1. Spirit Fanfics >
  2. Ingredientes para se Curar um Coração >
  3. Ingrediente 01: Tenha Raiva para Descarregar

História Ingredientes para se Curar um Coração - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Olá, pessoinhas o/
Eis o capítulo em que a sinopse faz sentido XD

Alias, me digam o que acham dos nomes dos caps, é a primeira vez que tento colocar nome neles e.e

Well, tenham uma boa leitura ^^

Capítulo 2 - Ingrediente 01: Tenha Raiva para Descarregar


Aquela deveria ter sido uma noite feliz.

Descontraída, alegre, divertida e os sinônimos para as mesmas palavras, até o mais pessimista teria dificuldade em achar algo que pudesse dar errado. Comida, bebida, seus amigos finalmente reunidos, jogos e, por mais que a festa fosse para relembrar os velhos tempos e juntas os amigos, tão ocupados com faculdades, acampamentos e milhares de coisas, havia outro motivo implícito para o clima leve e divertido:

Há quase dois anos os deuses não representavam problemas em suas vidas.

Sem algum inimigo bizarro e antigo se levantando, sem deuses aparecendo do nada em busca de favores, os acampamentos não passavam de pequenas provocações um para com o outro, — algo inevitável e que Piper achava divertido na maior parte das vezes.

Tudo estava na mais perfeita paz, a ponto de conseguir terminar o ensino médio sem grandes problemas, — apenas o capô do carro destruído por algumas harpias, nada que Tristan achasse acima do nível de sua filha.

Claro que a relação com Jason após o término havia estremecido, eles conversavam normalmente, porém aquele incomodo suave, como se estivesse pisando em gelo fino ainda não a havia deixado.

Por sorte ela poderia muito bem grelhar seus espetinhos vegetarianos enquanto conversava com Hazel e Percy.

E, sua noite poderia ter continuado muito boa, isso se Reyna não houvesse passado pelo campo de visão da filha de Plutão, entretanto, pedir o contrário talvez fosse muito.

´´Estamos na casa dela, como poderia ser diferente? ``

Mas pelos deuses, Piper não precisava estar perto.

— Estou preocupada com o Nico. — A romana soltou o comentário enquanto Percy pegava uma fatia do bolo azul que haviam encomendando mais cedo na padaria do centro de Nova Roma.

— Brigou com o Will? Isso acontece o tempo todo, daqui a pouco ele melhora. — O filho de Poseidon falou antes de colocar metade da fatia na boca, Piper ficou tentada a pegar um pedaço apenas pela forma como o amigo parecia satisfeito com o doce.

— Não, foi com a Reyna. — Virou o espetinho na pequena grelha elétrica, sentindo seu apetite perder para curiosidade, a capitã da Quinta Coorte tomou um gole do refrigerante como se fosse o mais amargo dos Whiskys. — Foi semana passada, mandei uma mensagem de Íris para ele hoje, para saber se ao menos ele viria para festa. — Afastou o copo com a mão, encarando um canto da parede como se ali houvesse as respostas que precisava. — Ele não parecia mais calmo, não parecia mesmo e, eu acho que sei o que é.

— E o que é? — Indagou Percy, curioso como a própria Piper estava, com o espetinho grelhado em mãos se pós a assoprar o cogumelo, porque as batatas eram um caso perdido.

— Não sei se posso dizer. — Ambos os gregos encararam a romana. — Acho que tem a ver com a Reyna e com o Acampamento e, como o Frank não quis comentar quando perguntei a ele sobre... — Hazel encarou o prato vazio a sua frente, o suspiro soou mais cansado do que preocupado. — Isso vai dar muito trabalho.

Piper mordeu o tofu do espetinho enquanto Percy terminava seu bolo, ambos se encarando em uma conversa muda de quem deveria consolar Hazel e quem deveria falar com Reyna.

— Hey, Annabeth, pra onde a Reyna foi? — O namorado da amiga sentou em seu banco, próximo a capitã da Quinta Coorte enquanto Piper abanava seu espetinho.

— Ela foi comprar mais refrigerante com o Jason, acho que acabou de sair. — A loira sequer fez questão de se virar para responder, atenta a mimica de Frank.

— E nem vem tentar se transformar em nada, Jack Chan. — Leo apontou para o pretor, enquanto Calypso encava Frank, sem entender o que ele estava querendo dizer.

´´Colocar filmes é sacanagem, como ela vai saber que essa é a pose do leão Alex de Madagascar? ``

Finalmente chegando na batata do espetinho, Piper pensou se deveria ou não ir atrás dos dois.

´´Pelo que a Hazel falou está acontecendo alguma coisa séria entre o Nico e a Reyna, e ainda parece que vai afetar o acampamento. ``

Mas teria que falar com Jason no processo.

Ela poderia atuar como mediadora dos dois, se era o que os deuses esperavam dela na guerra contra os Gigantes, poderia fazer o mesmo para ajudar os amigos.

´´Mas tem o Jason. ``

Talvez se tentasse explicar os pontos de um e de outro, poderia fazer com que Reyna fosse falar com Nico, pedir desculpas, — seja lá o que estivesse acontecendo.

Mas...

´´Qual é McLean. ``

Jason era seu ex-namorado, seu amigo e, isso estava claro para ambos, não deveria evita-lo ou ficar nervosa em sua presença.

Jogou o espetinho de madeira no lixo da sala, dando passos firmes até a porta.

Mesmo que ainda sentisse um olhar amoroso em sua direção, agir daquela forma só pioraria as coisas, tinha que mostrar que estava tudo bem e, era isso que faria.

 

***

 

Encarando as ruas em paralelepípedos enquanto andava até o mercadinho mais próximo, Piper se perguntava porque não pedira mais detalhes a Hazel.

Ok, ela não queria dizer.

´´Mas alguma pista seria bem-vinda. ``

Ao menos esperava que os deuses não estivessem envolvidos.

´´Queria ter a chance de decidir que curso fazer antes de ser jogada nessa loucura outra vez. ``

Considerando sua passagem recente junto a clã de seus primos, História passaria longe de sua escolha.

Conseguiu alcançar os romanos próximo ao mercado, cada um com duas sacolas de refrigerante e salgadinhos, conversando e rindo, Piper apenas conseguiu pescar as palavras Pikachu e fantasia, provavelmente comentando sobre a festa de Halloween, — que começava a se firmar como uma tradição entre os acampamentos. Jason foi o primeiro a vê-la, diminuiu o a velocidade do andar assim como o sorriso em seu rosto, a filha de Afrodite tentou não levar para o pessoal.

´´Ele só está surpreso, não é porque o clima está estranho entre a gente. ``

— Pipes, vamos precisar de mais alguma coisa? — O loiro levantou uma das sacolas e sorriu, que para Piper soou menor e embaraçado.

´´É só impressão sua. ``

— Não, é que... — Seus olhos passavam do ex-namorado para a pretora, que fazia o mesmo. Como deveria abordar o assunto?

— Eu vou levar essas coisas lá pra casa, aposto que o Valdez adora Dr. Pepper. — Reyna fez menção de pegar as sacolas de Jason.

O sangue da grega gelou.

´´Você entendeu tudo errado! ``

— Não! — Os dois a encararam assustados pelo grito, pigarreou para se acalmar. — Eu preciso falar com você. — A pretora fitou-a, quase como se estivesse falando em grego arcaico ou francês, sem entender suas palavras pediu ajuda com o olhar para o outro romano, Jason apenas deu de ombros, incomodado com a situação. — A gente pode conversar ali? — Apontou para a esquina, onde havia uma pequena praça gramada com alguns brinquedos.

— Tudo bem. — A expressão desconfiada de Reyna a ofendeu.

´´Claro, estou super afim de te levar pra um beco escuro e roubar seus órgãos. ``

— Então eu vou levar o refri, o Leo realmente adora Dr. Pepper. — Foi a vez do descendente de Júpiter tentar pegas as sacolas.

Piper pensou por um segundo.

´´Você também cresceu nesse acampamento e é amigo do Nico e da Reyna. ``

— Espera, Jason. — Já estava cansada e sequer sabia qual era o problema. — Isso meio que tem a ver com você também. — Piper assistiu o loiro engolir em seco, como se algo houvesse dado muito errado.

´´Tem mais notícia ruim. ``

Piper encarou o céu: lindo, tão cheio de estrelas que era até fácil achar aquela constelação sobre a caçadora Zoe próxima a de Escorpião, que Annabeth lhe mostrou uma vez.

´´A noite estava tão maravilhosa. Por que tinha que acabar assim? ``

— Eu... — Atravessaram a rua, deixando as comprar ao lado do escorregador, Jason se deixou cair no gira-gira enquanto tentava escolher as palavras, a voz demostrando um pesar que a deixou aflita. — Eu sinto muito por isso, Piper. — Sem lhe dar tempo de perguntar pelo que, Reyna suspirou.

— Eu achei que essas fofoquinhas ainda demorariam para se espalhar, pelo visto estava errada. — Foi a vez da pretora se sentar, deixando que os cotovelos descansassem nos joelhos, encarando os balanços como se a culpa de sua cólera fosse deles.

— Hã.... — Seu cérebro demorou para processar a cena, do que eles estavam falando? — Que fofocas? — Os romanos a encaram em dúvida, para depois procurarem um o olhar do outro, como se resolvessem o que fazer.

´´Usem a telepatia comigo, por favor. ``

— Bem... — O descendente de Júpiter começou, incerto.

— Estão dizendo por aí que nos três estamos em um triangulo amoroso. — Reyna cuspiu a frase, ainda parecia procurar algo para socar. — De novo.

Oi?

´´O que? ``

— Como é? — Continuou a fita-los, em busca de uma resposta. — Por que?

— Vocês estão aqui, eu estou aqui, e Vênus. — A pretora realmente parecia achar que aquela era uma resposta boa. — Se não era sobre isso o que você queria conversar?

Sua boca abria e fechava.

´´Deuses, isso de novo não! ``

Havia terminado com Jason pouco depois do final do ano ao se formarem, um mês depois fez sua primeira visita ao Acampamento Meio-Sangue, o burburinho, as fofocas e desgosto nos olhos dos irmãos era tamanho que cogitou a hipótese de dar meia-volta e fingir que gostava de ficar na casa do pai em Los Angeles.

´´Finalmente tudo ficou quieto por lá...``

— Piper? Tá tudo bem? — O olhar do loiro lhe dizia claramente que havia ficado muito tempo quieta.

— Tá, tá sim. — Não queria pensar naquilo agora, era melhor se concentrar em um problema que poderia resolver, voltou a atenção a Reyna. — A Hazel me disse que você e o irmão dela brigaram. — A filha de Belona passou a acariciar o anel em seu dedo anelar, Piper teve medo que ela sacasse a gladio. — Ela pareceu preocupada e eu queria saber se a gente poderia fazer alguma coisa.

— Então é por isso que o Nico estava tão irritado? Ele quase pôs o chalé a baixo quando amassei sem querer uma das cartas de mitomagia dele. — Jason e Piper trocaram olharem:

Era sério.

— Não é sério. — Reyna deu de ombros. — Ele só não conseguiu aceitar minha decisão ainda.

— Decisão? — Jason tratou de sanar a curiosidade de ambos.

— Eu vou sair. — A romana deu de ombros novamente, olhando para um ponto qualquer atrás de Piper.

— Sair? — Ela concordou com a cabeça, um sorriso grande tomou os lábios da descendente de Afrodite. — Você finalmente vai me ouvir e tirar umas férias? Isso é sério? — Reyna pareceu ponderar sobre suas palavras.

— Mais ou menos. — Dessa vez ela a encarou, os olhos da pretora estavam iguais a quando sentenciou que levaria a Athena Parthenos para o Acampamento Meio-Sangue: firmes, resolutos e implacáveis. — Vou entregar meu cargo e me juntar as Caçadoras de Ártemis.

Depois que seus ouvidos captaram a frase, talvez Piper houvesse entrado em um estado de choque.

Ela viu Jason continuar a conversar com Reyna, provavelmente sobre o que ela tinha acabado de dizer, sobre Nico, relembrando como seu papel no acampamento fora memorável, talvez até dando os parabéns, todavia a grega jamais saberia qual hipótese era a real, pois seu tímpano de alguma forma parou de funcionar, pois ela já não escutava com clareza.

A voz de sua mãe surgiu em sua cabeça, dizendo as palavras que tanto magoaram Reyna, enquanto a voz de Thalia ressoava bem ao fundo, fazendo presente o juramento das Caçadoras:

Eu me comprometo com a deusa Ártemis. Dou as costas para a companhia dos homens...

Você não vai encontrar amor onde deseja ou espera...

...aceito a virgindade eterna e me junto à caçada.

Nenhum semideus vai curar seu coração.

— Você... — Exalou a palavra em um mero sussurro, sem ao menos saber que estava sem fôlego, ato que chamou a atenção dos outros presentes, a encarando com preocupação. — Você está fugindo da minha mãe. — Declarou em choque, sem acreditar nas próprias palavras.

Reyna Avila Ramírez-Arellano, filha de Belona, pretora do Acampamento Júpiter, a garota que havia acreditado neles, quando o senso comum e a lógica diziam o contrário, a que voou meio mundo em um pegasus, voltou para matar um gigante imortal e reestabelecer a paz entre gregos e romanos, que protegeu suas costas na guerra...

A garota mais forte e leal que conhecera na vida estava lhe dizendo que desistira do amor porquê Vênus tinha falado algo idiota?

´´Qual é? ``

É pegadinha?

— Eu não estou fugindo de ninguém, McLean. — O tom sóbrio e o cruzar das pernas declararam o quando sua fala a ofendeu. — Só estou tentando me descobrir e...

— Se descobrir sendo virgem? — A pergunta escapou antes que seu filtro mental pudesse fazer algo a respeito, Jason tossiu para preencher o silêncio, já que os grilos não fizeram um bom trabalho.

— Isso não tem nada a vez com você. — Ela se levantou, de repente Piper se lembrou que Reyna tinha a mesma altura que Annabeth, o que queria dizer: mais alta que ela. — Já tomei minha decisão.

A filha de Afrodite engoliu em seco, negando-se a demostrar que a fala tinha lhe doído.

´´Quer bancar a durona metida a besta? Tá legal! ``

— E foi isso que você disse pro Nico também? — O maxilar da pretora tensionou e Piper notou que estava chegando em uma zona perigosa: não que se importasse com isso. — Que não importa se sou importante na sua vida, agora vou fazer parte de um clube de caça e que não vou mais falar com você? — Sequer tentou imitar a voz da romana, estava irritada demais para ser sarcástica.

— Piper... — Apenas notou que Jason havia levantando também quando sentiu o toque no ombro, pedindo para que parasse.

De alguma forma o olhar de Reyna deixou a raiva para dar lugar a uma seriedade fria e impessoal, ela deu um passo em sua direção e abaixou ligeiramente a cabeça, para que ficassem na mesma altura, os olhos negros sondaram os seus, como se procurassem fraquezas.

Era quase como ter Aurum ou Argentum em forma humana.

— Isso não tem nada a ver com você. — Repetiu de forma lenta e baixa em uma voz firme de ordem. Piper engoliu em seco, sentindo sua confiança sendo minada enquanto a romana se afastava, andando até o escorregador para pegar as sacolas novamente, sequer era preciso que encerrasse a conversa de outro jeito.

Mas Piper ainda não estava satisfeita.

Encarou o púrpura de sua blusa, e a coroa de louros com as inscrições SPQR.

´´Até isso você vai deixar para trás por causa da minha mãe? Vai largar sua vida e as pessoas que te amam pra caçar monstros?! ``

— Você vai mesmo desistir? — Indagou mais alto, tentando esconder o abalo em sua voz, Reyna parou a poucos metros de costas para ambos e com as sacolas em punho, pode ouvi-la respirar fundo.

— Desistir do que, McLean?! — Explodiu, virando-se enquanto deixava as sacolas caírem no chão, ao menos uma das garrafas de Dr.Pepper vazou.

Não que alguém se importasse com elas agora.

— De tudo, talvez?! — Livrou-se do braço de Jason, colocando as mãos na cintura. — Você vai embora da sua casa? Por que a minha mãe é idiota? — Frisou a última palavra. — Eu já disse, não escute o que ela...

— E o que você quer que eu faça?! — A pergunta saiu com franqueza, mesmo com a raiva presente em sua voz.

— O que estou dizendo a dois anos! — Fincou as unhar na palma de suas mãos, tentando não socar a cara da pretora. — Tire férias, fale com as pessoas sobre voc... — Reyna soltou um suspiro alto em cansado, obviamente querendo encerrar a discussão.

— Pare com isso. — Suplicou, jogando a trança para trás. — O que ela disse é bem óbvio. Eu nunca vou...

´´Pare de falar a mesma coisa, cacete! ``

— Tá. — Levantou a mão para que ela ficasse quieta.

Se Piper estivesse pensando, jamais teria dito o que estava prestes a dizer, mas só estava com tamanha cólera porque Reyna estava sendo idiota, logo, a culpa era dela.

— Eu vou dar um jeito nisso. — Decidiu, sem rodeios e com a voz firme como a da pretora.

Os grilos voltaram a ser a atração principal, nem Jason havia conseguido fazer algo sobre.

— O que? — Os romanos falaram ao mesmo tempo, Piper rolou os olhos.

´´Não foi clara o suficiente? ``

— Eu disse que vou dar um jeito nisso. — Cruzou os braços ao dizer lentamente, como Reyna havia feito consigo. — O problema é a minha mãe? Então não tem problema nenhum.

— O que você quer dizer com isso? — indagou, a voz delatando o quanto ela estava perdida na situação.

— Que eu vou curar seu coração. — Proclamou, sem nem ao menos notar que até o charme escapava de seu controle, tamanha sua concentração em encarar a pretora.

— O que? — O rosto dela estaria tão engraçado se Piper não estivesse tão irritada.

Era impressão sua ou Reyna estava vermelha?

— É o que você ouviu! — Apontou para ela, tentando se segurar para não dar um soco em seu nariz.

— Piper. — Jason tentou intervir novamente, enquanto Reyna continua perdida em seu mundo particular. — Acho que você deveria se acalmar e...

Mas a grega estava longe de se acalmar.

— Você desistir do lugar que mais ama no mundo pra sair por aí caçando monstros com a irmã do Jason, isso faz sentido só no Tártaro! — Andou a passos largos em sua direção, sentindo-se como um touro.

Reyna obviamente era o pano vermelho.

— Não me julgue. — Vociferou baixo, em uma tentativa de não gritar, voltando a raiva antes da surpresa. — Você não entende os meus motivos. — Algo em seu coração murchou quando a pretora sussurrou com pontadas de tristeza, a raiva atenuou.

Mas não a indignação.

— A irmã do Nico morreu com as Caçadoras e você quer se juntar a elas, não é à toa que ele esteja tão irritado esses dias. — Disse, dessa vez sem alterar a voz, Reyna apenas encarou o chão, suas respostas pareciam ter se extinguido.

— Eu... — Murmurou, os braços cruzados já não pareciam uma pose confiante, era quase como se a filha de Belona quisesse se proteger. — Frank e eu pensamos na Hazel para o meu cargo, mas ainda temos que treiná-la para isso, e tenho mais coisas para resolver antes de ir embora, vai ser ao menos um mês, até lá o Nico vai se acostumar com a ideia. — Soltou um riso cínico.

— Você não vai embora. — Reyna apenas suspirou, sem cartas para jogar contra uma filha de Afrodite determinada.

— Já entendi sua posição, Piper. — Resmungou a contragosto, evitando a discussão.

— Ir embora com as caçadoras, você está maluca. — Disse mais para si mesma do que para os presentes, quase em um pensamento alto.

— Já entendi. — Repetiu em um sinal claro de que deveria ficar quieta.

E Piper não estava nem aí.

— Pelo menos vá falar com a sua irmã. — Pelo que Hazel e Percy contaram sobre a rainha das amazonas, tinha certeza que ela daria um jeito na cabeça de Reyna. — Aposto que até ela acharia essa ideia idiota também, não é Jason? — As duas se viraram para o garoto, pego completamente desprevenido pela pergunta.

— Bem... — Os olhos azuis passeavam dos seus para os de Reyna, incerto sobre o que dizer.

— Você já deixou bem claro o que acha McLean, já chega. — E a pretora salvou seu ex-colega de uma saia justa, com sua voz monótona de sala de reuniões.

Os grilos voltaram com sua música, enquanto o trio ficava em silêncio, absorvendo as informações.

— Pelos deuses... — Um riso brotou da garganta de Piper, se negando a acreditar que não era um sonho bizarro.

— Já chega, cacete! — E com essa frase, Reyna andou até as sacolas, levando todas a passos largos até sua casa.

Com Dr. Peppers quentes e estouradas pingando pelo caminho.


Notas Finais


Quase senti pena do Jason nesse capítulo, só nesse u.u

Alguém mais acha um absurdo a Reyna se enfiar nas caçadoras assim do nada? Compartilhem sua raiva com a Rainha da Beleza!

Para xingamentos, críticas, elogios ou sugestões, não deixem de comentar ^^

Até mais pessoinhas XD


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...