1. Spirit Fanfics >
  2. Inflamável (Long - Imagine Kim JunMyeon - Suho) (EXO) >
  3. Capítulo 06 Hearts On Fire

História Inflamável (Long - Imagine Kim JunMyeon - Suho) (EXO) - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


Uma escuridão silenciosa invade a sua alma.... E retira a luz do auto-controle ....
Queimando com determinação... Para igualar a pontuação...

Corações pegando fogo....
Forte desejo... A febre aumentando.... O momento da verdade se aproxima ...

O tempo não permitirá que você fique imóvel, não ...
O silêncio parte o coração e faz a vontade ceder...

E coisas profundamente apaixonadas são sua espada...
Regras e regulamentos não significam mais nada!...


*** Trechos com alterações traduzidos musica “Hearts On Fire” – John Cafferty – cantada por Brian Adams ***

Espero que gostem!

Capítulo 6 - Capítulo 06 Hearts On Fire


Fanfic / Fanfiction Inflamável (Long - Imagine Kim JunMyeon - Suho) (EXO) - Capítulo 6 - Capítulo 06 Hearts On Fire

Quando ele entrou no banho, peguei uma muda de roupa e fui ao escritório no mezanino, assim que estava vestida usei o rádio frequência portátil, entrando em contato com o Sr. Chung, minha voz estava tremula, pois eu queria chorar, mas me proibi disso. Mas mesmo assim o delegado percebeu logo meu estado, aconselhou-me a ponderar o que JunMyeon desabafará. Deveria ele estar falando a verdade o sr. Chung acreditou no relato dele quando este o proferiu na barricada rodoviária, o próprio delegado foi quem ensinou o caminho de minha cabana a ele. Sr. Chung havia me dito a algum tempo, maridos causam problemas por ciúme quando não sabem como dialogar com suas esposas – ele não errará!
O bom delegado com seus anos de policia sabia ler as pessoas, sabia que eu amava JunMyeon, comentou de forma casual durante a ligação.

Sr. Chung – Falei pouco com ele Belle-yah, mas os sentimentos que o moveram a vir acha-la, na minha  perspectiva é Amor! – com aquela voz calma e pausada que só ele tinha, mas sempre firme e convicta em suas deduções.

Acalmando cordialmente minhas duvidas não pronunciadas, eu acreditava nos instintos do delegado, ele já me mostrou ser um excelente perfilhador de caráter e pessoas. Dei-me uma chance para acreditar em JunMyeon. Escutei a porta do banheiro se abrir, despedi-me do meu bom amigo, não sem antes perguntar se viria jantar, este disse que me retornava em minutos com a resposta. Ajeite alguns papeis sobre a mesa, me dando uns minutos para ficar mais calma, pois ainda estava confusa e atônita com JunMyeon. Me olhei num espelho que ficava no escritório e tentei me convencer ou acertar meus pensamentos... falava para eu acreditar nele, mesmo que isto me assustasse, afinal ele disse que me ama, que “sou a esposa dele” ... Nossa ele disse mesmo EU TE AMO! ... ai... Isabelle...  você realmente não infartou ali por pura ajuda do seu anjo da guarda.

Darei os créditos ao sr. Chung, ele é quem entende mais de casamentos que eu com certeza. Além de que estou ainda com os joelhos moles e o coração palpitando louco, poxa não é todo dia que o homem que você ama, atravessa uma tempestade de moto para lhe abraçar e te dizer que Ama Você! .... AMA...  como posso me controlar lembrando dessas palavras, será que quero me controlar?... boa pergunta Isabelle... excelente... mas Belle... você deve se controlar... pelo menos um pouco né... meu olhar nesse espelho é estranho... ou eu que já estou imaginando coisas?

Por mais que seria lindo eu dizer que também amo ele ainda hoje, prefiro manter a calma, por mais que sei que JunMyeon é a pessoa mais fofa e doce, quando em estado normal, ainda ele precisa esperar um pouquinho, talvez assim aprenda a não ter ciúmes loucos, com atitudes que machucam.
Quem eu quero enganar, já perdoei ele no momento que ele me abraçou... bem quase isso... aquilo me amoleceu bastante... depois que desabafei as bobeiras que ele falou... já só conseguia pensar e reverberar na minha mente a voz dele me chamando fofo e meloso, dizendo que me amava! – revirei meus olhos -

Tomei coragem pois a casa era minha, meu estomago dizia que a fome precisava ser aplacada, rindo de mim mesma,  comecei a descer as escadas para ir à cozinha, e servir o jantar. Já no primeiro degrau meus olhos foram atraídos para aquele homem, como um imã notei-o parado no meio da sala, controlei-me para não ficar parada admirando o porte atlético dele, o moletom ficará lindo nele ao vivo, bem melhor que na minha imaginação, apesar que nela ultimamente ele esta sempre sem nada. Foco Isabelle... foco...respira... compostura mulher...

Mas como isso era difícil, ainda mais porque ele veio em direção a escada, e preferi desce-la logo, mas ele ao sopé dela ficou me olhando, só a pequena passagem dos meus olhos nos dele fez todo meu corpo estremecer. Caramba ele tem que me olhar assim tão sexy, pior que ele nem está tentando ser, é tão natural pra ele ter esse olhar que brilha a faz eu querer beija-lo e me pendurar no seu pescoço. Foco... aish... jantar.. sirva o jantar...  sem se queimar... tudo natural... amiga...

Minha luta para ignorar sua presença até servir o jantar estava cada vez mais nula, ele não tirava os olhos de mim, ai como isso me deixa agitada por dentro, eu Isabelle usando toda as minhas aulas de yoga e mantras pra me focar, sem olhar para aquele ser sentado na minha frente apoiado na ilha, enquanto eu tirava a assadeira do forno, sem derrubar tudo. E o sorriso, lá vem ele com esse riso, sorriso, bobo me amolecendo toda... natural... converse... jogue verde... se colher maduro... aí você ... Você...

Muito bom conversar sobre comida e amigos relaxa... ponto positivo... interação... ele realmente está com fome, ele e ChangMin são uns esfomeados, sorrindo e brincando com ele, mas meus pelinhos não parram de arrepiar, sinto realmente que ele está me medindo inteirinha, será que os olhos deles viraram scanners, estou me sentindo meio nua aqui... será que tem algo errado com minha roupa? ... não, claro que não,  mas sinto realmente que ele está reparando no meu corpo... ai olha calor subindo...preciso de algo pra relaxar, mais vinho claro, já bebi duas taças no banho, porque não um pouco, se eu ficar bêbada quem sabe a coragem vem né ou não... continue a brincar Belle... isso é fácil... pronto um bebê do YiXing grande mente atrapalhada... mas bem que seria possível... eles vivem grudados... como seria esse bebê... lindo certeza... foco Belle... e deixa ele abrir essa garrafa ou certeza você vai derruba-la de nervosa que está.

Entreguei a garrafa pra JunMyeon e o rádio que eu havia trazido do escritório e largara no balcão próximo a lareira fez sinal, já nem lembrava de ter feito isso, também com os olhos de JunMyeon em cima de mim, já estava perdendo a noção de algumas coisas, fui até ele atender sabia ser o delegado, este me avisou de mais um desmoronamento e que não viria pro jantar, pelo que disse vou ficar sozinha com JunMyeon alguns dias sem poder voltar a Seul, bem ou agente se resolve de uma vez, todos os dedinhos cruzados em figa, ou terminamos.
Vou tentar só por desencargo de consciência tocar no assunto de separar, não é mesmo o que quero, mas preciso saber o que ele acha daquele contrato louco que assinamos, foi a empresa dele que sugeriu ele nunca questionou, então pra mim dizer que amo ele e depois cumprir aqueles termos daqui algum tempo ... não vai ser ideal, vou me machucar demais, não quero começar a realmente ser casada com ele e tudo mais pra depois acabar. Coragem Isabelle... jogue verde... enrole... fale coisas casuais... brinque... deixe ele um pouquinho tenso... e fale no assunto isso.

Ok, ele segurou minha mão e....
JunMyeon – Isabelle, não quero mais que este contrato exista! - disse ele firme e convicto.

Meus olhos simplesmente estão saltando das orbitas certeza...

JunMyeon – Não quero ter que me separar de você!.... Eu sou um tolo ciumento, que falei idiotices,.... – ele falava com a voz embargada e tremula, ele estava se segurando pra não chorar e eu me segurando junto...

Ele falou tanta coisa de uma vez só que me deixou atônita, Meu coração está dando lupins....estou confusa com sua confissão de ser ciumento, com certeza, dele saber a tempos, e tudo... tudo... simplesmente tirou meu chão eu poderia beija-lo ali naquele momento, e jogar toda ou nenhuma razão pro alto, eu pensava muito em parar de pensar, mas... droga de cérebro que analisa tudo, começou a ver um modo de agir de uma forma que estivéssemos confortáveis, que aquele casamento funcionasse sem que fosse estranho, num estalo de dedos eu me entregar pra ele.... claro que era o que mais queria... mordia o cantinho dos meus lábios pensando numa maneira de ser sutil...
Para tudo Zesus, ele vai me fazer infartar... como assim... não sei se me sinto aliviada por ele não querer o contrato como eu não quero, ou mais nervosa pensando que com essas palavras agente meio que SOMOS CASADOS... bem somos de verdade tudo é verdadeiro papeis e tal, igreja, cartório... mas casados quer dizer , cônjuges, como agir com isso? Afinal nunca sequer nos beijamos, bem de verdade, só selinho... isso não conta é pra fotos, a gente nem teve... teve nada na realidade.

Consegui sorrir tímida, num gesto simples de cabeça assenti, e respondi com a voz calma, soltando lentamente sua mão da minha. Só a voz mesmo porque o resto do corpo queria tê-lo todinho com aquele vinho...

Belle – Jante JunMyeon, a demais vemos se isso que você diz é verdadeiro, como seus olhos aparentam ser. – peguei a taça de vinho mais uma vez, bebi até a ultima gota, pensando nos lábios deles ali.. que também bebiam aquele vinho. nossa como deve ser bom o beijo dele com sabor desse vinho.... certo Belle corta o vinho... ou mesmo podendo, seria loucura demais fazer as loucuras que está passando pela sua cabeça nesse momento.... termine o jantar e pense em algo ...

Ele não parava de me cuidar, os arrepios aumentando em meu corpo, certo vinho não causa isso, certeza... dãããaa... claro que é ele, não ficava com ele tão perto de mim a 4 meses, e somando outras coisas anteriores, gente sou casada e me sinto A Madre Teresa por não sucumbir a ele nesse momento,... quem me julgaria, ele é lindo me ama, eu amo ele, estamos isolados numa cabana, ninguém vai ouvir nada com esse temporal.... o vinho fazendo eu raciocinar só pensando naqueles jeitos.... a carne é tão fraca... ai... o moletom ficou certinho nas coxas firmes dele... aquele V na camisa pede um beijo ali não pede.... Huumm.. a minha mente da ficando bem assanhada... ai se controla mulher... mais esses lábios dele...huumm...

Estou me sentindo naqueles desenhos animados com ”um anjinho” no ombro direito dizendo, vai com calma você terá dias pra começar isso, e “o diabinho” no ombro esquerdo dizendo , larga de ser trouxa e aproveita ele ai todo querendo o que você quer, homem deve estar mais  doido que você pra isso, será mesmo que ele quer mais que eu?
Olha o anjinho ali de novo, mandando ir devagar pra não ser afoita, mas poxa o diabinho não parava de fazer eu olhar o corpo dele, e tudo tudinho nele gritava use-me e abuse-me... mas podia ser o vinho, e o calor subindo pelo meu corpo, mordia meu cantinho do lábio pensando... entre o anjinho e o diabinho.... qual eu vou escolher ser...?
Será que ia assustar ele, eu ser a diabinha, ou é isso que ele vai mais gostar?
Será que devo ser a anjinha... só hoje...? Ou ser meio a meio? 
Autocontrole.... ou simplesmente deixar incendiar nossas peles e consumar esse casamento de uma vez!
Que decisão tomar? 
 


Notas Finais


Ela vai ceder aos desejos rapidamente...Você cederia... Apenas por ama-lo?
Será que nessa noite eles vão... falar mais ou...
O vinho vai fazer muito efeito nos dois...
Será que vão matar o desejo de um pelo outro?
ela vai ser diabinha ou anjinha? O que vocês preferem?

Borboletas... só no próximo capitulo ... pra saber ^=^!
Acredite também estou ansiosa... >.<


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...