás.

Mataria o desejo depois com mais tempo.

***

Estavam todos na mesa reunidos enquanto jantavam, Kakashi estava em uma conversa entretida com o Jun, enquanto Sakura observava com ternura ao lado.

Nunca imaginou que Kakashi aceitaria criar uma criança. Ele praticamente seria pai do Jun e aquilo para Sakura era adorável. Por mais que ele sempre disesse que não levava jeito com crianças, estava ali em sua frente a prova de que ele estava terrivelmente enganado.

De alguma forma que ela não conseguia explicar, ele conseguia encantar os pequenos de forma que elas sempre prestavam atenção ao que ele dizia.
Com certeza ele será um ótimo pai para o Jun.
E ela seria a mãe?

Um frio passou por seu corpo.

Com tanta coisa acontecendo, ela ainda não tinha parado para refletir sobre isso. O relacionamento que tinha com Kakashi ainda não tinha nome. Não que ela não tivesse certeza dos seus sentimentos, tinha certeza do que era correspondia. No entanto, ainda precisariam enfrentar a sociedade preconceituosa. Mesmo assim, ela estava disposta a enfrentar o que fosse por esse amor. Quatro meses de volta e ainda evitavam o assunto.

Sakura pensou e não se recordou, se algum dia amou Sasuke dessa forma. Era diferente de tudo que um dia ela pensou em sentir por alguém, em sentir por Sasuke. Era algo que queimava em seu peito, mas sem de fato incediar-lhe a carne. Era quente, era bom e ela queria mais daquilo. Queria mais desse sentimento, mais de Kakashi, mais de toque, dos seus beijos.

Não sabiam ao certo se a lenda do akai ito era real, mas ela sentia-se ligada ao seu ex-sensei de uma forma além do que ela podia expressar em palavras.

— Sakura? — ouviu a voz daquele que inundava seus pensamentos lhe chamar fora dele.

— Hum? — o encarou confusa.

Jun e Kakashi riram gostosamente e ela se viu perdida.

— O Jun perguntou se você poderia ler uma história para ele dormir — falou-lhe.

Sakura olhou para a criança que sorria envergonhada ameaçando se esconder entre a mesa.

— Claro que posso! — ela respondeu sorrindo, já se pondo de pé.

— Pode ir, eu tiro a mesa — ofereceu-se o mais velho.

Sakura esperou Jun trocar de roupa e escovar os dentes e juntos seguiram para o quarto em que ambos dormiriam. O menino ainda parecia um pouco envergonhado.

— Jun — chamou-o abaixando em frente a ele — Não precisa ter vergonha de mim está bem? — sorriu terna.

O menino acenou com a cabeça sorrindo.

— É que você é muito bonita — disse tímido.
Sakura riu passando a mão em seu rosto.

— Você também é muito lindo! Agora vem que eu vou te contar uma história.

Entraram no quarto e ajeitaram-se na cama.

— Essa historia meus pais me contavam quando eu tinha a sua idade — disse encarando o menino que lhe olhava curioso — Ela se chama Issun Boushi. A história diz que havia um casal sem filhos, que viviam sozinhos numa região do Japão, e cuja esposa, mesmo como a idade avançada sonhava em ter um filho..

***

Ainda na sala, Kakashi resolveu que tomaria um banho para se refrescar. Ainda não estava com sono, e não iria mentir, estava louco para ficar a sós com Sakura novamente.

E foi o que fez, trancou-se no banheiro e tomou um banho relaxante. Vestiu uma roupa leve e saiu em direção ao quarto para falar com Sakura, porém, seus planos foram por água abaixo, quando viu Sakura dormindo de forma linda juntamente com Jun. Não iria acordá-la.

Entrou de forma cuidadosa no cômodo, cobriu-os com o lençol e apagou a luz.

Aproveitaria para ler seu icha-icha.

***

Kakashi só se deu conta de que havia dormindo, quando sentiu o cheiro caracteristico e o impacto de alguém montando em si. Abriu os olhos e se deparou com duas orbes esmeraldas pairando acima de si.

— Achou que eu tinha esquecido de mais cedo? — perguntou-lhe, no entanto não teve tempo de responder quando sem demora, Sakura beijou-lhe.

Amava isso. Amava a forma como ela o fazia se sentir desejado, como ela tomava a rédeas das coisas quando queria fazer amor. Amava aquela mulher que agora lhe beijava sem pudor.

Amava cada pedacinho dela e gostava de lhe mostrar isso com a boca. Deslizava os lábios pelo pescoço alvo, descendo em seu colo, até chegar a região dos seios. Sabia como a rosada era sensível ali, então era seu ponto principal. Ama a forma como ela gemia seu nome, baixinho, rouca, desejosa.

— Kakashi.. — o corpo parecia estar pegando fogo devido ao rastro de saliva que o homem deixava por seu corpo.

A temperatura febril não era apenas em seu corpo, era no ambiente todo. Esse era o poder que Kakashi exercia sobre si.

A pressão que sua intimidade fazia sobre a dele queimava, Sakura conseguia fazer surgir um lado dele que pouco se conhecia. Era carinho, amável, apaixonado. E ele amava se sentir assim. Nem precisou arrancar sua roupa, ela mesmo o fez e repetia o processo nele. Por sorte estava apenas de calça e sem cueca, realmente ele havia se preparado.

Não queria muito protelar, então apenas segurou seu membro encaixando-se dentro de Sakura. Por pouco, ela não gritou.

— Ahh Kakashi, que saudade. — não importava a quanto tempo eles haviam transado, sempre sentiriam saudade um do outro.

A ligação que possuíam era maior do que o laço físico, às vezes sentiam que haviam feito algum tipo de promessa ou ligação ainda mais profunda. O fato de Kakashi ter morrido, fazia o sentimento ficar exponencialmente maior. Seria possível que além do jutsu o amor o tivesse trago de volta?
De fato não existia resposta pra isso e nem tão pouco precisava dela. O que importava era aqui e agora.

Sakura rebolava vagarosamente, queria sentir cada pedaço do prateado dentro de si. Ele facilitava isso segurando sua bunda, mantendo os movimentos firmes e fortes, entrando e saindo de dentro dela. O prazer era tanto que a rosada revirava os olhos, gemendo e mordendo os lábios. Principalmente enquanto sentia a língua do homem rodeando seus mamilos, enquanto revezava entre os dois. O corpo não estava resistindo, o orgasmo não queria mais esperar e por fim, se entregou.

A sensação de gozar com o amor da sua vida era de como um pulo no abismo, porque afinal, assim era o amor. Nós nos jogamos e esperamos nunca chegar ao chão. Era assim que ambos se encontravam, em um transe hipnótico de puro desejo e prazer.

O orgasmo chegou de um jeito tão avassalador que apenas deixou seu corpo entregue as mãos quentes do prateado, se entregando também ao sono em seguida. O apartamento atual de Kakashi possuía dois quartos, um para ele e outro para Jun. Tsunade achou por bem alocar eles para um lugar maior, visto que agora o Hatake não estaria sozinho. Então agora dormiria aconchegado a sua mulher. Subiu as escadas com ela no colo, exausto pelo dia mas completo após fazer amor com a rosada.

O prateado não se recordava se em algum momento de sua vida teria sido tão feliz como está sendo agora. Na verdade, sabia que não, sua vida havia sido de tristezas mas nem ao menos se lembrava disso quando se comparava com o agora. 

E agora, tudo isso era graças a ela, Haruno Sakura. 


Notas Finais


Espero que estejam gostando. A fic vai entrar em reta final já já.
Bjs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...