História Infernal - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Byun Baek-hyun (Baekhyun), Park Chan-yeol (Chanyeol)
Tags Angel, Baekyeol, Chanbaek, Demon, Dirtytalk, Lemon, Pwp, Wine
Visualizações 441
Palavras 1.370
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Lemon, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


oii gente, quando tempo, mas voltei

avisos breves

• ambos são maiores de idade
• minha intenção não é desrespeitar ninguém
• há bastante vinho nessa fic hehe
• essa foto do chanyeol é pra wkorea

boa leitura!!

Capítulo 1 - Angelical


Capítulo único.


— P-preciso ver como as coisas estão, Yeol. — Baekhyun murmurou sob a respiração descontrolada em uma tentativa falha de fazer Chanyeol desgrudar os lábios inchados de seu pescoço, já que nunca teria forças o suficiente para fazê-lo parar. Era tão bom, ainda que fosse errado, pecaminoso, proibido. 

— E irá, ao amanhecer. Me deixe te ver, hum? Abre mais as pernas, meu amor. — O demônio sussurrou em seu ouvido levemente, um contraste à mão que desceu para agarrar forte a bunda redondinha de Baekhyun, arrancando um gemido arrastado do anjo. O Byun obedeceu ao pedido, afastando as coxas trêmulas e segurando em seus joelhos com lágrimas nos olhos. Chanyeol acariciou sua bochecha com delicadeza ao se posicionar entre as coxas fartas, vendo Baekhyun inclinar a cabeça em busca de seu toque. 

— Yeol, me beija, por favor? — Ainda que não fosse perfeito em verbalizar o que queria, um ímpeto de coragem impulsionou Baekhyun a entreabrir os lábios e aproximar sua boca a do demônio, ouvindo uma risadinha satisfeita deixar a garganta de Chanyeol. 

— Sempre que quiser, meu anjo. — Com isso, acabou com a distância entre os dois, tomando os lábios de Baekhyun com fome, logo procurando se enterrar na boca delicada. O beijo era atrapalhado, mais língua do que lábios e Baekhyun gemia mais alto a cada vez que o demônio mordia seus lábios, interrompendo o beijo apenas para voltar mais forte, com mais desejo. Chanyeol pulsava sob a calça, sentindo Baekhyun da mesma forma ao descer a mão habilidosa, apertando a ereção entre os dedos, deixando o anjo rebolar contra seu corpo, sempre procurando por mais contato. 

Chanyeol era quente como o inferno, deixando rastros de sua natureza pelo corpo angelical de Baekhyun. 

— Você é tão gostoso, Baekhyun. Sua boca é a melhor que já experimentei, é melhor ainda em volta do meu pau. — Chanyeol disse contra seus lábios e Baekhyun juntou as sobrancelhas em prazer quando o demônio procurou por um de seus mamilos, rodeando o local sensível com seus dedos. Baekhyun mordeu o próprio pulso, tentando abafar seus gemidos que teimavam em aumentar mais e mais. Entretanto, esqueceu-se que o Park odiava quando fazia isso, e arfou em surpresa ao que seus braços foram presos acima de sua cabeça, apenas uma mão bastando para que o imobilizasse. 

Chanyeol piscou e sorriu perverso, seu olhar lhe advertia para que não fizesse mais isso ou iria procurar algo mais forte para o amarrar. Baekhyun mordeu os lábios e se contorceu sob a língua de Chanyeol em seus mamilos, melando ainda mais o Byun que se encontrava uma bagunça, mal aguentando seus quadris que iam de encontro aos do demônio inconscientemente, implorando para que fizesse alguma coisa, de preferência, lhe preenchesse.

— Posso te chupar, Yeol? — Baekhyun usou a educação que Chanyeol havia lhe ensinado na cama e esqueceu sua sanidade junto aos beijos do demônio, a boca salivando ao apenas imaginar o Park fodendo sua boca, a enchendo de porra e repetindo como era um bom garoto, esforçado e ansioso como um cachorrinho. 

— Já disse que hoje quero devorar você, anjo, e não consigo pensar claramente quando me olha com esses olhinhos estando de joelhos no meio das minhas pernas. — Baekhyun deixou lágrimas escorrerem por suas bochechas e Chanyeol sorriu com a cena, sabendo que Baekhyun o queria mais que tudo no momento. Observou as bochechas coradas e a testa suada por alguns segundos antes de se afastar, pegando a garrafa de vinho que estava ao seu lado. 

Era mais um dia em que o demônio e o anjo arriscavam ficar deitados em um cobertor na sacada de um hotel afastado na cidade, assistindo as estrelas e trocando beijos apaixonados enquanto Chanyeol bebia pequenos goles de álcool, o suficiente para o relaxar e se deixar esquecer do medo que sentia de perder Baekhyun a qualquer momento. 

Havia grandes chances de nunca mais se verem se fossem descobertos, mas Chanyeol mantinha em sua mente que a pele de Baekhyun brilhava sob a luz do luar. 

— O que vai fazer? — Baekhyun questionou com curiosidade, ofegante ao ver Chanyeol abrindo a garrafa de vinho que não havia encostado naquela madrugada, bebendo um gole e ficando de joelhos entre as coxas do Byun. O anjo não pôde evitar o olhar indecente no abdômen definido do demônio, piscando para tentar afastar a vontade de se jogar no Park e o amar até que suas pernas estivessem dormentes. 

— Fique paradinho, quero testar uma coisa, meu bem. — Chanyeol engoliu Baekhyun com o olhar ao analisá-lo de cima a baixo, soltando um gemido rouco quando o Byun assentiu obediente, afastando os cabelos loiros de seus olhos para poder enxergar Chanyeol melhor, confiava sua vida ao Park. As mãos do anjo estavam trêmulas, quentes ao encostarem no demônio, que parecia pegar fogo sempre que estavam juntos. 

Chanyeol despejou o vinho vagarosamente sobre a barriga e o peitoral de Baekhyun, um grunhido deixando sua garganta ao ver a pele banhada pela luz do luar ser pintada aos poucos pela cor intensa da bebida. O Byun gemeu pela diferença de temperatura, o líquido escorrendo até chegar em seu pescoço e o deixar coberto de vinho. Levou dois de seus dedos até a barriga, deixando os dígitos se sujarem para em seguida os envolver com sua boca, gemendo em aprovação e alheio ao olhar faminto de Chanyeol em seu corpo. 

— Eu amo coisas bonitas, Baekhyun, e você é a mais. Está dando um show para mim apenas sendo você, não tem noção do quanto me deixa com vontade de te destruir a noite toda, só parar quando você não souber mais das regras dos céus. — Chanyeol disse antes de beber o líquido que formava uma pequena poça na barriga de Baekhyun, fazendo o anjo gemer alto e segurar em seus ombros como apoio, intensificando o aperto das coxas ao redor de sua cintura. — Ainda lembra da maior regra de lá, meu doce anjo? 

— N-Não me envolver com demônios. — O anjo teve dificuldade em responder quando Chanyeol simulou uma estocada contra sua bunda ao mesmo tempo em que lambia qualquer resquício de vinho do corpo de Baekhyun, o marcando de todas as formas possíveis com sua boca. O Byun gemia e gemia, sendo bem cuidado nas mãos de Chanyeol. 

— E o que você está fazendo, Baek? — Um sorriso de canto se formou nas feições do demônio, que lambeu os lábios ao sentir o gosto do vinho se misturar ao gosto doce de Baekhyun. Sem dúvidas, muito mais saboroso do que qualquer bebida. Um brilho singular se formou nos olhos de Baekhyun, combinando com o rosto iluminado pela luz das estrelas. 

— Sendo fodido por um todos os dias. — Baekhyun respondeu com um sorriso semelhante ao de Chanyeol, um tom em sua voz que não era angelical como deveria. Aos poucos, parecia estar sendo corrompido pelo demônio, contudo, não se importava, ansiava por mais. 

Baekhyun sentia a pele grudar pelo vinho e pela saliva, as pernas doloridas por tanto esforço físico e as marcas em seu pescoço e torço arderem, sem contar a ereção dolorida que Chanyeol fazia questão de ignorar. Nunca admitiria que amava tudo isso mais do qualquer coisa que os céus pudessem lhe proporcionar, assim como nunca poderia dizer para todos que amava Chanyeol e sua raiz infernal

O demônio beijou seus lábios com paixão e calma, diferente dos beijos de antes, conseguia sentir o amor transbordando junto aos braços lhe segurando. 

— Eu prometo que os céus e o inferno podem tentar me tirar de você, mas nada irá acabar com o nosso amor. Não importa o que aconteça, anjo. — Chanyeol encostou sua testa a de Baekhyun, não se importando ao se sujar com o restante do vinho no corpo do anjo, apenas queria sentir que estava seguro, que Baekhyun estava seguro. 

— Eu e você, Yeol. — Baekhyun sorriu, agraciando Chanyeol com sua beleza mais uma vez. Não se importaram com as casas vizinhas, com o chão duro abaixo dos dois ou com o calor insuportável dos corpos unidos. 

Infernal ou angelical, Baekhyun e Chanyeol se beijavam mais uma vez, jurando amor eterno.


Notas Finais


gostaram? espero q simm

o final acabou tendo mais sentimentos do q eu tava esperando, mas foi um final válido também

obrigada por todos os comentários e favoritos e pelo apoio q vcs me dão pra continuar escrevendo, amo vcs

ah, e se vcs têm alguma recomendação de fanfic (suas ou de outros) e quiserem me indicar por MP ou atividades, vou ficar bem feliz

até a próxima!! ❤❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...