1. Spirit Fanfics >
  2. Inteligência Rara (ShikaTema) >
  3. Pós guerra II

História Inteligência Rara (ShikaTema) - Capítulo 48


Escrita por:


Notas do Autor


Oi lindinhossssssss ❤️🧡
Primeiro, quero pedir desculpas pelo meu pequeno atraso. Estou com várias coisas pra fazer, e esse capítulo me deu um trabalhão! Hahaha
Já adianto, segura a emoção aí 🔥. Espero que gostem ✨
Nos vemos nas notas finais!!!!

Capítulo 48 - Pós guerra II


Se eu dissesse que eu não tinha expectativas para essa noite, com toda certeza eu estaria mentindo. Sonhando dia sim e dia sempre com a princesa da Areia. Ter me mudado para o meu próprio apartamento me conferia certas vantagens, e uma delas era poder estar com Temari sem interrupções. Não que eu reclamasse das vezes que a loira visitou meu quarto e nos amamos na minha cama de solteiro, mas agora as coisas eram diferentes. Eu pude sentir isso no primeiro instante que a vi cruzar o portão de Konoha, hoje de manhã. Parece que a maioridade chegou e com ela veio a minha vida adulta, e tudo era muito mais intenso. Esses anos que compartilhamos juntos, eu e Temari, eu pude ver o quanto evoluímos, e saber que ela esteve ao meu lado em tantos momentos só me fazia querer estar com ela todos os dias. A paixão era avassaladora, mas o desejo... ah, o desejo era insaciável. As curvas do corpo da princesa de Suna, cada vez mais delineadas. Mulher completa, perfeita pra mim.

Me dirigi até o hotel, já estava perto das nove horas da noite. O céu estava estrelado e a lua era iluminada pela lua. A cada passo que eu me aproximava do quarto de Temari, eu sentia meu chakra desestabilizar. Tudo estava diferente entre nós. Era surreal a nossa conexão... não sabia dizer, mas algo tinha mudado. Claro que todo o anseio de amá-la mais um vez era o que me movia, mas tinha algo a mais. Me sentia como um leão pronto a devorar sua presa, e o corpo de Temari me respondia de maneira idêntica. 

Insaciáveis, era isso.

Dei três batidas na porta. A porta se abriu, e meus olhos estavam fascinados e como um imã, meu olhar vidrou na imagem da maravilhosa loira na minha frente. Puta que pariu. Parecia mil vezes melhor do que eu tinha visto hoje pela manhã... Temari estava incrivelmente linda e deliciosa. Como ela conseguia? Eu realmente não sei. Gostosa demais. E eu ardia por dentro. Ela vestia um top preto que demarcava todo o seu corpo curvilíneo, e tinha por cima uma blusa manga longa e gola alta de tela transparente. Através do decote da peça de baixo, eu era presenteado com seus seios fartos apertados um contra o outro, cobertos apenas pela transparência. Eu fiz questão de gravar cada detalhe da sua roupa, que eu faria questão de retirar peça por peça. Ela estava vestida pra me matar... de tesão.  Uma calça preta apertada, que adornaram suas coxas grossas, e que eu jamais tinha visto ela usar.

Um puro contraste de excitação, sua pele tão clara, com a roupa completamente preta.

Sem contar o cheiro doce que vinha até mim com a brisa que agraciava seu corpo. Ela estava exalando lascívia, assim como eu. O rosto dela corou minimamente ao abrir a porta e ser devorada pelos meus olhos. Fiquei contemplando seu corpo por alguns minutos, vidrado.

- Shikamaru? – Ela me chamou. – Me deixa limpar essa baba aqui que está escorrendo. – Ela passou o polegar sobre os meus lábios, pressionado de maneira provocativa.

- Você está gostosa pra caralho. Por Kami, Tema. – Eu confessei passando a mão pelo meu rosto tentando amenizar as ondas de calor que me visitavam, e não arrancar sua roupa ali no meio do corredor. E ela riu vitoriosa. Não demorei em me perder em seus lábios perfeitos em certa urgência , eu queria mais. Tão quentes, como todo o seu corpo. Mas ela logo interrompeu nosso beijo.

- E o que vamos fazer? – Ela perguntou impaciente.

- Bom... quer conhecer meu apartamento? – Eu sorri malicioso, agarrando sua cintura e colando nossos corpos, deixando o mínimo espaço entre os nossos lábios. – Brincadeiras à parte... estou falando sério. Quer conhecer onde estou morando? É simples, mas quero que você conheça.

- Claro que eu quero, né? Estou curiosa pra saber como você está se saindo morando sozinho, Nara. – Ela sorriu desconfiada.

- Vamos lá, como imagina meu apartamento? Porque pela sua cara, você deve imaginar o pior. – Eu ri.

- Qual é Shika, com certeza eu imagino um lugar milimetricamente encaixado. Tudo no seu devido lugar. Você parece metódico, e um tanto quanto detalhista em deixar tudo organizado. – Ela sorriu. – Meu oposto, né? Porque eu adoro uma bagunça. Deve ser por isso que nos damos tão bem. Eu bagunço e você arruma, que tal? – Ela ria. 

- Só se for pra bagunçar a minha cama. – Eu disparei, pressionando ela contra a parede do corredor. 

- Vou adorar ter esse trabalho. – Ela respondeu prontamente, com a respiração acelerada pela surpresa. 

- Então vamos, meu apartamento não fica longe daqui. – Eu sorri satisfeito, dando espaço pra ela sair daquela encurralada que eu acabei de dar.

Temari fechou a porta do quarto do hotel e peguei sua mão, entrelacei a minha e caminhamos em direção ao nosso destino. Ao chegarmos na frente da porta do meu apartamento, retirei as chaves do bolso da calça e abri a porta dando passagem pra que ela entrasse primeiro. Temari observou cada detalhe, parecia interessada em memorizar cada canto do meu apartamento. 

- Não falei? – Ela disse convencida depois de conferir cada cômodo, menos o meu quarto. – Não tem absolutamente nada fora do lugar, Shikamaru. – Ela disse enquanto os seus olhos corriam pelo apartamento. Olhou a sala, que tinha apenas um sofá, viu a cozinha que ficava integrada com uma mesa com duas cadeiras.

- Bom, passo mais tempo no prédio do Hokage do que aqui, então não me preocupo muito. O que tem aqui é suficiente. – Eu expliquei. 

- É lindo. Sua cara, na verdade. – Temari andou em minha direção, me fitou com os seus olhos verdes. – Que homem que você se tornou Nara... – Temari tinha chama nos seus olhos, como se o fato de estarmos sozinhos, e no meu próprio apartamento fosse um combustível para vivermos o nosso pós guerra. 

- Gostou? – Eu perguntei segurando sua cintura de maneira firme, arrastando seu corpo pra perto do meu. Ela não resistiu, e logo nossos corpos estavam colados. – Mas a melhor parte você ainda não conheceu. - Eu fiz questão de dizer.

- E qual é a melhor parte? – Ela perguntou.

- A cama que você vai bagunçar, gostosa. – Agarrei Temari, e ela entrelaçou as pernas ao redor da minha cintura, como se esperasse por isso o tanto quanto eu. Não precisava de muito para que eu me perdesse na imensidão do desejo que tínhamos um pelo outro. Me movi até o quarto, com a loira agarrada no meu corpo, e ela respirava contra o meu pescoço me fazendo arrepiar.

Uma mulher tão foda assim, é maldade. 

É fogo, com fogo.

Entramos no meu quarto, e dessa vez eu não precisava fechar a porta. Temari desceu do meu colo, e a primeira coisa que fez foi segurar na barra da minha camiseta, com força.

- Tira. – Ela mandou. 

Eu prontamente obedeci. O olhar da loira era cheio de luxúria, como se necessitasse disso pra viver. Ela mordia os lábios ao me observar, e toda vez era isso, ela me olhava com um puta tesão e eu chegava à beira do colapso. Estilo fogo, incontrolável.

- Tão gostoso... - Ela beijou meu pescoço e desceu até meu abdômen. Que tortura. - Tão meu... - Ela desabotoou minha calça. - Puta garoto gostoso que você é, Nara! - Ela me arranhou com um misto de raiva e desejo - Me odeio por já estar toda molhada só de te olhar. - Ela suspirou pesarosa. E meu corpo pegou fogo com a sua confissão. Sem retirar minha roupa, ela só buscou o meu membro que estava pulsando debaixo do tecido. Ela se ajoelhou a minha frente  e no mesmo momento fechei meus olhos em puro prazer por receber aquela boca tão quente e perfeita. Ela sabia o que fazia, e se deliciava.

- Tema... - Minha voz falhava enquanto eu apreciava o seu movimento e seus lábios molhados. - Olha pra mim, Temari. - Eu pedi. - Desejei tanto por esse momento... não me prive de te olhar. - Ela se dedicou ainda mais. Eu não ia aguentar. Puxei Temari, colocando-a de pé, fitando seus olhos verdes. E ela fez questão de me guardar. Me deixando vestido novamente. Não sabia sua intenção, mas acatei. 

Colei nossos corpos. 

- Teu corpo, meu corpo... – Apertei seus seios fartos que se encaixavam perfeitamente nas minhas mãos. E senti o corpo dela estremecer, e tinha a respiração acelerada... Se ela estava disposta, eu estava mais ainda. Se ela estava molhada, eu não sabia dizer o quanto eu estava louco pra foder com ela mais uma vez. – Tão perto. – Eu beijei seu pescoço, enquanto passei os dedos suavemente pelos seus seios...  eles estavam eriçados de desejo. Ouvi ela gemer no meu ouvido minimamente. Fui subindo até a sua orelha, e sussurrei. 

-  Eu sei que você sente algo quando me vê, incontrolável... que queima por dentro, e essa chama vai causar um incêndio.

- Deixa o quarto queimar... e eu bagunçar a sua cama. – Ela disse em um sussurro, alto o suficiente pra eu sentir meu chakra agitar.

Nossos olhos estavam fixados um no outro. O contato visual mais intenso que já compartilhamos. As mãos de Temari tateavam meu corpo com urgência. Segurei na sua cintura, com ímpeto.

- Você está com roupa demais. – Eu disse segurando a sua blusa transparente, e retirando em um único movimento.

- Então você me quer sem roupa, e na sua cama? – Ela perguntou enquanto arranhava as minhas costas com afinco. 

Eu adoraria me lembrar dessas marcar amanhã.

- Bom... não se você não quiser. – Eu mordi seu ombro, e minha mão desceu e abri o botão da sua calça. – Eu só quero que você me diga o que deseja... você diz, eu obedeço. – Eu sabia que a loira ficava extremamente excitada por estar no controle da situação, não me importei por hora. Logo eu estaria no lugar dela.

Início do nosso pós guerra.

Temari me empurrou sobre a cama. Eu fitava atentamente cada movimento que ela realizava. Primeiro soltou os cabelos loiros, balançando de um lado pro outro para deixá-los livres. Logo em seguida retirou a calça apertada, graciosamente, revelando a verdadeira motivação daquela peça preta que ela vestia. Não havia nada por baixo. Caralho. Eu estava latejando de tanto tesão, só de olhar pra ela. O corpo encaixado perfeitamente proporcional.

- Tão gostosa e tão safada. – Eu disse fitando seus olhos enquanto sentia ela sentar sobre mim. 

Observei minimamente seu corpo arrepiado pela excitação bem a minha frente, e ela ainda vestia o top. Eu enloqueci ao sentir seus mamilos enrijecidos com o toque que dei em sua nuca, segurando seu cabelo com força. 

- É assim que você gosta? - Eu perguntei insinuativo.

Em reposta ela apenas pendeu a cabeça pra trás, entregue. Totalmente rendida. 

Seus seios pareciam muito mais apertados agora, sem a transparência. Ela mesma retirou o top preto, em urgência e mais uma vez... Nada por baixo. Agora sim, ela estava completamente do jeito que eu queria. Foi ela se movimentar no meu colo pra eu sentir o seu calor, e estávamos separados pelo meu maldito tecido.

- Ah, Shika... - Ela gemeu no meu ouvido, enquanto se movimentava de maneira torturante sobre mim.

Minhas mãos agora apertaram a suas coxas com força. Força demais, eu marcaria suas coxas, com certeza. Mas ela não fez objeção. Temari agarrou meus cabelos em resposta, e ditava o ritmo do nosso beijo caloroso. 

A ousadia da princesa dos ventos era digna. Verdadeiro furacão. Em um único movimento, segurei ela pelo colo e joguei Temari deitada na cama, sem muita delicadeza. Me desfiz do restante da roupa que ainda me cobria. Todos os meus pensamentos mais insanos vieram à tona. Ela estava deitava com as pernas levemente flexionadas e fechadas, bem a minha frente. Comecei a traçar um caminho de beijos leves e quentes, que vinham do pescoço, colo, e me dediquei em seus seios. Abocanhei, me perdendo ali. Enquanto um eu mordisquei, o outro foi castigado pelo aperto do meu polegar com o indicador, puxando-os. Senti como se uma onda elétrica percorresse o corpo da princesa da areia, ela era extremamente sensível, uma vez que ela se contorcia debaixo de mim, em puro prazer. Segurei seu corpo contra a cama, sua pele branca em contraste com meu lençol preto. Segurei mais uma vez... E ela se contorcia ainda mais. Fiz sinal de mãos. 

Kagemane no justu. Você está dando muito trabalho hoje, Temari. - Eu sorri ladino, em provocação. Ela tentou se mexer minimamente, sem sucesso. Ela sorriu, com os olhos carregados de prazer.

Shikamaru! - Ela gemeu meu nome com o corpo em brasa. Era óbvia a sua satisfação. 

Continue a minha dedicação... distribuindo beijos pela barriga incrivelmente definida. Passei minha língua, sentindo seu calor.

Desci um pouco mais e cheguei ao seu ventre. Temari gemia de maneira incontrolável, não sei se pela imobilização ou pela sensação intensa que eu faria questão dela sentir, nesse exato momento. Cheguei no meu destino. Liberei o jutsu por um momento e e ela de maneira extremamente provocativa abriu as pernas pra mim.

- Me faz gozar mais uma vez hoje, Nara. - Ela pedia incontrolável, apertando os próprios seios, e comprimindo os olhos em puro desejo. 

Não precisava pedir. Eu faria isso com todo prazer. Ela escorria de tanto tesão, pura explosão. Mas eu era um bom shinobi, e não deixaria um pedido como esse sem ser atendido. Com a minha língua, me dediquei em percorrer por toda a extensão da sua intimidade que pulsava contra a minha língua, provando seu sabor. 

- Não vou precisar fazer muito. - Eu respondi, e minha respiração quente sobre o seu ponto mais sensível fez a loira arquear a cintura e seu corpo tremer debaixo de mim, vindo de encontro a minha boca. Ela fechou a perna em reflexo. Eu abri. Temari gemeu alto. 

- Calma kunoichi, pra não acordar a vila. - Nesse momento eu selei meu apartamento. Os olhos de Temari estavam vidrados pela minha ação. - Quero você gritando meu nome. - Eu invadia a loira com dois dedos, e minha língua se dedicava juntamente. Combo perfeito. 

Cada vez que eu estava com Temari parecia a primeira, e nós nunca estávamos satisfeitos. Mas hoje iríamos ficar.

- Deixa eu sentir o seu sabor e sentir que você chegou no topo, amor. Goza pra mim. - Eu disse fitando seus olhos e meus dedos que se movimentavam dentro dela energicamente. 

- Shika, eu... eu... - Ela não conseguia completar a frase. Mas seu corpo revelava. Era o segundo orgasmo do dia, mas se dependesse de mim, não seria o último. Olhei seu corpo que tremia sobre a cama, incrivelmente gostosa e rendida, só minha. 

- Porra Temari, porque tão gostosa? - Segurei ela pela cintura e trouxe pra perto. Eu não aguentava mais. - Eu preciso muito te sentir, ou juro que enlouqueço. - Invadi a princesa da areia, de uma única vez, e fui muito bem recebido. A cada estocada nossos gemidos ecoavam meu pelo meu quarto, que nesse momento possuía uma aura de puro prazer e amor. Temari parecia lutar com os gemidos que imploravam pra sair da sua boca. - Deixa eu te ouvir amor, geme bem gostoso pra mim. - Eu disse com a voz rouca pela excitação e a respiração descompassada.

Temari pareceu me obedecer, gemendo meu nome cada vez mais alto a cada estocada. E eu já estava fora de controle. Ela pareceu se recuperar rapidamente, querendo mais. Temari segurou meus ombros e trocou nossas posições. E ela sentou. Sentou perfeitamente. A cada movimento da loira em cima de mim, eu sabia que eu não aguentaria muito e sentia suas pernas tremerem, mais uma vez. Eu dizia palavras desconexas, e meus gemidos foram abafados contra sua pele quente. 

- Goza comigo, amor. - Ela pedia  enquanto se movimentava perfeitamente sobre mim. 

Não precisava pedir duas vezes, amor. Sentei com ela ainda encaixada sobre mim, sentindo-a de maneira profunda. Segurei todo seu cabelo entrelaçado firmemente na minha mão, e ela deu espaço pra que minha boca encontrasse seu pescoço, e quando meus lábios encontraram sua pele quente ela arrepiou, e em nenhum momento parou os movimentos. As mãos de Temari sobre o meu corpo exalavam uma intensidade absurda, minha mão encontrou com a dela, e um brilho azul cintilou. Nosso chakra. Palpável. Eu chegaria ao meu ápice rapidamente. Freneticamente nos movimentávamos. Sincronia perfeita. Mistura e proporção exata de uma boa foda e fazer amor. Eu a amei por completo, nosso pós guerra. 

Ela me fez mexer até meu chakra acabar.

Eu caí derrotado, e minhas costas encontraram a cama. E ela, se desencaixou e eu a trouxe para o meu lado. Aconchegando a princesa da areia nos meus braços.

- Já disse que te amo, sua problemática?  - Eu sorri pra ela.

- Não! - Ela riu. - Mas eu amo ouvir. Repete. - Ela selou nossos lábios. - Eu amo você, Nara. 


Notas Finais


AAAAAAAAAAA
Aqui a putaria é refinada 🤭❤️🔥✨
POR KAMI, vcs tratem de surtar comigooooooooo!
Espero que tenham gostado e tenha atingido a expectativa de vcs. AMO VCS AQUI CMG. ❤️
🔥🔥🔥🔥🔥🔥🔥🔥🔥🔥🔥🤣🤣🤣
Dale fogo no parquinho!
Beijos das fadinhas fanfiqueiras 🧚🏼‍♀️✨


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...