História Inner - Capítulo 27


Escrita por:

Visualizações 25
Palavras 2.370
Terminada Não
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Agora todo dia eu publicarei um jornalzinho sobre introversão ♡
Vão lá no meu perfil e leiam! :)
Eu já escrevi vários!
Valeu ~yasmim2358 por ter me dito que o nome da mulher era Eleanor.Eu não sabia,achava que era Eleonor.Acho que por causa da pronúncia.Você estava certa,eu é que cometi um erro. :P
Mas agora já corrigi o erro.
Aí,fiquei meio com raiva que você chamou a susan de maluca,já que ela sou eu kkk
Eu sou meio maluquinha mesmo kkk
Se me dissessem que eu não posso ver meus pais,eu explodiria aquela porra de portão.Ou escalava ele.
XD
Bjs :*

Capítulo 27 - Descoberta fantástica


No café da manhã,eu não consigo comer,de tão triste que eu estou.Fico com uma mão apoiando minha cabeça e a outra eu só passo o garfo pelas panquecas sem colocar na minha boca. 

Eu nunca mais poderei ver meus pais. 

-Susan,eu sinto muito que você não pode sair da vila.Mas nós estamos consertando o portão o mais rápido possível.-Nikola 

-Obrigado senhor.Mas tudo bem.Não é sua culpa mesmo.-Eu 

-Eu não gosto de ver você assim susan.Você sempre é tão alegre e brincalhona.Não gosto de ver você triste.-Mica-chan 

-Eu também não.-Stephen

-Aí,eu já sei uma coisa que vai te animar,que tal eu fazer panquecas com calda de morango?Você disse que adorava!-Eleanor 

-Obrigada vocês.Mas agora a única coisa que me deixaria feliz seria ver meus pais novamente.-Eu 

-Ah susan...-Eleanor 

Fui para a escola sem comer nada.Não sinto fome.Estou muito triste. 

Eu ando pelo corredor da escola carregando meus livros(que a família chung conseguiu me arranjar.Eles são os antigos da michaella)calada e triste. 

-O que foi susan?Aconteceu alguma coisa? 

Vejo Albert na minha frente.Ele parece preocupado comigo. 

-Oi albert.-Digo desanimada

-Porque está com essa cara? 

-Nada. 

-Não.Me conte. 

Eu suspiro.Tento pensar em alguma coisa para dizer a ele. 

-Ah é que...eu sinto falta dos meus pais. 

Ele arregala as sobrancelhas.Resolvi contar a verdade a ele.Pelo menos isso eu posso dizer. 

-Ah,é porque eles morreram em um acidente né?-Ele 

-É.Exatamente isso. 

Ele me dá um beijo na bochecha. 

-Tudo bem.Não fique chorando por causa disso.Eles estão em um lugar melhor agora. 

-É,eu sei.-Uma lágrima escorre do meu rosto.Eu a limpo. 

-Ei,-ele pega minha mão-quer ver uma coisa? 

-O que? 

-Vem comigo. 

Ele me puxa pela mão e nós dobramos o corredor até chegar no final dele. 

No final dele,eu vejo um armário de vidro cheio de troféus dentro. 

-Eu queria te mostrar os troféus que eu já ganhei.-Diz ele sorrindo 

-Ah.-Eu sorrio de canto 

-Eu ganhei esse aqui na feira de ciências na primeira série.-ele aponta-Primeiro lugar.Esse aqui eu ganhei na terceira série,primeiro lugar também,esse eu ganhei na quinta série e esse aqui na sétima.Todos primeiro lugar.

-E as outras séries?Quem ganhou o primeiro lugar?-Pergunto só de sacanagem 

Albert faz uma cara de raiva,começa a rosnar e ergue o punho no ar.

-Argh!Foi aquele idiota do Stephen!Nós sempre competíamos na feira de ciências,ás vezes ele ganhava,e ás vezes eu ganhava.Mas em minha defesa,eu ganhei quatro vezes e ele só três. 

-E o que geralmente vocês inventavam na feira de ciências? 

-Ele geralmente inventava um telescópio para ver melhor as estrelas ou projetos que tinham a ver com cosmologia,e eu geralmente fazia experimentos de física.Demonstrando todos os meus cálculos matemáticos em um papel.Teve um ano que ele ganhou de mim em um projeto que falava sobre buracos negros,buracos brancos e buracos de minhoca.Ele fez até uma demonstração no computador de como seria se um buraco negro engolisse a Terra e todo o sistema solar.Enquanto isso,o meu projeto era sobre o tempo ser relativo.E passar ás vezes ora mais devagar,ora mais rápido.E depois eu fiz uma demonstração:Eu mandei todo mundo ficar com o dedo numa bacia de água quente e depois mandei que eles comessem um doce que a minha mãe fez e calculei os dois tempos que eles levavam para fazer os dois num cronômetro.O resultado era que,ainda que o tempo fosse o mesmo,parecia que passava mais devagar numa situação mais desconfortável do que agradável.Mas todo mundo achou o projeto do Stephen mais interessante do que o meu.E no final,quando aquele filho da mãe ganhou ele ainda esfregou na minha cara:“Sabe qual é a semelhança dos buracos negros com você Albert?OS DOIS CHUPAM!HAHAHA!”ARGH!AQUELE FILHO DA PUTA! 

Eu morro de tanto rir.Os dois são muito engraçados. 

-Que bom que você agora está rindo lindinha.-Ele sorri e passa a mão no meu rosto 

-Obrigada albert.Você realmente fez eu me sentir melhor.-Eu sorrio 

-Que bom. 

Ele volta a olhar o armário de troféus. 

-O que você está olhando agora Albert? 

-Meus troféus de olimpíadas de matemática.Eu já ganhei três. 

-Wow!Estou impressionada!Você é mesmo um gênio. 

-Obrigado. 

-E o Stephen?Quantos ele ganhou? 

-Dois. 

-Wow,vocês competem ferozmente hein? 

-Sim,mas ainda assim somos amigos,não é Albert?-Diz o Stephen se aproximando da gente e colocando o braço ao redor dos ombros do amigo.Ele tem uma expressão brincalhona no rosto. 

-Eu suponho que sim.-Diz albert sério 

-Ah qual é amigo?Sorria! 

Stephen tenta fazer um sorriso na cara do Albert levantando os cantos da boca dele.Mas não adianta.Ele continua sério. 

Albert dá um tapa nas mãos do Stephen: 

-QUER LARGAR A MINHA BOCA! 

Eu rio mais.Eles são hilários. 

Eu olho para o armário de troféus:Vejo vários troféus de vários anos seguidos. 

O armário é bem grande.Tem troféus,prêmios e faixas aqui de todos os tipos:De feiras de ciências,de olimpíadas de matemática,de futebol,de basquete,de vôlei e de karatê. 

Eu vejo os de feira de ciências e de olimpiadas de matemática.Só o Albert e o Stephen ganharam as mais recentes.Depois,eu vejo os de futebol. Eu me surpreendo que os troféus de esporte tem até os mais antigos,eu vejo de dez,vinte,trinta,quarenta,cinquenta,sessenta e até de setenta anos atrás.Um troféu para cada década.E um para cada gênero:O time masculino e o feminino. 

Eu vejo os de futebol,todos eles tem a foto do time da década ao lado.Quando eu chego no último da equipe feminina,vejo a equipe feminina de futebol daquela época.Vejo cada um dos rostos.De repente,aos meus olhos pousarem no rosto da capitã do time de futebol feminino daquela época,eu tomo o maior susto do mundo: 

-EU CONHEÇO ESSA GAROTA!-Exclamo 

Albert e Stephen,que estavam brincando,o Stephen com o braço em volta do pescoço do Albert,tentando lhe dar um cascudo enquanto este gritava desesperadamente para que o soltasse,nem ouviram. 

-Ahn?-Eles disseram 

-Eu conheço essa garota aqui!-Aponto para a foto 

Eles se soltam e caminham até mim. 

-Do que você está falando su?-Albert 

-ESSA GAROTA AQUI!DO TIME DE SETENTA ANOS ATRÁS!OLHEM PARA ELA!-Aponto 

-Estou vendo,o que é que tem?-Stephen 

-Eu conheço ela!Já a vi antes! 

-E quem ela é?-Albert 

-ELA É MINHA VÓ! 

Stephen e Albert ficam boquiabertos.Stephen mais do que o Albert.Deve ser porque ele sabe o meu segredo.

-COMO ASSIM SUA AVÓ?-Stephen 

-A capitã do time feminino de futebol de setenta anos atrás desse colégio era a minha avó! 

Os dois ficam quietos por alguns segundos. 

-Susan,tem certeza de que você não está confundindo essa garota com a sua avó?-Stephen 

-NÃO STEPHEN!EU TENHO CERTEZA!ELA É MINHA AVÓ! 

-Mas como você você pode ter certeza que é ela?-Albert 

-Porque eu já vi fotos antigas da minha vó quando ela tinha a minha idade,ela era exatamente assim:Magrinha,alegre,tinha sardas e prendia o cabelo em um rabo de cavalo. 

-Mas susan,mesmo assim,ainda podia ser qualquer outra garota.-Albert 

-É,você tem razão albert.-Eu 

O sinal bate e os dois vão pra sala. 

Eu continuo olhando para a menina na foto:Ela se parece muito com a minha avó:É uma menina alegre que está sorrindo com sardas,com o cabelo preso em um rabo de cavalo e está segurando uma bola de futebol. 

Não dá.Eu preciso ter certeza se é ela. 

No intervalo,eu corro até a secretaria para ver se consigo informações sobre a tal menina.

-Com licença moça,poderia me ajudar?-Peço a secretaria. 

-Sim.O que você quer? 

Penso um pouco a respeito disso:Michaella me disse para não dar meu sobrenome,porque se ele não constar no registro,eles saberão que eu não sou desse vila.Por outro lado,eu preciso muito saber se aquela menina é mesmo minha vó. 

Decido dar.A michaella não precisa saber. 

-Poderia por favor procurar no sistema por uma aluna que estudou aqui a setenta anos atrás?-Peço 

Ela arregalou os olhos. 

-Não sei se isso será possível.Não temos registros de alunos tão antigos assim. 

-Eu sei,mas poderia tentar por favor? 

-Tudo bem.Qual o nome? 

-Joanne Kathleen Cain. 

-Poderia soletrar por favor? 

Eu soletro e ela digita. 

Depois de alguns segundos procurando no sistema,ela diz: 

-Sinto muito.Mas aqui não consta esse nome. 

Fico decepcionada. 

-Ah obrigada moça. 

Vou embora. 

Ótimo.E agora?Como descobrirei? 

Tento pensar comendo meu lanche:Como eu faço para descobrir se aquela era a minha avó? 

Humm,preciso perguntar a alguém que entenda de esportes. 

No fim da aula,eu vou falar com a professora de educação física no ginásio. 

Ela está carregando um saco de bolas esportivas.Ela é forte e tem o cabelo preso em um rabo de cavalo. 

-Com licença,você é a professora de educação física? 

-Sim,porque? 

-Será que teria como você saber os nomes dos membros dos times de futebol? 

-Sim,eu conheço todos eles. 

-Só que tem um problema...não é os atuais que eu quero.Eu queria saber os nomes dos membros da equipe feminina de futebol de setenta anos atrás. 

Ela arregala os olhos.Depois ri. 

-Desculpa menina,mas não teria como eu saber disso.Eu não sou tão velha assim. 

Eu suspiro. 

-Ah obrigada. 

Eu dou meia volta. 

-Mas espere! 

Eu me viro: 

-Que foi? 

-Se você quiser saber isso,eu conheço alguém que talvez saiba. 

-QUEM? 

-Um velho que faz a faxina e conserta tudo aqui na escola deve saber isso.Já que ele é bem velho. 

Eu arregalo meus olhos.Eu sei de quem ela está falando. 

-Obrigada.Eu falarei com ele.Tchau! 

-Tchau.-Professora 

Eu corro imediatamente em direção a loja.Eu preciso muito falar com aquele velho.Talvez ele saiba. 

Quando eu chego na livraria café “Livro na xícara”,em que o símbolo é um livro sorridente dentro de uma xícara,pergunto ao caixa: 

-Com licença,será que o senhor viu o dono dessa loja? 

-Ele não está aqui agora.-O caixa me responde

-E aonde ele está? 

-Está consertando o portão quebrado. 

-Ah é claro!-Dou um tapa na minha testa-Obrigada! 

Saio correndo em direção dos portões. 

Quando chego lá,tem um monte de trabalhadores com capacetes e roupas de segurança contra eletricidade consertando o portão. 

-Ei menina!O que faz aqui?Saia já daqui!É perigoso! 

Um deles grita pra mim. 

-Me desculpe,eu sei!Mas eu estou procurando por uma pessoa.Será que o senhor não poderia me ajudar? 

-Quem você estaria procurando aqui? 

-Um velho que trabalha aqui.Eu não sei o nome dele,mas sei que é ele o responsável pela manutenção do portão e ele também é o dono de uma livraria aqui perto. 

-Ah,eu sei quem é.Mas porque você está procurando por ele? 

-Eu preciso falar com ele. 

-Ele já foi pra casa. 

-O que?É sério? 

-Sim,o turno dele já acabou. 

Fico irritada ao ouvir isso.Rosno voltando para casa. 

No caminho penso:Eu podia ir até a casa dele,pois eu sei aonde ele mora.Ele me disse que mora na livraria com a esposa,no andar de cima.Eu só preciso ir até lá. 

Eu já ia lá,quando mudo de idéia no meio do caminho:E se a esposa dele estiver lá? 

Aquela velha rabugenta não gosta de mim.Não adiantaria eu ir lá,ela não me deixaria falar com ele. 

Eu penso em outro meio de falar com ele depois.Sem a bruxa da mulher dele saber. 

Eu volto para casa rosnando bastante.Estou irritada. 

Preciso descobrir sobre a vovó. Quando chego na casa dos chung,puxo minha chave para abrir.Mas ela não está no meu bolso da calça.Procuro ela no bolso do meu casaco.Também não.Então eu abro minha mochila e procuro.Também não está lá. 

Eu jogo todo o conteúdo da bolsa no chão e depois olho dentro dela.Vazia. 

-DROGA! 

Era só o que me faltava. 

De repente,meu celular toca(a família da michaella me deu um.É um velho dela).Eu atendo. 

-Alô? 

-Com licença,quem fala é a susan? 

Escuto uma voz feminina do outro lado da linha. 

-Sim,porque,quem é? 

-Aqui quem fala é a secretária da escola. 

-Ah sim,o que foi? 

-Você esqueceu sua chave aqui.Quando pediu por informações. 

Eu me lembro que coloquei minha chave de casa no balcão para pedir informação.Não sabia que tinha deixado lá. 

-Ah obrigada.Já estou indo aí buscar. 

Corro até o colégio para buscar minha chave. 

Chego lá e a secretária estende a minha chave sorrindo. 

-Obrigada.

-De nada. 

Ponho ela no meu bolso e já vou pra casa. 

De repente escuto uma voz atrás de mim: 

-Procurando por mim? 

-AAAAHHH! 

Grito porque tomo um susto enorme.Me viro e não acredito quem é. 

É aquele velho maldito limpando o chão com um esfregão. 

Estreito meus olhos. 

-O que você está fazendo aqui? 

-Eu sei que você está procurando por mim.-Diz ele com um sorriso no rosto 

-E como você saberia disso?É vidente por acaso? 

Ele ri. 

-Não tenho o dom da vidência se é isso que você quer dizer. 

-Então como sabia que eu estava te procurando? 

-Pressentimento. 

-Pelo jeito você sempre pressente quando eu preciso de você. 

-Deve ser coincidência. 

-Tá. 

-Vem cá menina,você quer respostas ou não quer? 

Eu arregalo meu olhos: 

-Você vai me dar respostas de novo? 

-Apenas se você quiser. 

-EU QUERO! 

-Então venha comigo. 

Ele deixa o esfregão de lado. 

Eu o sigo. 

Nós andamos. 

-Vem cá,o que o senhor estava fazendo limpando a escola a essa hora?Não deveria estar consertando o portão? 

-E eu estava,mas meu turno acabou. 

-E porque você veio pra cá limpar a escola?Poderia estar descansando na sua casa. 

-A escola me ligou e disse que o zelador do turno da tarde estava doente. 

-Ah. 

-E você?O que fazia aqui?Sua aula já acabou. 

-Vim pegar minha chave que eu esqueci aqui. 

-Ah. 

-Aonde nós estamos indo dessa vez? 

-Na biblioteca da escola. 

-Biblioteca de novo? 

-Quer respostas ou não? 

-Sim senhor. 

Eu o sigo até a biblioteca da escola.Ela fica no terceiro andar. 

Nós chegamos lá.Lá tem alguns jovens estudando.Outros lendo. 

Ele me leva até uma seção nos fundos. 

Tem uma prateleira cheia de livros pretos. 

Ele procura por um na última prateleira e puxa. 

-Aqui.-Ele me estende 

-O que é isso? 

-É o anuário.Da escola. 

-Mas porque me deu isso? 

-Leia e você vai descobrir. 

Eu abro e vejo que é um anuário bem velho. 

Depois eu noto que ele é de setenta anos atrás. 

Eu olho para o velho chocada.Como ele sabia? 

Ele apenas sorri para mim. 

-Continue lendo.-Ele diz 

Tá,eu continuo lendo.Depois eu penso em que criatura do além esse velho maldito é para sempre conseguir ler minha mente. 

Eu folheio o anuário até chegar na equipe feminina de futebol daquela época. 

Eu encontro a mesma foto que encontrei no armário de troféus. Mas do lado,eu encontro a legenda com os nomes das jogadoras: 

"Capitã do time feminino de futebol:Joanne Kathleen Cain”. 

Eu fico boquiaberta:

ENTÃO É MESMO A VOVÓ! 

EU SABIA! 

Mas...o que a minha vó faz num time de futebol de uma escola da Vila Quietteria a setenta anos atrás?


Notas Finais


"Você precisa ser mais extrovertido.”
Porque?A única coisa que eles fazem é correr atrás das pessoas com uma melancia na cabeça implorando por atenção.
HAHAHA! XD


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...