História INSANITY Below ZERO (YOONSEOK-SOPE) - Capítulo 10


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga)
Tags Asylum, Bangtan Boys, Bts, Distúrbios Mentais, Drama, Gay, Insanidade, Longfic, Manicómio, Psicopata, Psycho, Sope, Tragedia, Yaoi, Yoonseok
Visualizações 334
Palavras 1.744
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Bishoujo, Bishounen, Drama (Tragédia), Droubble, Ecchi, Fantasia, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Fluffy, Harem, Hentai, Lemon, LGBT, Luta, Mistério, Misticismo, Orange, Policial, Romance e Novela, Sci-Fi, Seinen, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shounen, Slash, Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Self Inserction, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


TO AQUIIIII

PSSOONNNNNNNNNN

🌸Boa Leitura🌸

Capítulo 10 - - 10 -


Fanfic / Fanfiction INSANITY Below ZERO (YOONSEOK-SOPE) - Capítulo 10 - - 10 -

Hoje, diferentemente dos demais dias, Hoseok tinha em suas mãos, uma bandeja com café da manhã, ao invés de uma cestinha cheias de comprimidos.


Ao terminar sua refeição matinal, algo em Hoseok o induziu a preparar uma consoada para Yoongi. Tratou de construir uma bandeja farta, com frutas, bebibas e pãezinhos que buscou no  refeitório, livrando-se de dar explicações para quem quer que seja, sobre o ato de estar levando comida do refeitório para fora do cenáculo.


Adentrou o elevador e ao chegar no 5° andar - mas propriamente, na porta de seu débil - estampaou em sua face, um sorriso sorrateiro - que logicamente, era assim como Yoongi encararia aquela expressão, diferente da severidade de seu doutor todos os dias - e entrou no quarto, lhe desejando "Bom Dia."


Hoseok fechou a porta e franziu a testa - complementando sua reação levemente surpresa, com um sorriso com exceção de dentes - ao avistar a imagem de Min Yoongi adormecido em sua cama, com a coberta no chão e lençóis amarrotados sob o rapaz, com a boca entreaberta e expressão tranquila.


Pousou a bandeja de alimentos em cima do banquinho que sempre ficava rente à cama de Yoongi.

O Doutor Jung permitiu-se admirar por um breve segundo, a silhueta letarga. Parecia tão plácido naquela situação, que Hoseok até esqueceu-se da conjuntura bizarra do dia anterior.


Saindo de suas utopias, estava posto em frente a cama de Yoongi. Apoiou suas mãos em seus joelhos e inclinou-se para baixo, fazendo menção de acordá-lo, quando, subitamente, este abriu os olhos em um arregalo, fincando as orbes de cor avelã diretamente, no rosto de Hoseok, que conteve um sobressalto de espanto.


Observador, Doutor Jung? — a voz grave em nível solene soou ainda mais arrepiante — Sei que minha aparência deixam todos estupefatos mas... — este passou a se erguer, calmamente, enquanto falava, continuando com sua visão em Hoseok — Devia me preocupar com essa admiração toda? Vinda de você? — perguntou e Hoseok riu soprado, negando com a cabeça, em uma resposta óbvia.


— Por favor, meu caro Yoongi. Coisas como "olhar" não podem ferir ninguém, não há nada para se preocupar. — Hoseok ficou ereto novamente e dirigiu-se até a bandeja em cima do pequeno banco, apanhando os alimentos e os mostrando para Yoongi, que pareceu suspreso com o "agrado" — Por que não experimenta ingerir proteínas e vitaminas de verdade, ao invés de genéricos? — segurou a travessa na direção das mãos de Yoongi, que encarou a comida com uma expressão de incredulidade. Direcionou o olhar a Hoseok novamente — Algum problema? Pegue! Não sabe o que é isso que estou lhe oferecendo? Tem medo de eu ter posto veneno ou alguma substân---...


A risada afrontosa pairou no ar, interrompendo a fala do doutor, que suspirou, criando paciência — Medo? De você? — garagalhou, zombando indiscretamente — Doutor, eu não tenho medo de nada. Pra ser mais sincero, eu faço meus medos terem medo de mim.


Hoseok bufou, farto —Então por quê não come? — perguntou — A quanto tempo não se alimenta corretamente, Min Yoongi?


— Não sei... Uns dias... — pareceu indiferente à suposta "preocupação" do doutor — Por que se importa?


— Não me importo, realmente.— mentiu — Apenas imaginei que seu intestino já possa estar tramando uma revolução contra seu corpo, não?


— Tem razão. Estou faminto. — Yoongi tomou a bandeja em suas mãos — Agradeço a hospitalidade, Doutor Jung. O que espera conseguir em troca? — a bipolaridade fêz-se presente.


— Não trabalho com troca de favores, meu caro. — Hoseok sentou na cadeira e observou - satisfeito - Yoongi comer — Todos precisam comer para sobreviver.


Yoongi nada disse, apenas centrado em devoravar os alimentos.


— Bem... Mas confesso que precisamos ter uma conversinha ..


Yoongi riu para o psiquiatra, enquanto mastigava — Sobre o quê exatamente gostaria de falar comigo?


— Primeiro: — Hoseok entrelaçou os dedos e os pousou sobre seu queixo, cruzando suas pernas, como sempre fazia em momentos de reflexão — Duvido que lembre do que aconteceu ontem com nós dois, certo?


Nada mudou em sua expressão. Pareceu não se importar se o que Hoseok falara poderia ser, ou não, algo grave — O quê? Tivemos uma noite de prazer imensurável?


— O quê?! — Hoseok gargalhou, neutralizando o constrangimento — Vamos, Yoongi, tente se lembrar.


Com a boca cheia de frutas, olhava tediosamente, inexpressivo, para Hoseok — Ele fez algo impulsivo? Me conte, Doutor. Não me recordo de nada. — parecia falar a verdade — Ele causou problemas novamente enquanto eu estive fora?


— Para ser sincero, não sei bem se foi de fato, Ele, quem causou todo esse rebuliço, mas... Ele se "revelou" pra mim, ontem.


— Deve ser por isso que dormi tão agradavelmente e só despertei agora. — disse — Foi prejudicado em em algum aspecto, Doutor?


Hoseok lembrara da voz áspera e tom amedrontador de Yoongi naquele dia, e de suas mãos em um contato grotesco com a região sensível de suas pernas.


Abanou a cabeça - livrando-se das lembranças malfeitoras e sorriu de leve, transmitindo uma - falsa - despreocupação — Ah, não, a mim não. Mas tenho minhas suspeitas a respeito de um internado.


— Nome?


Kyun JoonJin. — respondeu, de imediato, observando com cuidado a reação de Yoongi ao escutar o nome.


— Oh — fitou um ponto fixo no ar — És me familiar... Não sei ao certo. O que aconteceu com ele?


Morte; causada por uma enterrada de um manchado na lateral da cabeça; Um único golpe, certeiro. — Yoongi ergueu uma sombracelha, parecendo realmente interessado no que escutava, calado — Foi encontrado já nas últimas. Morreu 8 minutos depois do atentado. Impressionante como aguentou isso tudo, não acha? — perguntou, retoricamente.


Interessante. — o semblante tranquilo e espertalhão era o que mais se favorevia no rosto pálido do rapaz. Não parecia nem um pouco afetado, porém, demonstrava não ter nenhum conhecimento antecipado.


Hoseok ignorou o "comentário" e partiu para o que mais interessava: — Min Yoongi, eu tive a honra de presenciar seus últimos momentos e confesso que foi deveras... perturbador.


— Claro. — concordou(?) — Você pode ser um médico e com doutorado grifado em seu estupendo currículo, mas reconheço que não são todos que simpatizam com cenas mortais e sangue em abundância. — Hoseok perguntou-se mentalmente, aonde Yoongi queria chegar — Digo, com um ferimento de extrema fatalidade como esse, é de se esperar que haja bastante sangue, não?


— Por que não me deixa concluir minha fala, huh? O que acha?


Yoongi rolou os olhos, impacientemente, e colocou a travessa vazia ao seu lado, na cama— Vá direto ao ponto então.


— Não tenho problema algum com sangue ou cenas sensíveis. Sou um profissional nato. — esclareceu ao rapaz, que balbuciou um "Uau" carregado de sarcásmo — O que realmente queria ressaltar, era que em seu leito de morte, suas últimas palavras repugnavam alguém e enfatizava o desespero. — Yoongi fez um bico, curioso — Ele implorava, parecia mais uma súplica agonizante


— Algo como "O demônio realmente existe e está nesse lugar" e "Se fez isso comigo, não pensem que irão escapar" ou algo assim?


Hoseok estranhou tamaha sensatez e exatidão de uma suposta simpes "hipótese".


Sensacional!, pensou Hoseok.


Inacreditável, Senhor Yoongi. — bateu duas palmas, em forma de reconhecimento pelo jovem cadavérico — É exatamente o que presenciei lá. Incrível! Foi como se estivesse lá naquele momento e visto com seus próprios olhos tudo o que eu vi e escutado tudo o que ouvimos, por si mesmo.


— É o que todos falam em situações como essa. Não se precipite em criar conclusões desconexas. — continuou com sua presença tranquila e criptografada.


"Impenetrável", era como Hoseok começara a julgar ser a mente de Yoongi e suas emoções.

Era extremamente difícil saber ou simplesmente, avaliar e forçar-se a interpretar, o que realmente, ocorria dentro daquela cabeça de dono genioso.


— Não estou, pode apostar. — tranquilizou-o — Sei lidar, não posso determinar nada sem pesquisas, e é justamente por isso que solicitei esta conversa. De forma pacífica.


— Pois permita-me dizer o que eu acho, que entendi disso tudo até agora: — ele se sentou corretamente e apoiou seus cotovelos em seus joelhos, encarando o doutor Jung de perto — Veio até aqui para me avaliar e tentar colecionar detalhes de minhas reações e, opiniões, a respeito dessa notícia para depois, em um momento de silêncio e concentração, raciocinar e ligar fatos, concluindo por fim, que eu; Min Yoongi; 666; o Lúcifer desprovido de escrúpulos e sentimentos; o lunático maníaco colecionador de almas e a porra de um psicopata insano, foi, de fato, a única causa da morte de um paciente!


Yoongi praticamente expulsou todas àquelas palavras rapidamente, e ao terminar, ofegava e respirava fundo, em tentativas de acalmar a si mesmo.


No fim, Hoseok perdeu sua habilidade de fala por um breve instante, tentando digerir a geniosidade precisa e absolutamente, extravagante, de Yoongi.


— Ah — Yoongi voltou a pronunciar-se — E vale ressaltar que, assim como todas as pessoas que andam sobre o chão desse lugar caótico, este paciente estava internado aqui por causas nítidas. Sua saúde mental não estava em perfeitas condições e ele mesmo poderia ter tentado suicídio, em um momento de crise.


— Mas não. — Hoseok balbuciou qualquer coisa — Insistem em atormentar o pobre internado do 5° andar.


Exato. — Yoongi bufou e jogou-se de costas na cama, colocando o braço por cima dos olhos — Mas eu não os julgo, de todo modo.


— Na sua ficha deveria está grifado o transtorno "Bipolaridade Avançada" bem nitidamente, não concorda?


— Hoseok — chamou-o. Pela primeira vez, Yoongi dirigiu-se informalmente ao doutor. Hoseok pareceu não se importar — Você acreditaria em mim?


"Como?!", pensou Hoseok.


— É uma pergunta difícil...


— Seja direto.


Depende. Sempre sou meticuloso com tudo e todos, acho que---...


Não fui eu quem fiz àquilo. — Yoongi o atravessou, o olhando com àquele olhar cintilante e penetrante. Hoseok engoliu em seco, hipnotizado no emaranhado de sensações que àquele olhar melancólico em especial, o proporcionava. Em um movimento inesperado, Yoongi levou sua mão até as de Hoseok - que suportavam o peso de seu rosto-  e puxou-a, acalentando-a, em cima da cama. Seu toque era macio e instigante. Hoseok apenas observou tudo e não expressou nenhuma reação — Ele não é um assassino. Ainda não.


Notas Finais


HWHEHEHEHEHHEH CABÔ.

ATE O DO PRÓXIMO 💪🌚💜


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...