História Inevitável - Larry Stylinson - Capítulo 25


Escrita por:

Postado
Categorias One Direction
Personagens Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Zayn Malik
Tags Larry, Niall, Ziam
Visualizações 264
Palavras 1.626
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 25 - O principe esta de volta


                       Louis

 Fecho a carta e agora o que eu faço? me deito na cama, olhando pro teto, eu não posso abandona-lo agora, se o que ele diz na carta é verdade ele esta pagando por algo que nao fez, mais se for mentira ajuda-lo seria trair a memória da Eleanor.

Pego meu celular e ligo pra Lottie .

-  Eu preciso fala com você. - Falo assim que ela atende.

- beleza tô aqui no Red vem pra cá. - ela diz.

- Joaquim está dormindo tem como você vir aqui? - Pergunto.

- Chego em 10 minutos. - Ela diz, Desligo o telefone, olho pra carta na minha mão, o que eu faço? o que faço? pensa Louis.

                           〰〰〰〰

- O que é tão urgente pra você me ligar essa hora? - entrego a carta pra ela ler, a  vejo sentar no sofá. Os minutos passam e nada dela tirar os olhos da carta, não é possível que ela demore tanto pra ler.

- O Harry é inocente? - Ela pergunta.

 - Segundo o que ele diz ai sim. - Falo.

- E o que você esta pensando em fazer? - Ela pergunta.

- Essa é a questão, eu não sei. - Falo.

- Como não sabe? Vai manda um advogado agora pra ajudar ele. - Lottie diz.

- Como eu posso ajudar ela sem trair a memória da Eleanor? - pergunto.

- A Eleanor morreu, para de tratar ela como uma santa. O Harry esta vivo, correndo o risco de ser morto e se  o que ele diz aqui é verdade não me admira mãe e o Zayn estarem putos contigo. - Ela diz.

- Eu não sei o que fazer, uma parte de mim que ajudar a outra que que ele se foda. - Falo.

- Você vai conseguir se olhar no espelho sabendo que ele está morto e que você podia ter ajudado e mesmo assim cruzou os braços? - Ela deixa a pergunta no ar me fazendo pensar. - A vida é muito curta, para de procura culpado pela morte da Eleanor, foi um acidente. Nada vai trazer ela de volta. Então pare de agir como se fosse defender a honra dela. - Lottie diz.

- Eu não sei se consigo.- Falo.

- Então é bom você descobri logo, antes que seja tarde demais. - Ela diz.

                    HARRY

Dois internado, meu corpo todo ainda doi e minha voz ainda não voltou ao normal, sei que logo vou ter que voltar pra o presídio e saber que vai começar tudo de novo, me desanima. Vejo o Niall entrar no quarto.

- O advogado esta ai. - Ele diz, confirmo, vejo meu advogado entrar, Niall para ao lado da minha cama e cruza os braços.

- Doutor. - Falo, o advogado me encara.

- O senhor queria falar comigo? Eu estava indo agora mesmo falar com o juiz sobre o seu caso. - Ele diz.

- É mesmo? O senhor iria falar com o juiz como fez das outras vezes? - Pergunto, ele me encara.

- Perdão, não entendi onde o senhor que chegar. - Ele diz.

- É simples vou explicar, a partir de hoje o senhor não me representa mais. - Falo 

- Como assim, por que? Eu fiz tudo certo, sempre tentei te ajudar. Tudo que eu fiz foi com boa intenção. - Ele diz.

- De boas intenções o inferno está cheio. O senhor está dispensado eu já tenho um novo advogado, obrigada por tudo mais eu não preciso mais dos seus serviços. - Falo.

- Tudo bem. Qual que coisa que precisar é só me procurar. - Ele diz.

- Não vamos precisar, tenha um ótimo dia. - Niall diz.

- Graças a Deus ele já foi. Pensei que eu fosse desmaiar na frente dele. - Falo.

-  Harry.  - Vejo a Lou entrar no quarto. - você tem visita, vem Niall. - Ela diz.

Assim que o Niall e a Lou saem fico olhando pra porta esperando minha visita entra, quem pode ser pra a Lou está com aquela cara. Passam 10 minutos sem a porta ser aberta começo a achar que a pessoa desistiu. Quando escuto a porta abrir. Respiro fundo vendo Louis parado na porta.

-  Oi, posso entrar? - Ele pergunta.

- Claro, ao que devo a visita? - pergunto.

- Como você está? - Ele me encara.

- Ótimo. - Falo. - Você veio pra que?

- Conversar, se você estiver bem pra falar, se não eu volto amanhã estou em um hotel aqui perto. - Ele diz.

- Você não precisava vir até aqui. - Falo.

- Eu vim pela carta. - Ele diz, confirmo.

- Certo, vamos, direto ao assunto. - Falo.

- Você sabe que eu nunca vou esquecer o que aconteceu e que eu não acredito na sua historia.  - Ele diz.

-  Isso eu já sei Louis, você veio até aqui pra me dizer isso? - Pergunto.

- Não, eu pensei muito, se tiver alguma chance de você ser inocente, eu não vou me perdoa se algo acontecer a você. Eu falei com o meu advogado e ele já está vendo se consegue te tirar o quanto antes. -  Ele diz.

- Se você não acredita em mim Louis, qual o sentido de me ajudar? - Pergunto.

- Não sei te responder, eu tenho que ir, qual quer coisa estou no hotel a Lou tem meu número. - Ele caminha em direção a porta, sem olhar pra trás. - o Joaquim sente sua falta.- diz e sai me deixando com um nó na garganta.

- Eu também sinto a falta dele. - digo, respiro fundo.

- Eu posso entrar? - Lou diz, Confirmo.

- Pode. - Falo.

- Como você está se sentindo? - Ela perguntam

- Exausto física e emocionalmente.  - Fao.

- Achei que você iria gostar da visita. - Ela diz.

- Ele me odeia Lou. Nunca vai me perdoar pelo o que aconteceu. - Falo, ela deita ao meu lado na cama, mexendo no meu cabelo.

- Você tem que da um tempo pra ele, entender que isso tambem é dificil pra ele. - Ela diz, confirmo.

                          Louis

Não estou acreditando que eu fiz isso, o que você veio fazer aqui Louis? você  não precisava ver Ele, apenas deveria ter mandado o advogado pra resolver tudo. Assim que amanheceu deixei o Joaquim na casa da minha mãe e peguei a estrada, eu não sei por que eu vim aqui,  eu sei que eu precisar vir.

Porém agora a imagem Dele Pálido, tão Fraco, naquele quarto de hospital não sai da minha mente, a minha vontade era de tocar el e  dizer que tudo ia ficar bem, mas eu não podia dizer isso eu não poderia mentir,  por que,  nada vai ficar bem, não enquanto eu tiver tanto ódio dentro de mim. Não enquanto eu sentir que estou traindo minha mulher.

Escuto meu celular tocar e o atendo sem olhar quem é.

- Onde caralho você está? - Lottie diz.

- Em Holmes Chapel. - Falo.

-  O que diabos você foi fazer aí? Você foi atrás do Harry? - Ela pergunta.

-  não sei o que vim fazer aqui. Apenas vim. - Falo.

- Você está bem? Você deveria voltar pra terapia, todo esse estresse está acabando com você. - Ela diz.

-  eu estou ótimo, o que você quer? - Pergunto.

- já que você está ótimo traga sua bunda para o trabalho. - Ela diz.

-  estou em Homes chapel, Vou cancelar a minha agenda de hoje e amanhã. - Falo.

- você tem uma reunião importante. Já que não foi aí se acerta com ele, traga sua bunda pra cá estou cansada de fazer o trabalho por nós dois enquanto você fica nesse chove não molha com o Harry. - Ela diz.

 - amanhã. - Falo.

- agora. -Ela  diz e desliga na minha cara.

Se tem uma coisa que eu não estou afim é de volta pra casa agora. Mais a Lottie  tem razão eu não tenho trabalhando nada desde que isso começou, eu preciso voltar a ser eu mesmo, eu não posso simplesmente me entregar, não quando tenho um filho pra criar. Mais então o que está me predendo aqui o que me trouxe aqui? Ou melhor quem me trouxe aqui ? Eleanor ou Harry? Sinto que já sei a resposta antes mesmo de me perguntar isso

Vou volta a trabalhar mais não hoje. Me deito, olho pro teto, a imagem Dele no hospital volta a minha mente, ele parece tão frágil, os meus sentimentos são confusos ao mesmo tempo que quero que ele pague pelo que fez, eu não quero que ele sofra mais do que já sofreu. O que eu faço Deus? 

                      Harry

Chegou a hora de volta pra o presídio e devo dizer que eu não estou ansioso por isso, se tem uma coisa que eu não sei é o que esperar quando eu chegar lá, me despeço do meus amigos juntando toda a coragem que eu tenho e sigo de cabeça baixa o agente penitenciário. José  grita meu nome quando eu passo fazendo tremer todo o meu corpo com cada recordação de chutes e murros. Me surpreendo ao passar direto da cela que eu costumava ficar.

- Nos passamos direto. - Falo.

- eu sei. - O agente diz.

- por que? Pra onde eu estou indo? - Pergunto.

- seu advogado conseguiu que você fica- se sozinho em uma cela. - Ele diz.

-  Graças a Deus. - Estendo meus pulsos para ele soltar a algema e entro na minha nova cela agradecendo a Deus por não ter que passar a noite acordado esperando o próximo ataque.

Olho pro lado e vejo um cara encolhido no canto, seus olhos estão vazios e em seu rosto ematomas cobrem cada pedaço de pele.

Ignoro meu vizinho de cela. Guardo minhas poucas coisas de baixo do colchão e me deito.

- Vai da tudo certo. -Fecho meus olhos deixando que meus músculos ainda doloridos descansem.

- O principe esta de volta. - Escuto alguem dizer, todos os pelos do meu corpo se arrepiam. - estava com saudades ja. - tapo meus ouvidos. 


Notas Finais


Até amanha Loves! 😙😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...