História Infidium - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Precisodeumilustrador
Visualizações 1
Palavras 2.552
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Fantasia

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Se alguém gostou e quiser ilustrar so me chamar

Capítulo 1 - O começo


Infidium assim se denomina o mundo aonde são abrigadas diversas criaturas que vieram evoluindo com o tempo. Diversas raças vieram com o tempo muitas delas desconheciam umas das outras tanto por que o mundo aonde viviam era colossal. Humanos orcs filhos das florestas(elfos fadas gnomos e etc.) seres feitos de pedra dragões diversos tipos de criaturas que se podia imaginar, a beleza desse mundo era esplendorosa.

tanto por abrigar uma energia que emanava de todos os seres vivos (a mana), a mana é uma energia que da vida aos seres e que se reforça com o estado psicológico do ser e se recompõe com diversas ações.

Mikael um jovem humano de apenas 15 anos se deparava com o mundo suas belezas, seus perigos. O lugar aonde vivera até então era uma cidade mercante chamada katalal um centro de comercio que e em breve se tornaria uma grande cidade de guerreiros.

Um costume muito comum em katalal era que quando um jovem completava 16 anos ele poderia se alistar para encontrar sua vocação.

haviam muitas vocações entre elas estavam:

- mago, guerreiro, ladino, pirata, monge, paladino, necromante e etc.-

mikael logo completara 16 e estava ansioso para fazer o teste da vocação. (um teste que lhe mostrava se tinha afinidade com mana, se tinha um bom condicionamento físico ou uma boa agilidade e astucia).

Pessoas que não cumpriam esses requisitos logo eram levadas para fazer trabalhos comuns como vender mercadorias serem soldados ou algo do tipo. muitos temiam que isso lhes podia acontecer e mikael também temia.

Logo faltara 1 dia para verdadeiramente poder escolher sua vocação o jovem estava ansioso demais para esperar e já sonhara com ele mesmo trabalhando para o rei elísius ou derrotando criaturas sobrenaturais, ele nem se importava com a comemoração do seu aniversario.

Seus pais Lygia e Robert Rengar eram padeiros e escondidos preparavam um bolo na cozinha de sua casa enquanto o jovem sonhava em seu quarto deitado em um colchonete de palha.

Sua casa era bem humilde tinha dois andares uma sala simples com pisos de cedro e uma lareira. sua cozinha bem equipada para fazer bolos e Pães, logo ao lado da cozinha ficava um cômodo aberto para fora que dava a padaria de seus pais, os quartos de cima eram um quarto para seus dois filhos Mikael e seu irmão mais velho Loan (que havia se juntado ao exercito como guerreiro).

Robert tinha orgulho de seus dois filhos e estava ansioso para descobrir se o filho caçula tinha aptidão para alguma vocação.

Mikael era um jovem bonito com a altura media, olhos verdes e cabelo castanho. quando era criança brincava com varias meninas e fingia ser um príncipe que vinha salva-las de um orc carrancudo e rabugento, o que não o impedia de brincar com espadas de madeira com seus colegas, se imaginando um soldado em uma batalha sangrenta.

Mikael estava deitado em seu colchonete viajando em sua mente imaginando diversas coisas. Mas sua viajem fora interrompida pelo chamado da mãe. Mikael desceu rapidamente as escadas de sua casa e fora disparado para cozinha para ver quais delicias sua mãe fizera. seus pais rapidamente esconderam o bolo de seu filho na dispensa seu pai correra tão rápido que acabou derrubando calda de mirtilo da cobertura do bolo em seu avental, ao chegar na cozinha Mikael se deparou com uma mesa farta repleta de comidas deliciosas: um cordeiro, peru um peixe recêm pescado e Pães. Diversos tipos de molhos e bebidas deliciosas estavam em cima de uma mesa ao lado da mesa de jantar maior, dentre elas estaria suco de uva feito pela mãe essa manhã, mais umas das bebidas lhe despertara curiosidade.

Havia uma jarra com hidromel e dois canecos grandes. Ao se deparar com isso mikael se perguntou ao pai.

- pai teremos alguma visita importante hoje?. - logo o pai respondeu. - seu irmão virá nos visitar hoje ele acaba de voltar de uma de suas tarefas como guerreiro. -

os olhos de Mikael começaram a brilhar de felicidade, seu irmão era para ele uma figura que lhe servira de exemplo.

Após o pai lhe responder, rapidamente a porta da entrada de sua casa abrira revelando seu irmão com um olhar de felicidade amalgamado em saudade. em suas mãos havia uma sacola e em seu corpo havia uma armadura bela e cintilante.

Loan tinha apenas 20 anos mas já se tornara um tenente das forças do rei, entrando em batalhas e fazendo diversos serviços para ele.

após entrar em casa Loan abrira um sorriso enorme e rapidamente se dirigiu a seus pais e a seu irmão caçula para abraça-los. sua mãe fora até a porta e a trancou, e logo se sentaram a mesa para degustar um almoço delicioso.

Mikael logo se servira com um grande pedaço de cordeiro e um pouco de suco (se segurando para não colocar hidromel em seu copo, pois sabia que era novo demais).

Seu pai logo percebera que Ele sentia vontade de tomar hidromel, e engolindo a comida soltou algumas palavras.

- Mikael. logo poderá beber hidromel, quando estiver em uma taverna comemorando com seus colegas de guarnição após ter matado uma ou duas bestas aladas.

Após isso seu pai riu com um pouco de orgulho em seu peito mas Mikael o interrompeu dizendo.

- uma ou duas não uma horda delas. logo me provarei um soldado valioso e terei prazer em servir o rei. - o pai logo confirmou dizendo.

- assim que se fala garoto.

O garoto engoliu um pouco de suco junto com o seu orgulho que lhe preenchia por inteiro. Loan logo lhe disse.

- maninho farei de tudo para quando se tornar um guerreiro lhe trazer para minha guarnição. ai você ficará sobre os cuidados do seu irmãozão aqui.

Todos da mesa riram e sua mãe logo avisou.

- garotos não fiquem tagarelando a mesa, vocês irão se engasgar.

Após a fala, a mesa se aquietou por um tempo até terminarem de comer e se dirigirem a sala e se sentarem em bancos de madeira.

(apenas Mikael sentara no chão para ouvir as historias de batalhas de seu irmão), Loan logo começou a contar suas historias de criaturas aladas sendo destruídas por sua espada e mortos vivos sendo banidos de volta ao esquecimento por sua adaga sagrada.

Após ouvir a menção da lamina Mikael sentiu seu coração palpitar e como que por instinto mikael virou seu olhar para a bolsa que seu irmão soltara quando entrou na casa.

aproveitando que seus pais estavam fascinados com as historias de seu irmão. Mikael logo se dirigiu para perto da bolsa e a abriu de forma que pudera ver seu conteúdo sem que seus pais ou seu irmão o percebessem.

ao olhar bem, viu alguns pertences de seu irmão, presas de bestas aladas algumas bugigangas que encontrara em vilas longínquas, e um item em especial o atiçou a curiosidade de Mikael, algo dourado jazia dentro da bolsa.

Mikael esticou seu braço e o puxou sorrateiramente. era uma adaga dourada pequena e ao analisar melhor viu gravuras com desenhos de dragões dourados em seu cabo e desenhos de plantas douradas em sua lamina.

Seu irmão logo o olhou e soltou algumas palavras.

- pelo visto achou seu presente de aniversario antes da hora não é  seu curioso?.

Logo Mikael abriu um sorriso e seus olhos brilharam

Mikael se levantou, abraçou seu irmão e o questionou.

- Loan o que é essa adaga?  logo o irmão o respondeu é minha adaga sagrada. agora não preciso mais dela pois recebi uma promoção e ganhei de um padre uma espada sagrada. então você pode ficar com minha velha companheira de batalha.

O irmão o agradeceu calorosamente pelo presente e correu ao seu quarto para analisar melhor seu presente.

ao chegar no quarto sentou em seu colchonete e pegou a adaga com suas duas mãos para a admirar. ao segurar por muito tempo Mikael sentiu um leve formigamento, o jovem não se aguentava de curiosidade, e já começara a ensaiar golpes com a adaga em seu quarto.

mas em sua brincadeira fora interrompido por sua mãe abrindo a porta e dizendo.

- querido hora de dormir amanha é o seu grande dia. Não quer que ele chegue logo?.

O jovem apenas obedeceu e colocou a adaga em uma mesinha que jazia ao lado de seu colchonete. a mesinha tinha uma vela que expusera uma linda chama em sua ponta. logo Mikael olhou para sua adaga e percebeu que ela era familiarizada com o fogo, pois ela brilhava em retorno ao brilho da vela.

Mikael começou a sentir sono e apagou a vela que em alguns instantes viu também se apagar o brilho de sua adaga.

Após dormir.

Mikael despertou em um sonho. um sonho meio esquisito pois, sentia uma energia estranha correr pelo seu corpo, é como se a energia dançasse em torno de seu tronco, e depois decera para seus pés e logo após isso a estranha energia subiu para sua cabeça.

a estranha sensação foi interrompida por palavras de uma voz desconhecida. Mikael estava envolto de escuridão e não podia ver nada, apenas escutar a voz feminina calma e franca.

- esta chegando a hora de sua ascensão esteja preparado.

Mikael acordou se sentindo um leve vigor acompanhado de uma confusão em sua mente.

(o que teria acontecido?). ele pensou.

Mikael apenas se levantou abrindo sua janela. e olhando entre as arvores, vendo pássaros cantarem e o vento respondendo a sua melodia com o balançar das folhas das arvores, que brilhavam em um verde vivido ao fundo.

Mikael poderia ver sua pequena vila que parecia ter acordado junto com ele. logo Mikael decidiu descer para dar o bom dia para seus pais.

Mikael desceu para sala e sentiu o cheiro delicioso de pão quente pela manha e logo se dirigiu para a cozinha. chegando la, viu que a padaria já estava em pleno funcionamento. sua mãe estava terminado de vender três filetes de pão. e seu pai na cozinha preparava os pães de forma rápida.

sua mãe interrompeu seu trabalho e logo se apressou e abraçou o filho dizendo.

-meus parabéns querido.

Após dar um beijo na testa do filho e se apressar de volta ao balcão da loja.

Mikael se dirigiu a cozinha e seu pai também interrompera seu trabalho para prestigiar o filho. Mikael logo o perguntou.

- pai aonde foi o Loan?. E logo seu pai o respondeu. Ele foi de volta para o exercito pois havia muitos deveres a cumprir mais agora a tarde ele deve retornar para ver se você passou no teste.

Logo mikael se dirigiu de volta ao seu quarto foi ate um pequeno cômodo que ficava ao lado do quarto. lá havia uma pequena pia com um balde de água ao lado apoiado em um pequeno suporte de madeira.

Mikael jogara a água na pia e lavou o rosto. Voltando para seu quarto Mikael pegou sua adaga colocando-a em sua cintura. e desceu para sala dizendo.

- mãe vou sair um pouco se não me encontrar eu estarei na casa do Reggie.- sua mãe gritou da padaria. - okay só lembre-se de voltar ao por do sol pois seu teste é hoje.

Mikael saiu pela porta e andou um pouco pelas ruas de barro de sua vila. cumprimentando a todos pelo caminho.

logo passara em frente a casa de uma amiga de sua mãe a senhora bert, que estava regando suas flores com um balde.

ao ver mikael a senhora logo expressou um sorriso caloroso e o parabenisou.

- parabéns mikael.

mikael sorriu e acenou.

logo ele chegou a casa de seu amigo.

quando beteu na porta e foi atendido pela mãe de reggie dizendo.

- ah!. Mikael feliz aniversário. reggie esta em seu quarto, pode ir lá velo ele só esta preparando seu presente.

Após isso Mikael entrou e subiu as escadas da casa de reggie.

chegando em seu quarto ao abrir a porta seu amigo estava encostado ao lado da janela terminando de entalhar uma madeira com um pequeno bisturi. que em seguida colocou o entalho em um cordão e jogou para Mikael dizendo.

- finalmente não aguentava mais esperar você completar 16 para fazermos juntos o exame. quando é mesmo o horário?. - mikael colocou o colar que o amigo o dera. na madeira estava entalhada uma forma de um dragão. Mikael riu e respondeu.

- a tarde perto do por do sol. O que faremos até Lá para espantar a ansiedade?. O amigo viu algo brilhante na cintura de Mikael e questionou.

- o que é isso que você esta trazendo aí ?. - Mikael tirou a adaga da cintura e mostrou para seu amigo dizendo.

- meu irmão me deu isso de presente, bonita não?.

o amigo logo assentiu com a cabeça e disse rapidamente.

- Ei! vamos fazer uma pequena bainha para sua adaga nova?. Que tal podemos matar o tempo e nos distrair.

Mikael assentiu com a cabeça. e juntos desceram para o ateliê de seu pai.

chegando lá o pai de reggie terminara de confeccionar uma armadura de couro com ombreiras de ferro muito bonita por assim dizer. O pai de reggie era um armadureiro hábil talvez o melhor da região. O pai olhou para os dois garotos e falou.

- Meus parabéns Mikael. Esta armadura que estou fazendo é um presente de aniversario de seus pais para você. só finja estar surpreso por favor, eles não podem saber que eu te contei isso.

o homem riu puxando uma risada de Mikael que logo disse.

- pode deixar não vou dedurar o senhor de forma alguma. - dando uma breve risada que fora interrompida pela pergunta do homem.

- mas o que os trás aqui?. - questionou o homem que logo recebeu uma resposta rápida de reggie.

- pai. preciso de dois pedaços de couro e uma linha bem resistente.

O homem fez uma expressão de questionamento. e apenas levantou e deu o couro e a linha para reggie, que logo saira pela porta dos fundos do ateliê e fora para seu quintal. Juntos os garotos sentaram e reggie começou a confeccionar uma bainha para seu amigo.

Os dois passaram horas conversando em quanto reggie costurava o couro e com um pequeno bisturi desenhava no couro criaturas aladas e plantas.

Ao terminar reggie e Mikael perceberam que estava quase na hora de irem para o teste. Reggie apenas falou para o amigo.

- experimente a bainha que eu fiz e vamos logo para sua casa pra sua mãe levar a gente pro quartel da guarnição. - o jovem apenas assentiu com a cabeça pegou a bainha de couro e colocou sua adaga que se encaixou perfeitamente com a bainha.

logo Mikael o agradeceu e colocou a bainha com a lamina em sua cintura apenas escondendo-a embaixo de sua camiseta.

Então os dois foram para casa de Mikael que ao chegar se deparou com sua mãe se arrumando e preparando uma bolsa com ervas curativas e algumas ferramentas caso o filho precisasse e atras dela no chão estava a armadura que o pai de reggie fizera. A mãe de Mikael o olhou com orgulho entregou a bolsa e a armadura e disse.

- Mikael dê o seu melhor. o importante para nós e que você se esforçe nesse teste não importando o resultado okay?. - o jovem abraçou forte a mãe que logo se virou para reggie e perguntou.

- Também está ansioso não é?. - Reggie assentiu rindo um pouco de seu nervosismo e então os três sairam pela porta e se dirigiram em direção ao quartel de guarnição...


Notas Finais


Obrigado por ler


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...