História Innocent boy - Jeon Jungkook (ABO) - Capítulo 18


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Abo, Bangtan Boys (BTS), Jeon Jungkook, Jung Hoseok, Jungkook Bts, Kim Namjoon, Kim Seokjin, Kim Taehyung, Min Yoongi, Park Jimin, Personagens Originais, Romance
Visualizações 228
Palavras 2.962
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, Hentai, Lemon, LGBT, Literatura Feminina, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oieee, voltei baby's

Boa leitura!

Capítulo 18 - Brincando com fogo.



Verdade ou consequência. — Ming sorria maldosa. 

Eu nunca havia jogado esse jogo. Apesar de ver bastante em filmes americanos e perceber que nunca tinha um final feliz para todos, mas eu queria jogar. Saber sobre segredos dos meninos. Principalmente Park, ele pra mim era como uma incógnita, que eu precisava desvendar.

— Verdade ou consequência, sério isso? Você tem o que, sete anos? — Yoongi riu de escárnio. Mas apesar da provocação do Min, a ômega não se abalou.

— Ah, eu quero jogar. — Tae falou fazendo biquinho para Hoseok. O alfa se derreteu todo, e acabou apertando as bochechas do beta enquanto sorria para o mesmo.

— Eu também quero. — Hoseok falou sorrindo.

— Aish! Então vamos fazer uma votação. — Yoongi sugeriu, se levantando de sua poltrona. — Quem quer jogar, levanta a mão. 

Eu, Taehyung, Ming, Jackson, Hoseok levantamos a mão. Sobrando assim, Jungkook, Yoongi e Jimin de mãos abaixadas. Sorri vitoriosa para Yoongi que fechou a cara, ficando emburrado, logo após me mandou o dedo do meio enquanto mostrava sua língua. Maturidade é tudo né amores.

Fiz o mesmo gesto rindo de sua cara. As pessoas que estavam no sofá, agora se sentava no carpete de minha sala, formando um círculo apertado, afinal minha casa não era tão grande assim, quanto mais oito pessoas sentadas no chão entre o móvel que ficava na sala e o sofá.

Jackson antes de se sentar ao lado de Ming, pegou uma garrafa vazia de soju que estava ao lado do sofá. Jungkook continuava ao meu lado, estava quieto, talvez ainda com vergonha do ocorrido de alguns minutos atrás. Acho que vai demorar um pouco para ele se acostumar a beijar na frente de outras pessoas.

Cheguei bem perto de seu corpo e sussurrei em sua orelha, causando arrepios no ômega que até o momento não tinha notado minha aproximação repentina.

— Ficou calado de repente.

O ômega virou o rosto, fazendo com que ficassemos a centímetros de distância. Ele logo tratou de virar o rosto novamente para frente. Acabei por rir, era nítido seu constrangimento perto de mim, e como eu disse, eu amo isso.

— Err.. não tem muito o que falar né. — ele falou baixo.

— Kookie, olha pra mim. — ele virou o rosto lentamente — Sabia que eu senti muita saudade de você nesse mês?

Ele olhou para mim demonstrando seu sorriso de coelho aos poucos.

— Eu também senti saudades de você. 

Me aproximei do seu rosto e beijei sua bochecha avermelhada. Peguei sua mão que já estava próxima a minha e entrelacei nossos dedos. Sua mão cobria a minha e fazia um carinho com o polegar enquanto me olhava.

Acho que estou nas nuvens só por causa desse momento.

— Own... vocês são muito fofinhos. 

Ming falou me tirando a atenção do ômega ao meu lado. Ok, acho que agora quem estava constrangida era eu. Ri de nervoso, mas continuava a sentir uma carícia em minha mão, que só me fazia lembrar do motivo, ou o alguém, que me deixava constrangida desse jeito.

— Acho que vou vomitar arco-íris. — Yoongi falou fingindo sons de vomito.

Jimin bateu em seu braço, o que me fez rir da cena do casal. Talvez minha convivência mínima com o acinzentado tenha mudado um pouco minha visão de sua personalidade.

— Vamos começar logo! — Taehyung reclamou.

— Tá bom. Quem vai primeiro então? — Yoongi se pronunciou com um desanimo notável na voz.

— Eu, eu! — Ming pegou garrafa de vidro verde.

Colocou no centro da roda e girou o objeto com uma força razoável. A garrafa parava de girar aos poucos, e minha ansiedade para que não parasse em mim só aumentava. Até que a mesma parou, justamente na pessoa que eu queria.

— Verdade ou consequência, Park? 

Ele ficou em silêncio por poucos segundos, parecia pensar em algo. Até que finalmente se pronunciou.

— Verdade. — Falou em tom baixo, logo após dando uma respirada profunda.

— Hum... deixe-me ver. — Ming começou a olhar em um ponto fixo. — Já sei. Por que você e o Jungkook não se falam?

Isso! Era essa pergunta que eu queria fazer a ele. Olhei para Jimin, que se remexia em seu lugar inquieto e talvez um pouco incomodado com a pergunta da ômega. Jungkook também parecia desconfortável com a pergunta, assim como o outro ômega ele se remexeu no próprio lugar e depois ficou sério encarando o ômega de cabelos cinzas.

— Já começou assim? — Jimin deu uma risada de nervosismo. — Bom, a gente se conhece desde pequeno e... — Ele olhou para Jungkook, que retribuia o olhar. — E aconteceu coisas que nos afastou aos poucos. Foi isso.

Sua resposta evasiva me deixou ainda mais curiosa. Por qual motivo ele não deu uma resposta direta a Ming? Acho que esses dois escondem algo.

— Tá, mas o que foi essas coisas que separam a amizade de vocês? — Ming perguntou, mais curiosa que eu.

— Era apenas uma pergunta, e eu já respondi. — Park falou sério.

Olhei para Yoongi com uma confusão aparente em minha expressão, e o outro alfa se encontrava do mesmo modo. Dois ômegas omitindo algo e dois alfas confusos, poderia ser tema de algum filme ou seriado.

— Você é um chato sabia? Só porque eu queria saber... — Ming fez uma cara emburrada.

Jimin riu da cena um tanto infantil. Parecia uma criança mesmo quando não tem o que quer.

— Ok, eu giro a garrafa agora. — Park falou pegando a garrafa.

Todos olham para o objeto que rodava dentro do nosso círculo apertado. E novamente a garrafa parou.

— Verdade ou consequência, Jackson?

— Consequência. — Ele sorria confiante.

— Acho melhor não ficar tão animado assim, Jiminie pode ser bem malvado às vezes.— Yoongi falou.

— Eu não tenho medo do Park.

O sorriso na face de Jimin parecia cada vez maior. Ok, agora eu estou com medo por Jackson. Continua sendo o Jimin chato, que importunava nós antes de namorar o Yoongi, então não acredito 100% que toda a maldade de Park tenha sumido assim.

— Jackson, é um homem corajoso. — Ele riu de escárnio ao final da frase. — Sua consequência é... ir na casa ao lado e dar em cima do vizinho da ______.

— Ei! Ele não pode dar em cima de ninguém além de mim. — Ming falou.

— Calma, você vai gostar de ver isso. — Falei sorrindo para ômega, que agora me olhava confusa.

— Como eu vou gostar disso?

— Você vai ver.

Eu morava no fim do corredor, então só tinha uma opção para Jackson. Ele ainda se mantia confiante, não se deixou abalar pelo desafio do Park.

Todos se levantaram do carpete indo em direção a porta de minha casa. Jungkook se mantia ao meu lado, ele também parecia confuso pela minha cara de felicidade. Assim como Jimin, eu também mantia um sorriso maldoso no rosto.

— O que você sabe? — Ele sussurrou para mim.

— Você verá. — peguei em sua mão e andamos de mãos dadas até a porta. — Pegue seu celular e grave essa cena.

— Conhecendo você, acho que não vai ser algo legal para o Jackson. — Ele riu ao final da frase.

Jackson saiu do apartamento de cabeça erguida, logo andou em direção do apartamento ao lado. Enquanto o restante do grupo de espremia na porta do apartamento para ver Jackson cumprindo o desafio.

O alfa deu leves batidas na porta, ele nos olhou sorrindo. Tadinho, mal sabe o que lhe espera. Depois de poucos segundos ele bateu novamente na porta, mas agora a resposta não foi silêncio, e sim um grito.

— JÁ TÔ INDO MERDA, NÃO SABE ESPERAR NÃO? 

Tentei segurar o riso o máximo que podia, mas a cara de espanto que Jackson fez me impediu de não rir. Os outros também não estavam diferentes, todos nós riamos baixinho.

A porta foi aberta com brutalidade.

— O que é?! — A voz meio grave e um tanto alta chamou nossa atenção.

Minha vizinha, Dong Hee, a beta de quase sessenta anos mais bruta que já conheci, e olha que eu vivo à 195 anos. O que ela tinha de baixinha, ela tinha de raiva e brutalidade, acho que Yoongi tem potencial para virar uma senhora Dong Hee futuramente.

— Er... boa noite senhora. — Jackson falou em tom baixo.

Perto da beta amargurada, o alfa parecia uma criancinha sem saber o que dizer. Acho que ele não está mais tão confiante assim.

— Boa noite o caramba, eu tava assistindo minha novela das sete e você bateu na minha porta. O que você quer garoto? 

— Eu queria saber se... se... você não queria sair comigo mais tarde?

As risadas baixinhas continuava, enquanto o silêncio prevaleceu no corredor dos apartamentos. Ela parecia processar o que o alfa havia lhe dito, talvez indignação seria a palavra certa.

— Senho-

— ME RESPEITA MULEQUE, EU TENHO CARA DE VAGABUNDA PRA VOCÊ? SAI DA MINHA FRENTE. — Ela pegou a chinela que estava em seu pé e jogou no pobre alfa, que felizmente desviou. — ONDE JÁ SE VIU UMA POUCA VERGONHA DESSAS?

A beta tentou correr atrás do alfa, mas ele foi mais rápido e voltou quase voando para o meu apartamento. 

Ele empurrou todos nós que estavamos na porta do apartamento e entrou rapidamente em minha casa novamente. Fechamos a porta com medo da velha tentar entrar e brigar com ele alí mesmo.

Não demorou até que os risos ficassem altos. Até mesmo Ming que não tinha concordado com o desafio antes, agora ria do namorado que estava ofegante no meio da sala.

— EU NÃO ACREDITO. — Ming falou com dificuldades, afinal ela não conseguia parar de rir. — ELA JOGOU UMA CHINELA EM VOCÊ.

— E você acha que eu não sei? Ainda bem que eu desviei a tempo.

Nos sentamos no chão da sala novamente. Os ânimos havia acalmado um pouco, mas os meninos ainda zoavam com Jackson sobre o ocorrido no corredor.

— Eu disse que você iria gostar. — Falei para Ming.

— Você tinha razão.

— Como você sabia da senhora Dong, Jimin? — Perguntei para o mesmo.

— Quando eu vim deixar Yoongi aqui depois que ele voltou de Daegu, acabamos conhecendo a senhora Dong no elevador.

— Mano, essa foi genial. — Hoseok comentou rindo.

— Já chega né? Vamos continuar o jogo. — Jackson falou sério.

— Ui, mas você tá bravo? — Yoongi falou sorrindo, aumento mais a carranca do alfa.

Ele não respondeu a provocação, apenas rodou a garrafa. Eu olhava o objeto atentamente até sentir uma cabeça encostar em meu ombro.

Olhei para o lado e ví os fios negros de Jungkook. Sorri abobalhada por seu ato. Acho que não era apenas eu que estava com saudades.

— Verdade ou consequência, Jungkook?

Despertei do transe que entrei ao escutar a voz de Jackson. Assim como eu, o ômega ao meu lado parecia surpreso.

Ele desencostou sua cabeça de meu ombro, adotando uma postura ereta enquanto encarava o alfa a nossa frente. Comecei então a olhá-lo, ele parecia nervoso, provavelmente escolheria verdade, Jungkook não é tanto de se arriscar assim.

— Hã... consequência? — Ele me olhou, parecia pedir ajudar através do olhar, mas eu apenas dei de ombros sem saber como ajudar o ômega. — Consequência.

— Yes! Eu estava esperando que você escolhesse consequência.

Jackson olhou para Ming, eles mantiam olhares cúmplices, enquanto todos nós não estavamos entendendo nada. Eu tô com medo do que aqueles dois tramaram pra cima do ômega.

— Jungkook, sua consequência é... ficar no quarto trancado com a ______, e só podem sair de lá quando eu decidir. Mas tem um porém, enquanto vocês estiverem, a _____ vai ter que te deixar... como posso dizer? Excitado.

— QUÊ? — Falamos em uníssono.

— Você tá brincando né? — Jungkook falou.

— Não, eu não estou. Agora vão lá e divirtam-se. 

Eu e Jungkook nos olhamos indignados. É sério isso? Acho que a quase surra que Jackson levou a alguns minutos afetou o cérebro dele. 

— Vamos, se levantem.

— Eu não vo-

Ming me pegou pelos braços e me empurrou até meu quarto. Com Jungkook não foi diferente, o namorado da ômega fez o mesmo com ele. Acabamos sendo jogados dentro do quarto e logo após a porta se fechou.

— Não dá pra vocês trancarem a gente aqui, eu tenho a chave.

— Não, não tem. Eu tenho. — Ming falou do outro lado da porta. 

— Como assim?

— Yoongi me deu a chave mais cedo.

— Então vocês planejaram tudo isso?

— Sim. — Yoongi respondeu rindo.

— Seus traidores! 

Olhei para trás e Jungkook estava sentado em minha cama.

— Vocês merecem esse momento juntos. Agora para de reclamar e vai logo deixar o miniJeon acordado. 

— YOONGI!

— DE NADA.

Escutei passos se afastando. Acho que agora eles haviam saído. Como pode eles planejarem algo assim pelas minhas costas, de baixo do meu teto?

Me aproximei da cama, e me sentei ao lado do ômega. Ele olhava para baixo um pouco envergonhado, tão fofo, mas tão sexy as vezes. Existe ser humano mais perfeito?

— Desculpa. — Falei para o mesmo.

— Desculpa por quê?

— Não sei, talvez você esteja constrangido agora.

— Confesso que estou um pouco... mas, eu... eu...

— Você?...

— Eu queria aproveitar esse tempo com você.

Olhei para ele surpresa. O mesmo desviou o olhar rapidamente. Será que estou sonhando? Porque se for, eu não quero acordar agora.

— Como assim? Você tem que me explicar direito, minha mente pervertida é bem criativa.

Ele riu um pouco, novamente me olhando, só que algo havia mudado. Seu olhar penetrante me fitava por completo, caminhando pelo meu corpo. 

— Ah, você sabe do que eu estou falando.

— Não sei não, você poderia me explicar?

Falei com um tom inocente. Novamente ele riu, se aproximou aos poucos e deixou um breve selar em meus lábios.

— Sinto saudade dos seus beijos. 

Ele começou a distribuir selares pelo meu pescoço. Ergui um pouco minha cabeça para facilitar. 

— Eu também senti saudade.

Ele parou os selares em meu pescoço, ficando novamente com o rosto a minha frente. Me aproximei mais e mordi seu lábios inferior levemente, apenas para provocá-lo. Logo após beijei seus lábios com carinho, aproveitando a textura de sua boca contra a minha.

Até que finalmente pedi passagem para dar um beijo de verdade no ômega. Começamos então um ósculo lento e prazeroso para ambos. Senti então o gosto amargo do soju enquanto nos beijavamos. Então comecei a beija-lo mais rápido, tamanho nível de tesão que estava ficando apenas sentindo sua boca.

O beijo era excitante. Subi minhas mãos para sua nuca, puxando lentamente os fios que alí tinha deixando o ômega arrepiado. Ele não perdeu tempo e logo pegou em minha cintura, sua pegada era forte me deixando cada vez com mais desejo. 

Infelizmente a falta de ar veio e nos separamos respirando ofegante, com as testas coladas. Ele sorria e eu também.

— Uau, isso tudo foi saudade de mim? — Ele perguntou rindo.

— O que você acha?

Retribui o sorriso. Depois de um mês finalmente nos beijamos, e agora eu poderia ficar grudada com ele novamente, deixando o garoto envergonhado por causa de minhas provocações diárias.

— Eu acho que ainda não foi o suficiente. — Ele falou sorrindo. — Acho que está faltando algo.

— E o que seria?

— Você em cima de mim. 

Ele me puxou, agarrando meu tronco como se fosse um abraço e me colocou em seu colo como se eu fosse um saco de batatas. Olhei para o ômega surpreso.

— O senhor está muito abusado hoje, não acha?

— Você que me deixou assim, agora aguenta.

Ri com seu comentário e o puxei para outro beijo, que logo foi retribuido. Ele começou então a passar suas mãos pelas minhas coxas expostas pelo short que eu usava. Me arrepiei com o contato de suas mãos em minha pele febria. O quarto agora parecia pegar fogo.

Estava tão excitada que acabei rebolando em suas pernas na tentativa de aliviar a sensação gostosa que Jungkook estava me proporcionando apenas com um beijo.

Ele parou de retribuir, ficando ofegante.

Me puxou para mais perto, agora eu estava sentada perto de sua área de perigo. Tentei ao máximo não olhar para aquele lugar, mas Jungkook me puxava para mais perto.

— Fica aqui. — Ele me colocou sentada em cima de seu membro. — Anw... assim. Agora faz o que você fez na minha perna.

— Assim?

Comecei então a rebolar em movimentos circulares lentamente. Jungkook começou a gemer baixinho, rente a minha orelha enquanto eu movimentava devagar, nos torturando.

— Gosta assim?

— Anw... isso é bom.

Ri. Comecei a distribuir selares pelo seu pescoço branquinho, e então tive a idéia de marcar aquela área com um belo chupão que com certeza deixaria uma marca no dia seguinte.

— Como eu nunca... tinha sentido isso antes? 

— Talvez porque você nunca tenha se excitado antes. Você nunca se tocou, Kookie?

— Como assim se tocar?

— Se masturbar.

— N-não.

Enquanto rebolava em seu membro que estava ficando ereto aos poucos, sentia uma sensação de frio na barriga pelo atrito gostoso. Céus, como isso está bom.

— Meu membro d-dói. Ele nunca doeu antes assim. Como faço para isso parar?

— Você tem duas opções. A primeira é se masturbar e a outra é tomar um banho frio.

Parei com os movimentos em cima de seu membro. Agora eu olhava para seus olhos cheios de desejo. Tão intensos, acho que eu poderia ficar perdida na imensidão escura deles por horas e nem reclamaria.

— Qual você escolhe?




Notas Finais


Yoooo, voltei nesse sábado, quase onze horas da noite mas voltei kkkkkkkk

Eai minha baby's, como que seis tão? Já bebeu água hoje?

Atrasei novamente capítulo, eu sei, NÃO ME BATE kkkkkk 4 bimestre tá foda viu, nem tô com tempo de escrever direito, mas logo logo as férias de final de ano vai chegar e eu vou tentar postar o máximo possível, porque eu amo escrever essa fic, slar, às vezes ela é tão diferente que até eu fico curiosa pra saber do próximo capítulo kkkkkk

Enfim moças, bom dia e boa tarde pra quem ta acordando nesses horários. Boa noite pra quem ainda vai dormir e boa madrugada para os leitores da madrugada❤🌈

Obs: estou postando morrendo de sono, então me desculpe pelos erros ortográficos.
Até o próximo capítulo, tchaau<3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...