História Infantilidade [Imagine Suga] - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Agust D / Suga, Bangtan Boys (BTS)
Personagens Personagens Originais, Suga
Tags Bangtan Boys, Bts Imagines, Imagine Min Yoongi, Imagine Suga, Imagine Yoongi, Suga, Yoongi
Visualizações 143
Palavras 3.194
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oie, o capítulo deve estar bem grandinho (eu acho), mas espero ter recompensado quem esperou kskkkssk, tá bem recheado...

Capítulo 7 - Hello Bitches


    

(S/N) on:

Abri meus olhos lentamente, piscando algumas vezes e reconhecendo o quarto. Me sentei na cama e não vi o Yoongi, fui para meu quarto fazer minha higiene matinal.

(...)

Tinha acabado de me vestir, e escutei a campainha tocando, corri até lá em baixo abrindo a porta em seguida.

– Bom dia! – Era Larissa, minha amiga brasileira.

– Bom dia! – Dei espaço e ela entrou.

– Está tudo bem? – Larissa perguntou depois de ter entrado e se sentado no sofá.

– Sim sim, Yoongi está cuidando de mim. – Disse sorrindo.

– Ah, aliás, vim aqui para ver esse tal Yoongi. – Ela disse direta e eu lembrei que tinha enviado sua foto para a mesma.

– Aham.

– (S/N)! – Escutei alguém me chamar, concerteza era o Min, sua voz vinha da cozinha então fui até lá puxando Larissa.

– Olá? – Eu disse e ele de costa respondeu.

– Seu café está pronto. – Disse virando e encarando Issa, que fazia a mesma coisa. – Quem ela é? – Perguntou baixinho, só pra mim.

– Larissa, minha amiga que também é brasileira, vai passar o dia conosco. – Respondi sorrindo enquanto eles se encaravam. – E Larissa, esse aqui é o Yoongi.

– Uhum, nada mal. – Ela disse o olhando de cima à baixo. – (S/N), meu amor, posso conversar com ele... À sós...? – Perguntou e eu assenti saíndo da cozinha.

Yoongi on:

A garota me encarava como se lê-se minha alma, e eu a olhava discreto.

Ela era loira, não muito alta, olhos castanhos, magrinha, era até bonitinha.

– Quais são seus planos com (S/N)? – Perguntou se sentando no banquinho encostando no balcão.

– Como assim? – Perguntei.

– Olha, você sabe o quanto ela é infantil...

– Mas não é uma criança. – Eu disse revirando os olhos.

– Só se você tiver tirado isso dela. E eu espero mesmo, que não tenha acontecido nada!

– Calma, eu não transei com sua amiga.

– Eu sei, você parece ser boa pessoa, mas é um homem...

– Estou me sentindo ofendido, sua femista.

– Sem brincadeiras por favor – Disse fingindo uma tosse e continuando – Yoongi, ela é uma criança, mesmo com 16 anos. Espero que respeite sua igenuidade e inocência, pois muito poucas pessoas ainda possuem isso.

– Eu sei, não sou pago pra fazer sexo e sim para cuidar dela, e eu nem sinto atração sexual pela mesma.

– Se um dia você tocar nela sem permissão, arranco seu pinto fora! – Me ameaçava séria.

– Violenta.

– Estou falando sério. – Disse e sorriu. – Mal nos conhecemos e olha do que estamos falando.

– Eu não havia dito nada, você que começou.

– Gosto muito de (S/N), não quero que nada de mal lhe aconteça. – Suspirou e eu passei a mão no seu cabelo, parecia ser uma boa garota, meio afrontosa, mas é legalzinha.

– Se conhessem a quanto tempo? – Perguntei mudando de assunto.

– Desde que moravamos no Brasil. – Disse mais relaxada. – E você?

– Nossas mães são amigas, um dia sua omma foi visitar a minha e ali nos conhecemos. – Eu disse revirando os olhos, mesmo depois de alguns anos continua a mesma pirralha.

– Sempre achei que rolava uma química entre vocês. – Disse sorrindo.

– Nada a ver, como você mesma disse "ela é muito infantil".

– Okay então. Agora vamos comer que eu tô com fome.

– Tão folgada quanto a outra.

– (S/N)... Vamo rangar? – Meo Deus, que mundiça. – Não me encara assim, food is my best friend.

– Nossa, parece que nunca comeu. – Eu disse sorrindo.

– Faz duas horas, ué?

– Tá, não vou falar mais nada.

– Cheguei gente. – (S/N) voltou. – Porque não vamos comer na sala de estar?

– É muito longe, o estômago não espera. – Larissa disse sorrindo.

– Tá bem.

Sentamos e começamos a nos servir, provando de tudo que eu havia feito, sou um magnífico cozinheiro.

– Esse suco tá ótimo Yoongi – (S/N) disse de boca cheia.

– Eu sei, eu que fiz.

– Convensido? Não, obívio que não. – Larissa disse sarcastica.

Sorri minimamente, e peguei minha louça, já que eu havia acabado. Levei até a pia e lavei, derrepente senti mãos na minha bunda.

– Nossa Yoongi que traseiro. – Larissa dizia, que tarada... – Que grande. – Sorria batendo nele me constrangendo, isso não vai ficar assim.

– Não tão grande quanto o meu...

– Ei, pode parar, (S/N) tá aqui. – Me interrompeu – Mas não tenho dúvida – Disse no meu ouvido. Algumas pessoas deveriam ser como (S/N)...

– Acabei Yoongi – (S/N) se levantou trazendo sua louça, que logo em seguida foi lavada por mim, seu escravo.

*DingDong*

Escutei a campainha tocando, e antes que eu pudesse ir abrir, as duas criaturas saíram correndo até lá.

Enxuguei minhas mãos e fui andando a passos lentos até lá, acabei escutando uma voz conhecida.

– Yoongi está aqui?

– Sim. – (S/N) respondeu. – Entrem. – Espera, vieram todos?

– Yoongi!! – Hoseok gritou e veio até mim.

– Yaer? Como me encontraram?

– Ué, você disse que ficaria aqui essa semana. – Namjoon respondeu.

– Tá ficando com aminésia? – Jimin disse sorrindo.

– Velho ele já é. – Jungkook completou sorrindo.

– Ranzinza também. – Taehyung continuava.

– Se vieram pra me ofender, podem dar meia volta e tchau.

– Calma Yoongi, esqueceu que iriamos jogar basquete hoje? – Jin intervindo por eles.

– Tá vendo como ele tá com aminésia – Jimin disse gargalhando, o encarei sério e ele parou.

– Não eu não esqueci, só que hoje estou cuidando dessa criança. – Disse irônico puxando (S/N).

– Fiufiu, me chama de Daddy que... – Hoseok começou, mas eu o interrompi.

– Sem cantadas de pedreiro, por favor.

– Iiii, rolou ciúmes – Taehyung disse sorrindo. Será possível que eles tenham tirado o dia para me sacanear?

– Mas um que concorda comigo Yoongi. – Larissa que até então estava calada se pronúnciou.

– Dessa criança eu cuido – Jungkook a encarava de cima a baixo, fazendo a outra corar.

– Por quê não vamos todos para o jogo de basquete Yoongi? – Larissa me encarou.

– Também quero Yoongi. – (S/N) disse com os olhos brilhando.

– Tá, vamos. – Eu disse e elas gritaram estericas, correndo até a escada subindo em questão de segundos.

– Tá pegando a filha da patroa Min? – Hoseok perguntou malícioso.

– Claro que não seu idiota!!

– Eu posso? – Jimin questionou me enfurecendo.

– Não!!

– Por quê não? – Perguntou Jimin.

– Ela é muito infantil, você não iria gostar seu pervertido.

– Não tem nenhum outro motivo além desse? – Taehyung perguntou me encarando com malícia, o que eles tem hoje?

– Não, não tem! – Suspirei.

– E a outra eu posso? – Jungkook perguntou sorrindo ladino.

– Querem parar? Seus pedófelos.

– Senhor certinho falando. – Namjoon disse irônico. – Quando você se envolveu com a Hanna pela primeira vez ela era de menor.

– Mas não era virgem.

– Eeee, altas revelações. – Hoseok disse gargalhando.

– Como você sabe se elas são? – Jimin disse sentando do lado de Jin, que estava calado. – Ou eram...

– Quer saber, fdc! – Eu disse bravo.

– Calma Yoongi, eles estão só brincando. – Jin disse sereno.

– Brincadeira tem limites. – Disse saíndo dali.

– Aonde vai? – Namjoon questionou.

– Colocar outra roupa.

(S/N) on:

– Prefiro ir de calça – Disse a Larissa que insistia para mim colocar um shorts.

– Mas lá é quente, vai fazer calor.

– Aish, tá bem. – Peguei a peça que estava na sua mão e vesti. – Ficou bom?

– Ficou perfeito.

Ela pegou o outro shorts que estava lá em cima e o vestiu.

– Acho que está curto... – Primeiro: Ela já usou mais curtos. Segundo: Ela que trouxe a peça semana passada. Terceiro: Ela vai com esse e pronto.

– Não tá nada. Agora vamos. – Peguei sua mão e saí a puxando pela casa, eu sempre fazia isso.

Descemos os degraus, e vimos todos ali, o Yoongi estava com outra roupa...

– Até que fim, vocês demoraram pra cassete. – Yoongi disse levantando-se, juntamente com os outros.

– Vamos a pé? – Larissa perguntou.

– Se quiser ir no meu carro... – Jungkook falou.

– Você nem tem carro. – Jin disse sorrindo.

– Aish!

– Sim, Larissa, nos vamos a pé, afinal a quadra é perto. – Namjoon disse.

Eu nunca tinha conversado com os amigos do Yoongi, mas os conhecia, pelo menos pelo nome já que eles já vieram aqui outras vezes.

Yoongi estava com a chave então ele fechou a porta, e tentou a guardar em seu bolso, mas a chave acabou escorregando de sua mão e Jimin a apanhou.

– Nossa Yoongi, encontrei alguém com a bunda maior que a sua. – Larissa disse e eu ri da cara emburrada do Min, que se aproximou do ouvido de Issa e sussurrou algo fazendo ela socar seu ombro de leve.

Yoongi, Taehyung e Hoseok iam na frente conversando algo entre eles. Jin e Namjoon foram de moto.

Enquanto eu ia do lado direito de Larissa, que tinha ao seu lado oposto o Jungkook, e ao meu lado estava o Jimin.

– Então como é seu nome mesmo? – Jungkook interrogava Issa.

– Larissa. – Respondeu sem o encarar.

– Brasileira? – Perguntou e ela assentiu. – Amo a genetica do Brasil.

– Se está pensando que eu sou a típica mulher do Brasil não se iluda. – Issa revirou os olhos e Jungkook a puxou para mais perto de si, mas ela não soltou sua mão da minha.

– Não, mais seria a mulher ideal para mim.

– Você é bom de lábia – Disse ela revirando os olhos.

– De cama também... – Me desconcentrei da conversa deles, olhando apenas para a frente.

– Hey, (S/N)...

– Oi, Jimin?

– O que acha de sairmos hoje a noite?

– Eu não sei... Tenho que ligar pra minha mãe. – Respondi e ele me olhou estranho.

– Ainda precisa de permissão da mãe? – Perguntou de sobrancelha arqueada e eu assenti. – Bem que Yoongi falou – Disse suspirando.

– O que ele disse?

– Nada. Você sabe o que é sexo? – Perguntou me encarando.

– A minha ex-professora disse que existem dois sexos, o feminino e o masculino, mas também tem gêneros como por exemplo: gays, lésbicas, bi, trans, travestis, pan...

– Não é desse sexo que estou falando, e sim do prazer, como os bêbês vem ao mundo.

– Não entendo do que está falando, mas já ouvi falar de como os bêbês nascem.

– Vai dizer que são as garças que os trazem?

– No mito popular são as cegonhas, não garças. Mas respondendo sua pergunta anterior, sei um pouco sobre o sistema reprodutor, mas nunca me interessei pelas aulas chatas e sempre dormia no meio das mesmas.

– Uhum...

Chegamos à quadra, entramos de um em um, passando pela parte dos bebedouros seguindo ao centro, onde tinham algumas cestas, e do outro lado traves e uma rede dividindo os dois espaços.

Eu e Larissa subimos os degraus ficando nas arquibancadas, enquanto os meninos ficaram lá embaixo para jogar basquete, juntamente de outros que eu nunca vi na vida, e algumas garotas subiram para arquibancada também, mas não ficaram perto de nós duas.

– Ei, o que você e o Jimin tanto conversavam? – Issa perguntou me encarando.

– Ele estava falando de sexo.

– De sexo? – a outra arregalou os olhos.

– Sim, daquelas aulas chatas que eu nunca prestei atenção – Eu disse simplista.

– Precisamos conversar, afinal você tem 16 anos...

(...)

Larissa disse coisas muito nojentas, e agora me sinto uma pessoa extremamente pervertida, depois dessa conversa me sinto impura.

– (S/N), um dia você vai fazer isso.

– Eu não vou não. Vou ser virgem pra sempre.

– Ata.

– É sério, eu não acho que isso seja uma necessidade dos humanos como você disse. Isso é coisa de gente pervertida.

– E de quem se ama. É normal, você sabe, só não quer adimitir.

– Então se o Jimin quiser fazer isso, eu posso?

– Só se você quiser, se sentir preparada. Mas te aconselho a não se relacionar com alguém que você não ame, ou não sinta atração. Estamos no século XXI, sim, mas sexo ainda é um tabu que deve ser entendido, e práticado, mas não com qualquer um.

– Eu nunca nem mesmo beijei ninguém, porque tenho vergonha, quem diria fazer isso.

– Você pode estar certa em se preservar, mas nunca veja isso como um bicho de sete cabeças, afinal não é pecado amar alguém.

– Eu queria te dizer obrigada pelo que você disse, mas nossa agora eu sou uma pervertida como todos os outros – Eu disse fazendo careta.

– Nós temos que amadurecer, não tem como ser criança para sempre, você tem 16 anos entenda!

– E aê garotas? – Hoseok chegou onde estavamos. – O jogo acabou, vamos?

– Já acabou? – Perguntei sem entender, eu nem "vi" o tempo passando.

– Já sim, mas vocês pareceram tão interdidas uma com a outra...

– Era uma conversa que alguém deveria ter com ela a muito tempo. – Larissa disse e eu lembrei de tudo, corando em seguida.

– Vamos?

– Vamos. – Hoseok disse e eu pulei nas suas costas, pouco me importando se ele deixaria ou não.

Ele desceu os degraus comigo ali, e Issa vinha ao lado, logo estavamos na quadra e os meninos se aproximaram suados.

Namjoon me desceu dali, me ajudando a colocar meus pés no chão.

– Nossa, vocês estavam tão empolgadas com o jogo, que nem mesmo olharam as cestas que eu fiz. – Jimin disse irônico.

– Mas você nem as alcançou. – Jungkook chegou ao seu lado sorrindo

– Há... Há... Há... Que engraçado Jeon – Jimin disse sarcastico.

– Mas é verdade, perdendo meu orgulho, ainda digo que quem jogou melhor foi o Yoongi, mesmo que tenhamos ganhado o jogo dos adversários, fomos péssimos hoje. – Jin disse sorrindo. – Aliás, cadê ele?

Depois que Jin disse isso, eu olhei ao redor da quadra e não o vi.

– Não é ele ali? – Jimin apontou e eu olhei para onde ele apontava – Está com a Hanna, esse é meu orgulho... – Jimin disse sorrindo e eu não dei atenção ao que ele falou depois, pois estava indo lá onde o outro estava.

Não sei o que deu em mim, apenas sei que fui até lá.

– Vamos Yoongi? – Perguntei e ele soltou a cintura daquela garota tão pálida quanto ele, para me encarar de lado.

– Só um minuto. – Ele disse se aproximando da garota de novo, senti algo estranho tampando minha garganta e meu corpo esquentar.

– Vamos! – Eu disse os separando antes que ele encostasse seus lábios naquela boca tingida, por um quilo de batom vermelho.

– O que é isso garota? – A outra perguntou me fuzilando com o olhar.

– Ele tem obrigações, que não envolve ficar aqui se pegando com ninguém. – Eu disse o que pensava pouco me importei com o depois.

– A então, a obrigação dele é se pegar com você? – Disse totalmente sarcastica, mas ainda me fuzilava.

– Talvez, e quando não tem nada melhor pra fazer, saí pegando umas putas por aí. – O que eu estou fazendo da minha vida? Quem sou eu? Não me reconheço.

Olhei para o lado e as pessoas se reuniam ao redor.

– Está me chamando de puta, criança? Pois é, sou mesmo! E parece que ele gosta não é? – Disse agarrando o Min levando as mãos dele até sua bunda, que oferecida.

– Como eu disse, ele deve estar sem algo melhor pra fazer. – Retruquei e ela o largou se aproximando de mim.

– Coitada, o recalque é tão grande que quando não pode ter alguém, atrapalha a diversão dos outros? – Quando eu eu iria retrucá-la, Larissa me puxou.

– Vamos embora (S/N). – Ela disse e eu assenti.

– Ficou sem respostas, recalcada. – A tal Hanna disse, e eu me virei, mas Larissa me puxou de novo.

– Vamos embora (S/N)!!

– Claro que vamos, afinal ela é só um brinquedinho, ele sempre irá deixá-la, para vir pra mim. – Deixei todos boquiabertos e saí dali, sem dar atenção ao que a outra espraguejava.

Na verdade, toda aquela coragem vai resultar em lágrimas, estou sentindo meus olhos lacrimejar, mas não vou chorar, como todos dizem "eu não sou mais uma criança".

– Jin, me leva pra casa?

– Por quê não eu? – Jimin perguntou.

– Porque eu quero o Jin! – Respondi e ele se calou.

– Claro que levo querida. – Ele disse me dando o capacete.

– Quer que eu vá pra lá? – Larissa perguntou e eu neguei. – Então tchau. – Disse me abraçando.

Só me despedi dela e segui o caminho com o Jin.

Ele pegou a moto, e eu subi na traseira, esperei ele dar partida e puff, em questão de minutos estavamos em casa.

– Jin, fica aqui comigo? – Pedi manhosa, não queria ficar só, ele suspirou e respondeu.

– Tudo bem. – Disse e eu segui caminho até meu quarto, puxando ele como eu fazia com a Issa.

Entrei no box já levando minhas roupas, e em alguns minutos saí de lá.

– (S/N), o que aconteceu? – Ele perguntou, o mesmo não estava na hora da discussão, pois tinha ido beber água.

– Pra falar a verdade, nem eu sei. – Eu disse deitando em seu colo, já que o mesmo estava sentado na minha cama.

– Eu sei que teve alguma coisa relacionada com a Hanna, Jimin começou a falar, mas não dei atenção, pois queria ouvir de você.

– Eu discuti com essa garota, eu não entendo como aconteceu eu simplismente estava parada, mas quando vi o Yoongi com ela fui até lá, e enfim... Aconteceu isso. – Meus olhos lacrimejavam e eu não sabia o porquê.

– Ai ai, ciúmes. – Jin disse sereno.

– Eu não tenho ciúmes dele.

– Eu dizia a mesma coisa antes de descobrir que estava apaixonado pelo meu amigo. – Ele disse e eu arregalei os olhos.

– Você é gay?

– Acho que sim. – Disse sorrindo.

– E quem é esse amigo? – Perguntei sorrindo, sempre quis ter um amigo gay, mesmo que antes eu não entedesse muito bem sobre isso, mas agora sei até mais do que gostaria.

– Namjoon.

– Ele sabe?

– Não, e mesmo se soubesse, não iria querer nada comigo, ele é um sonho distante. Mas vamos esquecer isso e me diga porque discutiu com nejera da Hanna.

– Também não gosta dela?

– Digamos que eu ache ela muito puta.

– Ai, Jin, não sei bem, só sei que minha garganta trancou, meu coração acelerou e por alguns segundos prendi o ar.

– O que sente pelo Min? – Jin perguntou e eu pensei – Seja sincera.

– Eu não sei estou tão confusa, nem mesmo me reconheço. Queria minha mãe...

– Você tem que aprender a viver sem ela. E a resolver seus problemas por si própia minha querida.

– Mas ela sempre esteve comigo...

– Esse foi um dos problemas que não te deixaram amadurecer – começou a acariciar os meus cabelos. – Não pense que sou um stalker por saber tanto sobre você, só que conheço sua mãe, trabalho em sua empresa. – Disse calmo. – Bem, você tinha muita atenção, tanto de seu pai quanto de sua mãe, mas aí ele partiu para o paraíso, e a sua mãe, mesmo tendo tanto, para manter tudo isso e as empresas de seu pai começou a trabalhar o dobro. Assim ela não tinha tanto tempo para descansar e você acabou vendo isso como se ela não tivesse tempo pra você, mas não é verdade, ela te ama e você sabe disso. Mas para continuar tendo atenção, seu subconciente te fez continuar sendo infantil, com se precisasse sempre dos cuidados de sua mãe, e ela como se sentia culpada por te deixar tão sozinha, acabou cedendo e te "mimando". Sei que você sabe sobre algumas coisas adultas, mas seu psilogico ainda acredita que você é uma criança, pois você acredita nisso, (S/N), você precisa amadurecer e aprender a viver sozinha, pois sua mãe não estará contigo pra sempre, e nem sempre o Yoongi estará aqui.

– Jin... – O abracei fortemente, sendo reconfortada pelo outro, já não segurei as lágrimas e as deixei rolar. – Obrigada...

– Só disse a verdade meu anjo, agora fica calma que ainda precisamos conversar – Disse ele nos separando e enxugando minhas lágrimas.

Me sentei ao seu lado, e naquele fim de tarde nós conversamos sobre tudo, tudo mesmo.

Depois de tanto falar adormeci, em seu colo.

(...)

Não!!!... Não!!!!

 


Notas Finais


O que acharam? Continua???


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...