História Infantilism I - Capítulo 13


Escrita por:

Postado
Categorias Os Vingadores (The Avengers)
Personagens Anthony "Tony" Stark, Clint Barton (Gavião Arqueiro), Dr. Bruce Banner (Hulk), Edwin Jarvis, Feiticeira Escarlate (Wanda Maximoff), James Rupert "Rhodey" Rhodes, Loki, Natasha Romanoff, Pantera Negra (T'Challa), Pepper Potts, Pietro Maximoff (Mercúrio), Sam Wilson (Falcão), Scott Lang (Homem-Formiga), Steve Rogers, Thor, Visão, Wade Willson (Deadpool)
Tags Avangers, Spideypool, Stony, Superfamily, Vingadores
Visualizações 431
Palavras 2.457
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, Lemon, LGBT, Luta, Misticismo, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Leiam as notas finais!

Capítulo 13 - Meses de sofrimento


P.O.V Peter

Meu coraçãozinho 'tá dodói, machuca muito, e essa dorzinha faz meus olhinhos ficarem cheios de água...

Eu preciso do Wade aqui comigo, e agora.

Sinto falta dele, dos beijinhos, dos braços quentinhos, do carinho que ele me dava toda vez que eu não estava bem que nem agora, sinto falta do amor que ele me dava...

Mas não adianta mandar mensagens, Wade não responde... Eu só queria que tudo isso mudasse.

Wade foi embora tem alguns meses, e depois que ele foi embora eu não sinto mais vontade de sorrir, de rir, de levantar da caminha quentinha, de estudar - que é o que eu mais gosto de fazer -, de falar com ninguém, se não fosse pelos meus papais eu nem banho tomava ou comia. Toda vez que a lua aparece e papais estão mimindo, eu choro, meu travesseiro chega a ficar molhado, eu não consigo mimir direito porquê toda vez que fecho meus olhinhos, eu sonho com Wade e quando acordo vejo que estou sozinho na minha caminha.

Papais me mudaram de escola, porque na outra os poucos dias que fiquei as pessoas foram más comigo, riram de mim - tirando Ned, Michelle e o Harry -, fizeram piadinhas feias comigo... Mas agora estou em outra, eu só falo com uma menina que se chama Gwendolyn, mas eu chamo ela de Gwen, ela é muito legal comigo mas ainda não sabe que eu gosto de meninos... Acho que ela não iria mais falar comigo se soubesse. Ned, Michelle e Harry sempre que podem me visitam aqui em casa, a gente passa a tarde toda comendo doces, vendo filmes e jogando vídeo-game, eles são os melhores amigos do mundo, sempre tentam me fazer sorrir um pouco...

Eu os amo muito...

[Primeiro mês  - O término]

- Papais... Eu não quero ir, eles vão rir de mim...- Peter faz um pequeno bico enquanto tinha suas mãos juntas em frente ao peito em uma forma de súplica, olhava os pais desesperado.

- Filho...- Steve suspira, colocando Peter sentado em seu colo enquanto acaricia seus fios castanhos - Nós estamos tentando te por em outro colégio, infelizmente eles precisam das notas bimestrais então você precisa fazer as provas, quando terminar nós iremos lhe por em outra. Eu sei que vai ser difícil mas não tem outro jeito meu amor.

- Qualquer coisa que acontecer você nos avise, okay? Que eu coloco minha armadura e extermino todos que te fizeram mal. - Peter riu baixinho - Agora vamos, Happy está lhe esperando lá fora.

(...)

Ao por os pés dentro do colégio, Peter recebeu os olhares de todos, eram olhares de deboche, nojo, e até mesmo alguns de raiva... Flash ri e diz bem alto.

- Olha só pessoal, se não é o engolidor de espadas! - Peter não entendera o duplo sentido da frase, mas encolheu os ombros ao ouvir as risadas ecoarem pelo corredor do colégio - Cadê o estranho do seu namorado? Oh esqueci, ficou cansado depois de foder você essa noite, não foi? - Mais risadas foram ouvidas, Harry se aproximou de Peter e sussurrou um "Não dá atenção, Petey" e o levou até seu armário, que ficava no fim do corredor.

- Eles são maus, Harry. - Os olhos do pequeno marejaram - Quero voltar pra casa!

- Calma Peter, vai ficar tudo bem. - Harry suspira.

Peter abre o seu armário no intuito de pegar seus livros, mas tomou um susto ao achar um consolo - apesar de não saber o que era aquilo - colado na porta do armário, juntamente com um bilhete que dizia "Um presentinho, use bastante. Boiolinha!".

- Mas o que é isso, Harry?

- N-Não é nada. - Ao ouvir mais risadas, Harry retira aquilo do armário de Peter e joga na lixeira mais próxima dalí - Vem, vamos para nossa sala.

Ao adentrarem a sala de aula, Peter cumprimentou Ned que perguntou se o mesmo estava bem, Peter mentiu dizendo um "sim" baixo. Wade também estava na sala, no fundo como sempre é seu inseparável capuz, Peter se aproxima aos poucos do namorado.

P.O.V Peter

Eu fiquei tão feliz! O namorado do Peter veio! Ele não falou comigo nesse final de samana, fiquei preocupado porquê ele foi para a missão com os vingadores atrás do homem mau, mas fiquei aliviado ao ver ele aqui na sala. Me sento na cadeira vazia do seu lado, encosto minha cabeça no seu ombro, o sinal não tinha tocado então só tinha eu, Wade e Ned e Harry que estavam conversando na frente da sala, então eu pude demonstrar carinho pelo Wade sem ter medo que Flash fizesse piadinhas feias.

- Oi namorado, tudo bem? Você não falou comi-

- Eu quero terminar.- E afasta o ombro de mim. Eu ri.

- Para de brincar Wade, brincadeira sem graça!

- Não estou brincando!

- M-Mas por quê?- Meus olhinhos se enchem de lágrimas - Você não gosta de ser namorado do Peter?

- Não é isso... - Ele suspira - Primeiro o sequestro, depois a escola inteira fazendo piadas de mal gosto com você por você ser meu namorado... Peter, eu só trouxe coisas ruins para você, e ainda por cima eu faço completamente o contrário do que um herói deve fazer.

- Mentira! Você ajudou os vingadores a dar uma lição no Caveira Vermelha, isso é coisa de herói! E você não trouxe coisas ruins, essas coisas não são sua culpa! Wade, eu amo você, a gente pode aguentar essas piadinhas juntos...

- Peter você acha que eu aguento ver essas coisas acontecendo com você? Eu não ligo para o que dizem para mim, mas para você sim, você é meu bem mais precioso e a unica coisa que eu quero é você feliz. Não dá para ignorar, você não merece isso, eu não te mereço... Me desculpa Peter... - Sinto uma lágrima descer pela minha bochechinha - Não chora, por favor... - Tiro o anelzinho do meu dedo e coloco na mão do Wade, sorrindo mesmo que as lágrimas estivessem saindo.

- E-Está tudo bem, se você não quer mais o Peter, Peter vai ficar quietinho. Eu te amo. - Dou um beijinho na bochecha do Wade e vou até meus amigos.

- Petey, o que houve? - Ned pergunta ao ver minhas bochechinhas molhadas.

- N-Nada, tá tudo b-bem... Eu só estou com dodói na cabeça, vou pedir para ir para casa... Amanhã eu peço para fazer a prova que perdi hoje... Tchau Harry, Ned.

Ao sair da sala, senti algo bater no meu rostinho, era uma bolinha de papel, depois dessa vieram outras junto com palavras feias sobre mim... E ficou pior quando eu tropecei no pé de uma menina e caí no chão, ela chutou minha perna com força e saiu... Dói tudo, meu coraçãozinho, minha perna, minha cabeça...

Tudo está dodói.

(Segundo mês - Difícil )

Papai Steve e papai Tony estão preocupados comigo, eu não sorrio mais, não tenho vontade de fazer mais nada... Wade não foi mais para a escola depois da semana de provas, e está difícil ficar no colégio com tantas pessoas falando coisinhas ruins pro Peter. Eu não falei para eles que Wade não é mais meu namoradinho, eles andam muito ocupados, muitas coisas que super heróis devem fazer e eu não quero incomodar meus papais por isso...

.

- Petey... Posso entrar? - Papai Tony perguntou dando batidinhas na porta do meu quarto, digo baixinho que sim e ele entra - Filho, hoje é sábado, por que não saiu do quarto até agora? A gente podia fazer uma maratona de séries, o que acha?

- Eu não quero, papai... - Coloco o rostinho no travesseiro.

Minha garganta arde, sinto que a qualquer momento eu vou chorar de novo... Senti o colchão afundar do meu lado, papai passou a fazer carinho no meu cabelo.

- Petey, o que está acontecendo? Ultimamente você anda tão desanimado, tristinho, quietinho e não é de seu costume ser assim... Olha, sabe que pode confiar em mim, certo? Sou seu pai, eu tenho que saber o que está acontecendo.

- Wade não é mais meu namoradinho...- Meus ohos ardem - Por que dói tanto...? Meu coraçãozinho dói, papai, faz isso parar...- Viro meu rosto para olhá-lo, papai estava surpreso com o que eu disse - Papai, eu sinto tanta falta dele... E-Ele disse que não queria que mais coisas ruins acontecessem comigo, ele disse que era culpa dele mas eu sei que não é papai, as pessoas que são más com o Peter, não foi culpa do Wade...- Sento na cama e abraço papai, deixando a blusa dele úmida por causa das minhas  lágrimas.

- Filho... Isso é complicado, eu realmente não sei o que dizer...- Ele faz um carinho bom na minha cabeça enquanto balançava seu corpo com o meu para frente e para trás, como uma mãe faz com seu neném - Olha, eu sei que é difícil tudo isso e é muita coisa para sua cabecinha mas você precisa seguir em frente. Quando eu tive meu primeiro namorado, o término foi doloroso para mim, demorou para superar mas uma coisa eu digo: Passa. Tudo passa, você vai ficar triste por um bom tempo, mas vai passar, um dia você vai encontrar outro garoto que vai te fazer feliz...

- M-Mas eu não quero outro, eu quero o Wade...


(Terceiro mês - Mudança )


Hoje estou indo para a escola nova, finalmente depois de um mês os boletins foram entregues e eu pude sair daquela escola, mas foi difícil me despedir dos meus melhores amigos...


...


Titio Happy parou o carro em frente da minha nova escola, ela não era tão enorme que nem a outra mas ainda assim era grande, as paredes eram brancas e no meio da entrada/saída tinha uma fonte linda na cor preta. As pessoas pareciam ser diferentes, mais sorridentes.

Ao sair do carro, caminhei calmamente até chegar dentro do colégio. Ninguém tinha prestado a atenção em mim, o que foi bom, porquê poderei ficar quietinho sem receber piadinhas feias. Olho o papelzinho que papai tinha me entregado com o andar e o número da minha sala... Hum... Sala 1A, quarto andar.

.

Enquanto subia as escadas jogava um joguinho no meu celular para passar o tempo, e como eu estava concentrado acabei esbarrando em uma menina... Ela era alta, loira, pele clara assim como seus olhinhos. A ajudei a catar os livros que caíram de seus braços.

- D-Desculpa, eu não te vi...- Falo ao entregar os livros para ela.

- Está tudo bem. - Ela sorri - Eu nunca te vi por aqui...

- É que eu sou novo, meu nome é Peter.

- Gwendolyn, mas me chame de Gwen. - Ela aperta minha mãozinha - Qual a sua sala?

- 1A, no quarto andar...

- Que máximo! Somos da mesma turma! - Coro, quando percebo Gwen apertava minha bochechinhas me fazendo ficar emburradinho - Como você é fofinho!

- Ya! Não aperte minhas bochechinhas. - Dou língua para ela, mas logo depois rimos.

...

-...E eu fiz uma amiga, a Gwen, ela é muito legal e engraçada. - Contei para meus papais como tinha sido meu primeiro dia na nova escola, eles pareciam felizes em saber que eu nao tinha sido alvo de piadinhas.

- Isso é muito bom meu amor! - Papai Steve me dá beijinho na bochecha - Será um novo começo.



(Atualmente  - Cinco meses depois)

Peter, apesar de estar se dando bem com Gwen no novo colégio e, sempre sendo visitado por seus melhores amigos ele se sentia com um vazio em seu peito... Ele tinha uma família maravilhosa, amigos maravilhosos, privilégios da alta sociedade mas algo faltava, se sentia incompleto...

Sua vontade de levantar da cama era praticamente nula, de estudar menos ainda... Era como se os dias não fossem mais coloridos, como se o sorriso em seu rosto - quando dava - não tivesse real sentimento.

Chegava ao ponto de virar a noite aos prantos, lágrimas de saudade, de dor e tristeza, ou quanto conseguia cochilar por breves horas logo acordava devastado... Já faziam meses em que o pequeno Peter sonhava com exatamente a mesma cena: Com Wade lhe deixando.

Até que um dia seu pai, Tony não aguentava mais ver o filho totalmente desolado e então tomou a decisão de levá-lo à um psicólogo, afinal, temia de que a tristeza que seu filho sentia pudesse ser algo bem mais sério.

***

Duas horas. Duas horas de conversa foram o suficiente para que a psicóloga desse o diagnóstico aos pais do acastanhado. Infelizmente, o garoto estava no início de uma depressão, segundo a psicóloga Steve e Tony tiveram sorte de levar Peter naquele momento, pois seria muito mais fácil de tratar a doença até que Peter fosse curado desse mau que vem atingindo cada vez mais as pessoas desse século.

Não preciso nem dizer que os pais do garoto ficaram extremamente arrasados com a notícia, o término do  namoro de Peter levou à um início de depressão...

A psicóloga passou os antidepressivos necessários que Peter tomaria duas vezes ao dia, de dia e de noite além dos remédios para que pudesse dormir, pois segundo o próprio Peter, tinha dias - quase sempre - que não conseguia dormir, e virava a noite chorando, além de dizer que Peter teria que frequentar seu consultório duas vezes na semana para começarem o tratamento com ela e outros adolescentes que também possuíam a mesma doença. 

.

Em casa, após a consulta com a psicóloga a primeira coisa que Tony fez foi dar um remédio para que Peter dormisse, afinal, seu filho merecia umas boas horas de sono após todo o estresse desses meses sem conseguir dormir.

.

Na sacada do quarto que dividia com seu marido, Tony sentia a brisa fria em seu rosto. Por que tudo aquilo deveria estar acontecendo com Peter? Nesse momento desejava ter o poder de arrancar toda a angústia de seu filho, não suportava vê-lo naquele estado, triste e desanimado para qualquer coisa.

No meio de seus desvaneios sentiu braços fortes rodearem sua cintura, além de seu marido apoiar a o queixo em seu ombro.

- Peter dormiu... - Proferiu com a voz embargada, só então percebeu que Steve chorava silenciosamente - O que vamos fazer, Tony? Eu não suporto ver ele daquela maneira...

- Vamos seguir com o tratamento, quero meu filho curado dessa doença... Vamos ajudá-lo nessa fase difícil. - Se virou para frente do marido, fez questão de secar cada lágrima no rosto do companheiro. Momentos depois, estalou a língua no céu da boca, uma mania que possuía toda vez que uma idéia vinha em sua cabeça  - Steve, lembra de que o que levou o término do relacionamento deles foi a idéia estúpida que Wade teve de achar que a culpa de tudo foi dele? - O loiro assente vagarosamente - Então... Eu estava pensando em ligar para o Wade... 


Notas Finais


Pessoas, estamos na reta final da fanfic! Mais alguns capítulos e "Infantilism" será encerrada... :(

MAS NÃO FIQUEM TRISTES! Para a alegria de vocês essa é uma das fanfics que eu mais me orgulho de fazer, que eu mais me animei em começar, e então farei uma segunda temporada dela! Ainda será o mesmo tema mas... Sem spoilers, aguardem a próxima temporada ♡

Aliás, quero agradecer todos os 100 (e pouquinhos) favoritos! Eu realmente não sabia que essa fanfic daria certo afinal, não me considero uma ótima escritora mas dou o máximo de mim, tento agradar à todos com as histórias que tenho trazido para a plataforma, muito obrigado à todos que comentaram e favoritaram, eu amo cada um de vocês ♡

Obs: Começarei a próxima temporada em novembro, quando minhas aulas terminarem, afinal, eu preciso focar no colégio nesse terceiro bimestre♡

Até o próximo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...