História INEVITÁVEL ( Lauren G!P) - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Camila Cabello, Fifth Harmony
Personagens Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui
Tags Camila, Camren, Dinah, Drama, Lauren, Romance
Visualizações 432
Palavras 1.758
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, LGBT, Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Estou sendo muito boazinha 😒

Capítulo 3 - Camila


Fanfic / Fanfiction INEVITÁVEL ( Lauren G!P) - Capítulo 3 - Camila


    Antes mesmo de ouvir sua voz em meu ouvido e suas mãos em meu corpo, eu já sabia que ela esta atrás de mim. Seu calor e seu perfume me envolveram, deixando-me mais tonta do que eu já estava.
    Deus que delícia de voz... Neném... Me senti amolecer e esquentar, a umidade entre minhas coxas cresceu, molhando minha calcinha. Fechei os olhos, me encostei em seu corpo e estendi os braços para cima, enfiando os dedos em seu cabelo e continuei a dançar, roçando meu corpo no dela, sentindo sua ereção contra mim crescendo... Ela me acompanhava a cada rebolada, dançando comigo.
    A música mudou e começou a tocar uma música gostosa, Mágico de Mika Mendes, virei para ela e passei os braços pelo seu pescoço e começamos com os movimentos sensuais da Kizomba, olhos grudados e corpos também.
    Vi quando ela entreabriu os lábios puxando o ar e o puxei mais para mim, lambendo aquela boca como eu sempre quis fazer. Contornei sua boca com a língua e testei, encostando minha língua na dela.
    Estremecemos juntas, uma corrente elétrica, percorrendo nossos corpos. Sua mão subiu pelas minhas costas e agarrando meus cabelos, aprofundou o beijo, me dominando, possuindo minha boca com maestria.
    Esqueci-me completamente de onde estava e me entreguei ao beijo, ao roçar dos nossos corpos e ao tesão que me consumia. Ela devorava minha boca com força e vontade e eu só pensava naquela boca em outra parte do meu corpo. Chupei sua língua e ela gemeu, me puxando pela bunda, me prensando de encontro a sua ereção que pulsava.
    Deus como eu queria essa mulher! Queria ela, nu e mandando ver em mim... na cama, prensada na parede, no chão, na mesa... Hummm. Deixei escapar um gemido rouco e descendo as mãos pelo seu peito, arranhei.
    Ela se afastou um pouco quebrando o beijo e me olhou com tesão, arregalando um pouco os olhos. Queria mais de seus beijos, esperei tanto por isso... O beijei de novo e meio andando, meio beijando, acabamos chegando ao canto mais escuro do camarote VIP, onde ela me prensou na parede e desceu os lábios pelo meu queixo, mordendo, beijando e chupando seu caminho até meu pescoço, minha orelha, que lambeu e mordeu a pontinha.
    Eu me esfregava nela, completamente entregue, gemendo baixinho, beijando e lambendo onde eu conseguia. Ela gemeu em meu ouvido quando minha mão escorregou e eu segurei sua ereção.
    Jesus, ela estava tão dura que dava para sentir seu contorno através do jeans, seu pau estava grosso com a cabeça saliente e delineada. Hummm eu o queria em minha boca. O pensamento tomou forma e sussurrei em seu ouvido.
    – Lauren, quero você em minha boca... profundamente, todinha. – Para afirmar, o beijei chupando novamente sua língua, roubando dela outro gemido rouco.
    – Neném... Vem comigo. – Me puxou pela mão e fomos para o estacionamento. Ela acionou o controle abrindo a porta do carro para mim. Entrei rápido, o álcool não me deixando pensar. Eu só queria ela, o mais rápido possível, em minha boca, em meus seios... dentro de mim!
    Logo que ela entrou, mal esperei ela fechar a porta e já fui atacando seu cinto, abrindo os botões da calça com um puxão o tirando para fora. Que pau mais lindo, perfeito! Contornei a cabeça rosinha com a língua e o engoli todo de uma vez, acariciando com a língua e o sentindo em minha garganta.
    Fiquei parada, sugando, pressionando com os lábios e passando a língua pela base. O gemido dela e o estremecimento de seu corpo me fez sugar mais forte e apertá-la com minha boca. Comecei a me mexer, chupando o comprimento, dando atenção especial a aquela cabeça protuberante e deliciosa. Joguei os cabelos para o lado, olhando para ela, mordi. Sua cara de tesão, de prazer era a coisa mais linda do mundo e fui engolindo ela aos poucos.
    A olhei o quanto pude, não querendo perder sua expressão, seus olhos grudados em minha boca em seu pau. Por cima do jeans, acariciava suas bolas e descendo um pouco mais pressionei o períneo descendo até sua bunda acariciando em movimentos circulares enquanto
a tinha entrando e saindo da minha boca. Lauren gemia e me agarrava pelos cabelos.
    – Minha gostosa... vou gozar na tua boca. Você vai engolir tudo. – Ela ordenou.
    A partir daí ela tomou conta, segurando meus cabelos, mandando em meus movimentos, socando gostoso em minha boca. Eu queria mais, ela todinha e quando ela apertou minha cabeça de encontro ao seu corpo, pressionei mais forte em sua bunda e arranhei seu peito. Suguei forte, apertando com os lábios e acariciando com a língua. Ouvi seu rosnado, ao mesmo tempo, que seu pau pulsava em minha boca e ela gozava fundo em minha garganta.
    Continuei chupando e lambendo ela todinha. Era inevitável, eu não conseguia parar. Como ela era gostosa!
    Me afastando dela, percebi que estava de joelhos no banco.
    – Camila, que boca maravilhosa você tem.
    – Você minha gostosa, é que tem um pau delicioso. – Gente, aqueles drinks eram bons mesmo! Cadê meu filtro entre o cérebro e a boca? – Observe.
    Fui subindo um pouco a saia, devagar, até que a escutei respirar fundo. Minhas meias e ligas apareceram e seus olhos cresceram em mim. Continuei a subir a saia, até mostrar minha calcinha para ela.
    – Delícia, quero ver mais. – Sussurrou meio sem fôlego.
    Coloquei ambas as mãos embaixo da saia e desfiz os laços que seguravam minha calcinha no lugar e a deixei cair no assento do carro.
    – Que bocetinha linda.
    Aproveitando de minha desinibição, passei a mão pelo meu sexo, acariciando-me diante de seus olhos. Enfiei um dedo dentro de mim e olhando para ela, levei meu dedo à boca e chupei.
    Ela veio me beijar, segurando minha nuca, perdi o equilíbrio e encostei-me em seu peito. Lauren se inclinou para frente e colocou o banco todo para trás, mais uma mexida e o banco reclinou totalmente.
    Eu parecia uma boneca nas mãos dela e num movimento rápido, me colocou deitada no banco e foi descendo a boca pelo meu corpo, mordendo meus seios por cima do vestido, minha barriga, até chegar onde queria. Levantou o rosto e me encarou. Com a mão ela me acariciou de leve, me provocando com um dedo, testando. Enfiou o dedo entre minhas dobras e o senti escorregar em minha umidade. Outro dedo se juntou ao primeiro e o senti me penetrando devagar. Nossos olhos colados, minha respiração acelerando, lábios entreabertos, gemi arrastado. As sensações provocadas pelos seus dedos e o olhar em seu rosto me deixaram insana.
    – Quero sua boca em mim minha gostosa. Me lambe, me morde, me chupa. Sou sua.
    Prazer se estampou em seu rosto, seus olhos verdes brilharam e ela abriu minhas pernas, fiquei exposta ao seu olhar. Seu dedo encostou em meu clitóris e acariciou de leve. Me senti tonta com a sensação de sua carícia, encostei a cabeça no banco do carro e gemi... senti seu hálito em minha pele e o olhei novamente.
    Ela me cheirou e gemeu. Sua língua tocou de leve meu botãozinho e eu estremeci inteira. De repente ela me atacou, caindo de boca, beijando, lambendo, pressionando a língua em meu clitóris, sugando, esfregando seu rosto em minha boceta molhada... Sua língua percorreu todo meu sexo, descendo e lambendo minha bunda, me deixando louca. Voltando sua atenção para meu sexo, me penetrou com a língua, subiu e sugou meu clitóris, mordeu de leve e o apertou com os lábios.
    Eu já estava a ponto de gozar, mas não queria acabar com aquilo... Era tudo o que eu queria há tempos, cada vez que eu olhava aquela boca, pensava em como seria ter ela no meio de minhas pernas, o pensamento não era nada em comparação com a realidade.
    Minhas pernas começaram a tremer, meu corpo a se agitar e senti ela me segurar mais forte, e enfiar a cara com vontade.
    – Goza Neném... Quero seu suco, sua água, mata minha sede, sacia minha vontade de você e goza na minha boca. – Disse a centímetros de meu clitóris. – Goza Neném, treme em minhas mãos... Agora você é minha, só minha, gostosa. – Voltou a me lamber toda. – Deliciosa!
    Meteu os dedos dentro de mim e apertou meu clitóris entre os lábios, batendo nele com a língua. O orgasmo tomou conta de mim como um tornado, gemi alto e gritei o nome dele.
    – LAUREN! Ah...
    Agarrei seus cabelos, meu corpo tremendo, convulsionando enquanto ela me segurava com o braço sobre meu ventre e lambia de leve minhas dobras, meu botãozinho e enfiava a língua em mim. Deus, que coisa louca.
    Quando meus tremores diminuíram, ela subiu pelo meu corpo e me beijou na boca. Meu gosto em seus lábios me arrepiou e me vi lambendo seu queixo, em volta da boca e ela sorrindo. Lambi também suas covinhas e dei um beijo em cada uma. Coisa mais linda essa mulher.
    Demos um pulo quando escutamos uma batida na janela. Olhamos em volta e os vidros do carro estavam embaçados.
    Outra batida e senti que ele puxava a saia do meu vestido para o lugar e a camisa por cima da calça. Pulei para o banco do carona e ela abriu a porta, já que as chaves só Deus sabe onde estariam.
    – Vocês, por favor, encontrem outro lugar para isso, sim? Aqui no estacionamento não pode. – Disse o manobrista da Sanders.
    Comecei a rir da situação e Lauren se juntou a mim. Ainda rindo ela respondeu ao manobrista e fechou a porta.
    – Quer ir pra minha casa? Ou pra sua? – Ela me perguntou, se chegando para me beijar mais uma vez.
    – Sua Ella não está lá?
    – Está, mas ela tem um sono pesado... Vamos?
    – Ah Lauren, não vai dar, estou de carro e a Di está comigo.
    – Humm, ok. Mas isso não acaba aqui. Estamos apenas começando e nem pense em fugir de mim amanhã. Agora você é minha. – Me beijou possessiva. Ah delícia!
    – Não se mexa. – Lauren saiu do carro e deu a volta, abrindo a porta para mim. Saí do carro e peguei minha calcinha.
    – Toma, fique pra você. Para que não se esqueça dessa noite. – Disse com um sorriso safado.
    Ela pegou e chegou com ela próximo ao rosto e cheirou.
    – Camila, vou guardar e dormir com ela pertinho de mim, sentindo seu cheiro. – Ela guardou no porta luvas do carro e fechou a porta. Passou o braço pelos meus ombros e beijou meus cabelos.
    – Vamos pra dentro de novo procurar a Dinah. Ela deve estar pensando onde diabos nós nos metemos.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...