1. Spirit Fanfics >
  2. Insomnia >
  3. .não pela última vez.

História Insomnia - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Hello, it's me! ~~

Ai gente, faz tanto tempo que não venho por esses lados do SS que acho que perdi o jeito pra escrever. ><
Bom, na vdd, eu vi algo esses dias e pensei tanto em escrever alguma SeBaek, e lembrei que tinha essa em aberto. Faz um ano que eu postei ela, minha última atualizada, então acho que é legal postar algo again. De qualquer forma, concluí ela. Aew!

Espero que tenham uma boa leitura.

Capítulo 2 - .não pela última vez.


02h17

E Baekhyun ainda sentia alguns espasmos da foda que recebeu. Suas pernas foram derretidas em mingau enquanto seu coração parecia bater em ritmo anormal. Ele riu suave, quase sem força, mas garantiu uma sobrancelha erguida de Sehun. A cabeça do namorado ergueu de seu peito, onde descansava, e questionou em silêncio para Baekhyun.

 

– Sempre me sinto exausto depois que transamos.

– Espero que esteja bem…? – saiu mais como uma pergunta ao invés da afirmação que deveria.

– Disso você nunca duvide. Eu gosto de ser devastado de dentro para fora ou qualquer que seja a ordem.

 

Sehun deitou a cabeça no peito de Baekhyun outra vez e podia ir sentindo a respiração de ambos se igualando, suas batidas do coração normalizando. No mínimo carinho, a aspereza da barba de cinco horas raspou no peito de Baekhyun. A língua brincalhona escovou no mamilo esquerdo fazendo Baekhyun gemer de leve.

 

– Vem dormir, Hunnie.

– Não consigo, hyung. Foder até esquecer nossos nomes parece melhor.

 

Baekhyun fez um som entre gemer e rir.

 

– Monstrinho de sexo, você me cansa. Mas ainda dormir, baby.

 

Depois do que pareciam poucos minutos, Sehun conseguiu sentir que Baekhyun dormiu. Ele saiu de cima do corpo menor e suado, ainda grudento com sêmen seco na barriga, e olhou diretamente para o namorado. Observando e velando seu sono. Parecia simples como isso; ver Baekhyun, admirar sua beleza, tocar na pele macia e fria… Pertencer a Baekhyun fazia todos os tipos de coisas engraçadas em Sehun.

Foram nessas noites de insônia que ele tomava seu tempo em decorar e gravar na mente todos os pequenos pontos que faziam de Baekhyun tão Baekhyun.

O braço frio caiu por cima da barriga de Sehun, uma perna entrelaçando ­se a sua. Ele sorriu torto, espalmando a mão na coxa de Baekhyun, trazendo e apertando­-o mais para si. Houve um gemido sonolento e, dessa vez, seu sorriso foi maior.

 

– Muito tempo? – Baekhyun perguntou sonolento.

– Quase uma hora. Eu gosto de ver você dormindo – respondeu num sussurro.

– Hm­hm. Eu sei, Hunnie.

– Você continua gelado, hyung. Sua pele nunca dura muito tempo quentinha – ele engatou sua mão na bunda de Baekhyun, amassando os globos e puxando com alguma rudeza. Baekhyun soltou um muxoxo, mordiscando na clavícula aparente de Sehun. Ali, ambos estavam recomeçando preliminares.

– E quer me esquentar, então?

 

Sehun não disse nada. Ele moveu a mão para entre os globos, rodando o dedo na entrada suja de gozo que deixou tempo atrás. Baekhyun moeu contra a perna de Sehun, e guinchou quando rolaram na cama e foi erguido por cima do corpo maior; ereção com ereção, boca com boca. O beijo foi áspero e com toques de línguas fora da boca. Saliva escorreu no canto da boca de Baekhyun e ele sentiu a invasão do dedo de Sehun dentro dele.

 Gemendo, moveu seu corpo em cima de Sehun, sentindo mais do pau duro de Sehun e raspando ambas as ereções para maior atrito. Sehun arfou e enganchou a mão livre nos cabelos da nuca de Baekhyun, puxando­-o para colidir suas bocas.

A impulsão dos dedos dentro da bunda de Baekhyun era rápida e constantemente procurando a próstata para prazer. Sehun puxou o lábio inferior do namorado, mordendo com firmeza entre dor e prazer.

Sehun deslizou seu corpo até estar olhando fixamente para Baekhyun, olho no olho. Tão intenso quanto ele era em silêncio, o peso da luxúria tinha um adicional íntimo entre eles. Com três dedos e uma masturbação pele com pele, à seco e sem mãos, Baekhyun arqueou as costas e soltou um grito esganiçado quando gozou.

Foram poucos segundos para Sehun chegar ao segundo orgasmo.

 

– Inferno de um orgasmo, Sehun! – ele disse com a voz rouca.

Sehun riu abafado e circulou suas pernas aos quadris de Baekhyun. – Nunca ofereça se não pode aguentar, amor.

– Nunca duvide de mim, Oh Sehun.

– Huh?

 

Baekhyun riu e saiu da cama. Ele voltou momentos depois com uma toalhinha molhada para limpar Sehun. Ambos limpos, Baekhyun deitou ao lado de Sehun e ficaram de conchinha, com Sehun abraçando o menor por trás.

Como se fosse muito importante, Sehun ergueu a vista para o relógio.

 

– 5h12 – ele sussurrou. – Você ficou quentinho.

– Boa noite, Hunnie.

– Noite, hyung.

 

Não seria a última vez que Sehun não sentiria sono e Baekhyun não se tornaria quente. 


Notas Finais


Então...!

Rezando que o "lemon" não esteja mto fail, nem mesmo a escrita. Realmente, desde quando postei isso, não escrevi mais. Agr, eu 'tô na faculdade, então meu tempo é mínimo devido a projetos de móveis :( Pretendo postar um jornal explicando algumas coisas, isso é, se ainda se interessam ou lembram de mim.

Enfim, espero que tenham gostado desse capítulo. Ela foi finalizada porque era algo bem aleatório que eu tinha pensado. Quase uma drabble. Até!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...