1. Spirit Fanfics >
  2. (In)substituível - Mitw >
  3. Connection.

História (In)substituível - Mitw - Capítulo 3


Escrita por:


Capítulo 3 - Connection.


Tarik Pacagnan

Meu pai suspira quando faço a pergunta. Com certeza, ele não gostou, mas eu pelo menos precisava saber quem ele era, o porquê não se gostam, entre outras coisas. Acho que tenho o direito de saber isso. Porque fora aquele sentimento que tive no inicio, eu sinto que conheço ele de algum modo, só não sei como. Então para ter certeza que não estava ficando louco de vez, precisarei tirar algumas informações do meu pai e depois juntarei as peças ao pouquinho, mas sinto que isso não será nada fácil, na verdade, o que é fácil? Mas se eu já esperei tanto pelas coisas, por que não esperar por essa? E eu sinto que dessa vez vai dar certo.

— Mikhael Linnyker é um Rei do reino vizinho — Ele começa a falar — Ele é viúvo, pois pelo o que fiquei sabendo, a alguns anos atrás, quando ele teve seu filho, o mesmo e sua mulher morreram durante o parto. Depois disso, ele criou laços com muitos reinos, mas eu não aceitei quando ele veio me oferecer essa oferta, por isso, somos inimigos.

— Por que batalham? Qual é o real motivo para isso? — Pergunto, sem nenhum medo. Eu precisava de cada explicação sobre isso.

— Nós estamos a alguns anos nessa batalha, pois quem ganhar, vai poder pegar o reino do outro para si. Porém até hoje, nunca teve ganhador — Ele suspira, parecia bem decepcionado — Mikhael é bem forte, isso eu não posso negar, mas não posso simplesmente desistir de tudo e entregar o reino para ele.

— Não sinto que ele é uma má pessoa, pai — Digo com um pouco de medo de levar alguma bronca.

Mas realmente, eu sentia isso, era como se fosse uma conexão. Ele poderia ser assim com meus pais, mas com certeza, tem segredos muito mais obscuros por trás disso, eu sentia, só não sei como, era como se minha intuição dizesse isso. Era tudo tão novo e estranho para mim, mas bom de se sentir, pois por incrível que pareça, eu me sinto vivo, como se uma luz viesse me guiar nessa escuridão. Não sei o que é isso, mas não quero que acabe.

— Mas ele é, e você só vai se aproximar dele para isso, caso contrário, você está proibido — Ele me olha, totalmente nervoso.

Por que eu sentia um medo da parte dele? E se era realmente isso, por que ele sentia medo? Isso tudo é muito estranho, mas não vou desistir de saber de toda a verdade.

— Talvez amanhã eu morra, pai. Você nunca vai me ver próximo dele — Digo indiferente.

— Você não vai morrer, disso eu tenho certeza — Ele diz sério.

— Como pode ter certeza? — Cruzo os braços, o olhando.

— Você verá — Em seguida, sai da sala.

Enquanto vejo ele saindo da sala, várias perguntas chegavam até minha mente. Eu só acabei ficando mais confuso ainda. Praticamente não descobri nada sobre esse homem. Mas ainda por cima, por que ele me traz essas sensações? Por que o nome dele me traz calafrios? Tem algo muito mal contado nessa história toda. É óbvio que eles não brigariam entre si por tanto tempo, só por causa de terras ou por recusar uma oferta. Essa com certeza, é uma das piores mentira que já ouvi. Saio de meus pensamentos quando Rafael vem até mim e me abraça bem forte. Ele estava chorando e foi ali que desabei também, pois eu precisava disso. Já não aguentava fingir que estava bem ou que não ligava, pois era horrível e só ele me entendia. Precisava de uma solução para meus problemas, achar a chave para descobrir toda a verdade. E sempre que pensava sobre essas coisas, a única pessoa que vinha na minha cabeça era: Mikhael Linnyker. Eu não entendia, apenas sentia vontade de chorar. Estava desolado naquele mesmo tendo meu irmão comigo.

— Você precisa descansar — Ele separa o abraço e enxuga minhas lágrimas com um de seus dedos — Não fique tão preocupado com isso, dessa vez, pode confiar no nosso pai — Sorri, como forma de me trazer segurança.

— Tem algo que sabe sobre Mikhael?

— Não exatamente, mas eu sei que ele não é uma má pessoa.

— Já conversou com ele ou algo assim?

— Sim, eu já conversei com ele. Mikhael é muito educado, simpático e... — Rafael olha para os lados se certificado que não havia ninguém — Ele só sabe sobre você, por minha causa.

— Por que contou sobre mim pra ele?

— Sabia que uma hora ou outra, meu pai iria te dar a ele como se você fosse algo qualquer, como se fosse uma mercadoria — Pausa — Por isso comentei sobre você e falei que não tinha poderes, que era um ser inofensivo e também, para não fazer mal a você.

— E ele? O que achou em relação a isso? — Minha curiosidade estava me matando.

— Ele disse que não te fará mal — Rafael sorri novamente.

Suspiro aliviado e sorrio juntamente. Sabia que tinha algo que ele não queria me contar, assim como meu pai, porém não vou força-lo a dizer nada, pois eu mesmo posso descobrir. Então assim, nos despedimos e fomos em direção aos nossos quartos, que ficavam em direções diferentes. Meu quarto ficava bem distante de todos, quase perto daqueles dos funcionários, mas isso não quer dizer que era ruim. Ele era grande e confortável. Tinha coisas bem valiosas e escondidas ali dentro. Meus pais optaram por esconder várias coisas por ali, pois ninguém da importância para meu quarto e também, se um dia for descoberto, com certeza, vão colocar a culpa em mim, mas eu não ligo, literalmente. Depois de tudo o que está acontecendo e aconteceu, os próximos acontecimentos não serão nada. Meus pensamentos rodavam em minha mente, sempre sobre Mikhael. Como ele seria? Será mesmo que é tão simpático e educado assim? Tentava projetar a imagem dele em minha cabeça, mas era completamente impossível, pois nunca vi ele, ou pelo menos acho que não. Estava totalmente confuso com tudo isso, mas acho que eu só preciso dormir e descansar. Mesmo sendo ainda de tarde, me sentia completamente cansado, acho que não dormi bem na noite passada, na verdade, eu nem lembro direito. Meus passos eram lentos, até então, não tinha pressa em chegar em meu quarto, mas ainda sim, nem era tão longe. Depois de alguns minutos chego no local indicado e entro rapidamente, sendo recebido por Blue, o meu gato. Antes de realmente me deitar para dormir, coloco ração para ele.

— Você precisa ser forte se algo acontecer comigo, tudo bem? — Digo para ele e o mesmo mia. Então, entendo isso como uma resposta.

Então me deito em minha cama e logo ele vem, se deitando bem ao meu lado e assim fiquei, ainda mais pelo fato de estar cansado. Fecho meus olhos lentamente e sou guiado para o mundo dos sonhos...

Ou pesadelos. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...