1. Spirit Fanfics >
  2. Inteligência Rara (ShikaTema) >
  3. Único lugar

História Inteligência Rara (ShikaTema) - Capítulo 49


Escrita por:


Notas do Autor


Oi lindinhosssssss ❤️🧡
Tá todo mundo recuperado do pós guerra?
Aproveitem a leitura, nos vemos nas notas finais ✨✨✨✨

Capítulo 49 - Único lugar


Fanfic / Fanfiction Inteligência Rara (ShikaTema) - Capítulo 49 - Único lugar

Estávamos deitados abraçados sobre a minha cama, e eu não tinha foças nem pra levantar. No entanto, ter Temari ali aconchegada nos meus braços fez com que a nossa conversa fluísse. Seu corpo estava quente, e ainda possuíamos resquícios de toda intensidade que vivemos minutos atrás.

- Tema... - Eu comecei o assunto de maneira despretensiosa. Talvez esse não fosse o momento pra essa conversa, ou era. Sei lá. Arrisquei. Temari nunca tinha feito nenhuma objeção, em todo esse tempo que estamos juntos, sobre não usarmos nenhum tipo de prevenção da minha parte. Será que ela se sentia pressionada? Eu também fui um belo baka em nunca ter tocado nesse assunto, mas senti necessidade. Queria que Temari entendesse que eu a respeitava antes de qualquer coisa, e pensar por um instante que ela talvez estava fazendo isso pra me agradar, me preocupou. Em outro momento também pensei que ela jamais se submeteria a isso, a loira é um furacão. Se ela não quisesse, não haveria Kami no mundo que fizesse ela fazer. Mas resolvi tirar a dúvida.  

- Que foi, Shika? - Ela perguntou, enquanto se ajeitava nos meus braços pra me olhar nos olhos.

- Tem algo que nunca conversamos... e tenho curiosade. - Tentei começar o assunto da maneira mais simples possível. A última coisa que eu queria era estragar nosso clima.

- Você curioso? Isso sim é novidade. - Ela pareceu interessada.

- Bom. Você já pensou sobre ter filhos? - Eu disparei de uma só vez.

- Que? - Ela sentou na cama. - Que história é essa Shikamaru? - Ela me olhou confusa.

- Não me entenda mal... Calma. - Eu comecei explicar. - Bem, você sabe como um bebê acontece. - Cocei minha nuca meio desconcertado, eu não queria parecer invasivo com esse assunto. Mas continuei. - Nós nunca falamos sobre isso, mas você também nunca se opôs comigo dentro de você. Aí fiquei pensativo. - Expliquei.

- Shika, você acha que eu sou alguma idiota? - Ela resmungou, como sempre. - Qual é, eu podia ser virgem, mas não sou desinformada. Se nunca me ôpus a isso é porque sei o que estou fazendo, certo? - Ela deu um tapa estalado no meu braço. - Mas vou te explicar. 

- Aí! - Eu reclamei. - Não precisa me bater, só queria saber. Me explica então. - Eu pedi.

- Você é um shinobi, não é? E eu uma kunoichi. Shika, todos os nossos exames e as nossas condições de saúde precisam estar em dia. Tá? Não sei se você se lembra disso, mas é assim que funciona na vida de um ninja. - Ela riu debochada. - Eu como Jounin da Areia, tenho acesso direto as fichas de todos os shinobis dos quais Suna já teve como aliado. Lutamos juntos, várias vezes, certo? Então pronto. Explicado. 

- Então quer dizer que você utilizou da sua vantagem como Jounin para ter acesso a minha ficha? Era muito apaixonada, não é? Só não confessava. - Eu sorri pra ela, convencido. 

- Cala boca, Shikamaru! - Ela riu. - Mas não posso negar que ver sua foto e ler seu nome em qualquer papel me chamava atenção, oras. - Ela confessou. - Mas enfim, voltando a sua pergunta anterior. Eu também tenho todos os meus exames em dia, e também uso método contraceptivo. Mas achei ótimo você tocar no assunto, pelo menos você não vai perder a noite sem dormir depois de gozar dentro de mim. - Ela riu da minha cara. - Não se preocupe Shika, você não vai ser pai. - Ela revirou os olhos por fim.

- Mas quem disse que eu não quero ser? - Eu disse fitando seus olhos. - Quero casar, e ter filhos Tema. Você não? - Perguntei.

-Ah, sei lá. Casar sim... agora com os tempos de paz, isso parece mais perto da nossa realidade. E sobre ter filhos... Não acho que eu tenha muita paciência com crianças. Só de pensar em casar com você e ter uma criança que seja preguiçosa igual a você, já me sinto estressada, porém acho que vale o risco. Né? - Ela sorriu graciosa. - Uma por ter esse seu corpinho só pra mim. E outra por saber que essa criança seria fruto de todo nosso amor. Então da até  pra pensar sobre. - Ela sorriu, satisfeita. 

- Você é o amor da minha vida. - Eu disse olhando nos seus olhos. - Em breve, você vai ser do clã Nara. - Eu disse sugestivo.

- Shikamaru! Não me ilude assim. - Ela disse brincando. - Não se esqueça que eu ainda sou cidadã de Suna e você de Konoha.

- Não estou brincando. - Eu expliquei. - Também não me esqueci desse detalhe. Mas tudo no momento certo. - Beijei sua testa. - Vamos dormir? Amanhã ainda é dia de trabalho, senhora representante de  Suna.

- Nem me lembre. - Ela comentou. 

Em minutos adormecemos, abraçados e na minha cama. 

 

[...] 

 

Eu fui interrompido do meu sono mais profundo com a loira gritando no meu ouvido, como uma louca.

- Shikamaru! Acorda! Por Kami! - Ela dizia desesperada. - São dez da manhã! E você devia estar na sala do Hokage as nove. Céus! - Ela praticamente me derrubou da cama. - Anda logo, garoto! Eu ainda vou precisar passar no hotel e tomar um banho e trocar de roupa. - Ela dizia disparada, e eu não conseguia nem raciocinar o que estava acontecendo. - Anda Shikamaru! Acorda de uma vez! Vai pro banho, e se arruma. - Ela dizia com a voz estridente e me deu uns tapas.

Ela ia em direção a porta, me deixando pra trás. 

- Te encontro mais tarde! - Ela selou nossos lábios e desapareceu como um tiro pela porta. 

Foi aí que me dei conta das palavras que saíram da boca dela. 

Estou atrasadíssimo. Vou me lembrar de poupar meu chakra da próxima vez. 

Droga! Droga! Droga! Entrei e saí do banho voando. Me arrumei em 2 minutos, e corri em direção ao prédio principal. Eu já imaginava a bela bronca que eu receberia do Rokudaime. Isso sim é um saco.

Cheguei ao prédio principal e bati na porta, anunciando minha chegada.

- Hai, Rokudaime-sama. - Tentei disfarçar meu atraso. 

- Hai Shikamaru. Isso são horas? - Kakashi fitou o relógio na parede. 

- Me perdoe, Rokudaime. Eu acabei dormindo um pouco além do horário. - Tentei parecer o menos problemático possível com essa situação. Mas eu não tinha me tocado que o pior ainda estava por vir. 

Eu estava ao lado de Kakashi, e ele esticou o pescoço, me fitando dos pés a cabeça.

- Sua cara está péssima, Nara. Como se seu chakra tivesse chego ao limite. - Ele ponderou.

Droga! Kakashi era shinobi experimente em batalha e sabia como uma pessoa se sentia e aparentava após uma árdua batalha com esgotamento de chakra. A minha batalha ontem foi travada bem em cima da minha cama, com uma kunoichi gemendo meu nome, e me levando a loucura. E meu chakra também esgotou. Ele continuou.

- Bom... eu até diria que você estava em batalha ontem. No entanto, estamos em tempos de paz. Não é? Parece que sua noite foi um tanto quanto agitada. E Temari está em Konoha. - Ele ria debaixo da máscara, me deixando extremamente desconfortável. 

- Rokudaime-sama. Isso é um tanto quanto problemático. - Eu tentei desconversar. 

- Problemático é seu braço, parecendo que foi arranhado por um leão. Aliás, leoa.  Fora essa marca aí no seu pescoço. - Ele ria da minha cara. - Quando eu disse pra você ser um bom anfitrião, você levou bem a sério, não é Shikamaru? - Ele continuava rindo, sabendo que eu estava completamente constrangido. 

Olhei para os meus braços, e a minha situação estava caótica. Realmente eu parecia que tinha sido atacado, não queria nem imaginar como estariam as minhas costas. Temari, Temari. Eu pensei como deviam estar suas coxas. 

Pigarreie. Tentando mudar de assunto.

- Kakashi. Por Kami. - Eu pedi, corado. - Podemos mudar de assunto? - Mas eu como um bom conselheiro e observador que sou, me lembrei que ontem não passou desapercebido aos meus olhos que quando eu fui embora, ele ficou. E Sakura também. Não perdi a oportunidade. E disparei.

- Se bem que a sua noite também deve ter sido um tanto quanto agitada ontem, resolvendo pendências como Hokage. Não é? Eu fui embora as oito e você continuou aqui. E coincidentemente acabei esbarrando com a Haruno, vindo pra cá. Vocês deviam ter muitos assuntos a resolver. Certo? 

- Shikamaru. - Ele arregalou os olhos por entender o que eu dizia. - Agora sou eu que digo: por Kami. - Ele balançou a cabeça em negativa. 

- Fique tranquilo Rokudaime. Eu sei guardar segredo. Mas se eu posso dizer algo, diria pra vocês serem mais discretos. Você no caso. É só a Sakura entrar por essa porta que você não consegue disfarçar. Quem diria. - Eu tentei explicar.

- Obrigada pela dica. - Ele disse. - É complicado, Shikamaru. Mas enfim. Vejo que nossas noites foram memoráveis, certo? - Ele coçou a cabeça. 

- Sem sombra de dúvidas. - Eu acabei confessando.

- Mas vamos voltar pra nossa realidade, antes que essas duas acabem com nós dois. - Ele disse remexendo os papéis sobre a mesa. - Temos muito trabalho por hoje. 

- Sim. - Eu concordei, e finalizamos aquele assunto. - Bom, vou terminar de separar os documentos que você precisa assinar. 

- Faça isso. - Ele disse. - E vê se fique longe da representante de Suna, preciso de você trabalhando hoje. - Ele riu, brincando com a minha situação.

Eu não me dei ao trabalho de responder. 

No final das contas, por mais que Kakashi fosse o Rokudaime, nosso trabalho acabou trazendo uma intimidade que antes não tínhamos. E isso facilitava muitas coisas. Em breve eu tocaria no assunto sobre eu e Temari, de maneira oficial. Diferente da Godaime, Kakashi entendia a minha situação... e sabia como é amar alguém na dificuldade. Por um instante refleti o quão complicado e problemático era pra ele e Sakura. Não poderem serem vistos juntos e todo o drama dele ter sido seu sensei. Problemático demais. 

Passei o dia todo em trabalho. Não encontrei Temari pelos corredores, mas também não tive tempo para procurá-la. Não posso negar que eu já estava com saudade.  O simples fato de saber que ela estava em Konoha me trazia um pouco de paz, e me deixava tranquilo para trabalhar. Como se eu ansiasse terminar o dia por saber que teria ela me esperando. Mais uma vez refleti o quão incrível seria se ela não tivesse que ir embora de Konoha nunca mais. A nossa conversa de ontem, me deixou reflexivo. E por mais que as coisas não fossem tão simples, eu me esforçaria para que eu tivesse a princesa da areia ao meu lado. 

Terminei meu trabalho, era por volta das oito e meia da noite. Ser conselheiro do Hokage era isso, chegar cedo e ir embora tarde, mas só de pensar que eu encontraria Temari depois de um dia cansativo, me aliviava. 

Sai do prédio principal e me dirigi até meu apartamento. Tomei um banho, e vesti uma camiseta preta, e uma calça. E segui até o hotel. 

Bati na porta, e fui recebido com um lindo sorriso. 

- Hai, Shika! - Ela me abraçou calorosamente, selando nossos lábios.

- Hai, Hime. - Eu entrei. - Como foi seu dia? - Perguntei com ela enroscada nos meus braços. 

- Cheio de burocracias, chatas demais. Porém produtivo. - Ela explicou. - Bem produtivo, porque não te encontrei. Porque se eu tivesse te esbarrado, com toda certeza eu não teria feito metade do meu trabalho. - Ela riu.

- Sou tão problemático assim? - Perguntei com um biquinho. - Eu sou tão comportado. 

- Tão comportado que sonhava comigo em cima da mesa do seu trabalho e fez questão de realizá-lo. - Ela relembrou nosso momento. Aquilo foi insano. 

- Eu adoraria repetir, pra ser sincero. - Eu disse apertando seu corpo contra o meu.

- Quem sabe? - Ela sorriu maliciosa. - Mas por hora, fica só na sua imaginação. 

- Pode deixar. Isso eu sei fazer bem... - Confessei. - Primeiro eu sonho, depois eu realizo. - Finalizei a minha fala, beijando a sua boca, tão deliciosa.

Nos afastamos, e logo Temari pegou na minha mão e me levou até a cozinha.

- Está com fome? - Ela perguntou sorridente.

- Muita. - Eu respondi.

- Lembra que você prometeu que iríamos cozinhar juntos? - Ela perguntou.

- Bela promessa que fui inventar... - Suspirei. - Sério? - Eu disse derrotado.

- Garoto preguiçoso! Por Kami! Senta aí então, e me admira. Isso você sabe fazer bem. - Ela virou e piscou pra mim. - Vou preparar algo pra gente comer. - Ela disse enquanto começava a movimentar as coisas pra preparar nossa comida. 

Temari preparou nosso jantar e eu fiquei um tanto quanto surpreso. Eu só consegui ficar mais apaixonado ainda. 

A saudade é a nossa alma dizendo para onde ela quer voltar. E Temari era o único lugar pra onde eu queria voltar, todos os dias. 


Notas Finais


AAAAAAA ❤️🧡❤️🧡❤️✨
Quem da conta disso?
Fala a verdade se esse casal não é tudo? 🙈
Depois do pós guerra, vamos acalmar os ânimos hahahahahah essa estadia de Tema em Konoha vai ser o desenrolar de tudo.
COMENTEMMMMMMMMM ❤️❤️❤️

Obrigada por todo carinho, vocês são incríveis.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...