História Inseguro; tododeku. - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Boku no Hero Academia (My Hero Academia)
Personagens Eijirou Kirishima, Izuku Midoriya (Deku), Katsuki Bakugou, Shouto Todoroki
Tags Abo, Izuku, Midoriya, Midoroki, Mpreg, Shoto, Tododeku, Todoroki, Yaoi
Visualizações 818
Palavras 1.152
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Fluffy, Lemon, LGBT, Luta, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


[☸] · Oiê, abiguinhos! Eu voltei, hihi (não, não, ainda tá lá escrevendo, sua boba).

[☸] · O que acharam do capítulo passado, muito curto, estou pensando em fazer capítulos mais longos, com mais conteúdo, eu vou me esforçar ao máximo por essa fanfic, ok?

[☸] –X– Enfim, boa leitura novamente!

Capítulo 2 - Novidades; t w o.


Fanfic / Fanfiction Inseguro; tododeku. - Capítulo 2 - Novidades; t w o.

Infelizmente, não é mentira;

Chapter two.


“Pelo jeito, sim, jovem Shoto” disse a mais velha, ligeiramente preocupada, “O problema não é ele ter um bebê, em si. Mas sim, ele estar grávido em um colégio para heróis! Ele não pode ter carga de muitas emoções, isso é perigoso” continuou, “Ainda mais que a liga dos vilões sempre aparecem tentando atacar ele e aquele tal Katsuki explosivo”.

Todoroki demonstrou um pouco medo ao imaginar nos treinamentos Midoriya e sua enorme adrenalina afetando o bebê, ou também em testes, sendo ferido pelos outros alunos. Ou até o pior, a liga dos vilões saber disso para se aproveitarem.

Olhou mais uma vez para a figura pálida a sua frente e respirou fundo, “eu vou proteger a gravidez do Izuku. Pelo bem desse bebê” disse ele firme e Recovery Girl sorriu fraco de sua atitude.

“Ótimo, mas antes devemos esperar ele acordar para contar” ela disse receosa, “espero que ele não tenha uma reação ruim”.

“Eu também”.

–X–

Izuku abriu os olhos confuso, sentia o corpo ainda amolecido pesar, o que estava acontecendo?

“Midoriya-kun!”, chamou Tenya se aproximando preocupado e deu um tapa na testa do outro que resmungou dolorido.

“Por que me bateu, Lida-kun?”, perguntou ele indignado “Cadê os outros alunos? O que aconteceu? Foi outro ataque de Tomura?”, perguntou ele tentando se levantar, mas impedido pelo o moreno de óculos.

“Ei, ei, não aconteceu nada ruim. Você desmaiou de novo e te trouxemos para ‘cá”, gesticulou “Por que não nos contou que estava se sentindo mal esses dias?”, indagou decepcionado “Não somos amigos?!” exclamou se exaltando.

“Desculpa…”, murmurou o esverdeado “Eu não sei, acho que comi algo estragado” contou.

“Então, sobre isso… O Shoto não quer nos contar o que você tem”, explicou-se o quatro olhos.

“Não?”, perguntou confuso “Por que?”, indagou mais a si próprio, tentando entender o que acontecia ali.

“Não sei, ele disse que não era nada preocupante”, suspirou “Espero que não seja mesmo, você nos assuntos, Midoriya”, bufou em seguida.

Ele não pode deixar de sorrir com a preocupação do amigo, logo depois Ochaco entrou lhe fazendo algumas perguntas escandalosas por estar tão preocupada quanto os outros.

Depois disso, disseram que iriam deixar o sardento descansar, e ele nem pode evitar, quando os amigos saíram pela porta, o deixando para trás na enfermaria do colégio A.U.

Fechou os olhos e relaxou, sentindo aquelas mesmas sensações. Ânsias, tonturas e dores forte na cabeça e quadril, ele já estava de saco cheio daquilo, mas não poderia melhorar se não soubesse do que se tratava aquelas dores.

Percebeu durante as duas semanas sofridas, sua cintura se alongar, como se precisasse de mais espaço para suportar algo, seria aquilo um aviso?

O esverdeado era inseguro e ingênuo demais para entender a verdade diante de seus olhos, mas Todoroki não, este entrou no quarto alguns minutos depois, encontrou o garoto perdido em sonhos, tão sereno quanto quando se mantia acordado.

“Midoriya-kun”, disse se sentando em uma poltrona ao lado, pegou em sua mão, depositou um delicado selar ali, e pode jurar ter visto um sorriso lateral fofo crescer e estampar aquele belo rosto “Eu não sei como vai reagir, mas eu e a Recovery Girl descobrimos que você está grávido”, disse calmo enquanto o garoto ainda dormia “eu estou preocupado com você, por mais que não demonstre, afinal, quero me tornar um herói e não posso ficar brincando por ai, ou dando carinho”, suspirou “Mas eu fico preocupado para descobrir, quem é o pai, Izuku? Quem?” perguntou em um sussurro chateado.

O baixinho se mexeu na cama, como se estivesse desconfortável - porque realmente estava -, e apertou a mão do outro, enquanto apertava os olhos “O que está havendo?” indagou a si mesmo, vendo o outro mais agonizado em sono.

…não…”, murmurou quase inaudível, uma voz trêmula e sofrida. Estava tendo um pesadelo? “…não m-me toque…p-por favor”, continuou o menor.

O coração frio do meio-a-meio se enfraqueceu ao apertar-se com a cena. Ele parecia tão frágil.

Percebeu que ele começou a fazer ruídos horríveis, como um choro esganiçado, tão doloroso que podia sentir sua dor somente de ouvir aquilo, mas estranhamente, ele não chorava, apenas imitava um choro.

O que estava havendo de errado ali? Que tipo de pesadelo era aquele? Shouto prometeu que iria descobrir tudo sobre o ômega cujo tinha lhe despertado sentimentos controvérsios. As famosas borboletas no estômago, por exemplo, ou até mesmo, as mãos suando frio e a voz entalada na garganta pela vergonha de conversar com o pequeno garoto que cativava corações.

“Eu juro, Izuku, que vou te proteger e te tirar dessa furada”, exigiu-se.

Por mais que não quisesse, ele sabia onde tinha se metido, e que não tinha mais volta. Ele não conseguia negar o que sentia internamente. Ele sabia muito bem o que era:

Era o amor.

–X–

“Aquele meio-a-meio acha que é tão bom quanto todos nós”, começou Katsuki, ainda que calmo, já perdendo a paciência “Não percebem? Ele finge para vocês que se preocupa de verdade com o Deku, mas vocês estão sendo enganados por aquele inútil”.

Todos o encararam incrédulo “É melhor que fique quieto, Bakugo”, começou Kirishima, olhando para baixo, brincando com os dedos “Você nem sequer se importa, não interfira nas ações de alguém que quer bem de outro”, ditou sem o olhar no rosto.

“Precisamos dar apoio, mas eu não entendo!”, disse Asui “Mas como dar se nem ao menos sabemos o que ele tem?”

“Não precisamos saber para o ajudar, basta visitarmos ele e lhe deixar mensagens positivas, não deve ser nasa sério”, respondeu Momo.

“Acho que a Momo está certa”, suspirou Eijiro “Shouto nos contará assim que puder, e vocês verão que não é nada preocupante. Vamos voltar a nos focar para a licença provisória, hum?”, indagou descontraído, vendo os rostos cabisbaixos e tensos dos outroa colegas, mas que concordaram.

“Eu vou matar todos, manderei todos os malditos para o inferno”, como sempre, disse Bakugo “Eu ganharei aquele desafio”, disse determinado.

Felizmente, quem morreu, foi o assunto logo ali.

–X–

“All Might?”, falou Izuku assim que acordou “O que faz aqui?”, perguntou se sentando na maca, esfregando os olhos.

“Vim visitar meu aprendiz”, sorriu radiante, em seu forte corpo esbelto, sabendo que não duraria tanto tempo assim “Sabe que o teste de licença provisória começa logo e todos estão treinando. Você devia ser um dos que mais estava animado com isso, mas…”, respirou fundo e parou de falar, mordendo os lábios.

“Mas?”, o esverdeado o incentivou franzino o cenho.

“Não vai poder participar”, contou de uma vez, vendo o garoto entrar em choque.

“Mas, Yagi! Eu já estava pronto, não posso desistir, justo neste teste!” falou indignado.

“Sinto muito, jovem Midoriya”, falou virando o rosto, entristecido por ter que fazer aquilo com o mais novo “Você não está bem, e se não vai parar por conta própria, eu mesmo vou proibí-lo de participar disto”.

Foi então que o sardento perdeu o controle.


Notas Finais


[❖] · Então, chegamos a uma conclusão, hum?
· Vai dar merda, vai por mim;
· O Midoriya ainda não sabe que está grávido, e todos que sabem querem evitar de contar isso para ele;
· E o Izuku é o amor da minha vida e um nenê. Como pode um nenê, ter outro nenê, hum?

[❖] · Eu amo muito um garoto de cabelos esverdeados e com pintinhas, sabem me dizer quem é? (risos).

[❖] –X– Até mais tarde, vou lançar mais um hoje! <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...