1. Spirit Fanfics >
  2. INSIDE — chuuves >
  3. Parte XXIV

História INSIDE — chuuves - Capítulo 26


Escrita por:


Notas do Autor


oii, repostando pois deu uns errinhos ontem. boa leitura!

— a

Capítulo 26 - Parte XXIV


— Isso é incrível! — disse Sooyoung seguindo Jiwoo corredor afora. — Pouco a pouco, estamos conseguindo. Termos Hyunjin ao nosso lado é sensacional!


— Não sei se podemos contar com ela com tanta brevidade assim — Jiwoo tinha os punhos cerrados enquanto desviava das alunas. 


— O quê?! Como assim?! — Sooyoung franziu o cenho tentando acompanhar o seu passo. — Ela disse com todas as letras que irá nos apoiar, Hyunjin está dentro de seu plano seja lá qual ele seja.


— Ela ainda me parece superficial demais em sua decisão.


— Jiwoo, confia — Jiwoo parou de andar e Sooyoung esbarrou-se em suas costas. A menor girou em torno de si e a encarou. — Eu conheço Hyunjin há anos, ela já tomou muitas decisões e já mudou bastante de opinião na hora de apoiar alguma liderança...


— Então você sabe que ela é rasa e que pode mudar de ideia rápido, certo?! — Sooyoung não pôde revidar. — Eu não estou tripudiando de Hyunjin, só é difícil para mim apoiar pessoas que há uma semana estavam contribuindo para foder a minha vida.


— Eu sei — Sooyoung segurou as mãos de Jiwoo para demonstrar compreensão —, mas eu também sei que é impossível começar uma guerra com um exército pequeno e desarmado.


— Nem toda revolução é uma guerra.


— Revoluções exigem batalhas e você sabe onde está pisando. Quanto mais gente, melhor.


— Não adianta ter tantas pessoas ao meu lado se não confio em nenhuma delas — Sooyoung revirou os olhos e cruzou os braços abaixo dos seios. — Eu sei, parece paranoia, mas eu prefiro confiar apenas nas meninas e em você a me entregar tão rapidamente para a mudança de Hyunjin.


— Então faremos um acordo. Você aceita Hyunjin em seu plano e eu fico de olho nela, qualquer deslize, por menor que seja, eu mesma estarei retirando-a do plano.


— Eu tenho alguma escolha?!


— Não tem — Sooyoung pendeu a cabeça para o lado com um pequeno sorriso no rosto e inclinou-se para frente com o objetivo de beijar Jiwoo, que recuou e desviou, olhando discretamente ao seu redor para ver se alguém tinha reparado. — Eu esqueci desse detalhe, sem demonstrações de afeto em locais públicos.


— Sem demonstrações de afeto em locais públicos — Jiwoo afirmou com a cabeça como se quisesse fazer a si mesma entender. — Precisamos terminar de resolver o caso de Jinsoul com a diretora Lee, eu acho q...


— Jiwoo! — a voz fina e infantil soou atrás da de fios negros.


Ao olhar por cima dos ombros, Jiwoo observou Jayoon se aproximar com diversas pastas em mãos. Com o uniforme maior que o próprio corpo e a franja farta, Shim estava sorridente e animada em ver a sua sênior no corredor. A Kim tinha esquecido totalmente da proposta da garota e que deveria a contatar para ajustar os termos referentes ao seu apoio na campanha para o grêmio estudantil.


— Que bom te encontrar aqui, você faltou à reunião, mas não precisa se preocupar, todos os pontos abordados estão nesse classificador, você pode ler quando tiver tempo — Jayoon lhe entregou a pasta transparente. — Estou feliz em te encontrar, farei um pequeno comício no refeitório e queria a sua participação.


— Ah, eu não sei se poderei ir pois...


— Ela vai adorar! — disse Sooyoung massageando os ombros da menor.


— Você me odeia tanto, Ha Sooyoung... — sussurrou Jiwoo com os dentes travados apenas para a maior ouvir.


— Você não sabe o quanto Jiwoo apoia a sua campanha, ela só fala disso!


— Também não força, Sooyoung — Jiwoo balançou os ombros para retirar as mãos de Ha e lhe lançou um olhar fuzilante, abrindo e fechando as narinas como um touro.


Se Sooyoung pudesse sentir algum medo de Jiwoo, aquele era o momento.


— Uh, ótimo! Estou tão feliz com a sua decisão, Jiwoo! — disse Jayoon colocando os classificadores debaixo do braço e batendo palmas. — Você vai adorar conhecer as meninas da minha chapa, mas agora não é a hora. Estarei no refeitório, por favor, compareça.


— Ela vai!


— Eu não vou.


— Ela vai! — Sooyoung beliscou o braço de Jiwoo e a fez pender o corpo para o lado para a maior lhe soltar.


— Eu vou!! 


Jayoon seguiu para o refeitório às pressas, deixando Sooyoung e Jiwoo sozinhas novamente. A Kim encheu a maior de tapas enquanto ela tentava desviar entre risos.


— Eu não tinha decidido ainda, sabia?!


— Sim, sabia, mas se eu não dissesse nada, você ia continuar enrolando Shim Jayoon e não sairíamos do lugar.


— Você bagunçou totalmente a minha mente, agora vou precisar mudar alguns planos por causa desse apoio à campanha de Shim Jayoon, não estou pronta e nem disposta para essa exposição.


— Jiwoo, você já entrou no Catherine Deshayes exposta, acorde!


— O que ainda está fazendo aqui?! Vai embora! — disse totalmente brava e ela mesma saindo de perto da maior.


Novamente sendo seguida, Jiwoo se encaminhou para o refeitório, observando as faíscas saltando pelas escotilhas envidraçadas da nave. Quando chegaram ao local, várias garotas estavam sentadas e em pé ao redor de uma mesa com seis garotas, a líder delas sendo Shim Jayoon recebendo ajuda para subir em um banco. Da mesa do grêmio atual, Chaeyoung se levantou e virou totalmente para a garota, esperando a sua apresentação para que a sua insignificante e desimportante presença fosse notada. 


— Quem é essa?! — perguntou Yeji.


— Shim Jayoon, entrou no internato no começo do ano — disse Jeongyeon.


— Delitos?! — questionou Chaeyoung tirando o pirulito da boca.


— Compulsão por facas, roubava-as a todo instante e começou a apresentar oscilações de sanidade. Tem uma passagem pela reabilitação e está aqui para não parar os estudos, está repetindo o primeiro ano pois perdeu o último após desviar a mensalidade para comprar facas em leilões — Jeongyeon lia as informações que ela havia guardado em seu bloco de notas.


— Fez o seu dever de casa, Jeongyeon?! Boa garota, merece até um brinquedinho! — caçoou Chaeyoung. — Vamos ver o que ela tem a nos oferecer.


Jayoon sorria confiante ao olhar cada um daqueles rostos curiosos em sua frente. As garotas repartiam-se entre saber por que ela estava em cima de um banco e o que seria proferido, algumas tinham as duas dúvidas em suas mentes, eram questionamentos repetitivos. Assim que encontrou o rosto de Jiwoo, Shim sorriu e fixou seu olhar num ponto em específico do refeitório para se livrar do nervosismo.


— Muito obrigada pela presença de vocês aqui! Serei breve porque sei o quão exaustivo discursos são, mas vamos lá. Eu entrei aqui há pouco mais de seis meses e algo que vem me chamando a atenção são os comportamentos vindos de quem diz nos representar. A escola precisa ser a nossa segunda casa, precisamos cuidar dela e das pessoas que a habitam e não é isso que venho observando. Quer dizer, somos a esperança da Terra Nova e o máximo que conseguimos aprender é que mulheres podem ter orgasmos cem vezes seguidas e que devemos fazer umas as outras sofrerem?! É isso?!


O tom brincalhão de Jayoon fez algumas garotas rirem e obviamente uma delas não era Chaeyoung, que se levantou para mais perto de Jayoon seguida por Jeongyeon.


— O cargo de presidente do grêmio estudantil está sendo preservado com o único objetivo de ser um poder doutrinário e autoritário, não mais uma representatividade. Nesses últimos quatro anos, quais as atividades extracurriculares que foram reativadas?! — nenhuma resposta. — Exato, nenhuma, mas eu tenho aqui, nas propostas da última eleição, que uma das delas era o retorno de atividades importantes, como o teatro. Nenhuma pressão aos verdadeiros líderes da nave para a reforma, apenas pressão às alunas para que seguissem regras absurdas!


— Ela é boa — sussurrou Sooyoung para Jiwoo. 


— Quatro anos depois e nenhum sinal de reabertura do teatro ou das atividades extracurriculares. Entraremos nas eleições em breve e temos, até então, uma única chapa que possui os mesmos carácteres da anterior. São as mesmas personalidades com rostos diferentes, que usufruirão de seu poder para dar segmento ao que já ocorre atualmente. Somos trazidas para o Catherine Deshayes High School para aprendermos a ser pessoas melhores, então por que continuamos trilhando os mesmos maus caminhos?! Sim, claro que todas são bem grandinhas para saberem o que é ou não certo, mas somos humanas, carregamos em nosso sangue a necessidade de ter alguém no topo para que nos influencie, então me digam, vocês estão satisfeitas com quem as influencia hoje?!


Ninguém respondeu. Algumas abaixaram as cabeças, outras encararam Chaeyoung e algumas até saíram do refeitório para não precisarem responder.


— É disso que estou falando. A nossa democracia é tão falha que temos até medo de criticar o que está errado, o que não nos agrada. Não é assim que quero viver pelos próximos quatro anos, não é esse o grêmio que eu quero deixar para as próximas que virão, eu quero assumir a presidência do grêmio sabendo que serei uma boa influenciadora, que independente de quem esteja do meu lado, será bem visto.


Jayoon enfim estava ganhando acenos positivos de cabeça, ela estava conseguindo, o seu discurso era bom demais para ganhar rejeição.


— Além das minhas aliadas de chapa, que ficarão ao meu lado nessa jornada, eu gostaria também de mencionar um apoio que não consigo mensurar tamanha gratidão. Hoje, eu, Shim Jayoon, candidato-me ao cargo de presidente do grêmio estudantil na Chapa C, recebendo o apoio de Kim Jiwoo!


As garotas do refeitório começaram a cochichar e a encarar Jiwoo, o que não durava muito tempo pois elas se assustavam com o rosto franzido e a cicatriz da garota. A Kim queria se esconder mas isso a faria perder o susto de Chaeyoung ao ouvir o seu nome reverberar pelo refeitório. Park estava ofegante, de olhos arregalados e dentes mastigando o palito de plástico do pirulito. Bingo! Chaeyoung tinha caído na primeira parte do plano.


— Todas nós estamos aqui por uma mesma razão. Nós somos pessoas problemáticas, precisamos de mudança, precisamos de alguém que esteja disposto a enfrentar a covardia do nosso grêmio atual e ninguém melhor que Kim Jiwoo para representar essa mudança, ela é o nosso símbolo de enfrentamento e resistência,e eu não poderia escolher e aceitar alguém diferente nesse meu novo desafio, por mais absurda e intrigante que seja essa minha posição para vocês. Só quero que pensem bem se desejam apoiar o que transparece semelhança — Jayoon lançou um sorriso para Jimin, que a encarava de olhos semicerrados —, ou se estão dispostas a terem dias melhores nessa nave. Eu sou Shim Jayoon, candidata a presidente do grêmio estudantil — disse a garota de franja farta descendo do banco e indo em direção à Jiwoo, segurando a sua mão para confirmar o apoio à campanha — e junto à Chapa C e Kim Jiwoo, nós seremos a diferença!


Ovacionadas por aplausos, Jayoon decretou que estava entrando de cabeça na campanha para se tornar a mais nova presidente do grêmio, disposta o suficiente para aceitar qualquer ataque que viesse de sua adversária. Do outro lado estava Chaeyoung, que partiu o palito do pirulito por tamanha força ao mordê-lo em raiva. Jeongyeon se aproximou um pouco mais da líder e se inclinou para perto de seu ouvido:


— E agora?! O que faremos?! 


— Consiga uma reunião com Jimin, eu aceito perder para qualquer uma, menos para Kim Jiwoo.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...