1. Spirit Fanfics >
  2. Inseparáveis - Jung HoSeok >
  3. C A P I T U L O 4 - Oi?

História Inseparáveis - Jung HoSeok - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


Oi, quanto tempo, não? Bom, quero que vocês leiam com atenção e que se divirtam fazendo isso. Peço desculpas pela demora e agradeço por não desistirem da estória. Obrigada!

Capítulo 4 - C A P I T U L O 4 - Oi?


Ela realmente estava linda, mas HoSeok se encontrava magoado. Muito mais do que imaginava, ela havia o deixado quando ele mais precisava, - não era caso de morte, claro. - mas era caso de coração, e o dele havia ficado despedaçado. 

 - Não, não se preocupe. Tudo bem. - ditou saindo de perto da moça, a qual ficou sem saber o que havia acontecido. Ficou repetindo os passos em sua mente; "o rapaz veio, esbarrou em mim, quebrei o celular dele - O que parecia caríssimo - e ele simplesmente sai?" Não iria reclamar, claro. Mas não eram todos os dias que ela encontrava alguém de bem com a vida assim, não é? Porém, apenas seguiu seu caminho em direção a sala da diretoria, mais uma vez, desde que seu pai se foi, ela se vira sozinha e vive com uma tia. Uma mulher maravilhosa que a ama como uma filha, com um primo que é um porre de insuportável, mas ainda é seu melhor amigo. Jungkook era, de fato, chato. Mas ainda assim, conseguia ser o único que ficou ao lado dela quando seu amor de infância se foi, até onde ela sabia, para sempre. 

HoSeok estava fora do colégio, mãos na cabeça e olhos fechados forçadamente. Mais uma vez, ela havia bagunçado toda a arrumação milimetricamente feita por ele em sua cabeça. E ele, ao menos por um momento, estava odiando a ideia de ter voltado. Seguiu andando pra casa e desistiu de tentar melhorar a dor de cabeça. Ao atravessar a porta do pequeno apê, retirou as peças de roupa próprias para o frio e foi ao banheiro, se despiu. Entrou no box e ligou o chuveiro.

O banho foi quente, mas ele estava com a mente congelando. Não sabia o que fazer, estava entrando em parafuso! A porta do banheiro foi aberta de solavanco, e Jimin estava ofegante. 

- Cara, qual feitiço você usou pra evaporar do mapa? - o garoto de cabelos pretos encostou na parede do banheiro e passou a mão pelo rosto.  Meus Deuses... - Ditou saindo do banheiro, deixando um HoSeok ainda mais confuso. Não estava funcionando, nada estava funcionando! 

- Mas você nem estava me esperando! - disse colocando só o rosto pra fora do Box.

Depois de sair do banheiro e conversar com Jimin, contar que havia visto ela novamente, e que estava enlouquecendo com a ideia de continuar vendo-a, eles pediram pizza e fizeram o de sempre, ficaram mexendo nos celulares e e conversando, enquanto comiam fatias e mais fatias dos sabores prediletos de cada um. 

- Mas, me diz aí; porque ela tem tanto poder sobre você? - A boca cheia de massa e molho deixavam a voz amena e melodiosa do Park engraçada, segundo O Jung. - Tipo, é muito louco você ficar como esteve hoje apenas por vê-la, totalmente ilógico! 

- Paixão de infância, digamos que... Eu já sabia que ela me deixaria, assim que fui embora tive total certeza, a fiz chorar demais e ela se magoou com a quebra de uma de nossas infinitas promessas: não me deixe, nunca. - Surpirou e mordeu outro pedaço, sentindo o gosto salgado e gostoso. 

- Essas paradas de infância é foda, acabam com seu psicológico. - Sorriu e, por fim, desligou o celular. Olhando de relance pra HoSeok. - vamos dormir? - Se virou fechando a caixa de pizza.- Amanhã é o primeiro dia de aula, mais conhecido como primeira viagem do ano ao inferno. 

Riram um pouco, escovaram os dentes e os dois decidiram dormir, estavam mortos de cansados. A noite foi longa pra HoSeok que se bateu de um lado pro outro durante toda ela, tentando arranjar uma posição que desse para dormir em paz. Não obtendo sucesso, e após conseguir encontrar a tão preciosa posição, já era pela manhã e faltavam poucos minutos para que fosse se levantar e se arrumar. Então o fez, e após limpo e bem vestido, preparou um café da manhã para os dois, enquanto o Park se embelezava mais no quarto, os brownies ficaram ótimos. E o capuccino também. Quando Jimin entrou na pequena cozinha, inspirou o maravilhoso cheiro de chocolate com baunilha e do café recém feito, o que era especialidade do amigo, e agradeceu por não ter que comer mais uma vez algum salgado ruim de rua no caminho pro colégio. 

- Bom dia! Preparado? - Disse abrindo o notebook e conectando em seu celular, atualizando algumas coisas antes de fechar para prestar atenção no amigo que comia lentamente, sabendo que havia bastante tempo para que eles continuassem conversando antes do horário do colégio.

 - Não, tô realmente repensando a ideia de voltar a Londres... O que me diz? - bebeu café. - Não quero ter de vê-la todos os dias. Isso seria um massacre interno, acabando com todo e qualquer amor próprio. 

- Apesar do drama, eu te entendo. Mas fugir não resolve e o problema vai sempre encontrar um jeito de te fazer uma visitinha. Então, porque não resolver logo?

 - É fácil falar quando você não tá na situação em questão, tô me autodestruindo e só tá piorando a cada vez que penso nela. Quer dizer; ja pensou se ela cai na mesma turma que eu? O último ano? - Fez uma cara de desespero medonha, ao ponto de Jimin quase morrer de rir. 

- Pelo amor de Deus, você disse que ela nem te reconheceu! - Bateu no ombro do mais velho. - E ela é mais nova, deve estar no segundo ou primeiro ano, ou ela é super dotada e pulou algumas séries. - a possibilidade se tornou mais uma das paranóias do Jung. - Ah... Vamos? To de moto, não de foguete. - Único momento em que o Jung pôde sorrir sem sentir o estômago revirar. 

E então foram a escola, ah, o colégio! Mais conhecido como inferno, para a maioria das pessoas. Os portões lotados para o primeiro dia, as pessoas quase passando por cima umas das outras, como se aquilo, aquele antro, fosse algo bom. Os meninos se aproximam e esperam até que seja liberada a entrada. As coisas na cabeça do asiático estavam se pondo no lugar e ele estava agradecendo por isso, os portões se abriram e aquela multidão que formava a maior muvuca em frente o colégio, cessou. Ele entrou por último, Jimin seguiu para sua sala e ele, em seguida, foi procurar qual das salas do último ano era a sua. Ficou por uns cinco minutos procurando, até que chegou a um dos corredores, nesse não havia saída e algumas portas abertas, alunos caminhando civilizadamente, e armários sendo trancados. 

- Com licença? - Perguntou a um aluno em específico, de cabelos vermelhos que se encontrava fechando um dos armários próximo a uma das três salas. - Sabe me dizer onde ficam as salas do terceiro ano? - O rapaz pensou um pouco e sorriu em seguida. 

- Está do lado de uma delas. - sorriu, o sorriso mais exótico que o Jung já havia visto. - Sua turma é a A°, B ° ou C°? - Colocou a mochila nas costas e encarou mais firmemente HoSeok. 

- B. - Olhou no papel em mãos para confirmar. - Sim, esse mesmo. 

- Mais uma vez, está ao lado. - ele olhou para a sala próxima do armário a qual estavam fechando, e indicou a mesma. - Coincidentemente, também estudo aí. 

- Ah, sério? - Colocou a mão no peito. - Ao menos eu... Já posso falar com alguém. 

 - É seu primeiro dia? - concordou. - Bem vindo ao inferno! - Entrou na sala que ja estava cheia. - Bom dia, Senhorita Young! Está linda hoje, devo ressaltar. - Um sorriso galanteador brotou nos lábios do novo amigo de HoSeok. 

- Sem brincadeirinhas, Taehyung! - Ela estava corada, e sorria brevemente. Algo dizia a HoSeok que ela não havia se incomodado com o elogio. - Sentem-se. - Os dois seguiram para o fundo da sala e o Jung começou a observar, depois de ter certeza de que não entraria mais ninguém, agradeceu aos deuses por ela não estar em sua turma e se sentiu aliviado, não sabia, mas estava magoado, ainda que não tenha sido proposital. 

- Abram os cadernos! - vociferou a professora.


[...] 


Do outro lado do colégio, se encontrava a garota de cabelos curtos e lábios vermelhos. O uniforme lhe caia muito bem, ao ponto de chamar atenção de alguns dos alunos do sexo oposto. Mesmo que estudassem em uma escola internacional, a calça jeans colada de cor azulada, o All Star preto e a farda branca, escondida em um moletom preto, chamavam atenção. Encontrou algumas conhecidas, até se esbarrar com um peitoral firme próximo a seu armário. É, olhar sempre para o chão havia se tornando uma opção não muito lucrativa. 

- Porra, Jungkook! - Reclamou enquanto o ouvia dizer coisas como "deixa eu ajudar!"- Você vive fazendo isso.

 - Não é sempre! - fez um bico fofo, seu primo com toda certeza era de foder, mas! Tinha a seu favor o fato de que sempre era o cara que tava com ela sempre, independente de como, quando e onde. - Desculpa, prima! Mas começar a olhar pra frente ajuda, sabe? - Ela apenas sorriu e ele entendeu que seu pedido havia sido aceito. Seguiram pela corredores e chegaram até a tão esperada sala, o segundo ano seria o pior dos anos, ela sentia isso em seu âmago. Ao entrarem perceberam que ela estava cheia, como todas as outras. 

- Com licença, Sra. Chan! - Jungkook falou abrindo seu melhor sorriso. 

- Atrasados no primeiro dia de aula, Jeons? - a menina comprimiu os lábios e pensou em diversas maneiras de sumir. - Sentem-se! 

Como sempre, as duplas seriam escolhidas, os dois acabaram ficando juntos, igualmente a todos os anos do colégio. Todos ali sabiam da amizade inseparável dos dois, as coisas sempre foram assim, ninguém esperava que mudasse. Depois de três aulas, o cérebro de ambos só girava em torno de uma coisa; o lanche. E seus estômagos lá roncavam, querendo ser abastecidos o mais rápido possível. 

- Eu tô com fome! - ele disse tirando ______ do transe. Sua cabeça estava girando em torno do lanche, claro, mas, ao contrário de Jungkook, ela estava pensando também no rapaz que tinha esbarrado contra ela no dia anterior, não sabia porque, mas havia sentido algo diferente enquanto lembrava dele. - Será que esse velho não vai acabar nunca? 

- Tô pensando a mesma coisa. - disse e sorriu, Jungkook a conhecia bem, e sabia que não era só aquilo, mas também era o bastante pra saber que era melhor não perguntar. O sinal tocou e as pessoas começar a sair desesperadas pela porta da sala, os dois foram umas de tantas as pessoas desesperadas por comer. E ao chegarem ao refeitório, agradeceram por estarem como os primeiros da fila. Olhou então para as mesas que ficavam no refeitório e percebeu estar sendo observada. Estava incomodando, porém, incomodava menos do que quando ela descobriu de onde vinha o olhar tão persistente. Era ele, o cara de ontem. E ela ficou vermelha, quente, podia sentir as bochechas queimando. 

- Prima? Cê tá bem? - Jungkook tocou sei rosto assim que saíram da fila, tirou o cabelo dos olhos dela e continuou tocando e verificando o bem estar da garota. Do outro lado do refeitório, o Jung observava a cena e, como sempre, sua cabeça trabalha com suas paranóias a mil. 

- Calma, cara. Talvez ele seja... Amigo dela! - Disse Jimin, que percebeu a inquietação do rapaz em sua frente. 

- Amigo, Jimin? Jura? - ironia, eu diria. - Que porra de amizade é essa? Grudado desse jeito? - Estava irritado. 

- Você fala como se ela fosse alguma coisa sua. Eu em, nem se ela fosse sua namorada, amiga, conhecida... O caralho a quatro! Morrer de ciúmes não iria adiantar absolutamente nada. - HoSeok soltou o ar com tanta força que alguns guardanapos voaram da mesa em direção ao chão. Sabia que o amigo estava certo, mas o ciúmes estava incomodando, e o rapaz alto, bonito e de cabelos escuros muito bem arrumados, ainda estava tocando a menina e fazendo algum tipo de... Carinho. 

- Não quero ficar aqui, foi mal.- se levantou deixando o amigo e o lanche pra trás. 

- Pra onde tu vai? - Jimin perguntou. 

- Tô indo pra sala, Terceiro B, me procura se precisar. - Saiu do refeitório ainda meio... cego e continuou o caminho até a sala. Onde colocou uma música no celular e começou a mexer o corpo no ritmo da música. 

Ainda no refeitório a garota tentava acalmar os nervos do primo que estava no mínimo exagerando. 

- Jungkook, eu tô bem, da pra me largar? - Sorriu e o rapaz saiu de perto, tímido, ela varreu o local com os olhos e percebeu a falta do rapaz do dia anterior. - Cadê ele? 

- Ele? Ele quem? - perguntou Jungkook quando estavam indo para uma das mesas. 

- Ah... Nada! Nada. Vamos só... Comer. - ditou indo se sentar, porém, sua cabeça estava girando e ela queria saber mais do cara que havia sido tão compreensivo com ela. Queria agradecer! 



[...] 


O dia estava sendo um saco, tanto pra ela, quanto pra ele, o colégio era realmente uma merda, e graças a qualquer coisa, estava no último minuto do último tempo de aula! 

- Eu quero minha mãe! - a moça disse olhando fixamente para a lousa branca enquanto Jungkook estava com a cara enterrada na mesa de apoio. 

- Em 1,2,3 e...- O sinal tocou! - pronto, a gente já pode ver a mamãe. - sairam correndo como dois malucos até que chegaram ao pátio de saída. Cansados e um pouco sorridentes, já sem a pressão que ela sentiu pela manhã. 

- Ah... Prima? - Jungkook perguntou sorrindo. - Não tá faltando nada? - apontou para todo o corpo da garota que observou e percebeu o óbvio;

- Eu não acredito que eu esqueci de novo! - disse e voltou correndo. 

- Estarei te esperando! 

Ela seguiu pelos corredores, indo em direção a sua sala, observando e por fim acabou encontrando tão sumida mochila. 

- Aí está você! - pegou a bolsa preta e jogou nas costas, saindo em seguida, pronta para ir embora. Bom, ao menos antes de sua curiosidade ser ativada por uma música que vinha do corredor sete. Estava dividida entre; deixar o primo esperando e ir ver o que era; e deixar pra lá e ir encontrar Jungkook. - Só uma olhadinha... - continuou indo em direção ao som, e seguiu um pouco mais rápido, porém, cautelosa. 

Lá estava ele; o rapaz que havia sido tão gentil com ela no dia anterior estava dançando e seu corpo seguia exatamente como deveria, com a música em questão tendo um ritmo meio contemporâneo. A garota ficou lá, sabe-se os Deuses por quanto tempo, mas estava tão Bom observar os passos bem executados... Ao menos antes de ele se virar e encontrar dois olhos curiosos próximos a porta, ela tentou fugir, mas antes de conseguir: 

- Não é lá muito ético ficar espionando as pessoas... Certo? - O rapaz já estava mais calmo, com menos ciúmes e... Feliz, por vê-la. 



- Ah... - sorriu amarelo. - Oi


Notas Finais


Gente, eu tô com um bloqueio enorme e as ideias estão vindo aos poucos, e quase nunca. Então, eu levo dias pra escrever um capítulo, e quando levo menos tempo pra isso, não acho que está bom o suficiente e recomeço. Quero pedir desculpas pela demora, e quero dizer que; vou tentar ao máximo atualizar ao menos duas vezes na semana!
Obrigada, Tchauzinho!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...