História Inner - Capítulo 29


Escrita por: ~

Visualizações 29
Palavras 3.011
Terminada Não
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Preciso avisar que como isso é uma história sobre introversão,existirão certas partes que só quem tem introversão irá entender,já que o nosso cérebro funciona um pouco diferente dos demais(o dos extrovertidos também).Então,se você tem um cérebro normal e não entender,eu recomendo que pesquise no google sobre introversão.E sobre extroversão também.

Qualquer dúvida sobre os dois,me perguntem.

Bjs :*

Capítulo 29 - Quarto dos sonhos


Fanfic / Fanfiction Inner - Capítulo 29 - Quarto dos sonhos

-Você terá seu próprio quarto!-Eleanor diz animada 

Eu nem acredito no que eu ouvi. 

-É sério?-Pergunto 

-Sim!Você terá seu próprio quarto!-Ela diz de novo animada 

-E AONDE ELE VAI SER?-Pergunto animada

-Ele vai ser no sótão,o único lugar disponível que temos na casa.Mas primeiro,nós teremos que tirar toda aquela tralha que está lá.E limpar toda a poeira.E colocar móveis.E instalar um banheiro.E levar as suas coisas para lá.Só depois disso,você poderá ficar lá.-Nikola 

Eu sorrio e fico super animada com a idéia:UM QUARTO SÓ MEU!E NO SÓTÃO AINDA POR CIMA!QUE LEGAL! :D 

Eu desço as escadas rapidamente,pulo em cima dos dois e os abraço. 

-OBRIGADA!MUITO OBRIGADA!-Agradeço 

Eles primeiramente se assustam comigo por ter me jogado em cima deles,depois me abraçam também. 

-De nada querida.-Os dois respondem 

Nas semanas seguintes,todo mundo da casa se empenha em transformar o sótão em um quarto para mim. 

Primeiro,nós removemos toda a tralha que está lá.Não é uma tarefa fácil,já que tem muita coisa lá:Muitas caixas,pastas de documentos,livros,revistas e quadrinhos velhos,brinquedos velhos,bicicletas velhas do stephen e da michaella,escada,caixa de ferramentas,colchões velhos,uma TV velha,carrinhos de bebê velhos,plantas...e muitas outras coisas. 

A família chung pelo jeito usa o sótão de garagem.Ou de depósito. 

Para então ficar mais fácil,a michaella deu uma idéia,que ela tirou de uma revista sobre organização.Nós separamos toda a tralha em três grupos: 

1)Coisas que iremos jogar fora. 

2)Coisas que iremos doar. 

3)Coisas que iremos ficar com e só iremos guardar em outro lugar. 

Até que nós consigamos nos livrar de tudo,leva quase duas semanas. Depois disso,o sótão fica finalmente vazio. 

Só sobra algumas estantes aonde eles costumam colocar as caixas e pastas.Como tem estantes dos dois lados,nós resolvemos que metade delas vão ser removidas.Assim,eu terei estantes só de um lado do quarto. 

Depois de remover as estantes,nós temos que limpar.Nós varremos toda a poeira que tinha lá.Depois limpamos toda a sujeira e as teias de aranha. 

Tinha mais de dez quilos de poeira,teias de aranha e sujeira acumulados lá por mais de uma década. 

Levamos três dias para limpar tudo. 

Quando o sótão está limpo e cheirosinho,nós agora podemos decorar.

Nós cinco saímos para fazer compras:Compramos tintas,cortinas,um tapete e roupas de cama.Tudo do meu gosto.Yay! 

Eu inicialmente queria escolher preto como cor da tinta de parede,mas a eleanor foi contra: 

-Não,preto ficaria muito mórbido! 

Então eu pensei melhor e escolhi azul-céu.Achei que ficaria super legal. 

Nós forramos o chão com jornal,removemos as estantes que sobraram e daí nós cinco nos divertimos pintando as paredes de azul.Mas decidimos que o teto seria branco,pra não ficar muito azul.Passamos tinta uns nos outros e rimos bantante. 

Quando a tinta seca,nós tiramos o jornal e instalamos de novo as estantes. 

Saímos de novo as compras e compramos alguns móveis para mim.Compramos uma cama,um colchão e uma mesa para eu estudar. O armário eu usarei um antigo da avó da michaella e do stephen. 

Montamos a cama lá e colocamos a mesa e o armário. 

Por último,eu coloco o tapete,as cortinas e os lençóis na cama. 

O tapete que eu escolhi é um tapete preto redondo felpudo. 

As cortinas são azuis claras para combinar com a parede.

Os lençóis e a fronha são roxos.O edredom é roxo com flores brancas. 

Ao terminar,eu me jogo na minha cama cansada. 

Ficou simples,mas ainda não terminou.Eles me disseram que ao meu quarto ficar pronto,eu podia continuar decorando do jeito que eu quisesse. 

Pois bem,depois eu decido o que mais eu colocarei no meu quarto que torne ele único. 

Mas pensarei nisso amanhã,pois agora estou cansada.

Eu acordo com os raios solares beijando o meu rosto.

Eu sorrio,adoro essa sensação. 

Eu bocejo e me espreguiço. 

Puxo meu edredom e me levanto. 

Minhas meias tocam no tapete felpudo. 

O chão é de madeira. 

Eu olho para o meu quarto e fico animada:Eu tenho um quarto novinho em folha só pra mim! 

Isso e mais roupas novas também!Yay! 

De fato,eu estou usando o pijama novo que a mãe da michaella comprou para mim:Uma calça e uma blusa de mangas longas preta.Na blusa tem estampado em prateado a cara de um cachorro. 

Eu pulo de alegria rindo e batendo palmas igual uma foquinha. 

Depois que a minha excitação passa,eu decido sobre o que irei fazer no meu quarto.Aproveito que eu posso,pois hoje é sábado. 

Tenho uma idéia. 

Eu pego o balde de tinta branca que usamos para pintar o teto e o uso para pintar todos os móveis do meu quarto. 

O branco combina com azul-claro. 

Ao terminar,eu percebo que meu quarto tem todas as cores de quietteriamenos o verde. 

Aonde será que eu poderia colocar o verde? 

Eu olho pela janela e vejo árvores. 

Tenho outra idéia. 

Quando nós tiramos a tralha daqui,eu percebi que tinha alguns vasos de plantas.Eu sei aonde eles estão.Nós os colocamos na garagem. 

Eu vou lá e pego os vasos.

Os coloco no meu quarto,próximos a janela. 

Mas o problema,é que as plantas dos vasos estão velhas e mortas.Também,não são regadas a mais de dez anos. 

Eu penso em jogar fora a terra e as plantas velhas e comprar terra e plantas novas...mas acho que essa família já gastou demais comigo. 

Então tento pensar em uma alternativa mais econômica. 

Pego alguns sacos de lixo,luvas,uma pá e um cortador de jardinagem,os coloco em uma bolsa e saio na rua. 

Vou em direção a praça,que fica perto. 

Lá,pego um punhado de terra com a pá e coloco dentro do saco.Faço isso até encher o saco. 

Depois,tento ver se encontro algumas mudas de planta bacana crescendo por aí. 

Noto algumas de que gosto,olho para os lados para ver se tem alguém vendo e arranco algumas plantas com a raiz com o auxílio do cortador e das luvas, e coloco elas dentro do saco. Pego quatro plantas. 

Chego em casa,pego todos os vasos,e um por um,jogo fora a terra e as plantas mortas deles.

Depois lavo bem os vasos com água e sabão e enxugo com um pano. 

Como os vasos estão bem velhos,eu tenho a idéia de pintá-los com tinta de artesanato que eu achei enquanto limpava o sótão. 

Eu pinto todos os vasos de verde-ervilha.Espero secar,aí encho com a terra da praça e coloco as plantas dentro do vaso.

Coloco água nos pratos que fica em baixo. 

Coloco os quatro vasos no chão do meu quarto perto da janela. 

As plantas que escolhi são samambaias.Suas folhas são grandes e elas estão bem verdes e vívivas. 

Pronto,agora tenho as quatro cores da vila no meu quarto!Yay! 

Bato palmas animada feito uma foquinha. 

Preciso agora voltar a garagem para devolver tudo que eu peguei. 

Eu desço as escadas do sótão e depois as da sala rumo a garagem. 

Coloco as coisas de jardinagem na caixa de jardinagem e as coisas de artesanato na caixa de artesanato.Depois que nós arrumamos o sótão,a michaella teve a idéia brilhante de categorizar as caixas. 

Porém,tenho dificuldade de alcançar a caixa de artesanato,ela está um pouco alta para mim.

Eu dou pulos para ver se assim eu consigo alcançar. 

Não consigo. 

Procuro pela escada,mas ela não está aqui agora. 

Então,eu subo na estante que está com todas as caixas.Me segurando com uma mão nas laterais da estante e a outra eu tento alcançar a caixa. 

Quase estou alcançando a caixa. 

-AAAHHHH! 

Eu caí,a estante virou toda em cima de mim e as caixas todas caíram no chão,espalhando pelo chão todo o conteúdo delas. 

Minhas costas doem por terem se chocado contra o chão.E minha barriga dói porque a estante caiu em cima de mim. 

Caramba,eu sou mesmo um gênio.Tive a brilhante idéia de trepar numa estante que não estava presa á parede. ‘-_- 

Com esforço porque eu estou muito machucada,eu saio de baixo da estante.Preciso limpar toda a bagunça que fiz.Antes que alguém descubra. 

Ao sair debaixo da estante,eu noto que meu braço está sangrando. 

Com um pouco de esforço,eu levanto a estante. 

Depois,um por um,coloco de volta o conteúdo em cada caixa e depois coloco na estante de volta. 

Enquanto coloco as coisas na caixa,acho um caderno velho no chão. 

A capa dele é uma clareira numa floresta. 

O pego e o abro. 

É um caderno antigo da michaella.Tem poucas páginas escritas.Quase não foi usado. 

Eu gostei do caderno.Acho que vou perguntar a ela mais tarde se eu posso ficar com ele. 

De repente,alguém aparece na porta da garagem: 

-O QUE FOI ISSO?QUE BARULHO FOI ESSE?

Com o susto eu deixo o caderno cair no chão.

É a Eleanor.Ela ouviu o meu grito e o barulho e desceu rapidinho.Caramba,essa mulher tem os ouvidos mais sensíveis do mundo.E as pernas mais rápidas do mundo também. 

Ao ver toda a bagunça,ela fica horrorizada: 

-AI MEU DEUS!O QUE HOUVE?PORQUE ESTÁ TUDO ESPALHADO PELO CHÃO? 

-CALMA ELEANOR!EU POSSO EXPLICAR!FOI UM ACIDENTE! 

-QUE ACIDENTE? 

-Eu subi na estante e ela virou no chão derrubando tudo.Desculpe.Mas eu já vou colocar tudo de volta tá? 

Ela coloca a mão na testa. 

-Ai susan...você dá muito trabalho! 

-Me desculpe. 

-Tudo bem.Você se machucou? 

-Um pouco. 

-Aonde? 

-Minhas costas doem porque eu caí no chão e minha barriga também dói porque a estante caiu em cima de mim.E meu braço está sangrando. 

-Deixa eu ver. 

Ela vê meu braço,minhas costas e minha barriga. 

-Você deu sorte que não vai precisar de pontos no braço e não tem nenhum osso fraturado.Mas suas costas e sua barriga estão roxos.Vão precisar de gelo. 

-Pelo menos o roxo faz eu combinar com a cidade né?-Eu rio tentando me livrar da enorme dor 

-Susan,deixe de brincadeira.Eu vou te levar para o sofá da sala,vamos. 

-Mas e as caixas?Eu preciso terminar de organizar! 

-Você está muito machucada,deixa que eu arrumo isso. 

Eu me apóio nela e seguimos em direção á sala. 

Ela me deixa no sofá. 

-Espere aqui que eu vou te buscar gelo. 

Ela me traz dois sacos de gelo grandes. 

Eu coloco um nas minhas costas e o outro na minha barriga. 

Eu mal consigo respirar de tanta dor. 

-Tem certeza que eu não fraturei nenhum osso?-Pergunto 

-Tenho. 

-Como você pode ter certeza? 

-Porque quando se tem uma fratura,o osso fica exposto. 

-Mesmo assim,tá doendo muito. 

-Tudo bem,deixa eu ver de novo. 

Ela passa as mãos nas minhas costas. 

-Não senti nenhum osso fraturado. 

-Valeu.Mas mesmo assim ainda não tenho certeza.Doeu muito quando eu caí. 

-Tudo bem.Acho que podemos te levar no hospital para tirar raio X. 

-Agora? 

-Quanto antes melhor né? 

Ela me leva de carro no hospital.Lá,eles tiram raio x da minha costa e da minha barriga. 

Aí depois nos mostram os resultados. 

Ainda bem,eu não quebrei nada. 

Depois disso,voltamos para casa. 

Eu estou com muita fome.Não comi nada até agora. 

Quando voltamos,todo mundo já acordou. 

-Querida,aonde você estava?-Nikola 

-Eu levei a susan no hospital.-Eleanor 

-Porque?O que houve?-Ele 

-Ela caiu e se machucou.-Ela 

-Como?-Mica 

-Ela inventou de trepar na estante e a estante caiu toda em cima dela.-Eleanor 

-Ai meu deus!Ela se machucou sério?-Mica 

-Não.Nós tiramos raio x e o médico disse que não fraturou nenhum osso.Mas ela está roxa e com dor.-Eleanor 

-Caramba susan!Porque você foi fazer isso?-Stephen 

-Não conseguia alcançar a caixa de cima.-Respondo 

-Era só ter pego a escada!-Mica 

-A escada não estava lá.-Digo 

-Como a escada não estava lá?-Eleanor 

-Ah,a culpa foi minha.Eu peguei a escada de manhã para trocar a lâmpada no nosso banheiro.Desculpa susan.-Nikola 

-Tudo bem senhor.A culpa foi minha também.Não devia ter subido na estante.-Eu 

-Não devia mesmo.-Eleanor 

-Você só vive inventando moda sua palhaçinha.-Mica 

-Mas porque a estante caiu em cima dela?-Stephen 

-Porque ela não está presa a parede.-Nikola 

-Alguém devia consertar isso,para não haver mais acidentes.-Stephen 

-Deixa que eu faço isso agora.-Nikola 

Nikola pega uma furadeira e prega a estante na parede da garagem com parafusos. 

Depois a Eleanor arruma todas as caixas que eu derrubei. 

Como eu estou muito machucada,estou no sofá da sala com gelo tanto na frente quanto atrás.Não consigo me mexer muito. 

-Você promete que vai parar de ficar inventando moda palhaçinha?-Mica-chan me pergunta com uma expressão preocupada no rosto 

-Prometo mi-chan.Depois de ter quase me quebrado toda,não vou mais fazer besteira. 

-Mi-chan?Você encurtou meu nome mais ainda?-Ela ri depois senta no sofá do meu lado 

-Sim. 

-Que engraçado. 

-Escuta,mi-chan,eu queria te pedir uma coisa. 

-O que? 

-Eu vi um caderno seu lá na garagem,um que tem uma clareira na capa.Pois bem,eu gostei dele e notei que ele não foi muito usado,então...posso ficar com ele?-Pergunto sorrindo 

-Você quer aquele caderno? 

-Sim,tem algum problema? 

-Não.Eu comprei ele para ser uma agenda para os eventos que eu tinha de organizar,só porque eu gostei da capa.Mas depois,eu comprei uma agenda maior e melhor. 

-Ah que bom.Nesse caso,eu posso ficar com ele? 

-Pode. 

-Sério? 

-Sim. 

-Posso arrancar as páginas que você já usou? 

-Humm,não sei não... 

-E se eu te desse elas?Assim você não as perderia!-Sugiro 

-Tá,tá bom susan.Faz o que você quiser.Eu preciso ir.-Ela se levanta 

-Pra onde? 

-Eu preciso ir para a escola organizar um evento. 

-Qual? 

-O campeonato de futebol. 

-Ah. 

Ela já vai. 

-Mas espera aí,você não vai almoçar? 

-Eu almoço lá na escola. 

-Ah tá. 

Ela fecha a porta. 

Eu queria ir lá na garagem pegar meu caderno novo e levar ele pro meu quarto novo,mas não consigo nem me levantar. 

-Ai!Ai!Ai!-Grito 

-O que foi menininha?Não consegue levantar? 

Stephen passa por ali e me pergunta. 

Droga,eu odeio quando ele me chama de menininha. 

-Sim,eu sinto muita dor,mas eu quero ir pro meu quarto!-Faço beiçinho 

-Tudo bem.Eu ajudo você. 

-Me ajudar?Como? 

-Eu te carrego. 

Eu não acredito:Stephen vai me carregar? *_* 

-Ah obrigada Stephen!Eu agradeço muito! 

-Sem problema.-Ele sorri 

Ele se agacha e sinaliza para eu subir em cima dele. 

Eu coloco meus braços ao redor do pescoço dele e ele carrega minhas pernas. 

-Caramba!Você é um pouquinho mais pesada do que eu pensava!-Ele reclama 

-Tá me chamando de gorda? 

-Não,mas você é pesadinha. 

-Quer que eu emagreça? 

-Não.Você já é magrinha o suficiente.Hehehe! 

Ele me leva com dificuldade.Geme bastante como se estivesse fazendo o maior esforço do mundo.

-Stephen,tá muito pesado pra você? 

-Não,eu consigo. 

E continua gemendo como se estivesse com cem aquilos nas costas. 

Chegamos na escada e ele olha para ela com um olhar de pânico. 

-Stephen deixa,você não vai conseguir subir. 

-EU CONSIGO SIM SUSAN! 

Eu fico surpresa,ele não é de gritar.Deve estar com raiva porque implicitamente eu chamei ele de fracote. 

Ele tenta subir o primeiro degrau com dificuldade,depois o outro.E sobe uns cinco degraus. 

Com cinco degraus só e ele já está ofegando. 

-Stephen deixa,depois a sua mãe me ajuda a subir. 

-NÃO!EU JÁ DISSE QUE CONSIGO SUSAN! 

Ele não desiste.Seu orgulho masculino está em jogo. 

Ele sobe mais cinco degraus com esforço. 

-Susan,tive uma idéia.Porque eu não te carrego de outro jeito? 

-Como? 

-Te segurando pela frente. 

-Ai,tá bom.Mas isso não vai dar mais certo. 

-Qual é?Confie em mim! 

-Tá,tá bom. 

Eu saio das costas dele e ele me pega pelo meu tronco e pela minhas pernas.Eu envolvo meus braços no pescoço dele. 

Eu fico bem pertinho do rosto dele.Eu coro toda. ^///^ 

-O que foi susan?Algum problema? 

-Não. 

Eu dou risadas baixinhas. 

-Porque você está rindo? 

-Nada. 

Rio um pouco mais. 

Stephen levanta a sobrancelha. 

Ele geme ainda mais me levando pela frente. 

-Quer saber?Eu preferia do jeito que tava antes.-Ele 

-Eu te disse! 

Ele tenta subir mais um degrau com dificuldade.Ele tem uma expressão de dor em seu rosto. 

-Ai! 

-Stephen me larga logo!Tá na cara que tá muito pesado pra você! 

-Não,eu... 

Nikola passa pela escada: 

-O que foi filho?Porque está carregando a susan? 

-Ela não consegue subir sozinha porque está machucada e eu estou ajudando. 

-Mas você parece que não está conseguindo. 

-Claro que ele não está conseguindo!Também,ele só estuda o tempo todo e nunca faz academia!-Ironizo 

Stephen me olha feio. 

Nikola,que só vive sério o tempo todo,ri um pouco. 

-Tudo bem.Deixa que eu levo ela. 

Nikola me pega dos braços do Stephen sem nenhuma dificuldade.Ele tem mais força que o filho. 

-Caramba,o senhor é muito forte!Faz academia?-Pergunto 

-Não.É que ás vezes eu carrego postes de eletricidade.Eles são pesados. 

-Mas pensei que o senhor só ficasse na parte dos cálculos. 

-Não,ás vezes eu também ajudo na parte técnica. 

-Ah. 

Ele sobe as escadas,depois as escadas do sótão e me deixa na minha cama. 

-Senhor! 

-Por favor me chame de nikola.

-Tá bom nikola.Você poderia me fazer um favor? 

-O que susan? 

-Eu queria uma coisa que eu deixei na garagem. 

-O que? 

-Um caderno. 

-Seu caderno da escola? 

-Não.Um outro. 

-Qual? 

-Um que tem uma clareira na capa. 

-Mas esse caderno não era da michaella? 

-Eu pedi pra ela e ela me deu.Ela já tem outro. 

-Tudo bem.Eu vou pegar. 

Ele desce e depois de alguns minutos,volta com o meu caderno. 

-Toma. 

Depois sai e fecha a porta. 

Eu fico feliz.Puxo as páginas usadas e arranco.Aí pego uma caneta do lado e penso no que vou escrever. 

Humm...o que eu escrevo? 

“Escreva sobre os seus sentimentos susan.” 

Eu tomo o maior susto do mundo.Olho para os lados mas não vejo ninguém.

O que foi isso?Foi um fantasma? 

"Eu não sou uma fantasma susan.” 

Tomo um susto ainda maior.Que voz é essa? 

“Não tenha medo susan.” 

Quem é você? 

“Digamos que eu sou a voz interior dentro de você”. 

Eu fico pasma.Uma voz falando dentro da minha cabeça?Isso é inacreditável demais para ser verdade. 

Mas aí eu lembro de todas as loucuras que o velho já me contou e penso que isso não é tão loucura assim.Pode ser até possível,já que eu não sou humana. 

-Vem cá,isso é alguma coisa de inner?Uma voz interior ou algo assim?-Pergunto a ela 

A voz ri dentro da minha cabeça. 

“Não.Eu só falo com você.” 

-Só comigo?E porque não com os outros? 

“Os outros não me tem dentro deles.Só você.” 

-Como assim? 

"Mais tarde você entenderá.Agora escreva” 

Eu fico sem entender nada.Mas ela disse que mais tarde eu entenderei.Okay. 

-Sobre o que quer que eu escreva? 

“Sobre qualquer coisa que você sinta no seu coração,na sua alma e no seu cérebro.Conte como é ser inner.Como se sente um inner.Como você se sentiu naqueles anos todos ao ser desprezada por aqueles outters.” 

-Como você sabe que isso aconteceu comigo? 

A voz ri de novo. 

“Eu moro dentro de você.” 

-Ah,okay. 

Eu começo a escrever.


Notas Finais


"Introvertidos são estranhos”
Como se extrovertidos bêbados dançando gangnam style pelados,correndo atrás das pessoas com uma melancia na cabeça ou fazendo qualquer outra coisa estúpida e bizarra só para chamar a atenção das pessoas fosse normal.
#Hipocrisia #Dois pesos duas medidas

HAHAHA! XD


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...