1. Spirit Fanfics >
  2. Infinito >
  3. Capítulo 8

História Infinito - Capítulo 8


Escrita por:


Capítulo 8 - Capítulo 8


“Olhe para o céu essa noite

Todas as estrelas têm um motivo”. 


28 de agosto de 1989.


Rob está muito melhor, o brilho voltou a iluminar seus olhos verdes e ela já foi a empresa algumas vezes para ver como anda a produção da nova coleção. Ela também participou de uma reunião para um novo filme em que vai estrear, ela conseguiu gravar algumas cenas, sua personagem será a rainha Afrodite, deusa do amor e da beleza. Eu acho que isso combina muito com ela.

Tenho me dedicado totalmente a minha esposa e minha filha, larguei todos os compromissos para ficar ao lado de minha rainha suprema. April é um amorzinho e sempre os acompanha em tudo com seu jeitinho esperto.

— Já está ficando tarde. –Rob diz, pegando April no colo e entrando para dentro de casa. Eu vejo como ela está cheia de atitude novamente, parece a mesma Robyn de sempre.

Passamos a tarde inteira tomando de piscina e brincando, April ama ficar na água. Rob sussurra uma canção de ninar para nossa princesinha enquanto a coloca para dormir, chego ao lado dela e começo a cantarolar junto. April dorme rapidamente e como um verdadeiro anjinho. Em seguida, Robyn e eu tomamos um banho juntos, felizmente ela está com toda aquela sua malícia de volta.

— Eu quero ver as estrelas, Michael. –ela diz, quando já estávamos deitados prontos para dormir.

— Qualquer coisa que você quiser, minha rainha. –beijo-a carinhosamente.

Ela se enrola num lençol calça pantufas de ursinho e nós caminhamos até o jardim. Sempre que Rob quer ver as estrelas, escolhe esse lugar pois nos deitamos perto das flores e podemos sentir o perfume delas. Hoje a noite não está muito frio, ainda bem. Rob forra o lençol na grama e nos deitamos para observar os pontos brilhantes no lindo céu azul.

— Hoje está mais estrelado do que nos últimos dias. –ela comenta, pensativa. Há um tom de dúvida em sua voz, então me viro para encará-la.

Robyn olha para o céu com a testa franzida, um tanto pensativa. Parece em dúvida com algo.

— O que houve, my boo? –ajeito seus cabelos.

— Nada, meu amorzinho. Podemos ficar aqui a noite inteira? Não quero ficar por pouco tempo admirando esse céu. Está tão bonito.

— Ficamos quanto tempo você quiser, ok?

Ela assente e volta a encarar as estrelas. Eu faço o mesmo. Uma grande sensação de paz me preenche. Parece que acontece o mesmo com Rob pois ela segura a minha mão. Demora um pouco para que eu olhe para o lado e veja uma lágrima solitária escorrendo por seu rostinho maravilhoso.

— Você está bem?! Está com dor? –pergunto, preocupado.

— Não. –sua voz embargada responde. Ela assente negativamente enquanto dá um pequeno sorriso. — Você foi a melhor coisa que aconteceu para mim. Você é o amor da minha vida, eu te amo como nunca amei ninguém antes. Obrigada por tudo, Michael.

Isso me pega de surpresa. Estamos acostumados a fazer declarações espontâneas assim, mas isso foi tão profundo. Eu realmente senti em meu coração. Meus olhos não deixam de se encherem de lágrimas enquanto beijo cada centímetro de seu rosto.

— Eu te amo muito, muito mesmo. Você me deu muito mais do que eu realmente merecia. Eu que deveria estar agradecendo, Robyn. Você foi um anjo em minha vida, eu seria nada sem você.

Narrador.


Michael e Robyn se beijam ternamente, como se fosse a primeira vez de todas. Suspirando, Rob volta a olhar para o céu e fecha os olhos, sentindo uma sensação sublime a preeencher cada vez mais.

Sua mão não aperta mais a de Michael.

Ele se vira para ela novamente e desesperando-se, ajoelha ao lado do corpo da mulher de sua vida e chora. Grita enquanto lágrimas quentes escorrem por seu rosto e as batidas de seu coração ficam descompassadas. Ele diz repetidas vezes que a ama enquanto beija sua mão.

Robyn não responde, apenas uma expressão serena está moldada em seu rosto.

Michael sabe que já não há mais nada para se fazer. Ela se foi. Flashbacks do dia em que os dois se conheceram a até esse momento começam a rodar como um filme na cabeça do homem.

Os funcionários do rancho aparecem, alguns choram e outros, mesmo em choque, correm para ligar para uma ambulância. Michael permanece aos prantos ao lado de Robyn até que os paramédicos cheguem e a retirem de lá.

Ele pensa em cada toque e palavra amorosa que Robyn já lhe disse em todos esses anos. Lembrar que April nunca conhecerá de fato a sua mãe parece doer ainda mais. O homem entra em estado de choque, o balanço da ambulância parece apenas piorar a situação. Ele encara os paramédicos tentando reviver sua amada e eterna esposa. Sem nenhum sucesso.

— Parem, deixem ela em paz! –Michael grita. — Rob está descansando agora. Não a machuquem. Não... Ela não...

A visão dele começa a ficar embasada enquanto uma dor lasciva invade seu peito. Ele sequer tem tempo para dizer mais alguma coisa antes de perder a consciência. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...