1. Spirit Fanfics >
  2. Inocente Híbrido - (Imagine Park Jimin) >
  3. O beijo da Rosé...

História Inocente Híbrido - (Imagine Park Jimin) - Capítulo 56


Escrita por:


Notas do Autor


Boa leitura 🌷
Desculpa os erros ortográficos.

Capítulo 56 - O beijo da Rosé...


Fanfic / Fanfiction Inocente Híbrido - (Imagine Park Jimin) - Capítulo 56 - O beijo da Rosé...

Dias depois...



Hwasa P-O-V


Após aquele encontro meu com I An, eu fiquei dias pensando se deveria mesmo queimar as lembranças com minha irmã. Sei que é pelo bem de todos, mas pra mim é muito difícil fazer isso. Com muita dor no coração, eu decido queimar tudo. 

Era a única coisa a se fazer agora. 

Faria isso pela manhã, quando a maioria estivesse dormindo, assim como meu filho. Não queria que ele me visse queimando as fotos, pois iria me fazer mil perguntas. Logo pela manhã, acordo e pego todas as fotos e desço sem fazer barulho para não acordar Chanyeol, ele tem sono leve. 

Com o isqueiro em mãos ascendo o mesmo e quando estava prestes a queimar tudo, meu celular toca. 

— Alô? — atendo o mesmo, nervosa por quase queimar as fotos. 

— Hwasa por favor venha até o hospital. O doutor Josh não está dando conta dos pacientes, e os outros enfermeiros estão sobrecarregados! — minha colega de trabalho diz rápido. 

— Tá bom Liz. Já estou indo. — ela murmura um "ok" e encerra a ligação. Afasto o celular da orelha e fito as fotos por alguns segundos.  — Parece que o destino não quer se desfazer de você. 

— Omma? O que a senhora está fazendo aí, com as fotos? E a essa hora da manhã? — viro para trás vendo meu filho parado coçando os olhos de sono. 

— E-Er... Nada, só estava recordando os momentos com sua tia. — Sorrio amarelo, escondendo o isqueiro. 

— Ok. Vou voltar a dormir. — assinto. Ele boceja e passo por ele escondendo o isqueiro por trás. 

— Por que está escondendo o isqueiro, omma? — merda ele viu! Pensa Hwasa, pensa! 

— B-Bem...

— Não me diga que ia queimar as fotos da tia Heizel? — fico em silêncio. — Por que a senhora ia fazer isso omma? 

— Chanyeol não é nada disso. Apenas vá dormir e deixe que eu guarde isso! — Gaguejo nervosa, o empurrando até às escadas depois voltando e pegando todas das fotos. 

— Calma omma, não precisa ficar assim e...— o corto.

— Só vá dormir Chanyeol. Omma te ama, tenha bons sonhos, estou indo trabalhar! — Tento desviar do assunto.

— Mas hoje é sábado. E a senhora não trabalha aos sábados. Omma o que está acontecendo? A senhora está estranha. Quer me contar? — aish, esse meu menino é muito esperto mesmo. Mas ele não pode desconfiar de nada. 

— Chanyeol depois conversamos tá?Tenho que arrumar para o trabalho. — Saio correndo até meu quarto. Adentro o mesmo e tomo um banho me arrumando, pego meu uniforme de enfermagem e coloco dentro da bolsa, dobrada. 

Pego um pacote de biscoitos e como para não trabalhar de estômago vazio. Me despeço de Chanyeol e saio de casa dando partida no meu carro. Quando chegar em casa tenho que dar um jeito de tirar Chanyeol de casa, pra queimar as fotos. 

Aish, se I An descobrir que não queimei as fotos ele é capaz de querer minha cabeça, e com razão. 



Rosé P-O-V


Nesses últimos dias appa se afastou de mim, nem faço ideia porquê, talvez até saiba mas minha mente está uma bagunça. Conversei ontem com Chanyeol pelo Kakao e nós ficamos de nos encontrarmos na biblioteca. 

Meu appa quase não ficava mais em casa, saía e não dava notícias, menos ainda avisava. Ele se afastou de mim, por um lado achei bom, mas por outro é ruim. Nunca ficamos assim, está sendo estranho para mim estar desta maneira comigo. 

Era cedo, muito cedo. Quase não dormi a noite, a mesma voz teimava em dizer coisas desconexas. Com isso, acabei por ficar acordada e só conseguir dormir por volta das quatro da manhã. Quando acordo estava sozinha, era oito e meia da manhã. Tomei meu café da manhã, me lavei e arrumei-me pronta para sair.

Mandei mensagem para Chanyeol que me responde. Oxi, que estranho! Ele não é de acordar cedo. Que seja, assim ele já esteja pronto. Saio de casa e no caminho sinto um aperto no coração. Como se algo importante para mim estivesse em risco. 

Ao chegar na casa toco a campainha.

Espero alguns segundos e a porta é aberta por meu primo, dando a visão do mesmo sem camisa com os cabelos pintados de loiro.

Sinto minhas bochechas queimarem e minha garganta ficar seca. Minha voz morreu, e meus olhos teimam em fitar seu corpo. 

— Oi Rosé, entre. Já estou quase pronto, só falta por a blusa. Me espere um pouco, uh? — concordo rapidamente,  dando um sorriso sem dentes, totalmente forçado. 


Se controla Rosé.

Respira, respira e não surta...

Ele só tá sem camisa, não é tão ruim!


Reformulando! É ruim sim!

Oh vontade de sentar nele, hmm... Passar as mãos nesse abdômen e bater uma pra ele! Quê?! Aigoo Rosé, deixe de ser pervertida! Sucega esse fogo!


Entro na casa e Chanyeol vai para o seu quarto buscar uma blusa. Sento no sofá e respiro fundo, tentando afastar os pensamentos maliciosos meus. Já sentia o tecido da minha calcinha molhar, o que não tava me ajudando muito. 


— Vamos? — saio do meu transe com Chanyeol na minha frente. 

— S-Sim! — gaguejo.


Saímos de casa e no caminho ficamos em silêncio, nenhum de nós falava nada. Eu até tentei mas a vergonha bate, e perto dele, só piora. 

Chegamos na biblioteca e subimos até o terceiro andar, o qual era mais vazio. Quase não tinha gente, fomos até uma mesa no fim do andar e sentamos na mesma.

— Rosé tenho que te contar uma coisa. — ele quebra o silêncio, com uma expressão séria.

— O que é Chany? Tia Hwasa disse algo? Conta logo! Não me deixe curiosa! — exclamo.

— Hoje pela manhã, minha omma estava com um isqueiro e as fotos da sua omma. Ela ia queimar as fotos. Até tentou me enganar mas não deu certo. — Contou.

Tia Hwasa queimar as fotos? Que estranho... Ela não faria isso assim do nada, são lembranças do passado, não há necessidade de queimá-las. Mas ela está metida em algo, há se tá.

— Tem certeza Chany? — o loiro assente, positivo. — Tia Hwasa tem um dedo nessa história, ela não ia fazer isso sem motivo.— Balbucio pensativa.

— Tem outra coisa também que quero te dizer.  — o fito, arqueando a sobrancelha curiosa. Olho para o mesmo dizendo para prosseguir.  — Eu gosto de você, tipo...muito. E preciso urgente te beijar!

Quando me dou conta, Chanyeol já está me agarrando, com uma mão em minha cintura e a outra em meu rosto. Levo as mãos para seus ombros tentando afastá-lo, pela surpresa. Não esperava por isso. Mas logo me entrego ao beijo, sentindo os lábios dele tocando os meus, num beijo calmo e apaixonado. 

Sua língua entra em minha cavidade e pede passagem, cedo e ambas se encontram em uma sintonia perfeita.  Estava nas nuvens, parecia um sonho. Um lindo sonho.

Porra! Eu tô beijando o Chanyeol!

Deus ouviu minhas presses!



Notas Finais


Até o próximo cap🌹


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...