1. Spirit Fanfics >
  2. Inevitably (BEAUANY) >
  3. Inevitavelmente

História Inevitably (BEAUANY) - Capítulo 57


Escrita por:


Notas do Autor


Olha quem apareceu depois de dias longe??

👉🏾 EU 👈🏾

Gente, vocês sabem, minha internet aqui é realmente uma bosta.

Tive crise de ansiedade, sem brincadeira ou drama, eu fico assim quando não consigo postar capítulo e acabo pensando coisas como " eles vão me xingar" "já era, caguei com a fic" " Inevitably vai flopar" e mais coisas idiotas...🙄

Mas ok, eu tô muito feliz com o comeback do NU, a gangue que se formou kkkk (Josh, Any, Savannah, Sabina e Noah) e claro, os mimos de todas as partes, amizades, ship, tudo.

É muito bom ver eles felizes, me deixa feliz 😋

Esse capítulo é um comeback do Inevitably,focado na aceitação da Any com a gravidez e etc.

Porém o próximo tá cheiooooo de coisas e se vocês comentarem se gostaram ou não, eu posto mais um de noite 😗

( se quiserem né,porque isso vai de vocês, não tô forçando nada🙂)

Então... QUEM TAVA COM SAUDADE DESSA FIC TOTALMENTE ESTRANHA E ALEATÓRIA?????

Boa leitura gente kkkk😗😙😉

Capítulo 57 - Inevitavelmente


Fanfic / Fanfiction Inevitably (BEAUANY) - Capítulo 57 - Inevitavelmente

INTERIORMENTE:

Lucas- quando você desmaiou eu chamei um médico para te avaliar e..- soltou um riso olhando os carros se aproximando e eu olhei ele atentamente

- chamou um médico?- o mesmo mordeu seu lábio inferior e riu novamente

Lucas- você tem três opções. Se eu for preso, você morre. Se você fugir, eu não te mato. Agora se esses policias corruptos se aproximarem de nós como estão prestes a fazer, eles não matam só eu e você, Gabi. Então, se eu fosse você, escolhia a única opção que não mate você e o filho que você está esperando.

AGORA;

POV Any Gabrielly Soares:

- o.. que?- engoli seco, sabendo que ouvi errado. Não poderia ser, eu não poderia estar grávida, não, isso não, isso mudava tudo e deixava eu totalmente nas mãos dele

Lucas- quer que eu diga parabéns?- ouvi tiros sendo disparados no carro e com lágrimas nos olhos, eu liguei o carro e dei partida

Lucas- acelera essa porra!- não aguentei as lágrimas caindo e embaçando a porra da minha visão

Uma parte minha dizia para eu bater o carro e matar nós dois, porém uma parte que eu nunca tive mandava eu proteger esse feto, que poderia nem ser real.

E a idéia de ter uma metade do Josh dentro de mim e matar esse pedacinho que não tem culpa de nada, acabava comigo.

Era como se eu matasse o próprio Josh.

- que merda!- soquei o volante soltando um grito e acelerei, entrando em uma rua estreita e desligando os faróis para não nos verem

Lucas- o que? O que tá fazendo?!

- aqui só tem mato, eles não vão nos ver se saírmos correndo.- abri a porta do carro sentindo frio e comecei a correr pela neve, com ele do meu lado.

Corremos tanto que eu tropecei umas três vezes, mas mesmo assim continuava a correr, implorando para que nada disso seja real.

Eu tenho só 18 anos cara, estou presa com um maníaco que tem um penhasco por mim, eu não posso ser mãe, entende?!

Aonde foi que eu errei? Eu sei que eu e Josh não transamos frequentemente com camisinha porque nós preferiamos assim, mas ele nunca gozou dentro.

Ah merda.. Gozou uma vez dentro sim.

Foi no dia que eu fui no escritório dele como de costume e pedi cachorro quente e Josh comida japonesa. Eu ia ir embora de boa depois, mas resolvi provocar ele e agente transou no banheiro da sua sala.

Foi tão intenso que eu nem me liguei direito para a camisinha.

Como eu pude não perceber isso cara? Meu deus, eu sou muito burra puta que pariu.

Aonde já se viu, eu, Any Gabrielly sendo mãe e trocando fraldas?

Se Lucas não surtou até agora por eu estar esperando uma criança do Josh, é porque ele tem algo em mente.

E seja o que for, eu irei escolher o melhor para essa criança, ou feto, ou alienígena ou sei lá mais o que.

Lucas- já estamos longe, calma.- segurou meu pulso, me fazendo parar de correr ofegante, não ouvia mais o barulho das cirenes e agradecia por isso.

Não liguei para mais nada e me sentei no chão, ignorando a dor na merda da coxa, eu merecia isso.

- eu te odeio.- limpei as lágrimas que caíram, eu odiava chorar e na frente dele então...

Lucas- não precisa ficar assim por causa de um bebê, quando ele nascer eu mesmo mando ele pra longe.

- como é?- olhei ele irritada e principalmente com medo

Lucas- eu estou dizendo que se você quiser, eu vendo essa criança.- disse como se fosse óbvio

- você não vai encostar um dedo nele, tá ouvindo?- me levantei do chão, empurrando ele pra trás

Lucas- que merda!- me empurrou no chão e logo em seguida tiros foram disparados.

Me encolhi no chão em um ato de me proteger e inevitavelmente proteger minha barriga, enquanto Lucas atirava em dois homens.

Lucas- levanta rápido, antes que venha mais desses filhos da puta!- jogou a arma longe

- fica longe de mim!- recusei sua mão, mas o desgraçado não meu ouviu, me segurando a força e me levantando do chão

Lucas- Pepe, tá na escuta? Quantos morreram?- rolei os olhos, caminhando junto com ele e deixando para trás os dois homens mortos no chão

Lucas- eu não ligo pra eles, sabiam da responsa quando entraram nesse mundo, só tô preocupado com o prejuízo. Ta, se liga, eu preciso que nos busque, da um jeito de nós achar cuzão. Levei um tiro no braço e ela tá me irritando.

- irritando é o caralho! Queria que eu reagisse como?? Você me sequestra, eu levo soco, tapa, minha coxa ta uma merda e meu cabelo ta... Curto! E agora, do nada você diz que eu tô grávida, tem noção de como eu tô por dentro?? Tem noção da merda da responsabilidade que é ter uma criança? Eu planejei morrer para ficar livre de você, mas agora eu tô grávida caralho! Se Josh descobre que ia ser pai, ele morre de vez! E ele é tão.. Especial! Ele merece encontrar uma pessoa melhor que eu, ele não..

Lucas- você tá pali..- tentou me tocar, mas eu desviei do seu toque, precisava colocar meu surto para fora

- PORRA CARA, NÃO FODE! EU TENHO SÓ 18 ANOS, VELHO ISSO NÃO É UMA HISTÓRIA SOBRE AMOR! EU TO EXAUSTA!-chutei a merda da neve desejando que fosse a cara dele

Lucas- da pra parar de gritar caralho?!

- VOCÊ NÃO MANDA EM MIM!

Lucas- abaixa o tom pra falar comigo!- apontou a arma na minha cara 

- EU FALO NO TOM QUE EU QUISER!- dei um tapa na sua arma

Lucas- puta que pariu garota, Pepe vem buscar logo que eu vou matar ela!- me empurrou para trás irritado

- EU NÃO POSSO MORRER SEM ANTES CAGAR ESSA CRIANÇA OUVIU?!- empurrei ele de volta puta da vida

Lucas- cagar? Puta que pariu, que bom que você chegou!- olhei para frente e vi Pepe descer do carro agitado e correr até mim

Pepe- você tá bem?- sussurou no meu ouvido e eu abracei ele de volta, não querendo abraçar ele realmente, não era ele que eu queria estar abraçada agora.

Eu to desesperada e sinto que vou explodir.

- eu tô grávida.-dizer isso em voz alta não foi legal e vendo agora, PUTA QUE PARIU EU TÔ GRÁVIDA!

Pepe- tá aleatória de novo?- quem dera

Lucas- vamos os dois aí caralho que eu levei um tiro!- entrou dentro do carro e eu tive uma ideia

- ele tá ferido e se..

Pepe- você tá bem?- tocou na minha testa me ignorando e eu me afastei, sentindo minha cabeça explodir

- eu..- fui interrompida com uma vertigem forte e iria cair no chão, se não fosse segurada pelo mexicano

Pepe- merda! Vamos dar o fora daqui!- entramos no carro, ele foi dirigindo com Lucas na frente e eu fui atrás, deitada.

Ok, cabeça erguida.

Eu não queria estar grávida e pode nem ser verdade, o médico disse que provavelmente eu estava grávida, mas ele não me examimou direito.

Eu posso não estar grávida.

Um sorriso surgiu no meu rosto quando pensei nessa hipótese, não que seja horrível ser mãe, mas na verdade era bem horrível.

Eu mau cuidava direito de mim, quem dirá de uma criança.

Mas não vou negar... A ideia de ver Josh correndo pela casa atrás de um serumaninho era fofa.

Ele ia ficar tão feliz se fosse pai, ia mudar tudo, eu sei, mas seria perfeito.

Essa é a parte que eu lembro que sou fudida na vida e que sempre quando fica perfeito, vem a merda da vida e me dá um soco tão forte que eu caio no chão.

Meu erro foi ter me envolvido com o Lucas.

Como diria uma frase de uma pessoa, somos nós que fazemos nossos próprios demônios e agora eu tô pagando por isso.

Mas poderia ser pior, eu podia estar sendo torturada todos os dias.

Minha "sorte" é que de algum jeito bem torto, Lucas gosta de mim.

Não que me orgulhe falar isso, não era bom, era uma doença.

E eu realmente sentia pena dele, o Lucas que eu conhecia era bem diferente desse cara estúpido que ele se tornou.

Ele sonhava em sair dessa vida um dia, virar um cantor e ter uma vida sossegada.

Aonde foi que ele se perdeu?

Lucas- da pra parar de tocar nisso?!- sai dos meus pensamentos e olhei ele confusa, até reparar que ele falava da minha mão, que estava inconscientemente sobre a minha barriga.

Fiquei mais confusa ainda com o desconforto dele, até eu me tocar do ódio que ele sentia por eu estar grávida do Josh.

Eu tirei a mão, não por ele, mas porque eu achei ridículo esse gesto.. Maternal?

O caminho foi rápido, diferente da ida.

Quando chegamos na mansão, tinha alguns seguranças cuidando tudo com armas na mão e claro, Gustavo estava putinho da vida.

Pepe- vem, eu te ajudo.- abriu a porta para mim e eu desci, recusando sua ajuda

- sou independente.- pisquei um olho e ele rolou os olhos

Gustavo- sabe quanto agente perdeu?!- fumou seu baseado irritado e eu reparei que ele já tinha cheirado porque seu nariz estava vermelho

Lucas- depois agente fala sobre isso, tenho que tirar a porra da bala do meu braço. Você vem comigo.- engoli seco, estava sem cabeça para ele agora

Pepe- ela tá meia mau cara, deixa ela comigo.- me segurou pelo pulso e me levou para dentro da mansão, até o quarto em que eu estava

- valeu.- me deitei na cama, não aguentando as merdas das lágrimas.

Pepe- wow, você tá chorando?

- não! São os hormônios! Quer dizer, eu nem sei se tenho hormônios ainda, que merda! Porque eu tô chorando cara? Ah porra!- me levantei rápido da cama e fui até o banheiro, colocando tudo para fora.

Pepe- diz pra mim que você não tá..

- eu não sei.- me levantei do chão, indo me escovar

Pepe- como você não sabe caralho??? Any, eu preciso que você fale comigo, tá ligado como você estar grávida muda tudo? Agente não pode fugir daqui, seria muito arriscado para essa criança!- me segurou pelo braço sério e eu concordei totalmente.

- acho que a nossa fuga vai ter que demorar um pouco.- abri um sorriso sem dentes vendo a minha liberdade indo embora, novamente.

Pepe- vai dar tudo certo.- me abraçou apertado e eu confirmei com a cabeça, não tendo a mesma confiança.


Notas Finais


Eu amo uma amizade 🌠

DOIS SPOILERS DO PROXIMO EM COMEMORAÇÃO AOS 31 COMENTÁRIOS DO CAPITULO ANTERIOR??

TEMOS;
#1

"- fala amor.-estacionei na frente da empresa do Josh e sai do carro, pegando meu celular

Heyoon- não é a Sina, Noah.- parei de andar ao ouvir isso

- Yoon? Tá tudo bem?- perguntei já preocupado com a minha loirinha

Heyoon- a Sina desmaiou e como ela tava comigo, eu trouxe ela para o hospital.

- o que?? Ela desmaiou?- peguei minha chave antes que o manobrista pegue

Heyoon- calma, ela tá bem.- soltei o ar, aliviado

- porque ela desmaiou? Vocês já sabem?

Heyoon- é melhor você vir aqui."
#2

"- ele não tá nem aí pra Any cara, com certeza vai cobrar alguma coisa em troca, se quiser nos ajudar! E se quiser que você dê toda a sua grana pra ele??

Josh- então eu vou dar.

- mas e se... E se ele quiser sua vida em troca tipo a Joia da Alma? Uma alma por uma alma?- devo dizer que eu chorei no cinema nessa parte?

Josh- então eu me mato.- sua resposta não me surpreendeu

- eu já perdi pessoas demais cara. Não posso perder você também.

Josh- e eu não posso perder ela."


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...