História Insecurities - Capítulo 16


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Drama, Naruto, Sasusaku, Tragedia
Visualizações 573
Palavras 2.037
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olha eu aqui de novo!!
Como sempre, quero agradecer a cada favorito e comentário <3 <3
Infelizmente, eu não prometo voltar tão rápido agora, pois minhas férias acabaram e agora vou ficar um pouco enrolada. Mas a atualização é certa.

Espero que gostem!!

Capítulo 16 - Capítulo Quinze


Capítulo 15

 

Sakura sentia a água gelada na altura dos joelhos. Sabia que se desse mais alguns passos, seria levada. Já era perigoso ficar ali, mas não conseguia mover seu corpo. Era como se uma paralisia tivesse tomado conta de si a fazendo perder o controle de seus movimentos. Lágrimas pesadas escorriam por sua face enquanto olhava para o horizonte acinzentado. Seus cabelos eram castigados pelo vento, que trazia junto consigo a maresia e fazia um barulho quase ensurdecedor. Sentia também uma chuva fraca que salpicava seu rosto com pequenas gotas de água.

Ela não conseguia dar um passo para frente ou para trás. Quando chegou naquele estágio, o medo havia dominado sua mente. Ao mesmo tempo que não tinha coragem o suficiente para seguir adiante, não tinha força de vontade o suficiente para voltar atrás. No fundo ela sempre soube que não iria conseguir.

Sakura havia perdido a conta de quanto tempo estava ali, mas sua atenção foi roubada quando ouviu alguém falando alguma coisa atrás de si. Ela virou a cabeça e viu um casal desconhecido vindo em sua direção. O homem tinha cabelos grisalhos e aparentava ter por volta de quarenta anos, enquanto a mulher tinha longos cabelos avermelhados e parecia ser um pouco mais jovem do que o homem.

— Ei, mocinha! — Disse o homem. — Não pode ficar aí. É perigoso. — Ele falava enquanto se aproximava ao lado da mulher.

Os dois estranharam a falta de resposta de Sakura, mas logo perceberam o que estava para acontecer ali quando viram o rosto dela manchado pelas lágrimas e o nariz vermelho e inchado.

— Olá! — A mulher começou a dizer docemente. — Eu me chamo Mei e esse é meu esposo Kakashi. — Ela apresentou os dois. — Qual o seu nome?

— Sakura. — A Haruno respondeu um pouco desconfiada com a gentileza dos estranhos.

— Certo, Sakura. — Kakashi começou a dizer. — Está um dia bastante frio hoje. Não acha melhor voltar para a areia? — Ele perguntou e Sakura passou um tempo pensando o que responderia, mas sua mente não conseguia formular nada. A indecisão a consumia.

Notando a inércia da jovem, Kakashi resolveu agir e caminhou em direção ao mar, mas parou assim que Sakura deu mais alguns passos para trás.

— Não se aproxime! — Ela gritou e Kakashi parou de andar.

— Tudo bem! Tudo bem! — Ele falou tentando acalmá-la. — Eu sei que somos estranhos, mas queremos ajuda-la. Sempre há um jeito. — O homem falou andando mais devagar e fazendo um sinal de calma com as mãos erguidas. — A dor faz parte do que é ser um humano, mas ela sempre passa.

Sakura sentiu o peso das palavras dele. Ela tinha saído de casa com tanta certeza, mas agora diante da situação sentia uma dúvida terrível.

— Tenho certeza que têm pessoas preocupadas com você nesse momento. — Ele continuou. — Pessoas que estão esperando você voltar. Vamos, me dê a sua mão. — Pediu.

A Haruno hesitou por um momento, mas no final acabou cedendo e se deixou ser guiada de volta para a areia. Ao pisar na praia novamente, sentiu suas pernas fraquejarem e acabou desabando no chão. Mas logo foi amparada pelo casal, que a ajudaram a se sentar e ficaram ali tentando acalmá-la.

 

-------- X --------

 

Sasuke mal conseguia prestar atenção na estrada, seus pensamentos estavam a mil. Não podia sequer imaginar a hipótese de algo ruim acontecer à Sakura. Precisava acha-la a tempo.

Ele ficava ainda mais preocupado, pois já tinha rodado quase a cidade toda e nada de Sakura. E para piorar, o dia já estava acabando e logo iria começar a escurecer. Ainda não tinha recebido ligação de nenhum dos outros. Ele e Itachi foram para direções opostas, Fugaku e Kizashi fizeram o mesmo. A mãe de Sakura havia entrado em desespero quando soube da notícia, por isso acabou ficando em casa junto de Mikoto.

Seu coração acelerou algumas batidas quando ouviu o celular tocando, ele esticou a mão até o suporte e atendeu o aparelho no viva – voz. Era Fugaku.

— Pai! Encontraram ela? — Perguntou um pouco afoito.

— Sim. — Ele respondeu. — Ela está na praia de Konoha, estamos indo para lá agora.

— E como ela está? — Sasuke questionou com um certo receio da resposta.

— Tudo indica que está bem, parece que um casal que estava passando por lá a impediu a tempo. — Respondeu o mais velho e Sasuke sentiu o alívio passar por seu corpo.

— Estou indo também. Chego em vinte minutos. — Sasuke informou e encerrou a chamada.

Agora ele se sentia mais aliviado, porém ainda um pouco angustiado por Sakura. Se sentia um inútil por ter deixado ela se afastar. Devia ter prestado mais atenção. Ele não tinha ideia do que faria se as notícias fossem outras. Voltou a atenção para a estrada e fez um retorno seguindo então para a praia.

Levou o tempo que havia estimado e quando percebeu já estava no lugar. De longe ele avistou Sakura sentada na areia ao lado de um homem e uma mulher. Os dois tentavam conversar com Sakura, mas ela parecia distante. Ele ia se aproximando devagar, mas parou quando sua presença foi notada pelo homem de cabelos grisalhos, que começou a vir em sua direção.

— Oi! Eu me chamo Kakashi Hatake. — Falou o grisalho enquanto esticava a mão para cumprimentar Sasuke, que retribuiu o gesto. — Você é?

— Sasuke Uchiha, um amigo da família. — Respondeu e Kakashi concordou. — Como ela está?

Kakashi suspirou.

— Um pouco confusa. — Fez uma pausa. — Nós a encontramos dentro da água, mas com sorte conseguimos convencê-la a sair. — Kakashi parou de falar olhando para o homem ao seu lado. Sasuke não tirava os olhos de Sakura desde que colocou os pés ali. — Talvez devesse ir falar com ela. — Sugeriu e Sasuke concordou.

— Obrigado! — Sasuke pediu sincero e recebeu um aceno de volta.

Os dois caminharam na direção de Sakura e Kakashi chamou a esposa indicando Sasuke com a cabeça. Ela entendeu o recado e se levantou, mas antes fez um afago nas costas de Sakura para depois se retirar.

Sasuke se sentou na areia ao lado de Sakura e ela o encarou, mas em seguida desviou o olhar para o chão e não disse nada. Ele reparou que ela tremia um pouco e percebeu que suas roupas estavam molhadas, então retirou seu casaco e a cobriu.

— Quer conversar? — Ele perguntou ao notar que Sakura não dizia nada.

— Eu ... — Ela começou um pouco incerta. — Não consigo enterrar meu passado. — Falou com a voz um pouco embargada. — Não consigo esquecer das pessoas que me fizeram mal, não posso perdoá-los. — Disse enquanto sentia as lágrimas caindo.

— Continue. — Sasuke incentivou. — Irei ouvir tudo.

Sakura olhou para ele pelo canto dos olhos e depois voltou seu olhar na direção do mar.

— Na época da escola, desde os primeiros anos até quase o final, os outros alunos costumavam implicar comigo por eu ser estranha. — Sakura começava a despejar aquilo que estava guardando todo esse tempo. — Eles costumavam dizer que eu parecia estar doente, muitos diziam que se chegassem perto de mim, eu passaria minha doença para eles. — Sorriu amarga. — Isso se repetia sempre, mas eu não tinha coragem de fazer nada a respeito. Tinha medo de que me odiassem e fui deixando acontecer. — Fez uma pausa. — Um dia, me disseram que eu nunca seria amada por ninguém. — Ela olhou para Sasuke quando disse isso. — Não foi difícil acreditar, porque nem eu mesma fazia isso.

Sakura falava abertamente sobre isso pela primeira vez. Os últimos acontecimentos mexeram bastante com ela e, de certa forma, se sentia um pouco mais à vontade com Sasuke, já que ele também compartilhara com ela o seu passado.

— Eu queria ter tido uma vida normal. — Continuou a Haruno. — Gostaria de ter ido a mais festas com Ino, ter ido mais vezes ao shopping gastar o dinheiro que não tínhamos. — Ela falou e Sasuke sorriu, podia imaginar Ino exatamente desse jeito. — Mas todas as vezes que eu me olhava no maldito espelho, eu me lembrava das coisas que diziam para mim e só sentia vontade de me trancar e chorar. E foi exatamente o que fiz. — Fungou algumas vezes antes de continuar. — Quando percebi, estava me comparando às outras pessoas e dizendo para mim mesma o quanto cada uma delas merecia ser feliz, menos eu. E eu aceitei isso, sabe? — Limpou algumas lágrimas. — Isso virou uma realidade tão forte, que eu não sabia mais lidar com coisas boas que aconteciam na minha vida. Então eu fugi de todas elas, como uma criança assustada. Mas agora eu não sei mais o que fazer, porque eu não quero mais acreditar nisso. Só que, eu não consigo me livrar. Não sei como me livrar. — Disse por fim e finalmente se deixou chorar de uma vez.

— Eu ... — Sasuke ia começar a falar, mas Sakura o interrompeu.

— Não diga nada, por favor. — Pediu. — Só me deixe chorar.

Sasuke atendeu ao pedido dela. Apenas se aproximou enquanto ouvia ela soluçar, passou o braço por cima dos ombros femininos e apoiou o queixo no topo da cabeça dela. Passaram um tempo assim, até que Sasuke olhou para trás e viu que Itachi e seu pai haviam chegado junto com Kizashi, que vinha em direção à Sakura enquanto seu pai e seu irmão conversavam com Kakashi e a esposa. Sasuke se separou de Sakura e avisou que o pai dela estava vindo.

Kizashi se aproximou e Sakura olhou para ele enquanto limpava as lágrimas. O mais velho apenas abriu os braços e Sakura se levantou aceitando de bom grado o abraço do pai.

— Minha princesinha, minha princesinha! — Kizashi começou a falar. — Eu te amo tanto. — Isso fez com que Sakura chorasse ainda mais. — Seu pai está velho para esse tipo de susto. Não faça isso de novo.

— Eu sinto muito, pai! — Sakura pediu.

Sasuke vendo a cena, resolveu ir para perto de seu pai e seu irmão para deixar os dois sozinhos. Ele aproveitou para se despedir do casal que ajudou Sakura, mas não sem antes agradecer mais algumas vezes pelo que fizeram.

 

-------- X --------

 

Mais tarde, quando chegaram na casa dos Harunos, Mebuki veio correndo abraçar a filha. E, para surpresa de todos, Ino também estava ali. O nariz e os olhos vermelhos indicavam o recente choro. Ela também veio abraçar a amiga e logo em seguida começou um sermão sobre como Sakura deveria ter conversado com ela e que amigas não eram enfeites. A Haruno mais nova se sentou no sofá da sala e começou a chorar outra vez.

— Eu sinto tanta vergonha. — Ela disse enquanto escondia o rosto entre as mãos.

— Não queremos que sinta culpada, minha filha. — Mebuki falou. — Nós só nos preocupamos com você e queremos cuidar de você. —Falou docemente enquanto afagava as costas da filha. — Vamos, você precisa tomar um banho e trocar de roupa.

— Eu vou preparar um chá enquanto isso. — Mikoto avisou.

— Nós agradecemos. — Mebuki disse enquanto levava Sakura para o andar de cima junto com Ino.

Algumas horas depois, quando os ânimos estavam mais calmos, a família Uchiha precisou ir embora, ficando apenas Sasuke. Ino que também insistira em ficar e dormir com a amiga, estava na cozinha conversando com os pais de Sakura. Enquanto isso, Sasuke estava sentado no chão da sala ao lado do sofá em que Sakura estava deitada e coberta por uma manta quadriculada, ele segurava a mão dela e fazia um carinho com o polegar. A verdade é que agora eles ficariam com medo de deixar Sakura sozinha por um tempo.

— Sasuke! — Ela chamou baixinho e ele olhou. — Tem certeza que quer ficar perto de alguém como eu? — Ela perguntou e ele franziu o cenho.

— Não entendi. — Ele respondeu.

— Você sabe, o meu problema talvez dure para sempre.

— Bom ... — Ele pensou um pouco antes de responder. — Meu braço também não vai crescer de volta. Você quer fica ao lado de alguém que nunca vai ter um braço novamente? — Ele perguntou.

Sakura ficou um pouco surpresa com a colocação, não esperava por aquela resposta.

— Acho que entendo, mas ... — Pensou um pouco antes de falar. — Ainda me parece meio loucura. — Afirmou quase perguntando.

Sasuke soltou uma gargalhada.

— Acredito que seja assim que as pessoas ficam quando estão apaixonadas. — Ele disse. — Meio loucas. — Sasuke depositou um beijo nas costas da mão dela. — Vamos passar por isso! — Falou convicto.


Notas Finais


Espero que tenham gostado!!
Obrigada por ler.
Nossa Sakura vai começar a perceber que precisa do tratamento e isso vai de grande importância para ela. E vocês que já estão caindo de amores pelo Sasuke, vão se apaixonar ainda mais nos próximos capítulos

Até mais!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...