História Innocens - Capítulo 10


Escrita por:

Postado
Categorias Agents of S.H.I.E.L.D., Capitão América, Os Vingadores (The Avengers)
Personagens Anthony "Tony" Stark, Clint Barton, Feiticeira Escarlate (Wanda Maximoff), James Buchanan "Bucky" Barnes, Maria Hill, Melinda May, Natasha Romanoff, Nick Fury, Personagens Originais, Phillip Coulson, Sam Wilson (Falcão), Sharon Carter (Agente 13), Steve Rogers, Visão
Tags Bucky, Capitão América, Drama, Guerra Civil, Os Vingadores, Romance, Soldado Invernal, Steve Rogers
Visualizações 213
Palavras 2.252
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Luta, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Desculpa a demora, ando bastante ocupada com minhas lições, porém sempre que der um tempinho irei escrever e postar. Isso é até bom, ai consigo organizar melhor minhas ideias. kkkk
Espero que gostem do capitulo, ele tem bastante Liv e Steve. <3

Capítulo 10 - O bonitão fumante


Fanfic / Fanfiction Innocens - Capítulo 10 - O bonitão fumante

Não eram nem cinco horas da manhã, o sol ainda não havia nascido. A cama quente, fazia não querer sair debaixo das cobertas tão cedo. Essa era a ideia principal para o meu domingo, passar o dia dormindo e talvez estudar um pouco, porém a batida forte na porta dizia que já era hora de acordar. Qual seria a anta que ia para casa dos outros a essa hora da matina.

Joguei os pés para fora, sentindo a friagem do chão gelado. Respirei fundo, arrastando o corpo entre os corredores até chegar na sala. A batida da porta parecia ficar mais forte a cada medida que demorava para atender, daqui a pouco parecia que iriam retirar ela da parede. Puxei o trinco da mesma, levando o primeiro susto do dia. Minha aparência com toda certeza não era a melhor, apenas usava um pijama de frio da cor azul parecendo uma vovozinha, sem contar do cabelo todo bagunçado. Por causa da sonolência, o susto foi mais normal que o esperado, ao ver o loiro e moreno no lado de fora carregando várias bolsas, meus pensamentos deram uma pequena pausa para entender o que acontecia, apenas gesticulei com a cabeça para ambos entrarem.

-Desculpe, acho que acordamos você. - Disse Capitão, colocando uma bolsa azul bastante cheia sobre a mesa de centro. - Aconteceu um problema, não sabíamos para onde ir.

Sam delicado como sempre, cutucou o amigo sussurrando algo sobre eu ainda estar dormindo e que não entendia nada… de certa forma era verdade, ficava encarando eles com os olhos quase fechados por vontade própria.

-Que tipo de problema? - Perguntei bocejando, em seguida balançando o rosto para ver se acordava. - Vocês estão de mudanças?

-Sim e não. - Respondeu o loiro, levando uma das mãos ao cabelo de forma pensativa. - Invadiram o nosso esconderijo. Tudo foi revirado, pareciam que procuravam alguma coisa… Não sabemos se procuravam a gente, ou foi apenas um assalto, mesmo que não tenham levado nada. Achamos melhor sair daquele local por segurança.

-E vieram para cá?- Questionou cruzando os braços.

-Você queria ajudar, então… - Retrucou Sam, abrindo uma das bolsas retirando um casaco comprido. - Não iremos ficar por muito tempo, só até resolver as coisas.

Tentei não dar muita atenção para ele, fingindo que nem o escutei.

-Sabem alguma coisa sobre quem atacou? - Perguntei. - Sabiam que eram vocês lá?

-Não estávamos lá quando invadiram, então não tiveram muita sorte se o alvo era realmente a gente. - Capitão parecia mais solto ao falar comigo, ou melhor dizendo, não parecia tão preocupado em relação a minha confiança neles. Acho que a bronca de ontem funcionou.

-Perguntei para um mendigo que mora ali no lado, a única coisa que ele disse foi ver um cara fumando próximo a porta. - Sam depois de inspecionar o casaco que acabará de pegar, o vestindo por cima da camiseta mostrando que não ficaria por muito tempo dentro de casa. - Ele também falou que não foi a primeira vez que ele viu o homem lá.

-Vocês já viram esse homem? - Perguntei, cada vez mais curiosa.

-Você faz muita pergunta… - Disse ele fazendo um sinal com os dedos, que estaria de olho em mim. - Não sei, passa muita gente por ali, ainda mais fumando. No máximo, só vi um cara todo bem arrumado, bonitão, fumando ao lado da antiga loja. Só um playbozinho que saiu do escritório para tomar um ar live. E você fique longe disto. - Ele pegou uma bolsa menor, colocando dentro do bolso. - Tô indo resolver umas coisas, depois volto cara.

Sam simplesmente se despediu do amigo com um tapa no ombro, e foi em direção a porta sumindo logo em seguida atrás dela, quase esquecendo da minha existência como dona da casa. Respirei fundo, tentando não ficar nervosa com aquilo.

-Ele vai avisar o Clint. - Explicou Capitão, quer dizer Steve. - Prometo que não vamos ficar por muito tempo aqui, se estiverem realmente atrás da gente, não podemos colocá-la em perigo.

-O que você acha sobre isso? Acha mesmo que estavam atrás de vocês? Um único homem bonitão que fuma, como disse o mendigo…

Ao dizer essas palavras em voz alta, fez com que meus pensamentos entrassem em ordem, como uma máquina começando a funcionar, ligando as coisas até então sem sentido algum. Capitão, falava ao meu lado sobre não acreditar muito sobre isso, já que aquele local antigamente era utilizado por bandidos e usuários de drogas, que era apenas um ex morador.

-Olivia? - Disse ele tentando chamar minha atenção. - Está tudo bem?

-Fique aqui, só preciso de um minuto. - Pedi para ele, já indo em direção ao quarto sem explicar nada.

Peguei as roupas jogadas sobre os móveis e a vesti rapidamente, sem importar que poderia estar parecendo uma doida. Só vesti uma calça jeans, colocando uma jaqueta jeans também sobre a blusa azul do pijama, voltando pra sala, encontrando o homem alto com um pedaço de bolo na mão, tentando explicar que achou ele sobre a mesa da cozinha.

-Não tem problema, pode comer o que quiser. - Respondi, pegando minha bolsa pendurada atrás do armário. - Vamos. - Disse puxando ele pelo braço, sem entender nada o que estava acontecendo.

-Onde vamos? - Questionou ele, descendo as escadas do apartamento, preocupado, pois não usava nenhuma roupa ou algo para se disfarçar, apenas usando uma camiseta branca comum. - É perigoso sair assim.

-Acredite em mim, neste horário não tem ninguém na rua. - E era verdade, num domingo de manhã as ruas movimentadas da grande cidade pareciam vazias, com seus moradores aproveitando o tempo para descansar.

-Olivia, pode me dizer o que está acontecendo? - Voltou a perguntar ele, só então percebendo que ainda o segurava pela mão, fazendo recuar rapidamente, parando de puxá-lo.

-Tenho um palpite sobre isso. Precisamos ir para a lanchonete confirmar umas coisas…

Capitão, ou Steve, sei lá, ainda era difícil chamá-lo pelo nome. Sua aparência indicava que não havia entendido nada do que eu disse, sendo que não expliquei muita coisa também, ele não questionou e apenas seguiu meus passos rápidos entre as ruas laterais perigosas, cortando caminho para a lanchonete NewSun, se ontem eles tivessem ao menos dado a oportunidade para explicar o que tinha acontecido sobre o incidente, antes deles ficarem me ameaçando, acredito que também ligariam.

Peguei a chave dentro da bolsa ao chegar na esquina, iriamos entrar pela entrada dos fundos, qual dava para o escritório e para as câmeras de segurança. Meu coração palpitava rápido, minha pele não sentia mais o frio que fazia de manhã entre os prédios grandes. Abri a porta com um empurrão, indicando para o loiro entrar.

-O que você está procurando?- Perguntou, olhando para os lados, já colocando aquela sua aparência séria no rosto, achando melhor explica para ele antes que terminasse de ficar nervoso.

-Lembra o que disse ontem? Sobre a SHILD está aqui atrás de um homem? - Ao falar isto, parece que havia apertado um botão de memórias ruins e desconfiança sobre mim no mesmo instante, fazendo com que ele ficasse me encarando com o olhar sério. - No momento que ele apareceu eu não estava aqui, segundo minha amiga a Milla, outra funcionária. A sua descrição sobre ele, foi que ele era “Bonitão e fumante”. Sam, disse quase a mesma coisa que ela em outras palavras… então.

-Então, você acha que são as mesmas pessoas. - Concluiu ele, abrindo a porta para o escritório.

Entrando logo em seguida fui diretamente para o computador, procurando as imagens de vigilância daquele dia, torcendo no fundo que os agentes não tenham apagado da memória. Enquanto procurava as coisas, levantei o olhar, observando Capitão olhando as coisas nas estantes e parede, parando em frente a um retrato dos funcionários em uma festa de halloween, quais aparecia eu lindamente fantasiada de “Loki” fazendo um sinal de V, ele apenas virou o rosto perguntando sobre aquilo de forma silenciosa.

-Eu prometo que explico depois. - Respondi, abrindo um largo sorriso nos lábios tentando segurar uma risada. - Mas no momento, achei a gravação.

Ele caminhou até mim, virando a tela do monitor para seu lado. Mesmo estando naquela confusão toda, também não havia tido oportunidade de ver as imagens sobre o que realmente aconteceu, apenas sabia do ocorrido pelas bocas dos outros.

-Espera, antes de começar… essa sala possui câmeras? - Perguntou ele preocupado.

-A resposta é não, por motivos pessoais a dona não colocou uma vigilância aqui… - Respondi, tentando afastar um pensamento estranho. - Por isso mesmo, trouxe você pela porta dos fundos. Fica calmo.

Ao apertar play no vídeo levando para o momento exato da briga. A descrição tanto do Sam quanto da Milla se batiam perfeitamente, o homem parecia um playboy executivo muito bem vestido, com uma roupa quase social, usando o cabelo para trás de modo impecável. Um dos clientes saiu do seu lugar, parecendo que iria ajudar o nosso segurança a conter o possível inumano, quando na verdade com um copo de vidro bateu com força contra a cabeça do outro, em seguida desmaiando ali mesmo. Capitão, retirou minha mão que ainda estava sobre o mouse, pegando ele e voltando alguns segundos do vídeo, para a cena onde mostrava Milla tentando se mexer com toda força que possuía, assim como outros clientes.

-Você consegue dar um zoom no cara? - Perguntou ele olhando para mim. - Ainda não me dou bem com essas máquinas.

Não era tão boa no computador assim como o ex-colega dele, porém sabia fazer algumas coisas simples. Consegui dar um zoom no rosto do homem, a imagem tinha ficado um tanto pixelada, porém ainda dava para ver os traços perfeitamente. Antes que pudesse apertar o botão, o mesmo já havia mandando uma cópia da foto para a impressora.

-Milla também comentou, que esta não foi a primeira vez que ele apareceu por aqui, porém nunca tinha entrado na lanchonete, que ele sempre ficava no lado de fora fumando. - Disse, arrumando as coisas para desligar o computador, tentando apagar o vestígio do histórico, só pro segurança inútil.

-Essa menina presta muito atenção nas coisas. - Comentou ele, com a folha na mão olhando fixamente para a foto.

-Ela só prestou atenção, pois achou ele bonito… o que tenho que concordar. -Disse, levantando os ombros. -Vamos, já terminei.

Capitão sempre um passo à frente já se mantinha em frente a porta, como um perfeito cavalheiro fez um gesto com a mão, para as damas primeiro. Agradeci silenciosamente seguindo para a saída.

-No final você está sendo útil. - Disse ele, soando como um agradecimento ou um elogio.

-Não tem de que. - Respondi. - Agora vamos, antes que apareça alguém por aqui…

Antes que terminasse de falar, uma movimentação logo a frente chamou minha atenção.

-Mas antes, me espere sentado... - Pedi, indicando para uma pequena praça no outro lado da rua. - Volto logo.

Poderia parecer meio bizarro, ao terminar apenas sai correndo em direção a uma bicicleta que passava. Era comum nesse horario, pessoas passando de bicicleta vendendo pães em casa em casa, era mais simples e fácil para algumas pessoas preguiçosas. Acenei com a mão para que ele esperar, virando o rosto para trás vendo o loiro ali parado ainda no mesmo lugar, então pedi para ele ir se sentar no parque.

Comprei dois pães italianos, voltando para o ponto de encontro, avistando o corpo largo sentado em um dos bancos virado para a rua. Ao me aproximar, apenas estiquei o braço oferecendo. A verdade, era que acordei muito cedo e estava morrendo de fome, acredito que ele também, pois não recusou apenas agradeceu com o olhar.

-Sabe, quando morava por aqui durante a guerra, esses carinhas de bicicleta já existiam. - Comentou, dando uma mordida no pão macio.

-Sente saudades daquela época? - Questionei.

-Um pouco, nos dias de hoje tudo é mais fácil, tem tudo pronto já em sua mão. Porém, sinto que mesmo naquela época sendo difícil, as pessoas eram mais próximas… Não consigo explicar direito. - Sua voz tinha um ar de melancolia, olhando para os edifícios antigos ao longe. - Tenho saudades.

- Sinto muito, Capitão. - Disse, levando o pão para boca percebendo que ele me encarava.

-Capitão não por favor, é Steve - Pediu ele novamente, bastante pensativo. - Aliás, pode explicar aquela foto?

-É complicado chamar você pelo nome, ainda não tenho esse costume… - Disse tentando parecer mais sincera possível. - Eu perdi uma aposta. - Parecia que aquela resposta não havia convencido ele, então comecei explicar a verdade. - Como sempre cresci escutando sobre as histórias nórdicas, naturalmente acabei tendo o Loki como personagem favorito. Aí teve aquele acidente em New York e tudo mais, mesmo sabendo que ele queria destruir tudo, foi emocionante saber que ele é real, portanto por causa disso acabei indo vestida dele.

Não sabia se ria ou ficava com medo da cara que o Capitão fazia ao escutar a história, era verdade poxa, mesmo que ele seja bastante maléfico, nas histórias Loki sempre foi legal, tá, sempre preferi os vilões nas histórias e filmes, mas isso não vem ao caso agora.

-Isso é bastante estranho. - Comentou ele por fim, terminando o seu pão. - No fundo, acho que esse seu lado sarcástico parece com o dele e não com o Tony. Sei lá. - Terminou levantando os ombros confuso.

-Fica sossegado, não sou má e muito menos quero dominar o mundo.


Notas Finais


Aaaaaaaaaaah, esse foi bem grandão! Acho que me empolguei. Realmente espero que tenham gostado, tentei já aproximar os dois. :3
E uma dica ou spoiler, sera que essa bonitão fumante é o possível vilão da historia?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...