História Insanidade - Capítulo 17


Escrita por:

Visualizações 1.920
Palavras 2.145
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Droubble, Famí­lia, Fantasia, Ficção Adolescente, Luta, Romance e Novela, Violência, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Incesto, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oin.

Hj só vou pedir que quando o flashback começar, coloquem a música "I think i'm In love-Kat Dahlia". A letra eu deixei traduzida, sem a original em inglês.

Capítulo 17 - Destruição part. 2


Fanfic / Fanfiction Insanidade - Capítulo 17 - Destruição part. 2

Camila não sabia o por que de estar segurando aquele pequeno papel retangular e o celular contra a orelha, depois de ter discado o número que naquele papel estava, ela simplesmente o fez enquanto caminhava a passos rápidos para cada vez mais longe de sua casa, entrando em quaisquer ruas para não ter o perigo de dar de cara com as gêmeas. Seu rosto vermelho e banhado por lágrimas, sua boca entreaberta e seus soluços sofridos, mostravam o quão destruída ela estava.

-Alô?- a voz máscula e rouca do outro lado atendeu e Camila fechou seus olhos com força, tentando entender o que merda estava fazendo ligando para um desconhecido qualquer.

-Alô... Gustav?-A latina perguntou hesitante, tentando controlar melhor sua voz rouca pelo choro desenfreado.

-Ele mesmo.-O rapaz respondeu com o cenho franzido, se rencostando em sua cadeira de couro.

-Oi... E-eu...-fungou, se praguejando por ter ligado para o loiro.-Me desculpa, não sei porque te liguei.

Gustav arregalou os olhos em reconhecimento e abriu um sorriso, que logo sumiu ao escutar um fungado do outro lado da linha.

-Camila? Você está bem?!-Perguntou, se levantando ao ver sua secretária na porta do seu escritório, com algumas folhas em mãos. O loiro pegou da mão da senhora e agradeceu sem som, vendo ela sair novamente.

-Como você...-Camila ia continuar, mas uma bicicleta passando a toda velocidade na sua frente a fez parar de andar e falar, seus olhos arregalados de susto. Ela tinha que parar de andar sem rumo ou ia acabar sendo atropelada- e-eu... não. Eu não estou nada bem. Mas me desculpe por essa ligação, eu nem te conheço e já sai ligando do nada.

-Não. Está tudo bem, gostei que tenha ligado. Lhe entreguei o cartão para isso.-O rapaz respondeu rapidamente, se encostando em sua mesa e olhando para os sapatos.-O que acha de nos encontramos para conversar?

Camila se encostou em um muro e abaixou a cabeça, essa que estava embaralhada, tentando raciocinar direito. Ela na verdade queria gritar o mais alto que podia para tirar aquela angústia e dor do peito. A garota estava ofegante e um pouco avoada, olhando para todos os cantos da calçada, perdida, desolada.

-Eu não sei... nós... eu... eu nem te conheço direito, Gustav!

-Podemos mudar isso se você aceitar. Eu vejo que você não está nada bem e só quero ajudar.

-Eu...

-Podemos nos encontrar em um lugar público se quiser.-O loiro interrompeu rapidamente, com medo dela negar novamente- me diga onde você está e eu vejo um lugar perto em que possamos nos sentar e conversar.

Camila mordeu com força seu lábio inferior e quando levantou a cabeça teve a impressão de ter visto o carro de Lauren e isso a desesperou. Ela não queria surtar ou algo do tipo só de ver as gêmeas e lembrar do que havia acontecido, mesmo isso passando em lupe em sua cabeça a todo instante.

-Aceito.-Disse rapidamente, voltando a caminhar. Ela disse o nome de uma praça perto dali e se despediu do rapaz. Ao chegar na pequena praça, se sentou em um dos bancos de madeira e ficou ali, quieta, chorando, tentando apagar a cena de suas... provavelmente agora ex namoradas, na cama com sua própria irmã gêmea. Ela sentia cada fibra do seu corpo reclamar, ela já sentia o gosto amargo do fim, da dor dilacerante que talvez vá doer por toda sua vida e principalmente da perda.

O interessante é que ninguém está preparado para a perda. Ela causa acidez no peito e angústia no coração. Ela machuca partes do corpo que a gente nem conhecia! A perda é a maior dor do ser humano. Acontece que no amor a situação é a mesma. Ninguém está a salvo. 

Todo o mundo passa o tempo à deriva, porque num momento tudo está perfeito, noutro momento tudo pode terminar. E essa dor, a da perda de um amor, ela muda a pessoa, ela transforma a vida de qualquer um. Na verdade, em tudo na vida, o tempo ajuda e novos horizontes acabam surgindo em nosso pensamento.

Mas o tempo é o mais filho da puta que existe.

-Camila?

Uma voz suave tirou a garota de sua própria escuridão interna e quando olhou para cima encontrou cabelos loiros, um sorriso acolhedor e olhos carinhosos. E ela, sem ainda saber, estava de frente para a pessoa que seria seu anjo da guarda.

(...)

Camila parou em frente ao enorme edifício e olhou para cima, soltando um suspiro pesado assim que leu o nome do hotel. Ela estava mais calma depois da longa conversa que teve horas mais cedo e agora estava ali, parada, olhando para a fachada do hotel onde seu pai estava hospedado. Ela tinha tomado uma difícil decisão e precisava resolver as coisas o mais rápido possível. Não tinha tempo o suficiente.

Respirando fundo ela deu seu primeiro passo: o passo que daria início para seu futuro incerto e temido. Um futuro sem Lauren e Michelle Jauregui. Suas estrelas.

/////////////////////

Flashback on

Camila fechou seus olhos por conta de outra onda de risadas gostosas ao seu redor, os sons lembravam muito bebês e ela sentia seu coração palpitar toda vez que os escutava e/ou os via. Ela olhou para seu lado direito e encontrou o perfil firme e marcado de Lauren, que tinha um largo sorriso no rosto e seus olhos direcionados para o céu, olhos esses que estavam pequeninos por seu sorriso chegar até eles. Ela então olhou para seu lado esquerdo e encontrou lindos olhos azuis em sua direção, no rosto pálido e de bochechas rosadas, encontrou um sorriso terno e carinhoso. Ela acabou por sorrir junto.

Tão linda. Pensou a latina, seus olhos vagando por cada traço que desenhava aquele belo rosto.

-Olhem, olhem!-A voz animada de Lauren as chamou a atenção, fazendo as duas olharem para o céu azul- aquela nuvem ali se parece com uma bunda.

-Lauren!-Chelle gritou rindo, sendo acompanhada por Camila.

As três irmãs naquela tarde, estavam deitadas no vasto campo de lavanda, depois de tanto correrem por aquele lugar, elas se jogaram lado a lado no chão e ficaram procurando formas nas nuvens, enquanto recuperavam suas respirações.

(O tempo foi passando, corações estão correndo

Acho que o cupido está tramando algo

Você me perguntou como eu me sinto, eu não disse nada

Mas ultimamente a cor parece tão brilhante

E as estrelas iluminam a noite

Meus pés se sentem tão leve

Eu estou ignorando todos os sinais)

As irmãs estavam em uma fase interessante, intrigante e cheia de descobertas. A duas semanas atrás foi o aniversário de 16 anos da latina e, a primeira vez que beijou suas irmãs gêmeas. Depois daquele dia tudo estava tão... novo e excitante, elas se olhavam agora de um jeito diferente, mas um diferente bom, porém nada parecido com olhares que simples irmãs trocavam. Elas eram amantes procurando a felicidade de um relacionamento impossível. Ou não tão impossível assim.

(Eu continuo em frente, sim eu continuo blefando

Eu continuo imaginando

Mantenho você caçando pelo meu amor

Mas eu anseio por nós nos abraçando

Sim eu fico faminta

Porque eu não posso admitir que você tem todas as cordas

E sabe como dar um puxão nelas)

-E aquela parece uma bela rosa...-Lauren murmurou depois de um tempo em silêncio. Michelle e Camila procuraram a nuvem parecida com uma flor e não acharam nada.

-Onde Lolo?-Mich perguntou com o cenho franzido e olhou para sua irmã gêmea, a encontrando olhando diretamente para o perfil de Camila que até agora estava procurando a nuvem. A de olhos azuis sorriu ao perceber que Lauren não estava falando de uma nuvem e sim de Camila.

-Oh... Achei. Mas acho que ela parece mais com um dragãozinho, Laur.-Brincou com um sorriso terno, olhando para a irmã mais nova também.-Um lindo dragãozinho.

-Onde está essa bendita nuvem, meu Deus?!-Camila perguntou e olhou para Lauren, se assustando quando encontrou os olhos verdes em cima de si, logo depois se virou pra Michelle que também a fitava.-O... o q-que foi?- perguntou um pouco sem jeito com os olhares intensos.

(Eu acho que estou apaixonada de novo

(Na minha cabeça, sim, você está na minha cabeça)

Eu acho que estou apaixonada de novo

(Na minha cabeça, sim, você está na minha cabeça)

Eu não achei que seria verdade

Sem falar que seria você

Eu acho que estou apaixonada de novo

(Eu estou apaixonada, estou apaixonada, estou apaixonada)

Meu coração está no ritmo, estou confusa, estou tonta)

-Você é nossa dragãozinho cor de rosa.-Chelle sussurrou com um sorriso lindo de canto.

-Ou...-Lauren começou, ganhando a atenção das duas.-Nossa rosa em formato de dragão.

Camila riu e negou com a cabeça.

-Vocês possuem uma imaginação tão fértil...-Murmurou um pouco sem jeito a menor, seu rosto em um leve tom cor de rosa.-E por que estão me chamando de dragão? Eu sou tão feia assim?- fez um biquinho, cruzando seus braços e olhando para o céu novamente.

Michelle e Lauren riram.

(Eu vi algo algo em você que eu nunca vi, me deixou tremendo

Eu devo estar alucinando

Eu ouço que acontece, eu só estou dizendo

Querido, eu só estou dizendo

Alguém me dê um pouco de papel

Alguém me dê algum giz de cera

Estou me sentindo como uma criança, eu preciso de algo para rezar diante

Estou me esforçando para confiar em você quando você diz: Me dê a mão

Baby, eu estou caindo, eu espero que você me pegue quando eu aterrissar)

-Você sabia que unicórnios não podem se apaixonar por dragões?-Mich perguntou baixinho.

-Dragões são criaturas fortes, temidas, grandes e sem piedade alguma.-Lauren disse no mesmo tom que a gêmea.

-E vocês estão me comparando com esse ser horrível?!-Camila perguntou espantada e as duas riram da carinha que ela fez, que ainda não olhou para elas.

-Unicórnios são criaturas frágeis, de uma beleza única, corajosos e cheios de amor para dar.-Michelle continuou sem se importar com a indignação da mais nova.

-Mas também muito ingênuos- Lauren acrescentou, procurando a mão da irmã mais nova e entrelaçando seus dedos.-Mesmo sabendo que dragões não são flores que se cheire, eles se apaixonam por eles.

(Eu acho que estou apaixonada de novo

(Na minha cabeça, sim, você está na minha cabeça)

Eu acho que estou apaixonada de novo

(Na minha cabeça, sim, você está na minha cabeça)

Eu não achei que seria verdade

Sem falar que seria você

Eu acho que estou apaixonada de novo

(Eu estou apaixonada, estou apaixonada, estou apaixonada.)

-Oh, pobre unicórnios. Eles sabem que é proibido amar algo tão perigoso. Eles sabem que uma hora tudo vai desmoronar e eles irão acabar na pior, talvez até mortos.-Mich suspirou e Camila olhou pra ela curiosa, procurando sua mão e as entrelaçando assim como fazia com Lauren.

-Mas eles são corajosos...-Lauren continuou, olhando para o céu que começava a ganhar uma coloração alaranjada, comunicando que o dia estava quase chegando ao fim.-Não temem o perigo que esse amor pode acarretar, não temem a possível destruição do seus seres. Eles somente... querem amar quem eles querem, sendo algo insano ou não.

-Pois a verdade é que... Amar é o que importa.-Michelle disse por fim, um suspiro saindo por entre seus lábios. Camila intercalou seu olhar entre as duas, tentando entender tudo aquilo.

(Em meus sonhos você é o príncipe e eu a princesa

E suas respostas são sempre soltas então eu estou no comando

E nós ficando tão chapados que sempre ficamos com fome

E vamos de cafés da manhã que se transformam em almoços tardios

E nós não temos rótulos, nós somos de ficar rolando com os socos

Eu tiro sarro da sua barriga e digo-lhe para fazer algumas flexões

E você diz: Sim, bem, sua bunda engana, vá dar umas investidas

Eu digo: Vai se fuder enquanto estou pensando em você como meu marido

Eu acho que eu estou apaixonada)

-Vocês não estão chapadas, estão?-Camila perguntou, arrancando uma risadinha de Lauren.

-Não, Camz.-A de olhos verdes se virou de lado, ficando de frente para a latina e Michelle seguiu a irmã, fazendo a mesma coisa do outro lado.

-O que queremos dizer é que nós somos os unicórnios e você o dragão, simbolicamente falando.-Chelle sussurrou, acariciando o braço da menor com as pontas dos dedos da mão livre.

-Amar você é perigoso, insano e mortal. É proibido, mas nós somos corajosas demais para não o fazer, nós não tememos o futuro, se no final, a gente simplesmente, somente... amar.

Camila ao entender a razão daquilo tudo, sentiu seus olhos marejarem e seu corpo se aquecer em uma sensação gostosa.

(Eu acho que estou apaixonada de novo

(Na minha cabeça, sim, você está na minha cabeça)

Eu acho que estou apaixonada de novo

(Na minha cabeça, sim, você está na minha cabeça)

Eu não achei que seria verdade

Sem falar que seria você

Eu acho que estou apaixonada de novo

(Eu estou apaixonada, estou apaixonada, estou apaixonada.)

-Na verdade... Pra mim, vocês são minhas estrelas.-A latina murmurou, seu coração acelerado. As gêmeas a encararam curiosa e ela sorriu triste.-E eu o sol.

-O quer dizer, Camz?-Laur perguntou em um sussurro rouco.

-O sol somente aparece de dia, assim como as estrelas, que somente aparecem de noite, os dois estão lá, no mesmo lugar, porém a milhares de distância, e mesmo que gostem de admirar uns aos outros, eles não podem se amar, não quando eles nasceram do mesmo jeito, porém com funções diferentes.

Flashback off

////////////////



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...