História Infelizmente ele é hétero, ou nem tanto. - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO, Monsta X
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Hyung Won, I'M, Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Ki Hyun, Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Lu Han, Min Hyuk, Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais, Sehun, Show Nu, Won Ho
Tags Alguém Me Mata, Comedia, Namjin, Taekook, Vkook, Yoonmin
Visualizações 131
Palavras 1.257
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Fluffy, Hentai, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Tá tudo lá nas notas finais, boa leitura. Xx.

Capítulo 4 - Quando o mundo me machucar, você ainda vai querer curar-me?


[ Pov Taehyung ]

Corri até a casa de Jimin, passava por ruas — que naquela hora — desertas. Não aguentaria, eu estou fraco minhas pernas já não me obedecem mais... Pareço correr para o mesmo lugar, a casa do Park nunca foi tão longe. Parei no meio do percurso para poder respirar e secar as lágrimas que embaraçam minha visão.

Tomei fôlego, e tentei seguir adiante, atravessei a rua correndo, mas derepente, uma dor forte em minha cabeça e em meu corpo se fez presente. Tudo ficara preto. No momento caí em um sono profundo, como se nunca mais fosse acordar.

— Jeon, eu te amo. — O beijei, como dizer que era esse beijo? Ah, era da pessoa que eu amava.

— Ya, TaeTae, eu te amo muito mais... — Ele me acolheu em seus braços me fazendo sentir protegido, ele era a minha proteção.

— Promete nunca me deixar? — O encarei, como ele é lindo.

— Prometo, meu único amor.

[ Pov JungKook ]

Ouvi um som irritante, mas não era meu despertador, impossível ainda estava de madrugada.

Peguei meu celular, atendi a chamada do número desconhecido por mim.

— Alô?

— Jeon? É v-você? — A voz do outro lado era chorosa.

— Sim... O que você quer? quem é você? — Falei aborrecido.

— Taehyung, Taehyung s-sofreu um a-acidente...

Meu mundo desabou, como reagir? Droga, Taehyung. Era culpa minha...

— Jeon?

— Onde ele está? — Falei apressado me levantando.

— No hospital, vou te mandar a localização.

— O-okay...

Logo recebi a mensagem, era um hospital perto. Mas eu iria de carro, não estava com cabeça pra nada, mas eu precisava chegar o quanto antes.

[•••]

— Desculpe, senhor. O paciente Kim Taehyung está na sala de cirurgia, faça o favor de aguardar.

— Tudo bem...

Voltei até a uma das cadeiras da sala de espera, droga, eu não podia fazer nada. Era tarde demais.

Fechei os olhos tentando colocar a cabeça no lugar, eu tremia e sua frio, meu coração estava a mais de mil.

"Taehyung, Taehyung, Taehyung...", era só o que vinha em minha mente.

— Jungkook...? — Me despertei dos meus pensamentos assim que ouvi meu nome ser chamado.

— Ji-Jimin? Óh, que bom que está aqui, f-foi tudo cul-culpa minha... — Não queria chorar, mas se tratava dele, era inevitável.

— Calma, Jungkook. Calma. — Jimin dizia tentando me acalmar. — Você sabe o que aconteceu?

— Acho que sei... A gente pode conversar?

— Claro, vamos lá na lanchonete. Vai que você se acalma um pouco.

— Tudo bem.

Seguimos para a pequena lanchonete do hospital e nos sentamos em umas das mesinhas que havia ali no local. Pedi apenas uma água, não tinha vontade de comer ou tomar nada.

— Pode falar... — Jimin me incentivou a começar.

— Bem, ele estava lá em casa, no meu quarto e eu estava no banho. — Respirei fundo para continuar — Comecei a pensar demais e mandei ele ir embora...

— E o que tanto pensava?

— E-eu...

— Você...?

— Eu acho que gosto dele. — Falei encarando o chão.

— Gosta como? — Oras, como?

— Gosto muito, como homem. Tipo namorado. — Dou um leve sorriso ao lembrar que poderíamos um dia ser isto. Namorados.

— Mas você já não namora? 'Pera, você não é hétero?

— Eu namoro mas vou terminar com ela, e... eu não sou tão hétero assim.

— Então você é gay, ué.

— Gay pelo Tae.

[•••]

— Jeon?! — Ouvi alguém me chamar me despertando do breve "cochilo" que dei ali na poltrona da sala de espera.

— E-eu...

— Você é algum familiar de Kim Taehyung? — A suposta médica me olhou da cabeça aos pés, talvez estivesse observando alguma semelhança.

— N-não, eu sou o amigo dele. — Falei a última frase em um sussurro.

— Então me desculpe, apenas familiares podem vê-lo. Onde estão os responsáveis por ele?

— Eu nem tive tempo de falar com eles... Me deixa ver ele, por favor. — Uma lágrima escorreu pela minha bochecha direita.

— Está bem. Ele não sofreu ferimentos muito graves, ele apenas fraturou o braço e passou por um pequena cirurgia. Nada grave. O que foi praticamente um milagre, pois a maioria dos casos com atropelamento a pessoa pode ficar tetraplegica. Ele teve muita sorte.

— Ele é um menino forte. — Sorri ao lembrar que Taehyung também era forte em seu interior. Quando me contou do seu passado.

Segui a médica até um quarto — no qual deveria ser o qual Taehyung estava —, assim que ela abriu a porta pude ter a visão do mais velho, ele tinha alguns cortes pelo rosto, nada grave. Apesar de estar naquela situação, ele continuara lindo.

— Ele está dormindo devido aos remédios para aliavar a dor, logo ele acorda. Não vai avisar nenhum parente?

— Eu vou ligar para um amigo dele avisar... Eu não sei muito bem como dar uma notícia dessas.

— Está bem, vou deixar vocês a sós.

— Obrigado. — Sorri gentilmente.

Saquei meu celular do bolso assim que a médica saiu do quarto, buscando o número do Jimin.

— Jimin? — Falei assim que ele atendeu.

— Aí meu Deus, o que aconteceu? É o Tae? Ele tá bem? Eu sabia que não devia ter vindo embora.

— Calma, Park. Ele está bem, deve acordar daqui a pouco. Só tem um problema. — Falei fazendo voz manhosa.

— Fala logo, Jeon Jungkook.

— Eu não pensei muito na hora e acho que nem você, e meio que... ninguém avisou os pais do Tae... Pode fazer o favor?

— Aish, entendi. Agora vai lá cuidar dele e eu cuido das coisas aqui. Tchau.

— Tchau, Jimin. Obrigado. — Desliguei levantando a cabeça encarando Taehyung acordado.

— Você é tão irresponsável à ponto de nem avisar minha família, Gukkie? — Ele falou com a voz fraca com um tom de brincadeira.

— Você é tão irresponsável à ponto de nem olhar pra rua na hora de atravessar? — Retruquei e ri, ele ficou vermelho.

— Aish, desculpas.

— Tudo bem, Tae. — Me aproximei e afeguei seus cabelos.

— Eu estou cansado... — Ele falou sonolento logo depois de um bocejo.

— Durma, Tae. Eu vou ficar aqui.

Eu sempre estarei aqui.

[•••]

Três dias se passaram e Taehyung voltaria hoje do hospital, nesses dias nós nos falamos pouco. E a sua mãe surtou quando soube, aliás, que mãe não ficaria assim?

E agora? Bem, tenho uma suposta paixão por Kim Taehyung, sou namorado de uma menina — Vulgo Lalisa Manoban —, minha mãe aceita e "super apoia", já meu pai... Nem falei com ele, sei que seria péssimo.

Ouço meu celular vibrar encima do criado-mudo. Era Lisa.

Lisa: Oi, amor

Lisa: Você está meio estranho, não quer vir aqui em casa hoje?

You: Oi, acho que estou... Bem, eu vou sim. Preciso falar mesmo com você.

Lisa: Tudo bem. Até meu amor♥

You: Até.

Após a última mensagem, fui tomar um banho. Precisava muito relaxar.

[•••]

Chegando na casa de Lisa, toquei a campainha e fui recebi pela mesma, nos cumprimentamos — Apenas com um abraço, Lisa não pareceu gostar —, fui com ela para a cozinha.

— Você quer algo, amor? — Falou enquanto puxava um dos bancos de frente para a grande bancada para me sentar.

— Eu quero... — Olhei em seus olhos. — Lisa, desculpa, mas eu quero terminar.

— O quê?! Por que? — Me olhava incrédula.

— Eu estou amando outro alguém. — Ela ficou em silêncio, digerindo a informação.

— Quem é ela? — Esse é o problema, não era ela.

— T-Taehyung. Eu amo o Taehyung. — Falei firme.

— Então você decidiu me trocar e virar um viadinho igual seus outros amigos?

— Sim. E você vai me impedir de ama-lo. Eu preciso ir.

Eu preciso ir dizer que amo Kim Taehyung, a ele mesmo.


Notas Finais


Desculpas pelos erros, o capítulo não foi revisado.

Então... Demorei? Talvez, mas é que os dias estão "corridos" e eu tô sem tempo e de um tempo não estava conseguindo escrever nada. O capítulo saiu pequeno, mas o próximo será maior.

Mas enfim, QUERO AGRADECER MUITO CADA FAVORITO. Mesmo sendo poucos, aos meus olhos são muitos, pois por mim a fic não chegaria a nem 10 favoritos e olha só!!!

Eu amo vocês, até a próxima! (Nao vou demorar)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...